Se tem uma coisa que mudou muito de algumas décadas para cá, é o conceito de morar bem. Hoje, muitos acreditam que morar bem é estar dentro de um apartamento de 50 ou 60 metros, varanda “gourmet” e um segurança na calçada terno preto em pé debaixo de um guarda sol.

Entretanto, isso não me parece morar bem mas apenas morar. Acho que residir bem mesmo faziam os paulistanos de outrora em apartamentos amplos de 100 metros quadrados pra mais, ou então em belos casarões da elite, como esta maravilha da Alameda Joaquim Eugênio de Lima.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Localizado apenas dois quarteirões da Avenida Paulista, este magnífico casarão eclético é um dos mais belos exemplares de antigas residências de luxo do bairro da Bela Vista que ainda resistem aos tempos atuais e a especulação imobiliária.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

No passado o imóvel pertenceu a uma pessoa chamada Benedito Abdulkader, que talvez tenha sido o primeiro proprietário (dados de 1961). Segundo uma pessoa que nos cedeu informações sobre o local, o casarão encontra-se fechado há alguns anos, desde que a proprietária mais recente veio a falecer. Não consegui informações suficientes para saber se a falecida também é ligada a Abduldaker (pesquisa ainda em andamento).

Crédito: Nando Champss / São Paulo Antiga

Entretanto, o fato de estar fechado não significa que está em situação precária, pelo contrário. Como o local tem pessoas que tomam conta, é possível ver que o imóvel está em excelente estado de conservação em sua porção exterior e bem preservado também em seu interior. Os jardins são muito bem cuidados, e a casa não apresenta nenhum problema de manutenção.

Nos fundos, existe além do casarão uma grande edícula que provavelmente serviu (ou serve) de residência para funcionários da casa. E depois desta edícula ainda existe um terreno amplo com plantas e árvores, fazendo desta casa um verdadeiro oásis na selva de pedra que é a região próxima da Paulista.

Na foto, um dos belos vitrais da residência (clique para ampliar).

Na foto, um dos belos vitrais da residência (clique para ampliar).

E se o imóvel é belo por fora, ele é ainda mais encantador por dentro, com vários vitrais coloridos, lareira de mármore, escadarias e armários de madeira, além de banheiros amplos e com decoração suntuosa.

Mais do que uma residência, este casarão é uma verdadeira preciosidade paulistana. Espero que seus proprietários tenham noção não apenas do valor da propriedade, mas também de sua importância histórica para a história da arquitetura de nossa cidade e que seja preservado para a posteridade.

Quem tiver mais informações sobre o imóvel ou sobre a figura de Benedito Abduldaker, deixe um comentário ou mande uma mensagem para nós. Ajude-nos a contar a história paulistana.

Agradecimentos a Nando Champss, autor de todas as fotografias que ilustram este artigo.

Veja fotos externas do casarão (clique na miniatura para ampliar):

Veja fotos internas do casarão (clique na miniatura para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Thiago Martins Rodrigues 29/10/2014 at 17:10

    Disse tudo, as pessoas pagam cada vez mais caro para morar cada vez pior.

    Reply
  • Rosi 29/10/2014 at 17:29

    Meu maior sonho de consumo,reformaria toda,sem mudar o estilo lindaaaaaaaaaaaaaaaaa

    Reply
    • Juliana Alves 29/10/2014 at 18:44

      Entre na fila Rose, eu serei a futura dona dessa coisinha linda tá! (em meus sonhos hauhauhauhau)

      Reply
      • Vanessa Brumatti Sato 29/10/2014 at 22:56

        Posso entrar na fila também rsrsrsrs

        Reply
        • Juliana Alves 30/10/2014 at 18:51

          Claro Vanessa, nunca é demais admiradores para essa beleza de casarão! Nossa, meu sonho, até então, era o casarão da Al. Itu, casarão de um filho de Barão de Café, mas após ser apresentada para esse casarão mudei de sonho, aliás, mudei o endereço do meu sonho! rsrs

          Reply
          • Pollon, Diego. 16/12/2014 at 17:08

            Acho que se eu vejo demolirem essa casa eu choro! haha
            Vou entrar pra fila tbm!

    • Carla Silva 29/10/2014 at 20:13

      Eu também Rosi, não mudaria uma vírgula da casa! Estou absolutamente maravilhada com ela! Queria poder ver de perto, por dentro!

      Reply
  • LESLIE SZABO 29/10/2014 at 17:40

    apenas uma reforma, ou melhor, restauração interior e pintura exterior.nada mais.Linda!Os pisos e vitrais são espetaculares.

    Reply
  • DULCINÉA MESQUITA 29/10/2014 at 17:42

    ADORO VER CASARÕES ANTIGOS E PALACETES ANTIGOS É UMA VIAGEM AO TEMPO,AMEI TER VISTO ESSE CASARÃO, PARABÉNS .BELA E ÓTIMA REPORTAGEM.

    Reply
  • DULCINÉA MESQUITA 29/10/2014 at 17:45

    GOSTEI DA PUBLICAÇÃO, PODE AVISAR QUANDO TIVER MAIS CASARÕES.

    Reply
  • Janaina 29/10/2014 at 17:49

    Que casarão lindo, que sonho de lugar!

    Reply
  • valéria sanches 29/10/2014 at 18:01

    Você acabou de matar minha curiosidade, conhecer um desses casarões por dentro, amei, lindo demais

    Reply
  • Nanci Bressanin 29/10/2014 at 18:01

    Amei a publicação, mt obrigada.
    Na região do Ipiranga, próximo ao Museu Paulista tb tem alguns casarões lindos, gostaria de vê-los publicados aqui.

    Reply
  • Sidao 29/10/2014 at 18:25

    Parabéns! Quem não gosta de ver uma beleza dessa?

    Reply
  • Jorge Hidalgo 29/10/2014 at 18:33

    Adorei a matéria, as fotos, tudo…pena que mais esse casarão sucumbirá à burrice insana do mercado paulistano…morre ele, morreremos nós, nesses pseudo apartamentos de 18 m2…lixo….minha opinião. Linda a matéria sobre as padarias…adorei também…continue assim.

    Reply
  • Ana Maria 29/10/2014 at 19:00

    Adoro suas publicações, mas esta superou as expectativas e a matéria está linda PARABENS.

    Reply
  • Silvia Lopes 29/10/2014 at 19:40

    Magnifico casarão, parabéns aos donos!!!

    Reply
  • João Fernando Homor 29/10/2014 at 19:41

    Maravilhoso !!!! e os pisos muito bem conservados !!!! o que é muito difícil !!!!
    Arquiteto João Fernando Homor

    Reply
  • Carla Silva 29/10/2014 at 20:15

    Douglas, como sempre parabéns! Esta matéria ficou espetacular!

    Reply
  • Carla Silva 29/10/2014 at 20:18

    Parabéns ao Nando Champs pelas belíssimas fotos!

    Reply
    • Nando Champss 30/10/2014 at 16:41

      Obrigado Carla!! Fico feliz que tenham gostado. 🙂

      Reply
  • joão Ramon 29/10/2014 at 20:28

    Sou obsecado por mansões e casarões abandonados é igualzinho as mansões americanas tem até colunas gregas e papeis de parede no estilo americano e lareira americana!!!! nossa se fosse meu eu deixaria do mesmo jeito ou seja, toda a sua originalidade nem reformava.

    Reply
  • Paulo – ABC Paulista 29/10/2014 at 20:43

    Parabéns por mais essa bela reportagem! Caramba! Viagei no tempo, principalmente por ter mostrado o interior da casa… Confesso que fiquei com uma sensação esquisita.. É como se os donos da casa estivessem lá… Demais, já fazem alguns anos que acompanho seu trabalho e gosto muito das matérias que você faz, mas sinceramente gosto apenas de ver, não sei se me sentiria bem morando numa relíquia dessas, por mais confortáveis e glamourosas que são… Paulo

    Reply
  • nazarethlmperes 29/10/2014 at 21:03

    Preservada por enquanto. Esta beleza toda talvez um dia acabará. Uma pena!

    Reply
  • ernani 29/10/2014 at 22:02

    Como já foi dito,morar bem era antigamente. As pessoas moravam em residências e, em apartamentos amplos. Os quartos, sala, cozinha e banheiro também eram grandes. A altura entre o chão e o teto eram de 3 metros e as vezes um pouquinho mais.
    Os apartamentos de agora tudo é minúsculo. As janelas são tão pequenas que parecem as de um vagão de trem. A altura do ambiente é tão baixo que a gente se sente sufocado em dias de calor. Sem contar os transtornos com os vizinhos.
    Não troco minha casa por dez desses prédios.

    Reply
  • Profrank 29/10/2014 at 22:59

    Excelente publicação: simplesmente adorável! Fico imaginando o dia a dia das pessoas dessa casa lindíssima. A história deve ser mesmo fascinante!

    Reply
  • Fatima 30/10/2014 at 08:23

    Excelente o texto, as fotos e a casa, parabéns.

    Reply
  • MILER DE MARCHI 30/10/2014 at 08:56

    Amo esse tipo de arquitetura. Felizmente nesta geração ainda há muitos que curtem e alguns, como no seu caso, Douglas, que registra isso, eternizando em fotos o que poderá desaparecer em pouco tempo, pela ganância do homem. Eu nasci no século errado, pois amo tudo o que é antigo. Parabéns pelo trabalho !

    Reply
  • flavia r s franco 30/10/2014 at 09:07

    Muito bonito, detalhes especiais, pena que a estrutura pareça abandonada…

    Reply
  • Ricardo Simone 30/10/2014 at 10:11

    Que linda, que casa simplesmente fantástica! Tomara que não seja alvo das empreiteiras! Será que existe a chance de ser tombada como patrimônio histórico? Tomara que sim!

    Reply
  • alexandra cristina bobbio 30/10/2014 at 10:17

    Esta realmente merece ser tombada, ou pelo menos os cuidados de preservar estes vitrais. Precisava encontrar um patrono pra esta.
    Parabéns pelo trabalho.
    Alexandra

    Reply
  • Patricia Ramos Souza 30/10/2014 at 12:30

    Tem visitação? Adorei as fotos, parabéns!!! E como uma amiga acima disse nas imediações do Museu Paulista tem outros casarões, você poderia deleitar-nos com as fotos, não é?

    Reply
  • Natalia Laurindo 30/10/2014 at 17:54

    Parabéns pela matéria, Douglas! As fotos são lindas e o casarão é realmente fascinante. A atual realidade das nossas cidades, cada vez mais populosas e o violentas, não nos permite mais o prazer de se viver num lugar como esse. Não é uma questão de escolha, né? É possível “morar bem” em pequenos apartamentos sim, na minha opinião, mas confesso que esse local é realmente muito bonito.

    Reply
  • Paula Calixto 30/10/2014 at 19:25

    poderia mostrar outras tem no ipiranga, a casa das rosas, linda!!

    Reply
  • Maria da Gloria Bach Goncalves 30/10/2014 at 23:54

    Pessoal, uma peca de banheiro hoje quase extinta. O famoso bide (com chapeuzinho rs). A casa dos meus pais no Alto da Lapa tinha, rodei por varias residencias e dificilmente encontra-se uma peca desta. Linda casa, memoravel. Caramba, ja pensaram como deveria ser bom aqueles tempos? Os edificios estao chegando cada vez dela. Que pena. A casa do caseiro, a garagem…….uma perfeicao. Um abraco a todos.

    Reply
  • Gualberto Cappi 31/10/2014 at 09:04

    Como nao concordar, Douglas!
    Mas quem pertence a classe privilegiada da cidade, como foi o construtor deste bello casarao, ainda tem acesso a moradia ampla e espaçosa, com certeza.
    Quem sofreu (e sofre) com o crescimento constante da cidade foram principalmente as classes media e popular, que “precisaram” trocar suas casas por apartamentos em condominios e, para os mais “felizes”, ter direito à famosa “varanda gourmet”.
    Infelizmente, este assunto chama em causa um modelo de desenvolvimento bastante “padrao”. Quando pela primeira vez viajei ao Brasil, o pais estava com 170 milhoes de habitantes, pouco mais de 20 anos depois està com quase 200 milhoes, um crescimento significativo. Como nao bastasse, o processo de concentraçao da populaçao ainda acelerou neste periodo e parece nao ter como parar.
    Sao Paulo encontra-se ao apice de tudo isso.
    Com isso nao quero dizer que este processo (que eu pessoalmente acho errado) nao possa ser governado melhor, entre a regra do far-west atual e passado e uma urbanistica mais atenta e socialmente responsavel tem uma ampla oferta de possibilidades, claro.
    Voltando ao nosso casarao, este seria o tipico caso onde seria necessario (e obrigatorio) fazer um bom, como aquì (Italia) se chama, “restauro conservativo” (acho que se fala assim tambem em portugues). Tudo parece ainda muito bem preservado, atè a boiserie e o teto “a cassettoni” (apaneilado), unico ponto que parece foi tirado è aquele piso da hall, mas seria suficiente uma pequena pesquisa para saber qual tipo de piso era para refaze-lo sem problemas.
    Um grande abraço
    Gualberto

    Reply
    • william lima 27/12/2014 at 16:13

      infelizmente aqui no Brasil não existe “restauro conservativo” e sim ” quanto de lucro esse terreno pode dar”….

      Reply
      • Gualberto Cappi 29/12/2014 at 15:41

        Olà William,
        asssim parece. Mas isso chama em causa o poder publico, ou seja a “politica”. Aì, tem duas coisas que num sistema democratico sao relevantes: o tamanho da cidade à governar (e jà isso em Sampa è um problema); o sistema eleitoral, que pode dar mais ou menos chance de escolha entre candidatos; teria um terceiro ponto tambem muito importante referente ao controle do candidato por parte de seu eleitorado, mas aquì o discurso se faz complicado.
        Seria preciso que todo mundo acordasse e tivesse mais atitude de se interessar à propria cidade e consequentemente à politica, embora ela (a politica) faça de tudo para afujentar as pessoas; mas nao tem alternativa à “politica”. Nada è garantido por sempre e nada è ganho sem “luta”. Veja o que està acontecendo aquì, na Europa, sempre menos democratica; bastou o crolo do muro …

        Reply
  • rosanna correia 31/10/2014 at 10:22

    “Você acabou de matar minha curiosidade, conhecer um desses casarões por dentro, amei, lindo demais” (2)

    Reply
  • Katia Maria Requena Duarte 31/10/2014 at 14:18

    Muito lindo, se eu tivesse dinheiro eu o restauraria por enteiro e mudaria ontem.!!!!!

    Reply
  • Ademir Richotti 04/11/2014 at 14:45

    Trabalho bem próximo a esse casarão e sempre o admirei.Aliás,essa região ainda tem uma quantidade razoável desse tipo de residência(até quando não sabemos).Alguns tem sorte e são transformados em pontos comerciais,outros são simplesmente demolidos.

    Reply
  • Roberto 13/11/2014 at 13:24

    Muito boa a matéria, pena que casa como estas estão sumindo da cidade de São Paulo par dar lugar a grandes espigões sem graça

    Reply
  • Débora 26/11/2014 at 14:08

    Concordo plenamente com o que diz no começo do texto. Além de serem amplas moradias, com quintais, arvores, era de uma arquitetura e um capricho sem igual. Percebe-se o carinho e o amor que se tinha, ao contruir uma casa… hoje é apenas tijolo, cimento… sem espaço, vista para outras janelas… Ai, que saudade desse tempo que não vivi.

    Viajo e me perco no seu site. Nostálgico.

    Reply
  • Valéria A.; Carvalho Peres 04/12/2014 at 12:27

    Simplesmente maravilhoso!!! Eu acabei de encontrar esse site e estou apaixonada, pois adoro os casarões e casa antigas de São Paulo. Vivo ” caçando” esses imóveis, e quando acho fico apreciando todos os detalhes e me dá uma nostalgia muito grande. Acho que cada vez que se demole um imóvel assim é um pedacinho de nossa memória que se perde. Muito triste!

    Reply
  • eder 20/12/2014 at 09:52

    Parabéns Douglas e Nando excelente trabalho, as fotos por dentro da casa são incríveis.

    Reply
  • danielpardo2015 06/03/2015 at 21:03

    A casa não é tuuuuudo isso… tem muito potencial, sem sombra de dúvida, mas precisa de bastante atenção pois por dentro ela está bem judiada, com as porcelanas de banheiro amareladas assim como algumas paredes dela, mas mesmo assim é muito melhor ela assim do que demolida para a construção de um “pombal de luxo gramuroso”.

    Reply
  • Fernanda 23/03/2015 at 15:35

    Adorei seu post Douglas, a casa realmente é linda.
    Você saberia me dizer se elas alugam o espaço para evento ou se tem algum e-mail/telefone onde eu poderia entrar em contato?

    Obrigada

    Reply
    • Neyde Azem 13/02/2016 at 22:40

      sim alugamos entre em contato comi no FB

      Reply
  • Marcelo 08/07/2015 at 14:02

    Uma pequena análise estética possibilita especular que seja projeto de Ramos de Azevedo. Esta é uma modalidade de neocolonial que ele apreciava.

    Reply
  • Daniel Steinman Martini 19/10/2015 at 17:09

    O casarão é lindo, e o Benedito Abdulkader, de descendência inglesa ou americana, provavelmente algum homem anglo-saxão, faleceu a mais de 30 anos. E cada vez está se tornando raro esse estilo de construção em São Paulo e a Bela Vista tem pouco desses casarões belos e bonitos.

    Reply
    • Marcelo 11/09/2017 at 18:12

      Abdulkader é sobrenome árabe: significa “servo do poderoso”.

      Reply
  • Daniel Steinman Martini 19/10/2015 at 17:27

    O projeto deve ser de Ramos de Azevedo. Benedito Abdulkader, infelizmente não conheço, mas se eu conhecesse a sehora idosa proprietária dessa casa, eu até saberia quem ele era.

    Reply
  • Solange Bento 20/01/2016 at 23:02

    Boa noite, Douglas !
    A ultima moradora dessa casa maravilhosa, era Nereide Abdulkader, filha do Srº. Benedito Abdulkader. Nela morava Benedito Abdulkader sua esposa Neli e seus dois filhos Nereide e Felipe Abdulkder, todos já falecidos, como não tiveram filhos, provavelmente a casa ficou de herança pra os sobrinhos.
    Minha mãe, trabalhou como cozinheira e tinha vários outros empregados.Minha mãe conta que realmente era uma das casas mais bonitas do local. Realmente era uma época de muito glamour, : essa casa recebeu muitas celebridades como: Ademar de Barros, Jânio Quadros, Paulo Maluf (ainda jovem), foram muitos jantares.

    Reply
    • Rita 09/04/2017 at 16:36

      Olha só!!! Que bacana Solange…. Essa casa é demais mesmo, só precisa de reforma para lapidar ainda mais esse lindo casarão

      Reply
  • Neyde Azem 13/02/2016 at 21:56

    A casa acima era da minha prima e esta a venda!
    Att

    Reply
  • Marcelo 06/06/2016 at 14:22

    A casa mostra ser um projeto de Ramos de Azevedo em estilo neocolonial (algo pelos anos 20 do século XX).

    Reply
  • Ednei Tinta 21/04/2018 at 21:58

    parabens Douglas pelas fotos muito bem tiradas a casa e simpliesmente maravilhosa.exelente materia.

    Reply
  • Edson Becker 24/04/2018 at 23:55

    Para saberes história escritural do imóvel, solicite a matrícula no Cartório de Registro de Imóveis da região, é de domínio público

    Reply
  • Celso 08/11/2018 at 08:26

    Muito linda!

    Reply
%d blogueiros gostam disto: