A demolição total do antigo presídio do Carandiru, na zona norte da capital paulista, foi algo que sempre achei apressado e desnecessário. Claro que manter todo aquele complexo não seria legal, mas eu defendo que um dos pavilhões deveria ter sido preservado e o restante dado lugar ao Parque da Juventude e a excelente Biblioteca São Paulo.

Fica sempre a impressão para mim de que a demolição de tudo foi para “apagar” da memória da população os horrores que ocorreram por ali na década de 90. Fico pensando aqui se o governo paulista fosse na Polônia se iriam demolir Auschwitz para tirar da lembrança… um memorial para a posteridade em um dos pavilhões preservados teria sido uma boa ideia.

Mas porque lembrei do presídio ? Para dizer que em Itapira, agradável cidade do interior paulista, sua antiga cadeia foi preservada e hoje serve a população local de outra maneira:

De cadeia a casa de cultura (clique na foto para ampliar).

De cadeia a casa de cultura (clique na foto para ampliar).

A antiga Cadeia de Itapira foi construída na primeira década do século 20, entre 1905 e 1909, e sua inauguração ocorreu no ano seguinte, em 1910. Por décadas o prédio serviu à população itapirense como presídio, onde quem cometia delitos tanto na própria cidade como nas regiões próximas ficava detido.

Pórtico de entrada da antiga cadeia (clique na foto para ampliar).

Pórtico de entrada da antiga cadeia (clique na foto para ampliar).

Após muitos anos de uso, o prédio foi tornando-se pequeno e obsoleto para a função carcerária e a cadeia local foi para outra endereço. Com isso discutiu-se pela primeira vez a necessidade de dar uma nova atividade ao imóvel, que ainda apresentava-se em excelentes condições de uso e estava construído em uma região central da cidade. Foi neste momento que implementaram ali o fórum da cidade.

E o fórum também funcionou no endereço do velho presídio por longos anos, até que em meados da década de 70, o fórum também deixou o imóvel e neste momento o prédio ficou sem função. Entretanto este “vazio” felizmente não iria durar muito tempo.

A velha cadeia em 1976 (clique na foto para ampliar).

A velha cadeia em 1976 (clique na foto para ampliar).

Em 1976 a Prefeitura de Itapira decide fazer uma importante mudança para a cidade, transformando a velha cadeia e antigo fórum em uma casa de cultura. As obras preservaram a originalidade do imóvel e apenas removeram os muros que cercavam a cadeia pública, mantendo o pórtico de entrada, o que integrou o prédio ao seu entorno. Após alguns anos de obras o imóvel finalmente é reinaugurado, como um espaço definitivo para a cultura itapirense, em 1980.

Vista da Casa de Cultura, antiga cadeia pública (clique na foto para ampliar).

Vista da Casa de Cultura, antiga cadeia pública (clique na foto para ampliar).

No prédio funcionam atualmente uma série de atividades ligadas à cultura. No andar térreo está instalada a Biblioteca Municipal “Mário da Fonseca Filho” e uma sala de pesquisas. Já no piso superior está o auditório onde realiza-se eventos culturais. E é neste mesmo andar que funciona a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

A memória da antiga cadeia não foi apagada da memória do munícipe, como fizeram em São Paulo no antigo Carandiru. O pórtico, como já dissemos lá no início, foi mantido e nele é possível ver, pelo lado de fora, a inscrição “cadeia”. Ao sair da Casa de Cultura é possível avistar no mesmo pórtico, do lado de dentro, e a inscrição com a data de inauguração do prédio.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

A preservação de um local histórico mesmo que de passado triste, como presídios e cemitérios por exemplo, é importante para que a história não seja esquecida. Quando esquecemos um fato trágico podemos vir a repeti-lo. Felizmente a Cadeia de Itapira foi preservada e, além de ter se transformado em um importante centro de cultura, consolidou-se em um dos mais bonitos pontos turísticos de Itapira.

Veja mais algumas fotos da Casa de Cultura João Torrecillas Filho:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Renato Rizzaro 27/06/2014 at 10:45

    Ave, amigo! Que bela matéria. Sei que é trabalhoso, mas eliminar os fios elétricos deixaria a foto bem mais charmosa… Abração!

    Reply
    • Douglas Nascimento 27/06/2014 at 10:47

      Renato, tudo bom ?
      Sei que deixaria a foto mais charmosa, mas nosso objetivo é mostrar o local exatamente como ele é.
      Abraços

      Reply
  • paulosuttolo Sutto 28/06/2014 at 14:31

    Excelente trabalho, é muito bom a cidade onde moramos mostrando sua história !!!! Valeu mesmo

    Reply
  • Luiz Henrique 29/06/2014 at 13:41

    Então,Douglas…alguns artigos atrás,quando você esteve na Vila Zelina(Vila Prudente),eu lhe falei sobre uma casa muito antiga,na rua Dos Ciclames(e você sequer me respondeu,com certeza,não se interessou)que tinha umas placas de arquiteto na entrada.Pois bem,tal casarão,belo e muuuuuuuuito antigo já veio abaixo.Eu gostaria de saber para que você coloca uma chance para a nossa interatividade,se ela não serve para nada????Além dessa,eu já comentei vários artigos seus e você jamais respondeu.Vou parar!!

    Reply
    • Douglas Nascimento 30/06/2014 at 18:36

      Olá Luiz,

      Infelizmente não dá para responder a todos, são dezenas de comentários todos os dias e a interatividade nem sempre é possível.
      Também não é sempre eu quem libera os comentários.
      Contudo, todos os emails e comentários são lidos e tentamos ir atrás de tudo. No caso, embora eu não tenho respondido eu fui até lá e acabamos por fotografar toda a rua, desde a CEPAM até o final na rua das Giestas. Em breve as fotos estarão por aqui…

      Reply
  • GUILERME SALLES DE CAMPOS 06/10/2014 at 21:20

    belo imóvel em estilo fortificação militar,arquitetura comum em prédios com esta finalidade,o de socorro próximo a itapira também possui este estilo,apareça por aqui douglas para ver os nossos casarões sera bem vindo,abração.

    Reply
  • danielpardo2015 28/02/2015 at 20:30

    UOU!!!!!!! espera ai… esse prédio tem de ser preservado porque é de uma arquitetura que não existe mais hoje em dia, diferentemente do Carandiru, que era praticamente uma fortaleza quadrada, horrorosa e sem graça, isso porque não falei dos maus fluídos que deveriam circular naquele lugar, veja bem, não sou simpatizante do governo do Estado de São Paulo (muito pelo contrário), mas nessa ocasião, a decisão de demolir o presídio foi mais que acertada, pelo menos o lugar deu vez a outro que serve inclusive para encontro de carros antigos.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: