Defendo que não há um gesto mais paulista do que tomar um café. O líquido negro servido fumegante em uma xícara é algo que está muito enraizado em nossa cultura, não somente a bebida mas tudo que o envolve desde o plantio até o consumo.

E na terra do Rei Café ele é consumido em casa, no trabalho, na rua, bares, padarias e cafeterias. E dessa última falo hoje de uma que é das mais tradicionais do centro paulistano:

clique na foto para ampliar

Para quem como eu detesta os lugares “gourmetizados” da moda um lugar como o Café Floresta pode parecer um oásis. Trata-se de uma cafeteria no estilo mais tradicional, sem frescuras e com um ótimo café servido para se consumir em pé, no balcão da casa.

O estabelecimento está há mais de 4 décadas no térreo de um dos edifícios mais icônicos de São Paulo, o Copan. E a loja desde que foi inaugurada mantém tudo do mesmo jeito da época em que abriu.

interior da cafeteria (clique para ampliar)

Luminoso, balcão, vitrine e até o belíssimo mural antigo faz da cafeteria mais quem um estabelecimento, uma atração turística à parte.

A casa oferece desde o espresso tradicional a opções como curto, carioca, cortado, com leite e capuccino. O café com creme chantilly ou o espresso com canela são também excelentes escolhas.

No acompanhamento há sempre algumas opções de bolo que são feitos pela casa e são muito saborosos. Vez por outra é possível encontrar doces como brigadeiro, quindim e pastel de belém.

Mas se o local serve um ótimo cafe e acompanhamentos, por outro lado peca em coisas simples. O senhor que atende ao balcão parece estar sempre de mau humor e não dá muita atenção aos fregueses novatos. Parece cansado de falar sobre o mural, sobre a história da loja o que é uma pena.

Outro problema para quem quer tomar um café ali é que a casa não aceita nenhuma modalidade de cartão, seja débito, crédito ou mesmo vale refeição. Um gesto antipático de uma loja instalada em um ponto que fervilha na hora do almoço com tantos escritórios e muitos turistas que nem sempre terão reais à mão.

O proprietário parece também esquecer que a loja é uma cafeteria. O Café Floresta, marca que dá nome ao estabelecimento, parece ficar de lado na grande parte do lugar.

A vitrine da cafeteria é tomada não por embalagens variadas de café, mas por diversas garrafas de vinho que não combinam nem um pouco com a loja. No outro canto da vitrine há alguns poucos pacotes de café gourmet, mas dividindo espaço com cigarros, charutos e afins, fora da norma de disposição de produtos derivados do tabaco. Que tristeza.

Nas vitrines da cafeteria o mais difícil é achar café… (clique para ampliar)

O Café Floresta é um ícone do centro paulistano mas que precisa urgentemente de uma lufada de ar fresco, seja por um novo proprietário ou mais capricho do atual. Senão vai sempre ser lembrado pela nostalgia e não pelo bom atendimento.

AVALIAÇÃO:
Gostei: qualidade do café da casa, café com canela e os bolos
Detestei: atendimento frio, não aceita nenhum cartão

SERVIÇO:
CAFÉ FLORESTA
Copan – Avenida Ipiranga, 200 – Centro
Horário: Todos os dias até 0:30
Pagamento apenas em dinheiro

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • ROSANA LONGOBARDI SERAFE 13/06/2018 at 17:03

    O Café Floresta é daqui de Santos… tive contato ha alguns anos com um dos proprietários, o Sr Paulo, um homem apaixonado pelo café…. fico triste ao ler essa materia, pois certamente não é o perfil dele…. não sei se pertence a ele essa loja…vou me informar e se for, vou tentar um contato para ajudá-lo e melhorar a qualidade do serviço… valeu Douglas!

    Reply
  • Marcelo Santos 13/06/2018 at 17:42

    O Café Floresta tem a sua torrefação na entrada de Santos. O dono Paulo Fernandes vendeu parte da sociedade ao Américo Sato, ex-Cafe do Ponto. As cafeterias com a marca deram uma encolhida, mas o produto é dos melhores e abastece muitos estabelecimentos com ótimo gourmet e que não são dessas redes grandes.

    Reply
  • Joyce 16/06/2018 at 14:00

    Poxa que curioso! Há cerca de duas semanas passei em frente esta cafeteria quando estava indo para a academia na Nestor Pestana e achei interessante já que adoro café e nunca tinha reparado lá. Pensei em ir conhecer e daí me deparei com este post por acaso. Só o fato de não aceitar cartões já é absurdo. Eu raramente ando com dinheiro… Isso por si só já ne fez repensar a idéia de ir conhecer o local. É uma pena. Tomara que eles modernizem o local porém mantendo a tradição na qualidade dos produtos oferecidos.

    Reply
  • Gilson Leite 10/07/2018 at 22:30

    Café Floresta é uma marca santista, e assim como a cidade, é pioneira e protagonista no comércio do café: foi a primeira marca de café a abrir uma cafeteria para venda de café expresso, no ano de 1973, nas proximidades da Praça Independência, no Gonzaga, em Santos.
    Outro pioneirismo do café Floresta, foi dispor de xícaras com as bordas mais finas para se tomar e apreciar o café, um fato inusitado para a época, com xicaras de bordas bastante grossas.
    As cafeterias (lojas físicas),incluindo ai a loja do Copan, já não pertencem mais ao Sr Paulo Fernandes, e ao negócio do café Floresta , há alguns anos, o que é uma pena, visto a despadronização dos pontos de venda como foi citado na matéria, e até podendo levar a uma depreciação da marca e imagem negativa da marca: ele deveria atuar tanto na indústria como no varejo, assim como faz com maestria o Café Pilão, com cafeterias aconchegantes e padronizadas.
    Do dia 07 a 09/07 passado (ontem), foi realizado no centro de Santos o festival anual do café, com várias atividades, e o Sr. Paulo Fernandes foi premiado pela Prefeitura de Santos como destaque da cidade pelo pioneirismo no negócio do café. Mais informações do festival e da premiação, no site da Prefeitura de Santos (www.santos.sp.gov.br).

    Reply
%d blogueiros gostam disto: