A região da parte alta da Lapa que margeia a linha férrea, já nas proximidades com a Vila Anastácio e a Marginal Tietê, possui um grande número de casas grandes de alto e médio padrão que são realmente encantadoras.

As casas pequenas ali são poucas e geralmente muito discretas, escondidas atrás de muros ou com arquitetura mais básica. Contudo essa da fotografia abaixo, para nossa satisfação, sai bastante fora desta regra geral:

clique na foto para ampliar

Localizada no número 428 da rua Tordesilhas, trata-se de uma preciosidade. Seu tamanho pequeno, se comparada aos seus vizinhos, parece ser justamente seu grande trunfo pois ela soube aproveitar muito bem sua área diminuta com uma arquitetura incrível bom gosto.

Desde o portão em madeira, passando pela cerca também do mesmo material que existe no lugar do muro tudo é bonito. A madeira também é encontrada nos detalhes da fachada, junto ao telhado, e mais ao fundo em uma espécie de gradil de madeira.

O bom gosto na combinação de cores tanto da casa como dos adornos e do muro, somados ao pequeno e bem cuidado jardim complementam esta jóia. É o tipo de residência que dá muito gosto de ver. Só faltou um fusca na garagem para o ambiente nostálgico ficar completo.

Parabéns aos proprietários!

Veja mais fotos (clique na miniatura para ampliar):

Curiosidade: Sabia que o bairro era para se chamar de Burgo da Lapa ao invés de apenas Lapa ? Clique aqui e conheça esta história.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Simone Valerio 19/04/2018 at 10:58

    Linda casa!

    Reply
  • poisonivy1802Clara 19/04/2018 at 14:09

    Meu Deus, que coisa mais linda!! :O

    Reply
  • ulysses freire da paz jr 19/04/2018 at 15:01

    Em meus primeiras experiências escolares aprendi que “o caderno é o espelho do aluno” , assim, por conseguinte a casa o é do morador. Se dá prazer em ver, também o faz em morar. Como dizia Alexandre Soljenitsyne :”A beleza salvará o mundo” http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2014/08/como-o-esquerdismo-nos-roubou-a-beleza.html

    Reply
  • Gislene Campos 19/04/2018 at 16:54

    Q linda!!! Adoraria morar nela…

    Reply
  • Andre Santana 19/04/2018 at 19:13

    É verdadeiramente uma belezinha,queria que fosse minha…Adoro suas postagens…Parabéns por essa grande prestação de serviço à cultura…Aqui em Goiânia tem umas casas e edifícios em arte d´eco, pena que não tem pessoas como você para apresentá-las!!!

    Reply
  • axellslade 20/04/2018 at 00:12

    Pelo telhado da casa do lado esquerdo dá prá perceber que em algum momento ela também foi parecida com essa.

    Reply
  • SOR 20/04/2018 at 10:33

    Realmente é muito bem cuidada e os donos estão de parabéns.
    Observo, porém, que os adornos e a cerca não são originais e foram colocados entre 2010 e 2011.
    Veja como era a casa em 2010:
    https://www.google.com.br/maps/@-23.5195706,-46.7180672,3a,75y,24.21h,83.85t/data=!3m6!1e1!3m4!1sEDMP_KlWv_14N54aEnVP6w!2e0!7i13312!8i6656
    O fato de a beleza não ser “antiga”, não muda o fato de a casa ser bonita.

    Reply
  • Daniel Pardo 20/04/2018 at 20:44

    No final do post, falou tudo, “só faltou um Fusca na garagem.”

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor