Dos meus bairros paulistanos favoritos, o Belenzinho é, talvez, o mais confuso de se delimitar. Muitas das localidades do bairro são ora chamadas de Brás, ora de Pari. Mas a verdade é que a rua Bresser sempre foi conhecida como a “fronteira” entre o centro, representado pelo Brás e o início da zona leste que é o Belém/Belenzinho. E foi em uma das ruas mais conhecidas do bairro que encontramos esta preciosidade à venda.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Localizada no número 700 da rua João Boemer, esta casa é uma das mais antigas e bem preservadas desta rua. Com uma arquitetura simples, que se repete por tantas outras ruas da região, como Cachoeira, Santa Clara, etc, esta é uma típica casa do Belenzinho, erguida nos primeiros anos do século 20, quando o bairro era um misto de fábricas e casario operário.

E é importante dizer que o bairro sempre foi, e por muito tempo ainda será, um bairro de migrantes e imigrantes. Se no início foi ocupado pelos imigrantes espanhóis, portugueses e italianos, passou a ser ocupado por migrantes nordestinos em meados da década de 70. Atualmente, recebe imigrantes de países como Bolívia, Peru e Chile, reforçando a tradição de bairro acolhedor de povos de várias localidades. Uma característica que Belenzinho e Brás sempre fizeram melhor que qualquer outro bairro paulistano.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Esta bela casa já teve seu período de glória e, mesmo estando muito bem conservada, parece estar em um período de ostracismo, que atinge todo o bairro. Alias, a melhor palavra hoje para o Belenzinho não é ostracismo, mas transição.

Transição esta que ainda não sabemos ao certo se será benéfica ou não para a região, com a chegada de um grande complexo religioso a poucos metros desta casa, pertencente a Igreja Universal. A inauguração do polêmico “Templo de Salomão” (cópia vulgar de um templo judaico histórico construído no século XI a.C) pode, eventualmente, trazer melhorias para a região, uma vez que uma grande gama de estabelecimentos comerciais podem surgir para suprir o público que frequentará o novo templo. Mas ainda é cedo demais para avaliar.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Uma coisa é certa: o preço dos imóveis nas ruas próximas ao templo de Edir Macedo tiveram um aumento tanto nos valores dos aluguéis quando nos valores de compra e venda. Enquanto um novo dono não chega para esta simpática casa, resta torcer para que as espadas de São Jorge que estão em um vaso na entrada da residência (como manda o costume!) ajudem a espantar interessados em demolir a casa e aproxime interessados em comprá-la e preservá-la.

Veja mais fotos da casa (clique na miniatura para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • Maria Célia Guimarães Rosset 10/09/2014 at 17:30

    Boa tarde Douglas, eu telefonei agora para a imobiliária que cuida da venda desta casa, mas o corretor me disse que o (os) proprietário, pois estão fazendo o inventário, está vendendo para demolição, pois eles nem colocaram quantos dormitórios a casa têm, pois por dentro está tudo depredado, e não tem condições de reforma. A casa tem 6X40m2 e fica ao lado de um estacionamento e o preço é mais de $2.000.000,00, acho que $2.300.000,00. Pena que ninguém tem interesse de restaurá-la e sim fazer comércio.

    Reply
    • Fernanda 10/09/2014 at 17:45

      Nossa! Não imaginei que estivesse tão deteriorada a ponto de ser demolida. Por fora, como disse a matéria, parece bem possível o restauro. E esse valor procede pra região? Estou completamente por fora dos valores de mercado, mas me pareceu caro. Ou é isso mesmo?

      Reply
      • Maria Célia Guimarães Rosset 10/09/2014 at 19:41

        Boa noite Fernanda, é isso mesmo dois milhões e trezentos mil reais, e só tem 240m2., ou seja 6X40., mas isto tem muito valor comercial, pois é uma zona central, o bairro do brás/belém.

        Reply
        • Fernanda 10/09/2014 at 21:30

          Boa noite, Maria Célia!
          Poxa… Dá quase 10.000 por m². Nessas horas fica bem claro porque essas residências antigas acabam sendo demolidas pra uso comercial. Pra uso residencial, fica praticamente inviável (compra + restauro). Que dó. Deve ir pro chão assim que vendida, então… 🙁

          Reply
    • Jailson Silva 15/09/2014 at 13:58

      Dois milhões e trezentos mil. Caramba. Por esse preço se compra um bom apartamento em muitos bairros. Por esse valor, fica bem claro que é um preço para um investimento imobiliario ou comercial.
      Não tem o que fazer, esse belo sobrado vai pro chão.

      Reply
    • danielpardo2015 03/03/2015 at 23:00

      R$ 2.300.000,00 😮 😮 😮 😮

      Será que quem está vendendo bebeu toda a garrafa ou sobrou um pouco para mim???

      Reply
  • J.C.Cardoso 10/09/2014 at 17:33

    Embora sempre tenha morado no Rio, frequentei a Mooca por quase dois anos (por conta de uma Pós aos sábados no Senai da Rua Bresser). Realmente, ali é uma “zona de conflito” entre os bairros. Mesmo assim, não conheço a rua em questão.
    O que me chamou a atenção é que lembra muito a casa do “Crime do Poço”, que existia onde depois veio a ser o Joelma.
    Talvez seja arquitetura típica de São Paulo daquela época.

    Reply
  • Wilson Martin Jr 10/09/2014 at 17:38

    Boa Noite Douglas; Parabens pelo seu excelente site! eu vivo na Europa e nao conheço as leis de Sao Paulo entao eu pergunto, nao ha uma forma de mandar o seu artigo no facebook do prefeito de SP ou alguem responsavel por classificaçao de imoveis antigos e proibiçao da demoliçao. Esta csa é linda e conta a historia de Sao Paulo e nao deve ser demolida. deve haver alguma lei que pretega as nossas raizes da especulaçao imobiliaria e que crie no povo uma conscientizaçao para a beleza artistica e historica dessas velhas residencias. o que podemos fazer????

    Reply
  • Roberto 10/09/2014 at 21:11

    Perto desta casa tenho um pequeno prédio na Rua Catumbi com a rua Cachoeira. Salão e 8 apartamentos com boa renda. Não acredito no valor divulgado da rua J. Boemer muito alto não deve vender por este preço. Pode pedir o q quiser. É só o valor do terreno. Qual a área do terreno???

    Reply
  • Márcio Pinto 10/09/2014 at 21:51

    Sinceramente acho esse valor um absurdo, com esse valor você pode comprar imoveis de ótima qualidade em Miami,FL

    Reply
    • Wagner Boemer 11/09/2014 at 10:38

      Proporcionalmente os imóveis em São Paulo são muito mais caros que em Miami,por isso tem muita gente comprando para morar ou passar temporada por lá. Pena que não sobrou nada para mim , o João Boemer era meu bisavô. abraços.

      Reply
  • nazarethlmperes 10/09/2014 at 22:03

    Infelizmente o destino é trágico! Não restará pedra sobre pedra.

    Reply
  • NELSON VLAINICH 11/09/2014 at 09:27

    Não há controvérsia, essa casa sita na rua João Bohemer,700, pertence ao BRAS….O BELENZINHO ….ESTA BEM LONGE DAI….SEI PORQUE SOU DO PEDAÇO DESDE 1953.CORRETOR DE IMÓVEIS….SERIA BOM FAZER UM RESTAURO EXTERNO, TODAVIA PODERIA VIRAR UM BELO BAR TEMÁTICO POR DENTRO…QUANTO AO PREÇO, A COISA TA ASSIM EM VIRTUDE DO TEMPLO…QUE VALORIZOU OS IMÓVEIS DO ENTORNO, POIS ESSA REGIÃO NÃO TEM PRATICAMENTE IMÓVEIS PARA RESIDENCIA E SIM TODOS COMERCIAIS – ZONA ATACADISTA DE ETECIDOS E CONFECÇÕES…O LUGAR É FEIO POR CONTA QUE OS LOCATÁRIOS, NEM PINTAM OS IMÓVEIS

    Reply
  • ernani 11/09/2014 at 10:04

    Com certeza será mais uma casa que irá para o chão. Provavelmente no local, irão construir um espigão com mais de 20 andares. – Conclusão: -Mais gente, mais carros, e, mais impostos para a prefeitura. Enquanto isso, prédios no centro estão vazios e sendo alvo de invasões. Esses invasores fazem gatos com energia elétrica, e, água não sei onde arrumam. Mas acho que se beneficiam na clandestinidade e sem pagar.

    Reply
  • Clelia Person Lammardo 11/09/2014 at 10:38

    Oi, Douglas. Tudo bem? Passo pela Rua João Boemer todos os dias e sempre olho para essa casa, inclusive, porque ainda não a fotografei. Eu acredito que acontecerá nesses bairros a mesma coisa que acontece no Pari. A vocação do bairro do Pari é inevitável. Será um bairro totalmente comercial. Não há como conter o comércio nem a especulação imobiliária. A história ficará apenas nas fotos.

    Reply
  • Larissa Arruguetti 11/09/2014 at 10:39

    Uma pena mesmo, pelo que vi nas fotos, o piso entre o portão e porta de entrada é ladrilho hidráulico, basta lixa-lo e passar novamente a resina que voltaria a cor original, como novo!! Mas será que o interior está tão ruim quanto falaram?

    A especulação imobiliária está fazendo isso, pessoas que tem imóveis simples, acham que tem bilhetes de loteria nas mãos, e colocam o preço que querem, sem considerar vários aspectos que definem o preço do imóvel…

    Reply
  • Wagner Boemer 11/09/2014 at 10:56

    Só faltou dizer que o bairro foi inicialmente ocupado por imigrantes alemães, tanto os Boemer como os Bresser, começo do século XIX.Aquela região é um misto de origem italiana, espanhola e de outros povos que não se fixaram ali, mas próximo , como na Moóca povos eslavos principalmente, ucranianos, poloneses devido a estação ferroviária do Brás onde todos estes imigrantes vindo de Santos, mais correto, de Cubatão, desembarcavam. Como é muito comum no Brasil, invasões e ocupações irregulares esta região e o Belénzinho propriamente dito era uma chácara de produção de uvas e o primeiro fabricante de cerveja, foram de propriedade de meu bisavô.

    Reply
    • Douglas Nascimento 11/09/2014 at 14:20

      Oi Wagner, já dissemos isso em outros textos (sobre os alemães) e no momento estamos fazendo pesquisas sobre os Bresser, os Joly (franceses) e faremos também sobre os Boemer! Se quiser ajudar será um prazer

      Reply
      • Wagner Boemer 11/09/2014 at 16:21

        Estarei a sua disposição naquilo que estiver em meu alcance.

        Reply
  • JEFFERSON 23/09/2014 at 22:24

    Esse estilo de casa é realmente muito peculiar. Como comentou acima o J.C Cardoso, lembra muito a casa do CRIME DO POÇO. Na verdade, essa arquitetura é típica de São Paulo e das primeiras cinco décadas do século passado. Tenho um filme de 1957 com a saudosa Dercy Gonçalves, chamado ABSOLUTAMENTE CERTO, cujo as gravações foram feitas em uma rua com casas exatamente como essas. Acho que até os anos 1980 muitas famílias moraram nesse tipo de casa. E uma curiosidade minha, sempre vejo fotos dessas casas por fora, mas nunca vejo o interior. Douglas, tente nos conseguir umas fotos internas de alguma casa desse estilo! E para encerrar, 2 milhões de reais? É sem dúvidas muita grana. Chega a ser impensável.

    Reply
  • Philippe 18/07/2015 at 11:56

    Também telefonei para a imobiliária. Informações anteriores procedem em linhas gerais. Corretora falou de 2,4 mi, terreno de 6×40. Imóvel teria três quartos e precisa ser “reformado”. Diante deste cenario, só resta a opção comercial… Que tristeza…

    Reply
  • Rodrigo 08/06/2018 at 10:20

    O pouco tempo que morei na região vi muita coisa ser demolida para fazer comércio, muito deles estacionamento.
    Triste realidade de nosso país em não ter a cultura de conservar a sua própria história , certeza que esse terá um triste fim como tantos outros no bairro e na cidade já tiverem .
    Hoje o imóvel está a venda por 1.7000$ e tem 240 mts no total .
    Se eu pudesse compraria e restauraria com as minhas próprias mãos !

    Reply
  • mullor1971 21/07/2019 at 20:42

    Linda casa, estou indo a São Paulo sempre que posso, se caso venha a morar na capital me enviar interesso em adquiri-la, se ainda estiver a venda, é claro

    Reply
%d blogueiros gostam disto: