Todos os meses o São Paulo Antiga escolhe uma ou duas cidades paulistas para visitar. São localidades que ou escolhemos aleatoriamente ou que temos algum objetivo já estabelecido para fotografar e documentar. Foi assim com Bananal, Guaratinguetá, Taubaté e muitas outras, e agora foi a vez da agradável Itapira.

Mas antes de falar das construções da região urbana desta cidade, vamos até quase a divisa com Minas Gerais, no tranquilo vilarejo de Eleutério. E foi ali que encontrei o magnífico casarão da Família Frasseto.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Esta incrível construção é de tirar o fôlego. Construída em 1914, foi projetada por Giuseppe Frasseto e é um prédio repleto de detalhes em sua fachada, tanto na porção frontal como também em suas laterais. Se é imponente hoje, praticamente um século depois de sua construção, imagine então quando ele foi inaugurado e nos anos seguintes.

Trata-se de um típico casarão paulista, com habitação no piso superior e a ala inferior destinada ao comércio. No andar de cima, são mais de dez cômodos que por muitos anos serviu de moradia para a própria família de Giuseppe Frasseto. No térreo, funcionava o armazém.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

No frontão a inscrição: “Frasseto & Irmãos” (clique na foto para ampliar).

Por toda a extensão do casarão há belos elementos decorativos, não apenas no frontão, mas por todas as paredes que compõem a fachada do imóvel.

Crédito: Divulgação / ReproduçãoA importância do Casarão Frasseto não se resume apenas a contribuição comercial do armazém para a região, vai muito além e é intimamente ligada à Revolução Constitucionalista de 1932.

Logo após eclodir a revolução, a família cedeu o casarão para o exército constitucionalista e fugiu, para maior segurança, para uma fazenda mais distante da área de conflito. Isso tornou o imóvel um posto de controle das tropas paulistas. O local serviu como base e alojamento de tropas com certa tranquilidade até o mês de setembro de 1932, quando foi invadido e bombardeado por tropas federais, que deixaram o local completamente arrasado.

Com o fim do conflito, a família retornou ao imóvel e resolveu processar a união pelos danos causados ao imóvel. O processo arrastou-se por anos e quando foi julgado o valor indenizado foi considerado irrisório e insuficiente para repor os prejuízos causados pelos combates.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Vista do casarão e da rua principal de Eleutério (clique para ampliar)

Nos dias de hoje, mesmo passado tantos anos, o casarão ainda conserva a beleza e imponência que o caracteriza desde o início do século 20. Apesar de precisar de uma pintura e de alguns reparos, o estado de conservação do imóvel é bastante satisfatório.

O que não podemos entender é como um local tão importante para a história paulista e para a epopéia revolucionária de 1932 não tem nenhum roteiro túrístico. Eleutério é um dois mais importantes lugares da revolução constitucionalista e visitar a região (tal qual a própria Itapira) é respirar a nossa história. Esperamos que muito em breve essa região incrível seja melhor explorada para o turismo, o que com certeza beneficiaria toda a região.

Eleutério sempre estará no coração dos paulistas.

Saiba mais:

Veja mais fotos do casarão (clique para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Eric Apolinário 26/07/2013 at 16:57

    Olá pessoal!!! Muito Obrigado pela belíssima postagem sobre nossa querida Eleutério.
    Em nome do Núcleo MMDC de Itapira, venho dar-lhes a boa notícia de que um passeio inédito à trincheiras e também a locais como este, está sendo agendado para o próximo mês, juntamente com um almoço verdadeiramente paulista ao lado de uma trincheira original de 1932. Teremos ainda, a degustação do “Pão de Guerra” Em breve maiores notícias em nosso blog. Quem se interessar, favor entrar em contato pelo e-mail: eric.apolinario@yahoo.com.br
    Abraços a todos!
    Saúde e Fraternidade!

    Reply
  • valeria fulp 26/07/2013 at 23:25

    Realmente e’ uma construcao maravilhosa, que deveria ser preservada de acordo com sua historia tao rica.. Agora que esse local esta sendo agregado entre os locais turisticos, deveria ser pintada e muito bem cuidada. Aquela parte da casa onde esta a Assembleia de Deus, onde pintaram de outra cor, nao condiz com a beleza do predio. Tirou toda beleza da obra. Boa sorte e continuem mantendo a nossa historia….

    Reply
  • william lima 08/08/2013 at 23:19

    na região central de Itapira tambem tem muitas jóias que passam despercebidas no dia a dia..

    Reply
    • Eric Apolinário 09/08/2013 at 09:12

      Exatamente William! Itapira tem a sorte de possuir dezenas de edifícios do início do século XX na sua região central. Alguns deles, são remanescentes de uma lei municipal que “obrigava” os proprietários de terrenos em volta da praça da matriz, a construir apenas sobrados e palacetes. Por toda a cidade, podemos encontrar casas de arquiteturas com influências desde o gótico até o art deco! Bom, minha área é História, haha mas pelo pouco que sei de Arquitetura, acredito que não me engano “muito” em dizer isso! haha

      Reply
  • ADEMIR RICHOTTI 25/04/2014 at 15:26

    Meu pai nasceu em Itapira e atualmente mora em Eleutério.Quando vou visitá-lo sempre tomamos uma cerveja no banco da praça e fico admirando este belo casarão.

    Reply
  • maria eloa frassetto piccolo 11/09/2015 at 20:39

    Boa noite, gostaria de saber de que regiao italiana, veio essa familia Frassetto. sem mais agradeço

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor