Os antigos casarões gêmeos, da família Carbonell, na região central de Guarulhos não existem mais. Foram completamente demolidos, para dar lugar a um conjunto de apartamentos que serão erguidos no local por uma grande incorporadora.

A Lopes não se preocupou em preservar nem um pouco da bonita história da Cidade de Guarulhos que havia no local e em 4 meses apagou da memória do cidadão guarulhense a última recordação da antiga Carbonell Fiação e Tecelagem, fundada pelos irmãos Hilário e Henrique Carbonell na década de 1920 e que funcionou no local até meados da década 1990.

A antiga Carbonell Fiação e Tecelagem e, no alto da imagem, os casarões gêmeos.

Os dois irmãos viviam com suas famílias, cada uma em um dos casarões idênticos, no alto da colina como foi possível observar no canto superior da fotografia. Dali era possível observar não só a empresa como boa parte de Guarulhos e até da capital paulista. A fábrica já havia sido demolida há alguns anos e dos dois casarões um havia sobrevivido até fevereiro deste ano, onde funcionava uma escola chamada “Eleonora Carbonell”. A escola mudou-se para outro bairro da cidade e o local foi demolido em poucos meses.

A demolição começou em fevereiro e durou até abril. Nossa equipe acompanhou todas as etapas deste ato hostil ao patrimônio histórico da Cidade de Guarulhos, fotografando a ação do início ao fim. No último dia, a única coisa que restou deste casarão e da história da família Carbonell neste local foi a placa com o número do casarão, que nós guardamos (vide última foto da galeria no final deste artigo).

Na fotografia, sem data, familiares e funcionários da tecelagem reunidos (clique para ampliar).

A cidade de Guarulhos não possui muitos imóveis históricos e está perdendo os poucos que ainda restam. No local de um patrimônio da cidade de Guarulhos, ergueram-se novas torres. É a ganância da especulação imobiliária apagando a história não apenas de uma família, mas de toda uma cidade.

Veja outras fotos deste casarão (clique na miniatura para ampliar):
Créditos: Fotos 05 e 06 – Glaucia Garcia de Carvalho / As demais: Douglas Nascimento

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • GIOVANA CARVALHO JACOVANI 29/06/2010 at 12:07

    OI, HOJE ESTAVA NAVEGANGO NA NET PESQUISANDO ALGUMAS COISAS E DE REPENTE ME DEPAREI COM ESTE SITE…

    OLHA, PARA MIM NAO É NADA FACIL VER ESTA MATÉRIA. ESTOU DESCONSOLADA DESDE QUE VI A DEMOLIÇÃO DESTE CASARÃO.

    POIS ESTUDEI NO COLÉGIO ELEONORA BSOGNINI CARBONELL DE 1988 A 2000. SIMPLESMENTE FORAM OS 12 ANOS QUE ME ENSINARAM QUEM EU SOU HOJE, E FORMARAM MEU CARÁTER, MINHA OPINIÃO, MINHA POSTURA DIANTE AO MUNDO.

    TENHO MUUUUUITA LEMBRANÇAS DESTE LOCAL.

    VIVI OS MELHORES ANOS DA MINHA VIDA, ESTIVE AO LADO DE PESSOAS MARAVILHOSAS. GUARDO UM PROFUNDO CARINHO POR TODOS QUE FIZERAM PARTE DESTES ANOS. OS PROFESSORES, AS AUXILIARES DE LIMPEZA, AS RECEPCIONISTAS DA SECRETARIA, DOS ALUNOS, ENFIM….

    INFELIZMENTE NÃO PUDE ME DESPEDIR, MAS GUARDO NA MEMÓRIA TUDO DE BOM QUE VIVENCIEI NESTE LUGAR.

    LÁ HAVIA VÁRIOS AMBIENTES FORA AS SALAS DE AULAS, COMO GALINHEIRO, UM JARDIM MARAVILHOSO, SALAS QUE PARECIAM VERDADEIRAS OBRAS DE ARTE, ME REFIRO ASSIM, PORQUE ALGUMAS DELAS NÃO FORAM MODIFICADAS EM SUA ESTRUTURA, E QUANDO VOCÊ SE FAZIA PRESENTE DENTRO, PARECIA ESTAR EM ALGUM LUGAR PRESERVADO PELO TEMPO.

    TENHO VÁRIAS E VÁRIAS FOTOS GUARDADAS COM MUITO CARINHO QUE RECORDAM ESTES MOMENTOS.

    ENFIM, VER O CASARÃO DEMOLIDO, FOI COMO DEMOLIR MEU CORAÇÃO. CADA TIJOLO QUE CAIA ABAIXO, ERA COMO SE CADA UM DESSES TIJOLOS ATINGISSEM MINHA MEMÓRIA E MEU CORAÇÃO.

    SEMPRE VOU GUARDAR ÓTIMOS MOMENTOS….

    PARABÉNS AO SITE PELA MATÉRIA!

    E UM ABRAÇO A TODOS QUE CONTRIUIRAM UM DIA COM ESSE PASSADO.

    EM ESPECIAL QUERO DEIXAR MINHA MAIOR GRATIDÃO PRINCIPALMENTE A DIRETORA EUNICE, QUE ALGUNS ALUNOS NÃO SE IDENTIFICAVAM COM SEU MÉTODO DE ENSINO, MAS QUE SINCERAMENTE FOI UMA VERDADEIRA MÃE PARA TODOS OS ALUNOS QUE PASSARAM POR LÁ.

    GIOVANA CARVALHO JACOVANI

    Reply
    • Evandro Cordeiro 17/03/2012 at 01:56

      GIOVANA,PARTILHAMOS COM VOCÊ – TODOS QUE ACOMPANHAM ESTE SITE – A DOR DE VER ALGO BOM,UM PEDAÇO DA TUA VIDA, DA TUA HISTÓRIA, RUIR E VIRAR PÓ.
      COM O CORAÇÃO PARTIDO E LÁGRIMAS SINCERAS PARTILHAMOS ESTE SENTIMENTO QUE NOS UNE, MESMO SEM NOS CONHECERMOS, MESMO SEM SABERMOS NADA A RESPEITO UM DO OUTRO, É O AMOR POR TUDO O QUE É BOM DE TER VIVIDO.
      VEJA O QUE DIZ EM FILIPENSES 4:8, ONDE TRADUZ TUDO ISSO:
      “…tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
      Filipenses 4:8

      UM ABRAÇO, FICA COM DEUS!

      Reply
    • Eduardo Carbonell Gragnani 24/04/2014 at 21:44

      Infelizmente fiquei muito triste na época da demolição, vi um sonho que, com muito trabalho e amor acabou-se. Guardo na lembrança, com muito carinho, muitas histórias que, me foram contadas por meus avós, Henrique e Eleonora Carbonell.A vida segue na saudade deste tempo.

      Eduardo Carbonell Gragnani

      Reply
      • Walter Corrêa 30/07/2014 at 01:00

        Em 1964, trabalhei na Carbonell fiação e tecelagem e conheci: Seu Henrique, Seu hilário, Seu Raul , Seu Camilo, seu Vanderley . Saudades de Todos

        Reply
  • Stella Carbonell Seixas 31/12/2010 at 00:51

    Minha familia morou ai por muito tempo e achei uma pena o casarão ser demolido pois adoraria ter conhecido a tecelage, minha conta histórias ótimas sobre essa casa, sobre o pomar, o jardim, os comodos, adoraria poder ter partilhado desse patrimonio histórico como outros da minha familia, vejo a foto da fabrica na minha sala e penso como foi uma pena tantas histórias e lembransas valiosas terem sido jogadas de tal forma sem ao menos me deixar um gostinho de saudades, e sim uma imensidão de curiosidade q, pelo oq vejo, nao vai ser preenchido, a nao ser por meras histórias de que tenho auvido esses 11 anos de minha vida, por isso pesso a Guarulhos que nao acabem mais com lenbranças incriveis de uma grande familia, e pergutas sem respostas de uma garotinha.

    Reply
  • ELIANE 16/10/2012 at 17:43

    também fiquei triste ao ver todo aquele patrimonio destruido, sempre que passava em frente quando da demolição, recordava todos os bons momentos vividos ali pelas minhas filhas que começaram ali a aprender as primeiras letras…. porém tudo acabou so ficarão as boas lembranças e os agradecimentos a diretora maravilhosa, que cuidou dos nossos filhos… obrigada….

    Reply
  • Dileta Lucia Adorno 07/12/2013 at 08:13

    Fico entristecida com tanto descaso. Não conheci mas sei o quanto vale as memórias de um lugar onde se viveu, estudou, as pessoas se amaram , nasceram, uma grande tristeza. Infelismente , eles chamam de progresso …um progresso que machucam muitas pessoas.

    Reply
  • Mariana Trigueiro Silva 08/04/2014 at 00:31

    infelizmente minha cidade não valoriza os patrimônios históricos, dia a dia a história de Guarulhos vai se apagando… fico mt triste por isso…
    dsd pequena sou apaixonada pela Casa que foi do antigo prefeito José Mauricio de Oliveira, que logo menos infelizmente só sera poeira de um passado que a cidade não valoriza… ;(

    Reply
  • Darli Loureiro 25/07/2014 at 20:55

    Fui operaria nesta fabrica em 1979 ,tinha apenas 13 anos…doce lembrança…

    Reply
  • Ivete 02/07/2015 at 20:21

    Minha mãe se chama Ivete ela trabalhou ai ela seus irmãos o que ela guarda é saudades.

    Reply
  • Fábio Severo Ramos 14/01/2016 at 22:13

    Poxa é triste saber que os casarões desaparecerão ao longo dos anos. Eu sou guarulhense trago estas relíquias em minha memória,mas o importante é o registro que permite voltar no tempo e saber a importancia da época. Parabéns Douglas Nascimento

    Reply
    • Miguel Cardoso 17/04/2018 at 15:34

      Aqui em Guarulhos não se valoriza nada muito menos patrimônios históricos……

      Reply