Imóveis Antigos

O fim do casarão mais antigo de Moema

Comments (52)
  1. Wilson Martins Junior disse:

    Fico chocado e indignado com a prefeitura de SP e com os responsaveis da preservaçao da cultura, patrimonio e arquitetura e historia da cidade. O que podemos fazer todos juntos para evitar que daqui ha 30 anos ou antes nao haja mais quase nenhuma casa ou predio antigo vitima da especulaçao imobiliaria e corrupçao do proprio governo? Alguem tem alguma ideia objetiva por favor? Vamos nos unir e lutar juntos???

    1. Se o casarão não é tombado e for particular, não há muito o que a prefeitura possa fazer…

  2. Karla disse:

    Acho que seria interessante vocês conhecerem,se já não conhecem o Ricardo Fraga Oliveira, ele trava uma luta de muitos anos contra este mercado, existem muitos que resistem ainda.
    Acredito que valeria conhecer e mobilizar juntos!

    1. Mathias Brotero disse:

      Karla, você tem o contato do Ricardo? Sou repórter da Gazeta de Santo Amaro e gostaria de conversar com ele. Obrigado e fico no aguardo.

  3. Barbara Kroeber disse:

    Eu vivia até 1963 em São Paulo, e na linea do bonde para Santo Amaro havia duas paradas: Moema e Indianapolis.

  4. Marcos Freire disse:

    Essa pizzaria era a extinta “La Sorella” ?

    1. Isso, parece que ela mudou-se pra outra rua

    2. Carlos disse:

      A pizzaria ocupava algumas casas da Rua Juriti e parte do casarão, o pátio externo. Provávelmente passou a ocupar apenas as casas da Juriti: a título de curiosidade, em uma dessas casas o fotógrafo Duran foi criado.

  5. Carolina Fischer disse:

    Morei mais de 20 anos na rua atrás deste casarão, que pela foto vê-se já estava cercado de prédios de gosto duvidoso…é mais uma evidência de como São Paulo está sendo descaracterizada pela especulação imobiliária, lamentável!

  6. patiusca disse:

    Lamentável… Lá se vai mais uma bela casa para dar lugar aqueles prédios ridículos com as suas varandas gourmet… Lamentável!

  7. Triste, passava todo dia por ela. Ficava babando, imaginando se um dia eu poderia ter uma casa tão bela e grande igual aquela. E imaginava também como era a vida das pessoas que ali moravam.

    Um grande perda. Fico muito triste com isso.

  8. Paulo da Silva disse:

    É lamentável, porém, infelizmente não acontece só em São Paulo, aqui em Belém sofremos do mesmo mal!

  9. Alice Oliveira disse:

    Mais um crime absurdo contra a história e o patrimônio de São Paulo.

  10. Fatima disse:

    Na verdade já estamos pagando pelo preço de não cuidar do patrimônio histórico da cidade, simplesmente demolindo construções tão lindas e importantes como esta, sem si importar com o significado que elas tem. Uma pena.

  11. Carlos Gama disse:

    É uma lástima que esse tipo de ocorrência tenha se tornado comum, que a memória cultural e arquitetônica das cidades esteja posta no lixo da inconsciência e nos baús da ganância desmedida.
    Santos também anda assim (pouco resta) e vai se transformando em um paliteiro de concreto. Você mesmo, por aqui, já denunciou alguns casos.
    Vão enchendo as panças, os cofres, os colchões e, depois, fica o espírito vagando, tentando tomar conta daquilo que não foi possível levar para o outro lado.

    1. Cris disse:

      Adorei! Tomara que vaguem mesmo como karma pelo que destruíram e continuam destruindo em sao paulo!

  12. Adorava a arquitetura dessa casa, embora ela me traga uma tristíssima lembrança. Foi lá que meu irmão Yúri Wágner morreu, em 1992.

  13. Marcello disse:

    Que droga! O quê temos de fazer para impedir isto? Nossa história já não é longa e ainda o pouco que nos resta é destruído! Assim não sobrará nenhuma recordação para as futuras gerações!!!

  14. opa , fui eu que mandei o alerta para voces , e obrigado por acatarem e ir ver …. diga-se de passagem eu quando vi isso nao acreditei … e como muito ligado ao patrimonio histórico de sp … doi ver muitas coisas que vi sendo colocadas a baixo …e por sinal … essa doi mais ainda para mim … tipo … eu nasci em moema e tenho 27 anos … e sempre vi aquela casa sabendo que era do fundador do meu bairro … do lugar que morei a vida inteira ….e que de um dia para o outro ver que estao mandando tudo a baixo sem escrupulos … eu vi o marco do bairro aqui que era azulejado ficava de esquina com a av ibirapuera com a eucaliptos ser arrancado pela renault e ser destruido … onde indicava a direção da estrada para santo amaro … que eli era a praça dos eucaliptos … e que para o outro lado era o centro de são paulo … simplesmente arrancaram isso e destruiram …e agora ver o casarão ser derrubado me deu uma agonia ainda maior por ser no meu bairro … ja doi ver tudo que acontece por ai em relação a historia … só ver meu facebook … mas essa foi a alfinetada no coração para acreditar que o brasil só esta desse jeito porque não tem história … um pais sem história … é um pais sem futuro ….

    1. Alessandra Oda disse:

      Nasci em Moema tb, minha continua, mas infelizmente essa época ficou na lembrança… o auge de Moema foi, para mim, pelo menos, os 80 e 90…que bom que vivemos isso!!!!

  15. Cris disse:

    Eu lembro de ter ido lá comer pizza, nao acredito que demoliram essa casa tão linda. SP esta ficando cada dia pior, que tristeza! Nunca vi, de uns anos para cá, a cidade tão suja, abandonada, tantos mendigos e quarteirões inteiros demolidos para erguerem-se torres.

  16. Pedro Nastri disse:

    Douglas, como já mencionei em outros sites, grupos e publicações, cubro as atividades dos vereadores para 2 jornais diários. Tenho brigado, e muito, quanto ao descaso para com a memória de nosssa cidade. Cito seu trabalho, b como seu site, como fonte de infoemação, mas infelizmente venho travando uma luta, mas sem obter eco.
    Concordo com o Wilson.
    O importante é não desistir.
    Temos que formar um grupo para melhor reivindicar.

  17. Pena era um lindo casarão deveria ter sido tombado

  18. Me expliquem o que tem ADM municipal com isso, o fator de livre mercado como chamam impõe seu preço, essa “memoria” seletiva serve a quem?

    1. Se você não sabe, eu te explico: alvarás de demolição e construção são expedidos pela prefeitura.

    2. Raul Bianchi disse:

      A prefeitura que concede alvarás.sem isso você não pode construir ou demolir ou reformar.E ninguém aqui está falando da gestão atual, e sim do histórico de barbaridades da prefeitura de são paulo, não importando o mandato

  19. Ivan Carneiro disse:

    Uma pena 1º o Palace e depois HSBC casa de espetaculos desaparecer de moema, agora essa pizzaria.
    Uma pena. Tanto a pizzaria quanto a casa de espetaculos Eu já frequentei.

  20. José Márcio disse:

    O Brasil de hoje, como todo país atrasado, não quer ter passado. Também não terá futuro algum, porque destrói seu passado. São Paulo não é diferente. Faz parte dessa tragédia. Mas isso tudo porque mais que atrasados, somos um país de ignorantes.

  21. Emerson de Faria disse:

    Em breve chegará o tempo em que estes imóveis existirão apenas em fotos antigas ou apenas na memória daqueles que os conheceram nos velhos e bons tempos.

  22. herminia disse:

    que pena pois conheci o grande amor da minha vida lá, casamos e tivemos uma filha linda, saudades dessa epoca

  23. Wilson Rodero disse:

    Frequentei muito a La Sorella. Lamento muito…

  24. maria Cristina Schmidt disse:

    Eu lembro em frente a Igreja B
    N S Aparecida, passava sempre la em frente pra ir ao Cesar Martinez onde estudava, depois acho q foi um colegio estou certa ???

    1. Carlos disse:

      O colégio ficava na esquina com a Av. Sabiá, onde hoje há um hotel,
      chamava Pica Pau, atual Augusto Laranja, atualmente atrás do Shopping Ibirapuera

  25. Carlos disse:

    O prédio ao lado é ilegal, muito mais alto do que permite a lesgislação, ficou embargado por anos. Ele fica preservado, e demole-se o que é legal. Sinal dos tempos

  26. Carlos disse:

    A casa é mais antiga que a Igreja, e foram seus proprietários os articuladores da construção da Igreja

    Fonte: http://www.moema.com/historiadobairro.htm

    Em 1915, dois anos após a compra do sítio, a Companhia Territorial Paulista começou a demarcação do terreno, e a área foi batizada com o nome de uma cidade muito populosa do Estados Unidos da América: Indianópolis. A CTP abriu uma grande Avenida no Centro da área, que hoje é Avenida Ibirapuera. Originalmente a avenida foi batizada como Araci, homenageando a filha de Arens Júnior, que gostava de nomes indígenas”.

    Em 1923, o então procurador geral do Fisco de São Paulo, Raul Loureiro, construiu uma enorme casa com esculturas de leões alados na entrada.

    Até 1930 o bairro possuía apenas a pequena capela dedicada a Santa Rita, que media 50 metros quadrados e abria suas portas somente aos domingos. Insatisfeito com a situação, Loureiro, cuja mulher, Dona Antonieta, era devota da de Nossa Senhora Aparecida, lutou pela construção da Igreja e da praça ao seu redor. No dia 26 de fevereiro de 1930 Dom Duarte Leopoldo e Silva, então arcebispo metropolitano de São Paulo, por provisão, nomeou a Comissão construtora do novo Santuário, cujo presidente era vigário da paróquia de Nossa Senhora da Saúde. Em 1934, após quatro anos de trabalhos, eram lavradas as escrituras do terreno, doado por Fernando Arens Júnior e pelo Cel. Joaquim Ribeiro dos Santos, que embora protestante, era de caráter íntegro e bondoso. A pedra fundamental foi lançada em 26 de março de 1933. Esta data desde então é tomada como um marco cívico e religioso para festejar a construção da igreja e paralelamente o início do desenvolvimento do bairro. O novo templo estava sob os cuidados espirituais da Congregação Salvatoriana, na pessoa do Revmo. padre Roberto José Waltz. A inauguração definitiva foi feita no dia 15 de agosto de 1941, dia de Nossa Senhora da Glória. Em 28 de outubro de 1933, festa de Cristo Rei, era assinado o decreto que constituía canonicamente a paróquia dando-lhe por padroeira Nossa Senhora Aparecida, sendo esta a 1ª paróquia da Rainha do Brasil em São Paulo. Seis dias após, em 4 de novembro de 1833, era provisionado o primeiro Vigário da paróquia, o referido Revmo. padre Roberto José Waltz.

  27. marcia ovando disse:

    E , assim Moema, como tantos outros bairros, vai ficando sem sua história.

    Márcia Mai

    http://www.moemadetantashistorias.blogspot.com

  28. Gustavo disse:

    Que retrocesso com a nossa cultura e história regional e nacional! Uma pena, grande perda.

  29. Artur F. Fernandes disse:

    Retrocesso, absurdo, tristeza!!!!! A omissão dos administradores do patrimônio histórico (ainda que não tombada) da cidade. Moema perde seu maior símbolo, duma época que marca o início do bairro. A especulação imobiliária é o maior vilão da memória de uma cidade. Por quê isso não ocorre em países da Europa e os turistas tanto se admiram com as coisas antigas de lá? Não há aqui a preservação da história…

  30. LUCIA A.ADINOLFI disse:

    O que impera nesse Brasil é dinheiro. Não há planejamento.

    Em 1973 vi os casarões da Paulista sendo demolidos . Jamais teria que acontecer isso. Nossa história estava nesses casarões.

    Casarão da família Matarazzo, foi implodida do dia para noite. (deveria ser Patrimônio Histórico) .Dinheiro sempre o dinheiro é quem está nesse jogo. No mesmo espaço hoje é um shoping

    Não há critério .

    Impedir festas e mais festa nessa Paulista. Para que foi construído o Sambódromo?

    O importante é fazer prédios e mais prédios, com isso maior arrecadação.

    São Paulo está um colapso. Está insuportável. Não há hora ou dia melhor para dirigir. Rodízio e nada é a mesma coisa.

    (EX: onde havia uma moradia com mais ou menos 6 moradores, hoje no mesmo espaço há prédio de 29 andares, um apto por andar, como aproximadamente 150 moradores 156 veículos com 4 vagas por andar).

    Casas e mais casas estão sendo demolidas

    Haveria sim, a necessidade de criar parques, praças e não prédios.

    Outro detalhe, esses novos empreendimentos haveriam de ser construídos com o reaproveitamento de água, isso é exigido pela Prefeitura? Nem pensar.

    Avenida 23 de Maio pinturas que agridem.Por favor, Prefeitura , limpem esses muros, pois isso não é arte, é poluição visual DA PIOR ESPÉCIE, pior do que era antigamente, com letreiros.

    BRASIL NÃO HÁ HISTÓRIA .

    DINHEIRO EM PRIMEIRO LUGAR.

    NÃO HÁ RESPEITO COM A POPULAÇÃO.

    MAS ATRÁS DE TUDO HÁ UM PROPÓSITO –

    VEJAM O DOCUMENTÁRIO ABAIXO -É ESCLARECEDOR

    https://www.youtube.com/watch?v=I0Aq5SQrIEg
    AGENDA – documentário completo – Legendado

    1. Cristina disse:

      Concordo 100%! Dói no coração ver a cidade em que nascemos nesse estado caótico devido ao descaso e ganância.

    2. Pinturas que agridem? Os grafites? Hum, não tem como concordar

  31. JORGE ROBERTO COELHO FERREIRA disse:

    Uma pena. Conheci o prédio muito bem. Era freguês da La Sorela. Conhecia, também, um bela casa bem próxima, cujo nome da rua em que está ou estava localizada não me recordo no momento, onde ia às vezes, pois tinha negócios com os proprietários. Nesta casa, segundo os proprietários e de acordo com o noticiado anos atrás, morou a Rainha SIlvia da Suécia, quando adolescente. Será que ainda está de pé ? Se alguèm souber algo a respeito, queira por gentileza responder.

  32. Mayla Accascina disse:

    Afffffff que tristezaaaaaaa!!!!!!!!

  33. Raul Bianchi disse:

    eles vão deixando destruir tudo. A prefeitura não está nem ai, nunca esteve, e são expedidos alvarás de demolição a torto e a direito. Morei em moema e vila olimpia por vários anos, e ia nessa pizzaria, que ficava em outro local na avenida, ao lado de onde era a brindes pombo, e mudou pro casarão. Uma pena. A vila Olimpia também sofre desse mal, e nasci no itaim bibi, na joaquim floriano e hoje nem reconheço mais a rua….muito menos o bairro…

  34. camposnathy disse:

    A historia sendo esquecida.

  35. ADRIANO BEZERRA disse:

    Se Deus permitir comprarei quase todos os p´redios de moema e demolirei tudo, farei casas lindas com estilo europeu…. insensiveis, filhos herdeiros dos antigos donos são eles os culpados, mas isso não importa mais; o que importa é ensinarmos aos nossos posteriores os valores do amor, da arte e da beleza…não dispediçando e nem vendendo as casas que tantas historias tem.

  36. Carlos Soares disse:

    São Paulo e o Brasil se confundem quando “o negócio” é destruir casarões históricos, ao invés de restaurar por fora e por dentro, tal qual ocorre em outros países. Fico triste quando lembro de Salvador e os casarões que circundam a Av. Lafayete Coutinho (sentido Barra ao Mercado)!

  37. Rodrigo disse:

    93 anos

  38. Rodrigo disse:

    Depois vai pra Europa e acha tudo lindo.

    “Discernir o importante do irrelevante é o ato inicial da inteligência, sem o qual o raciocínio nada pode senão patinar em falso em cima de equívoco.”

    Vale a pena ler esse longo texto do professor Olavo de Carvalho escritos 1999.

    O nome é: ” A origem da burrice nacional”

    http://www.olavodecarvalho.org/textos/burrice.htm

  39. Maria Salete da Costa Aguiar Petroni disse:

    As vidas das famílias, os que usavam o bonde colégios e tudo que ligava Santo Amaro até a Praça João Mendes, é do conhecimento dos moradores da região. Está nas nossas memórias. Demolições,troca de nomes por outros mais charmosos e construções feias. Edifícios altos demais e descaracterização. Nomes de ruas…..Água EsprConsideroaiada pelo nome do dono da Globo é totalmente ofensivo.!Tudo quanto escreveram aquí sai do coração de cada um de nós. Será que serão lidas as frases? Alguém vai pensar nalguma medida? A criação das sociedades de bairro costumam funcionar nestes casos. Ou um blog no facebook para iniciar a troca de informações. Um ou mais advogados para orientação também seria de grande ajuda.Professores, memorialistas e antigos moradores. Esta é minha contribuição hoje. Quero lembrar Bárbara que entre o balão do bonde de Indianópolis e Moema, existia a parada de Largo Franco. Se estiver errado me corrijam.Há vasta produção literária sobre os bairros de São Paulo. Em tempo, mudei para Salvador há já 4 anos e à distância vejo minha cidade e penso que jamais seria feliz aí, como fui até meus 30 anos. Não penso em voltar.

Deixe uma resposta

Publicidade:

SP ANTIGOS

Nosso Instagram: @saopauloantiga
Something is wrong. Response takes too long or there is JS error. Press Ctrl+Shift+J or Cmd+Shift+J on a Mac.