Não é novidade que a opção desproporcional pelo automóvel ao invés do transporte coletivo de qualidade, trouxe inúmeras vias paulistanas para uma situação de degradação. Foi assim no passado com o corredor Rangel Pestana-Celso Garcia, a avenida Santo Amaro e, mais discretamente, ocorre agora também na avenida Rebouças.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Basta aproveitar o péssimo trânsito desta via, eternamente congestionada, para observar a grande quantidade de imóveis, especialmente casarões, fechados ou abandonados.

Esta infeliz realidade acompanha a via por quase toda a sua extensão, mas é mais contundente após a Henrique Schaumann até a marginal do rio Pinheiros, incluindo os vários imóveis da avenida Eusébio Matoso.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

No número 2600, encontramos esta bela construção retratada aqui, que outrora fora residencial e posteriormente comercial. Desde a desocupação do imóvel, já há algum tempo, por uma empresa de engenharia, o imóvel começou a sofrer um lento e gradual processo de deterioração.

Embora ainda preservado em suas características originais, a casa sofre com o vandalismo, através de pichações que deixam sua marca nas paredes da residência. A ausência de muros ajuda a facilitar a ação dos pichadores.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Todo e qualquer imóvel, especialmente estes de maior riqueza arquitetônica, necessitam estar operacionais. Seja como residência, seja como ponto comercial, o importante é que tenham uma função.

Entretanto, parece que a crise econômica que assola o país neste momento faz como uma de suas primeiras vítimas, os imóveis de padrão superior, mas de finalidade comercial são os primeiros a serem desocupados. Teoricamente dá para morar ainda por ali na Rebouças, mas não será uma experiência muito bacana, com o excesso de trânsito, poluição e ruído.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

No dia que fotografei esta casa antiga, aproveitei para caminhar pelo corredor Rebouças-Eusébio Matoso e foi possível constatar que muitos dos casarões ali localizados estão fechados.Ostentam placas de aluga-se e/ou vende-se, e muitas já estão nesta situação há muito tempo, coisa de meses ou anos.

No passado esta casa serviu de residência a uma pessoa chamada M.S. Racy Jr e nos anos 1950 e 1960 o telefone do imóvel era 80-3935.

Veja mais fotos (clique para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

ATUALIZAÇÃO 15/09/2017:

Este imóvel foi demolido no final do ano de 2016, juntamente com duas outras casas vizinhas, sendo uma delas a conhecida ˝Casa do Gatinho˝.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Alexandre Giesbrecht 23/09/2015 at 17:06

    Na Eusébio Matoso, derrubaram várias casas (não tão antigas), na altura da esquina com a Diogo Moreira. Não sei exatamente quando foi, mas é coisa recente, poucos dias, no máximo poucas semanas.

    Reply
  • Sandra Helena Bernardes 23/09/2015 at 21:09

    Eu nasci na rua João moura 515, no ano de 1960 era uma vila de casas geminadas e era conhecido como navio negreiro eram a maioria italianos e eu quando criança ia com minhas primas e tias passear na Rebouças para ver essas magníficas casas ,ver os carros nas garagens era só luxo e para nós que eramos pobres era um divertimento é triste ver como se encontra hoje essa avenida que era tão bonita.

    Reply
  • Cybelle 23/09/2015 at 22:53

    Sm, mas na medida em que a Av. se tornou uma avenida de passagem, uma ligação entre o Centro da cidade e ou outro lado dela, ficou difícil habitar nesses casarões. Imagino se fosse possível dividi-los em apartamentos ou studios, como ocorre em outras cidades no mundo se isto não garantiria o uso.

    Reply
  • Katia Maria Requena Duarte 24/09/2015 at 07:37

    Charmosa essa residência pena que esta vandalizada!!!!

    Reply
  • danielpardo2015 03/10/2015 at 19:57

    E não querendo desanimar, mas já desanimando, do jeito que o mercado imobiliário anda parado e com o agravante de essa casa ficar numa avenida de movimento onde tem poluição e barulho, a tendência é infelizmente ela se degradar ainda mais.

    Reply
  • Elisabete 30/04/2016 at 23:00

    Uma pena que nosso país apague sempre o passado.Quando dizem que um imóvel foi tombado ele literalmente tomba( cai) …País sem memória …

    Reply
  • Bianca 23/01/2017 at 17:16

    Demoliram em dez de 2016 essa casa das fotos e a vizinha. Na verdade toda a esquina… por enquanto um grande estacionamento 🙁

    Reply
  • Marcelo 16/09/2017 at 10:21

    Não sei se é esta uma casa comentada na revista Casa e Jardim n.º 1.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: