Há algumas regiões de São Paulo que são repletas de nostalgia para mim, são bairros que há algum tipo de ligação sentimental com minha infância, adolescência ou até mesmo a origem da minha família.

É assim quando caminho pelas ruas do Brás e lembro da chegada dos meus bisavós portugueses no final do século 19. Também é assim no Belenzinho, onde meus pais se conheceram, casaram e viveram por anos. Tem a Vila Matilde onde estudei da pré-escola até o colegial e o bairro de Vila Granada onde eu vivia na infância.

Não longe da Vila Granada há um outro bairro que eu tenho bastante recordação e sempre que dá dou uma volta: É a Vila Guilhermina. Esses dois bairros são separados pelas linhas do trem e do metrô e também pela Radial Leste.

Quando eu era garoto adorava pedalar mas não tinha acesso a Vila Guilhermina, pois não tinha como passar pela linha férrea (não havia metrô). Então meus passeios de bike limitavam-se a Vila Granada, Vila Esperança, Vila Ré e Cidade Patriarca.

A coisa mudou de figura em 1988, quando a Estação Guilhermina-Esperança (nome composto horrível) foi inaugurada. A partir dai ficou possível atravessar para a Vila Guilhermina, pela passarela do metrô e um novo mundo se abriu para o garoto de então 14 anos.

E a Vila Guilhermina é daqueles bairros que realmente tem cara de ˝vila˝ com uma verticalização relativamente baixa e muitas casas antigas interessantes.

clique na foto para ampliar

Essa residência encantadora da fotografia acima está localizada poucos quarteirões do metrô, na rua Jacuipe. Lembro-me dela desde a adolescência pois era uma das ruas que eu mais pedalava porque paquerava uma garota que morava ai (mas que nunca me deu bola…).

Não foram poucas as vezes que me sentei nesta calçada para descansar da bicicleta, depois da longa pedalada desde o outro bairro. A casa em questão sempre esteve tão bem cuidada como agora, se bem que acho – posso estar enganado já vão tantos anos – que não existia aquela janela do lado direito.

São adaptações que não tiram o charme da casa. Um exemplar belo e raro de um dos bairros mais pacatos da zona leste de São Paulo. Saudades!

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Luiz Henrique 09/11/2017 at 17:44

    Trabalhei por mais de três anos na Vila Guilhermina: de março de 1996 até setembro de 1999.A empresa que trabalhava ainda está na rua São Donato, uma belíssima construção estilo germânico. Comecei indo trabalhar de Metrô, mas ainda em 96, adquiri o meu Golzinho e ia da Vila Maria, onde residia nessa época, até lá…indas e vindas, todos os dias…Lembranças…

    Reply
  • Vania 09/11/2017 at 19:58

    Adoro os muros baixinhos, a prova inconteste de que São Paulo já foi um lugar bem tranquilo pra se morar…

    Reply
  • Vera 10/11/2017 at 07:42

    Quantas lembranças me veio à mente,eu morava em A E Carvalho e estudava no bairro da Penha, tinha amigas na Vila Guilhermina,Esperança e Cidade Patriarca onde eu fazia meus tours. Provavelmente não é do seu tempo uma Pizzaria Guarani bem no ponto do ônibus acho que da Guilhermina, não acompanhei as mudanças que aconteceram nessa região pois estou fora de São Paulo fazem muitos anos.Fico feliz de poder sentir esse gosto de nostalgia que você nos trouxe. Obrigada

    Reply
  • Emerson de Faria 11/11/2017 at 08:43

    A Vila Guilhermina é um dos bairros mais aprazíveis de São Paulo, no entanto, nos últimos anos tem vivido um aumento da violência. Minha mãe que lá reside teve dois carros roubados em pouco mais de seis meses e eu mesmo tive um carro alugado roubado à mão armada há pouco mais um ano. O bairro aos poucos vem perdendo seu principal atrativo.

    Reply
  • Carlos 14/11/2017 at 10:35

    Eu moro em uma casa parecida com essa, construída nos anos 1950. Até os anos 1990 tinha portão e muro baixos, aí começaram a entrar moradores de rua, roubos de vasos, tentativa de roubo do carro etc etc; mandei subir o muro e portão…mais uns anos e sofri várias invasões e tentativas de roubo, coloquei arame farpado e cercas com lâminas…está com um aspecto horrível, quebrou o charme da fachada da casa…mas fazer o quê.

    Reply
    • Luiz Henrique 15/11/2017 at 15:39

      Pois é…fazer o quê?

      Reply
  • Daniel Pardo 19/11/2017 at 21:43

    E essa casa é de fato uma raridade, pois me espanta que ainda não derrubaram o muro e não cimentaram o pequeno jardim para fazer uma garagem para carros.

    Reply
  • Beatriz Nogueira Calaça 23/11/2017 at 01:46

    Fiquei muito feliz de ver essas imagens, nasci na Vila Guilhermina e moro até hoje, tenho constatado com alegria que algumas residencias se mantem do mesmo jeito, com algumas alterações, muitas vezes somente para segurança. Obrigado.

    Reply
  • ju 07/03/2018 at 20:07

    Um menino que estudava comigo na época do colegial ,morava nessa casa

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor