Marcos Timóteo Rodrigues de Sousa
Professor do Curso de Engenharia Civil, UNG/Ser
e-mail: marcossousa91630@gmail.com

O sistema de transporte coletivo via trólebus teve o seu início no ano de 1882 na Alemanha, durante alguns anos do início de suas atividades teve várias transformações e adaptações. Este sistema de ônibus tem por particularidade a sua alimentação de energia via cabos erguidos por hastes e de não ter uma dependência de trilhos, ou seja, tem uma circulação igual aos ônibus com pneus.

Foto 01: Parada de ônibus em Pardubice (clique para ampliar)

A foto 01 nos avisa que para tomarmos o trólebus devemos andar 90 metros até chegar a área de partidas. Para isso, devemos pagar 43 coroas (moeda da República Tcheca) o equivalente a 1,75 Euros, um pouco mais de 6 Reais.

Na cidade de São Paulo este sistema de transporte teve seu início no de 1949. Atualmente no Brasil várias cidades já deixaram de operar com o trólebus. Há vantagens e desvantagens neste sistema, o controle da poluição do ar e de ruídos são as maiores vantagens destes veículos, as desvantagens estão associadas aos cortes de energia e às manobras dos veículos, pois, isso se deve à dependência de se manterem conectados com os fios.

Figura 01: Mapa da República Tcheca

Nosso estudo de caso foi na região de Pardubice, que fica a 104 quilômetros da capital Praga. Nesta região há um conjunto de quatro cidades: Chrudim, Svitavy, Ústi Nad Orlicí e Pardubice (capital da região). Segundo dados do site da prefeitura, a capital possui pouco mais de 140 mil habitantes e 78 km².

Observe na figura 01 a localização de Pardubice no centro da República Tcheca, note que a cidade é banhada pelo principal rio do país, o Elba (em tcheco “Labe”).

Foto 02: Cabos dos trólebus no calçadão de Pardubice, República Tcheca

A foto 02 ilustra muito bem as questões levantadas sobre os aspectos negativos e positivos, pois, na área central da cidade de Pardubice (República Tcheca) observamos vários cabos de transmissão de energia, a imagem é da rua Sladkovského, local muito tranquilo com poucos ruídos e com a presença de muitos pedestres. Todo o calçadão e as ruas na área central são servidas pelos cabos de energia.

No ano de 1949, da então Tchecoslováquia, foi criada a Companhia de Transportes de Pardubice, no ano de 1952 foi implantada as primeiras linhas de trólebus na cidade. Toda a estrutura de veículos, vias e sistema de energia que hoje encontramos pelas ruas da cidade se configurou nas décadas de 50, 60 e 70.

Nas décadas de 1980 a 2000 houveram algumas mudanças no sistema, mas, o mais interessante de se notar é que no início de 2018 foram abertas duas novas linhas de trólebus, isso demonstra que não há intensões de se acabar com este sistema. Algumas rotas que foram desativadas há mais de 40 anos foram reativadas.

A foto 03 foi captada de dentro de uma parada de ônibus, observe no mapa que as linhas em verde são as rotas dos trólebus. Estas linhas são basicamente para circular junto ao centro da cidade, não há linhas que ultrapassam o perímetro urbano central.

Foto 03: Mapa do sistema de transporte coletivo de Pardubice

Os ônibus que circulam atualmente pela cidade são fabricados pela empresa Škoda, indústria de veículos de origem tcheca. Os primeiros modelos fabricados desde a década de 1950 são da mesma fabricante. Os veículos possuem cores e modelos variados. A foto 04 exibe uma das linhas que percorrem o centro histórico, passando pelas avenidas Karla IV, Sukova, Hradecka e nas proximidades do Castelo Zàmek.

Foto 04: Linha de trólebus no centro de Pardubice (clique para ampliar)

Ao caminhar pela cidade em diferentes horários, notamos que estes ônibus sempre se encontram cheios, em uma das vezes que observamos notamos que há muitos jovens e adolescentes com uniforme de escola utilizam muitos destes ônibus. děkuji za trolejbusu

Na cidade de São Paulo tínhamos o sistema de trólebus que circulava por várias avenidas, atualmente este modelo de transporte coletivo está em processo de desaparecimento. Na foto 05 podemos observar um ônibus que circulava do centro da capital paulista à zona norte (bairro do Tucuruvi). O trabalho fotográfico foi feito pelo fotógrafo australiano Barry Blumstein no ano de 1975.

Referência Bibliográfica

Créditos das imagens:

  • Fotos 01, 02, 03 e 04 – Marcos Timóteo R. Sousa (2018)
  • Foto 05 – Barry Blumstein
  • Figura 01 – iStockPhoto.com

Leitura complementar recomendada pelo São Paulo Antiga:

About the author

Deixe um comentário!

Comments

  • Álvaro da Cunha Caldeira 29/08/2018 at 10:59

    Excelente iniciativa. Vou estudar uma forma de colaboração.

    Reply
  • MARILEIDE PAULA MORAIS 29/08/2018 at 12:17

    Utilizo muito, moro na Zona Leste de SP
    Aqui perto de casa passam algumas linhas para o centro: 2100-10, 2100-40, 2290, 342M.
    Além de não poluir, fazem menos barulho…

    Reply
%d blogueiros gostam disto: