Muitos acervos particulares de grande importância são descartados por familiares quando algum ente querido mais antigo falece. Isso é bastante corriqueiro, especialmente aqui no Brasil, onde o apego cultural a acervos é algo bem pouco estimulado.

Como as famílias destinam este acervo varia de caso a caso. Tem o emblemático exemplo do acervo da modernista Pagu, resgatado do lixo por uma catadora de rua e há também as famílias que vendem tudo para lojas de antiguidades ou colocam em um leiloeiro pra fazer dinheiro com o acervo dos antepassados destinando o material a colecionadores que darão um melhor uso ou destino ao item.

E é neste último exemplo acima que encaixa o encontro desta singela preciosidade:

Trata-se de uma pequena caderneta com várias poesias que pertenceu a um homem chamado João Herdy Boechat.

O item apareceu à venda em um tradicional leiloeiro do Rio de Janeiro o qual eu acompanho para a busca de livros raros pro acervo do São Paulo Antiga. Não costumo comprar este tipo de material, já que não é relacionado à Cidade de São Paulo, entretanto a pequena caderneta me atraiu.

Dei lance, coloquei o item na vigia e fiquei acompanhando o leilão. Felizmente ninguém mais deu lance e eu arrematei a peça pelo valor mínimo. Uma vez pago, fica a ansiedade de aguardar o pequeno objeto sair do Rio de Janeiro e chegar até a capital paulista.

Quando recebi a caderneta fiquei maravilhado com o que li. Apesar de não ser totalmente preenchido, com mais páginas em branco do que escritas, o livreto tem um belo material.

Os textos das poesias são variados e ligados a espiritismo, uma mulher chamada Therezinha (quem teria sido ela ?) e Adelina, que descobrimos ser sua esposa. Os textos foram escritos em 1907, 1918, 1919 e 1931.

De acordo com a breve pesquisa que fiz, João Herdy Boechat foi casado com Adelina Lemgruber Boechat e o casal teve um filho chamado Alpheu Boechat. As datas de nascimento e óbito de João Herdy são desconhecidas e ele teve papel importante na fundação da UMEN (União da Mocidade Espírita de Niterói), em 1948.

Esse material em breve estará exposto no acervo do São Paulo Antiga. Mas enquanto esse dia não chega, resolvemos disponibilizar o material na íntegra na galeria abaixo, como forma de agradecer as primeiras 31 pessoas que estão colaborando com o São Paulo Antiga através do Apoia.Se.

Não colabora ainda ? Clique aqui e sabia como ajudar! Quanto mais colaboradores tivermos, mais acervo online inédito iremos disponibilizar.

GALERIA DA CADERNETA¹ (clique na imagem para ampliar):
Nota¹: A galeria está disposta na ordem das páginas do livro. Aparentemente João Herdy Boechat não escrevia nas folhas em ordem cronológica e há textos mais antigos escritos em páginas mais adiante do que outros mais recentes.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Walter Barreto 07/12/2017 at 15:53

    Vc tentou entrar em contato com o jornalista da Band, o Boechat ? Haveria um parentesco ?

    Reply
    • Douglas Nascimento 08/12/2017 at 10:10

      Pelo que apurei tem parentesco sim, um amigo meu da Band encaminhou para ele. Vamos aguardar!! 🙂

      Reply
  • Magali Martucci 07/12/2017 at 20:29

    Que emocionante resgate…obrigado por compartilhar esta bela história, sinto que terá desdobramentos interessantes!

    Reply
  • Daniel Pardo 23/12/2017 at 20:54

    Este é um belo registro de uma época.

    Reply
    • PLACIDO HEITOR CASTRO BOECHAT 09/05/2018 at 10:31

      Adelina Lengruber Boechat nasceu em 2 de junho de 1888,era irmã de meu pai,Walter Boechat.

      Reply
%d blogueiros gostam disto: