Houve um tempo em que a cidade de São Paulo ela repleta de cinemas de rua, trazendo uma diversão mais próxima dos paulistanos, sem que este fosse obrigado a entrar em shopping centers para poder assistir filmes.

clique na foto para ampliar

Hoje, poucos destes cinemas sobrevivem ainda com esta finalidade, muitos foram demolidos e vários outros foram adaptados para outras finalidades como por exemplo templos evangélicos.

Inaugurando em 1955 e com capacidade para 1113 espectadores, o Cine Nilo foi um dos grandes e importantes cinemas da zona sul da capital paulista.  Com a deslocação do consumo para os shopping centers a sala de cinema passou a enfrentar decadência até ter suas atividades encerradas. Posteriormente foi um clube chamado Brittania e finalmente templo da igreja Renascer.

Desde que a igreja mudou de endereço o local encontra-se fechado. O cinema era propriedade da Empresa Cine Nilo Ltda. Atualmente, na rua Caramuru (aos fundos do cinema) existem um buffet com o mesmo nome do antigo cinema.

Uma São Paulo que não volta mais.

Veja mais fotos do Cine Nilo (clique na miniatura para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Eliana 29/08/2011 at 13:21

    Moro em Mirandopólis e lembro que na minha infância fui mto ao Cine Nilo assim como ao cine Sabará, um pouco mais adiante, já onde a Jabaquara passa a se chamar Domingos de Morais. Era gostoso, pq iamos a pé
    No entanto, essa foto está um pouco antiga, agora há alguns comércios no terreo

    Reply
    • Oswaldo Neto 29/11/2012 at 16:15

      Acho que você está confundindo Eliana, não existe comércio neste local! Não que eu me recorde. Continua abandonado

      Reply
    • Beto Lutfi 27/04/2016 at 09:26

      Na verdade Eliana a história está mal contada, o prédio nunca esteve abandonado, ele ficou apenas desalugado nos periodos entre uma locação e outra, eu não acho que tenha algum periodo que se possa dizer que estava abandonado de fato, o que pode se dizer é que ele foi ficando maltratado com o tempo. Mas entre o Cine Nilo e a Igreja Renascer o prédio estava em fucionamento, foi do Cine Nilo, viro Brittania Café Conserto, depois Gran Finalle, depois Highlander, depois igreja…

      Reply
  • David 27/11/2012 at 19:05

    Lembro do Nilo nas matines de domingo. Também do Cine Estrela no início da Av. Bosque da Saúde ao lado da Praça da Arvore.

    Reply
  • nilson 05/06/2014 at 08:14

    Ao lado das dependências do Cine Nilo, cuja história eu desconhecia, existe um prédio cuja arquitetura impressiona, e possui uma forma triangular, se não me engano o nome do prédio se chama, Luft.
    Um pouco mais adiante na Av. Domingos de Moraes ainda tinha mais um cinema, o Cine Jamor, que frequentei na minha infância com a minha família.

    Reply
    • Beto Lutfi 27/04/2016 at 09:41

      hehe Exato, esse prédio foi construido em 1949 , tem um formato de um navio. Este predio em formato de navio e o cinema foram construidos pela mesma pessoa.

      Reply
  • Beto Lutfi 27/04/2016 at 22:55

    Douglas Nascimento, eu sei como é dificil pesquisar sobre locais antigos, principalmente não tendo um contato direto com algum representante do imovel, mas caso queira complementar sua matéria com mais informações, e mais fotos, entra em contato comigo pelo face, eu tenho o album digitalizado da inauguração do cine nilo com varias fotos, e posso te contar a história completa do imovel até os dias de hoje.

    Reply
  • Roberto Garcia Morrone 09/01/2019 at 17:10

    Já fiz diversas visitas a este site maravilhoso. Parabéns, Douglas Nascimento, pela sua iniciativa. Cheguei a ir ao Brittania, nos anos 1990, época em que morei em São Bernardo do Campo, para onde fui contra minha vontade, já que meu pai quis se mudar para lá, e eu tive de ir junto, com meus 20 anos de idade, mas o Ipiranga (onde morei desde que nasci até 1988), nunca deixou meu coração. Em 1999, voltei para São Paulo – SP, morando, mais precisamente na Vila Gumercindo, local em que vivi minha infância e adolescência, tendo visitado muitas vezes casas de parentes, na região. Só saí da Rua Assungui, por razões de poder ficar próximo ao meu trabalho, em Santo André – SP, em 2008. Acho a região do Ipiranga e Saúde, e de alguns outros bairros mais tradicionais de São Paulo, maravilhosa! Uma pena que muitas construções tradicionais estejam sendo demolidas para dar lugar a condomínios, e o trânsito da metrópole, que já era bem ruim, piora ainda mais. Espero que de alguma maneira, consigam deter a especulação imobiliária, preservando as construções antigas, e ajudando a manter a memória da cidade de São Paulo. O mesmo acontece na região do ABC, em que lindas construções antigas perecem, dando lugar a prédios. No que puder, farei a minha parte para ajudar a preservar a memória histórica dos lugares importantes deste país.

    Reply
  • Roberto Garcia Morrone 09/01/2019 at 17:15

    Era mesmo gostoso ir aos cinemas de bairro, fiz isso na década de 1970, época da minha infância. Havia o Cine Anchieta, na Rua Silva Bueno, onde assisti a filmes, nas férias. Assim, não precisava ir ao centro antigo ou região da Avenida Paulista, o que também fiz nos finais de semana, acompanhado de minha mãe, ou com outros membros da família. Lembranças boas que ficam no coração. Acho que São Paulo era muito boa de se viver naqueles tempos, a garotada podia brincar na rua, jogar bola, andar de bicicleta. O Museu do Ipiranga nem era cercado por grades, ainda. Vivi lá perto até meus 20 anos, a poucos quarteirões dessa histórica construção. Precisa haver uma conscientização grande para se conservar os casarões, casas e demais monumentos de São Paulo – SP, e região (ABC, também), com carinho. Onde está o Poder Público nestas horas?

    Reply
%d blogueiros gostam disto: