Um povo sem memória é um povo que não reconhece sua históra. Esta máxima pode parecer simples demais, um chavão, mas é a uma forma básica de expor a gravidade que atinge hoje o patrimônio histórico e a memória do cidadão, especialmente o paulistano.

Todos os dias vemos inúmeros imóveis virem abaixo em um corrida frenética para se erguer prédios por toda a cidade. Esta corrida imoral e arrasadora não poupa casas humildes ou mesmo grandes construções, apagando a memória paulistana em uma velocidade assustadora.

E o bairro da Penha foi mais uma vez vítima desta sina que está descaracterizando cada dia mais a cidade de São Paulo. Há poucos meses foi demolido o prédio de uma escola que por mais de 8 décadas foi um dos símbolos do ensino da zona leste da cidade de São Paulo, o Colégio Ateneu Ruy Barbosa.

Localizada na rua Padre João, 470, o casarão do colégio foi adquirido pelo Ateneu Ruy Barbosa em 1927, à época era um casarão quase solitário naquela região da Penha. Até então, o imóvel era conhecido como a Mansão Cantinho, onde morou o conhecido Comendador Cantinho, que dá nome a uma rua do bairro.

O prédio, em 1925: A saudosa Mansão Cantinho

E assim foi instalado na antiga mansão o Colégio Ateneu Ruy Barbosa. Com o tempo, à medida que o bairro cresceu, foi aumentando também a demanda e a necessidade de se ampliar as instalações da escola tornaram-se urgentes.

A antiga mansão sofreu algumas alterações e foram agregados dois edifícios ao redor do imóvel, preservando-se a torre do local. O imóvel permaneceria assim, com apenas algumas alterações pontuais por muitas décadas. O charme da construção, porém, ainda permanecia mesmo que um pouco modificado.

Nesta foto, de 1927, herdeiros de Comendador Cantinho conversam na torre do imóvel.

O colégio prosseguiu até o final dos anos 1990 sem muitos problemas, até que foi vendido. Segundo fontes o colégio teria sido vendido ao empresário que é dono do Internacional Shopping de Guarulhos e da Universidade de Guarulhos.

A instituição não teria conseguido manter o padrão do passado e começou a ter dificuldades.

Em meados dos anos 2000, fariam uma brusca reforma na fachada do prédio que tornaria o velho casarão em um edifício mutilado.  Em um verdadeiro crime à memória do bairro o prédio foi completamente descaracterizado e a velha torre onde o Comendador Cantinho e sua família por muitos anos puderam apreciar uma vista ímpar, foi fechada como mostra a foto a seguir.

Em 2005, um prédio completamente deformado.

E a escola não iria prosseguir por muito tempo. Em dificuldades fechou suas portas há poucos anos atrás, encerrando cerca de 80 longos anos de atividades e bons serviços prestados aos penhenses.

No final do ano de 2010, o velho Colégio Ateneu Ruy Barbosa não resistiu e veio abaixo sendo demolido em poucos dias. Um novo empreendimento imobiliário vai ser erguido no local. Já a memória do colégio, essa foi enterrada para sempre.

Estudou ou trabalhou no Colégio Ateneu Ruy Barbosa ? Deixe seu comentário!

Agradecimentos: Francisco Folco – Memorial Penha de França.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • Renata 10/06/2011 at 15:18

    Infelizmente, mais uma história demolida. Daqui a alguns anos quase todos os imóveis antigos e históricos não existirão mais em nome de uma modernidade que, na verdade, é um regresso quando se trata das riquezas da cidade que são destruídas.

    Reply
    • David Robert 27/09/2011 at 11:44

      realmente é muito triste, eu estudei de 1985 a 1988 e la vai mais uma parte das nossas vidas embora!!!
      fica a saudade dos amigos e daquele tempo.

      Reply
  • Ralph Giesbrecht 11/06/2011 at 08:34

    Demolir o prédio foi um crime menor do que a reforma que fizeram. Não há porque lamentar a demolição do prédio atual, a não ser pelo fato de que possivelmente outro daqueles elefantes brancos que hoje chamam de “torres” pode vir a surgir ali.

    Reply
  • Rosana Bacarini 11/06/2011 at 12:07

    Parabéns Douglas seu site está cada vez melhor.
    Adorei a matéria só fico triste,pelo prédio que era uma joía cada vez mas rara em nossa cidade.

    Reply
  • joao josé 11/06/2011 at 15:33

    Sem duvida, mais um “espigao” no local. Ja existe planta, plantao de vendas com corretores. Entrega em torno de 24 meses. A febre dos “verticais” continua.

    Reply
  • joelson 12/06/2011 at 22:04

    Infelizmente o Brasil que vivemos hoje não liga para nada que eh Patrimonio historico e o pior de tudo isso sobra para nós que sabemos dar valor ao que aconteceu no passado.

    Reply
    • Aparecida Hojas da Rocha 18/11/2015 at 23:05

      Olá Joelson vc estudou de 77 a 79 ? Se estudou fui de sua turma!

      Reply
  • Douglas 15/06/2011 at 00:12

    Estudei 11 anos no Ateneu. Cresci, estudei, vivi, aprendi, conquistei, ganhei, durante 11 anos de minha vida. E hoje tenho sensação que perdi!

    Reply
  • Alexandre 20/06/2011 at 01:57

    Minha mãe estudou nesta instituição, está aqui em casa desde as carteirinhas, cadernos, livros de latim Frances, e outras reliquias. Convite de formatura, tudo mais, ela hoje esta com 70 anos e ficou chocada de saber que uma tragedia dessas aconteceu com o Colégio Ateneu Rui Barbosa. Muito triste isso.

    Reply
  • edisonbrejeiro 21/06/2011 at 17:48

    Meu pai e meu tio foi motorista da perua escolar do Ateneu Rui Barbosa nos anos 70 pena que ele e falecido
    se nao ele ficaria muito triste.

    Reply
  • Anderson Viana 24/06/2011 at 00:34

    Estudei no Ateneu de 1982 a 1986. Ótimos tempos…

    Reply
    • bkublhubly 21/04/2012 at 16:51

      Gostei de sua materia !!!!!!
      sinto pena do predio.Provavelmente meu vô o conheceu
      sss sss
      o ss ss ss ss o
      o sss sss o
      o o
      o o
      sssssssssssssss
      ss ss

      (CHORO)

      Reply
  • CM 10/07/2011 at 16:59

    Em 2010, passei pela rua Padre João e para minha surpresa e TRISTEZA constatei que meu antigo colégio havia sido demolido. Muitas histórias, bons tempos… saudades do Ateneu! Passei alguns dos melhores anos de minha vida alí. (Ensino Médio)
    Om progresso desenfreado e a onerosidade dos interesses destroem, literalmente, a história de São Paulo, a história DOS PAULISTANOS… lamentável. Infelizmente, os preceitos elencados em nossa CF não estão sendo exercidos por aqueles de fato e de direito.

    Reply
  • Niderce Teresa 06/09/2011 at 18:03

    É lamentável! Restam somente as fotos de um passado brilhante e de um presente triste, sem essa maravilha de constução.

    Reply
  • Ariane 08/09/2011 at 19:43

    Eu passei a minha infância inteira nesse colégio, e as duas maiores tristezas foram ver todas as características do colégio sumirem com a primeira reforma, como o mural de azulejo pintado a mão que tinha como paisagem a chegada dos europeus as Américas e também um pequeno de Nossa Senhora da Penha e sua imagem… E quando o colégio foi demolido, lágrimas rolaram no meu rosto… Infelizmente, isso ficara guardado na memória de quem amo aquele lugar de verdade…

    Reply
  • marcia andrea 09/09/2011 at 22:40

    Olá colegas, que tristeza, estudei apenas um ano em 91, fiz primeiro colegial,estudava naquela sala em frente a rua acima da secretaria, e tenho ótimas recordações deste colegio…. saudades, minha filha nunca poderá conhece – lo.

    Reply
  • Nancy Trama 11/09/2011 at 17:38

    Lecionei no Ateneu de 1978 a 1985, tenho boas recordações, infelizmente minha tia Ernestina já havia partido, uma mulher de fibra que inaugurou o Ateneu, a escola mais solicitada na época. Pena terem demolido.

    Reply
    • Durval Mosca 07/11/2011 at 10:07

      Cara Nancy,
      Entrei no Ateneu em 1945 tendo como professoras a Da. Inês e Da. Ernestina. Na época morava na Rua Bela Vista hoje Rua Sete Lagoas que termina em frente ao Colégio. Conheci o Prof. Trama e o Prof. Gladys que sempre foram amigos. Por muitas e muitas vezes toquei chorinho para o Prof.Trama e acompanhei o Prof.Gladys ao piano com ele cantando “Only You” grande sucesso na época. Meu pai, foi maestro da Fanfarra do Ateneu por vários anos. Gostaria, se possível, você me desse dicas de como encontrar nomes e endereços dos formandos de 1961, em Contabilidade.
      Abraço,
      Durval Mosca

      Reply
      • Adelino da Silva Filho 30/01/2012 at 00:10

        Eu tive a honra de estudar no Ateneu … Fiz o ginásio e meus professores de portugues e ingles eram o Prof. Trama e Prof. Gladys, respectivamente. Fui agraciado com um livro pela melhor nota em inglês … Também tive a honra que participar da banda musical sob a batuta do Grande Maestro Mosca (eu fiz aula teórica com ele, também). Lembro que chegamos a gravar um disco (Compacto Simples) e éramos os melhores !!! São coisas que não poderão demolir de nossa memória !!! Gostaria de encontrar o pessoal da minha época (Anos 70)

        Reply
        • albertinayaalbert inaya 23/03/2015 at 08:26

          bom dia.meus pais estudaram neste colégio e se conheceram e casaram.procuramos muito foto do Prof Gladuys. se tiver envie por gentileza para albertinaya@me.com.com. abraços

          Reply
      • Maria Angelica Carleti, na época: Maria Angelica Lunghin 27/02/2015 at 16:48

        Durval Mosca, fui aluna de seu pai em 1967. Ele lecionava música. Também foi amigo de meu pai em seu tempo de mocidade.

        Reply
    • Edney Donizeth 30/07/2012 at 11:10

      Cara Nancy. Você foi minha professora em 1983. Se não me engano, você substituiu a professora Marly que entrou de licença. Meus irmão também estudaram lá. Tenho fotos no facebook, depois dê uma olhadinha. É um grande prazer saber que você está bem!! Abraços!

      Reply
    • Renato Lecinio 16/09/2012 at 12:01

      Olá Nancy, me formei no curso técnico em contabilidade no ano de 1978 (período noturno) e tive aulas de inglês com o Prof. Glady Felix Del Buono Trama (esse é o nome completo, se não me falha a memória). Imagino que você seja parente dele. Tenho muita saudade daquele tempo. Infelizmente as transfomações são inevitáveis e acaba-se perdendo muito da memória do nosso passado. Bons tempos aqueles…

      Reply
    • Marilda Dalevedove 21/10/2012 at 22:45

      Acho que voce conheceu minha mãe, ela lecionou nesse colégio, seu nome era Ilda Therezinha Dalevedove.

      Abs….Marilda Dalevedove

      Reply
  • Nancy Trama 12/09/2011 at 20:08

    Desculpem, errei os anos…foi de 1972 a 1980

    Reply
    • Marilda Dalevedove 18/03/2013 at 17:35

      Acho q a senhora conheceu minha mãe, ela lecionou lá, seu nome era Ilda Therezinha Dalevedove e minha tia tb,Maria Aparecida Nogueira, abs…

      Reply
    • Gumercindo Bezerra 18/09/2015 at 21:05

      Oi prof Nancy , e’ com emoçao q envio estas poucas palavras, conclui o ginasio nc nosso saudoso Ateneu, ano d 1974 . bjo prof qrda…

      Reply
  • Nancy Trama 12/09/2011 at 20:13

    Douglas, se não me engano, vc foi meu aluno na segunda série.

    Reply
    • Douglas Nascimento 12/09/2011 at 22:13

      Oi Nancy!

      Não estudei no Ateneu. Minha segunda série foi em 1982 no Colégio São José de Vila Matilde!

      Reply
    • oleatar FERREIRA 15/06/2012 at 20:24

      ESTUDEI NO ATENEU. NESTA EPOCA PROVAVELMENTE FOSTE MINHA PROFESSORA, DSAUDADE DAQUELA EPOCA.

      Reply
  • Danilo B. Latorre 14/09/2011 at 01:48

    Meu coraçao está partido, destruiram meu passado de aprendizado, só restam lembranças que não vou permitir se apaguem da minha memória, saudades do meu Ateneu querido.

    Reply
  • JOSÉ ANTONIO (TURMA DE 1977 A 1979) 22/09/2011 at 10:47

    FOI DOLOROSO VER O PRÉDIO IMPONENTE DO COLÉGIO VIR ABAIXO E COM ELE AS RECORDAÇÕES DE UM PERÍODO EM QUE O ENSINO ERA PRIMORDIAL E QUE GARANTIA UM FUTURO DIGNO AS PESSOAS. FIQUEI TRISTE POIS SERÁ DIFICIL ENCONTRAR UM PADRÃO DE ENSINO SEMELHANTE E UMA ESTRUTURA HISTÓRICA QUE SIRVA DE REFERÊNCIA AS GERAÇÕES FUTURAS. O BRASIL DESSA FORMA CAMINHA PARA UM FUTURO SEM MEMÓRIA EM QUE PADRÕES ESTRANGEIROS VOLTAM APÓS SÉCULOS A DOMINAR A NOSSA CULTURA.
    ABRAÇOS AO VELHO PROFESSOR GLADYS.

    Reply
    • Flavio Benvenuti 03/04/2012 at 00:33

      Olá José Antonio… Também estudei no saudoso Ateneu, na turma de 77 a 79. Lembro do professor Alberto (matemática), do aluno Betão, que tinha um fusca taxi e muito incrementado para a época, do André que namorava a filha de um famoso contador, que ficava na Pe. João com a Amador B. Veiga…. e de tantas outras histórias. Estudei na classe deste André, do Wilsão (do taxi), da Lucilia Ramos, da Zezé… da Ana, que chamávamos carinhosamente de “voz”, por causa da voz rouca que tinha… quantas saudades. Há dois anos, achei o avental azul, que usei no último ano, cheio de assinturas e mensagens….
      Comentei tudo isso para matar saudades e, quem sabe, alguém daquele tempo, se lembre de alguém, aqui citado e entre em contato.
      Abraços…
      flavio.benvenuti@lutepel.com.br

      Reply
      • ELiane Cachuf 16/03/2013 at 00:36

        oie Flavio em 78 cursei o 2 ano de contabilidade no Ateneu, Este Andre que vc se reporta rsss é pai do meu Genro que é neto deste Famoso Contador que vc falou!!!! Dr Manoel Guerreiro!

        Reply
      • Aparecida Hojas da Rocha 18/11/2015 at 19:49

        Olá, lembro-me de voce Flavio, do Celso(junior) da Lucília da Aparecida Romão, do André, Lenira, do professor Fausto(de portugues, e de que voces mandavam a Lenira distraí-lo para que não desse aulas) do Alberto de Matemática , saudades, gostaria de marcar um jantar com todos, abraço grande

        Reply
        • Flavio Benvenuti 19/11/2015 at 09:41

          Olá Aparecida. Finalmente encontrei alguém da minha turma. Naquele tempo não havia internet, face, etc então, perdemos o contato. Lembro bem da Lucilia e da Zezé, que estávamos sempre juntos, foi uma época muito boa.
          Vc tem contato com alguém da nossa turma? Podemos tentar encontra-los. Seria muito bom.
          Caso prefira, segue meu e-mail: flavio.benvenuti@lutepel.com.br
          Infelizmente, pelo nome não lembro-me de vc pelo nome. Estudamos na mesma sala?
          Dê noticias e entre em contato ok?
          Abraços,
          Flávio.

          Reply
        • Flavio 19/11/2015 at 10:14

          ahhhh…. Lembrei-me de vc. Dávamos muitas risadas juntos. Bom ter notícias suas.
          Abs

          Reply
    • Aparecida Hojas da Rocha 18/11/2015 at 19:41

      Olá José Antonio estudei neste curso, meu nome Aparecida Hojas da Rocha, eu era muito amiga do Celso de Souza Junior, da cidinha (aparecida Romão), da Lucilia . O único que ainda mantenho contato é o Celso que mora proximo a minha casa em Vila Matilde, Gostaria de reunir o pessoal o que acha abraço grande

      Reply
  • Elaine A Alexandre 27/09/2011 at 23:45

    Hoje só ficaram as lembranças de um passado, que felizmente fiz parte. Pois estudei de 1986 a 1996 e pude ver as transformações dolorosas que o Colégio passou com a saida do Professor Gladys. Pois não consigo esquecer de sua despedida, pois todos choravam principalmente ele. Bjos Professor, pois esta sendo doloroso para mim, imagino para o senhor. SAUDADES.

    Reply
  • Durval Mosca 28/10/2011 at 17:15

    Me formei na turma de 1962 (Técnico em Contabilidade).
    Gostaria de renovar contatos com o pessoal de minha época. Escrevam, por favor

    Reply
  • Durval Mosca 07/11/2011 at 10:00

    Corrigindo, Me formei em 1961. E no final do ano estaremos completando 50 anos de formatura. Gostaria de reencontrar e/ou manter contato com ex-colegas de classe.
    Durval Mosca
    durvalmosca@gmail.com

    Reply
    • Waldete Pigatti de Moraes 16/11/2011 at 12:45

      Estudei 11 anos nessa Instituição. Fiz o Curso Científico e me formei em 1959. Essa foi uma época maravilhosa da minha vida. Fiquei muito triste ao saber que meu amado A.R.B. não existe mais. Durval Mosca, acho que nos conhecemos.

      Reply
  • Ednei Donizete 12/11/2011 at 22:16

    Estudei no Ateneu até 1984. Fiquei comovido ao saber que demoliram meu tão amado colégio. Estudei com meus 2 irmãos Welber e Indiamara. Se mais alguém estudou nessa época entre em contato.

    Reply
  • isabel Cristina Bejar 09/12/2011 at 11:32

    estudei no ateneu de 1970 à 1972, gostaria de noticias da turma do cientifico dessa época, tinhamos aulas com o prof.Wilson Basilio, Manoel(matemática) e outros

    Reply
    • Gediael Felipe 31/05/2012 at 14:51

      Olá Isabel Cristina, fui seu colega de turma no ateneu.

      Saudades e um abraço por ouvir falar de você.

      Reply
    • Carlos 28/10/2013 at 15:31

      Oi Isabel, estudei na mesma época no noturno cursando o científico, talvez eu a conheça.
      Vai ai o pessoal da boa época. Prof. Mané(Matemática), Prof. Gladys(Inglês), Prof. Leone(Filosofia)Prof. Wilson que cedo partiu(Biologia), Prof.Tania(Português),Prof. José Fernandes(Também Português), Prof. Dinorah(Desenho Geométrico),Prof. Lourenço(Física) e uma Professoras Moreninha que era uma gracinha que nos ensinava Geografia( não me recordo o nome).
      A turma de classe-Ricardo, Marcia, Edison Fava(Bororó), Selma, Artur(Maringá), Pedrão, Zé da Vila Ré.
      Resumindo, éramos felizes e sabiamos.
      O Ateneu não foi demolido porque ele sempre existirá dentro de nós.

      Reply
  • AIRTON FLÁVIO SAYAGO 24/01/2012 at 18:37

    Quase não tenho palavras para comentar. É realmente muito triste. meu pai Rodrigo Sayago se formou no Ateneu na década de 40. Eu me formei em Técnico de Contabilidade em 1964.Alguns professores que foram do meu pai, foram meus também como GLADYS, LEONE, TRAMA etc. Toda minha família estudou no Ateneu.Realmente aquele Francês tinha razão quando afirmou que este país não é sério. E eu não tenho dúvidas que não vai mudar, pois todo povo tem o governo que merece.

    Reply
  • marcos 23/02/2012 at 05:35

    STHEFANY E KAYKY BRITO ESTUDAVAM AI !!
    FUI DA SALA DO KAYKY, ISTO DEVERIA SER UM PATRIMONIO HISTORICO, MUITO TRISTE TUDO ISTO TER ACONTECIDO, MAS FELIZ DE EU TER VIVIDO ESTAS ULTIMAS MEMORIAS!!

    Reply
  • Vera 24/02/2012 at 11:04

    Estudei la 1973 a1974. Saudades imensas do Prof. e Diretor Gladys, Prof Leoni. O Ateneu tinha um teatro lindo!!! Fiquei muito triste quando soube que o Ateneu havia encerrado as atividades, e agora estarrecida por saber que uma construção tão linda e com tanta historia não foi preservada. Ah! Estudei no Liceu Santo Afonso também, que aliás era um prédio muito bonito, e foi demolido.Quando morava em São Paulo a Penha era um bairro gostoso de andar, fazer compras, estudar, mas fiquei muito triste ao voltar lá depois de muitos anos fora de São Paulo, constatar que a Penha que eu conheci não existia mais, ficará pra sempre somente na minha memoria e daqueles que trabalharam e estudaram la.

    Reply
    • Tarcisio Leal Moraes da Silva 22/03/2012 at 08:45

      Tem razão amiga, é muito triste ver a Penha de hoje em dia, nasci e fui criado lá, meus pais moram lá, saudade do Cine S.Geraldo, Penharama e Júpiter, infelizmente acabaram com tudo é muito triste não terem preservado o tradicional bairro que é a Penha, por isso que Paraty-RJ todos gostam desse município pq lá é tudo preservado.

      Reply
      • Vera 22/03/2012 at 11:38

        Nossa!!!! É mesmo o cine São Geraldo, me lembro que quando estudava no Liceu Santo Afonso e na ultima aula a gente de vez em quando dava uma cabulada para assistir filmes, eram dois. Que época maravilhosa sem os medos que nos atormentam hoje.

        Reply
        • AS Adriano Souza 01/10/2012 at 15:36

          Nossa que nostalgia. Lembro do São Geraldo onde assisti o Goonies e Star Wars O Império contra ataca.
          Nossa cidade está ficando cada vez mais sem graça.

          Reply
    • Marilda Dalevedove 21/10/2012 at 22:55

      Será que estudei com voce??minha mãe,era a D.Ilda Therezinha Dalevedove.

      Abs….Marilda Dalevedove

      Reply
      • Vera 24/10/2012 at 22:39

        Podemos puxar pela memoria. Lembra do nome de alguém? Os que lembro: Natália, Monica, Irma,Margarida, Iraci, Ester, Paulo Roberto, Ivan, Paulo Vassam , Vacile,Valeria, Ângela. No momento são os que me vem a mente.A D. Ilda era professora? O nome não me é estranho. Mantenha contato, é tão bom encontrar pessoas que fizeram parte da nossa vida.

        Reply
        • LUIZ CARLOS DO PRADO 25/07/2014 at 23:11

          ola Vera, pode ser que nos consemos pois eu tambem estudei no ateneu em 1974 fiz a oitava serie, e os dois anos anteriores(1972-1973) estudei no Liceu Santo Afonso. muitas saudades.

          Reply
          • Vera 05/03/2016 at 03:44

            Oi Luiz Carlos. Desculpe- me por demorar a responder, sua mensagem não apareceu ou passei batida , somente agora vi porque me bateu uma baita saudade e fui ler as msg. Você se lembra da Irmã Fioravante? Do Castejon? Do Dudu irmão do Luiz ? Nós estávamos sempre juntos. Você se lembra de mais alguém daquela época? Mantenha contado. Abs

        • Adriana Camargo Ferrasi 06/08/2015 at 14:21

          Bom dia Vera. Estava pesquisando o sobrenome Dalevedoe na internet e encontrei você. Meu nome é Adriana e sou filha de Hilda Paschoal Dalevedoe. Esse sobrenome vem de meu avô Angelo Dalevedoe filho de imigrantes italianos (Treviso-Itália). Busco a muitos anos alguma evidência da vinda dos meus bisavós para o Brasil mas até agora nada…
          Até hoje seque havia encontrado outra pessoa com esse sobrenome (Dalevedoe).
          Você tem informações de seus ascendentes ? Também vieram da Itália ?
          Um abraço,

          Adriana

          Reply
          • Vera 08/08/2015 at 10:23

            Oi Adriana. Bom dia! Nossa! Lembro-me de todos. Estudávamos na mesma classe. Eita tempo bom! Procurei mas nunca localizei ninguém.Na verdade encontrei dois (Marino e Dalton) que estudaram no Liceu Santo Afonso mas não me lembro se eles foram para o Ateneu quando houve aquela transferência. Te recorda? Olha quanto meu sobrenome não é Dalevedoe. Meu sobrenome é Motta . Mas é muito bom encontrar alguém daquele tempo . Vamos recordar mais. Bjussss

    • Marilda Dalevedove 18/03/2013 at 17:40

      Vera, seráq estudei c vc??kk
      meu nome é Marilda Dalevedove , minha mãe dava aula lá tb, era aD.Ilda Therezinha Dalevedoe abs….

      Reply
  • Mazza 27/03/2012 at 09:01

    Saudades do velho Ateneu,onde, meu finado pai trabalhou por cerca de 20 anos (1974 a 1994), sendo uma espécie de motorista e office-boy do Sr. Gladys, que foi o proprietário durante aquela época. Quem trabalhou no Ateneu nessa época, provavelmente lembra do “Seu Mário”. Um senhor alto, barrigudo que usava chapéu e, na maioria das vezes que não estava ocupado, ficava no portão do Ateneu. Saudades, pai!! Eu te amo!!!

    Reply
    • Edney Donizeth 30/07/2012 at 11:17

      Maza!! Lamento muito pelo seu pai!! Me lembro muito bem dele. As vezes ele nos levava em casa quando a kombi do Seu Aceu estava cheia demais. Na época ele dirigia uma caravam que o Gladys tinha. Em uma dessas vezes seu pai me deu uma caneta relógio (que não escrevia mais) mais fiquei numa felicidade só de ver o reloginho funcionando na ponta da caneta. Os demais alunos falavam que o Seu Mário era Italiano. Grande abraço!!

      Reply
    • AS Adriano Souza 01/10/2012 at 15:33

      Putz eu lembro do seu Mário.
      Fiquei sabendo do seu falecimento e muitas vezes quis dar um olé nele para poder cabular aula.
      Era um bom homem!
      Meus sentimentos.

      Reply
    • Marcelo Rodrigues dos Santos 24/07/2013 at 12:27

      Acho que ele foi um tempo o motorista da perua. Se é o mesmo, infelizmente ele atropelou uma criança, mas ele não teve culpa e a criança ficou bem. abraços

      Reply
  • Elisangela Macedo 27/03/2012 at 22:44

    Fiquei muito triste e decepcionada quando depois de 21 anos que estudei precisei pesquisar sobre o colégio, pois preciso de um documento e vi que ele não existe mais.
    Saudades das aulas de inglês com o Profº Gladys, eu era aluna nota 10 e ele ficava todo orgulhoso.

    Reply
  • Audie Dipardo 01/04/2012 at 02:15

    É triste saber que parte de minha história foi apagada.
    Conhecimento e amizades foram conquistados lá, lembranças que jamais serão apagados de minha memória.
    Tenho saudades do Prof. Gladys e outros brilhantes professores. Parte do que somos hoje, é devido a nossa formação escolar.
    Hoje, faltam homens como o Prof. Gladys, com aquela toda aquela firmeza, muitas vezes criticado, mas ele estava correto.
    Saudade destes bons tempos.

    Reply
  • Bruno Eboli Bello 09/04/2012 at 20:53

    Entrei no Ateneu em 1945, recepcionado pela Tia Ernestina e conviví por muitos anos com os Professores
    Trama, Gladys, Leone, Silvio, Waldemar, Freitas e os colegas Antonio Pinto, Sergio, Maria Aparecida, Amalia,
    Neide, Cidinha. Dalila e suas duas irmãs, Dorival, Jaime, Rocha Pitta,Saraceni …..( Fui até onde minha memõria captou repentinamente – Peço ajuda aos meus amigos para completar a relação )
    É com alegria que registro minhas saudades do período
    que representou os nossos anos dourados.

    Reply
    • Rafael 17/03/2014 at 23:22

      Essa Maria Aparecida. por acaso seria “Maria Aparecida Nogueira”?
      Se for, era minha avó… a irmã dela também lecionou, chama-se Ilda Therezinha Dalevedove.

      Reply
  • Levy Junior 30/04/2012 at 21:40

    Realmente lamentável… Estudei de 1989 a 1993 ( ginásio ); inesquecível. O Prof. Glayds era um verdadeiro mestre! Não esqueço das suas aulas de Inglês. Sem falar que quando ele entrava na sala, todos tinham que ficar em pé!! Os “ditados” em língua inglesa eram perfeitos!! não esqueço até hoje!! Ele não deixava usar a blusa amarrada na cintura!! rs!!
    Fui apaixonado por uma menina chamada Kelly lorena!! nossa! foram 4 anos de amor não correspondido! kkk! Sem falar na Prof. Fabiana de Matemática… poxa! que saudade! São épocas maravilhosas que ficarão eternamente guardadas na nossa memória e no nosso coração! Faleu Ateneu…!

    Reply
  • Anne Sanches 07/07/2012 at 02:31

    Estudar neste Colégio ( de 86 à 88 ) foi uma honra para minha educação e para minha vida, maravilhosos tempos, maravilhosas amizades, maravilhosos professores, inesquecíveis dias!!!!!!!!!!!

    Tenho saudades deste tempo, do que vivemos, do que descobrimos, do que aprontamos e aproveitamos, e gostaria muito de reencontrar cada um dos colegas que
    fizeram parte desta história, do saudoso Ateneu.

    Grande beijo à todos.
    Anne Sanches.

    Reply
  • Roberto Tonsmann 27/09/2012 at 13:29

    Estudei no Ateneu de 1963 a 1967, fiz o antigo ginásio lá, e comecei o Curso Científico, indo depois para o Colégio Estadual Prof. Gabriel Ortiz. Muitas coisas deste bom tempo permanecem na memória, como as aulas com o Prof. Gladys, Prof. Trama, a professora Dinorah de Desenho. Na minha sala havia, imaginem, 2 judeus, o Helvio e o Alberto, um turco, o Assaf, filho do dono dos Doces Daud, e um japonês + velho, Iberê, ,muito bom desenhista, metido a nazi, meio uma caricatura do Adol H, um outro turco,o Michel, filho do dono do posto de gasolina na Padre João, precocemente piloto de um Simca Chambord Emi-Sul dourado, que maravilhosa ebulição política. Me lembro também de outras figuras, mas de cujo nome eu não lembro, ou outro descendente de alemão, um colega paraplégico de vinha todo o dia de Gordini de São Miguel Paulista. Havia um outro colega que tinha um Renault rabo-quente amarelo, e que disputava com o Michel o troféu do maior poluidor sonoro da descida da Padre João. Lembro do Prof. Gladys carregando 2 japoneses gemeos pela orelha no corredor, um de cada lado, do Mário da Secretaria, do quadro do Prof Gladys como oficial reserva do CPOR, da banda do Prof. Mosca, da disputa com o São Vicente, o Santo Afonso e o Estadual da Penha, do sorvete palito “holandês” da sorveteria do outro lado do posto Shell, da paineira derrubada na quadra, do cachorro quente com molho de tomate/cebola + a Grapette da lanchonete, das broncas que levei do prof. Gladys por causa d atraso, das reguadas da Profa. Dinorah, da chaminé da FOZ que caiu, do largo dos ônibus, do Cine Penharama, enfim, boas memórias de tempos maravilhosos. Esta notícia da derrubada do prédio do Ateneu é uma surpresa para mim, é realmente uma pena, a edificação era muito bonita, a famíia Trama zelava pela limpeza e organização, enfim, é um padrão atualmente difícil de encontrar. Com tudo isto vem as saudades e a boa notícia de que o Prof. Gladys está vivo, aparentemente na ativa como escritor. Só li um dos seus livros, o Paralelo 175E, cujo espírito me inspirou nas muitas viagens que já fiz. Grande abraço a todos, quase ninguém a não ser os professores são meus conhecidos, veremos se aparece alguém…

    Reply
    • AS Adriano Souza 01/10/2012 at 15:30

      Puxa que legal. Eu também tive aula com o Gladys e Dinorah. Parece que ele comprou o colégio, mas logo após a sua morte o colégio foi de mal a pior.

      Reply
    • Helena Jakstas 08/04/2013 at 20:06

      Caro Roberto lendo a sua mensagem pareceu que um filme se formou em minha mente.Foram anos felizes que passei no Ateneu,você não pode esquecer do cachorro quente que a Dorinha fazia…velhos tempos.

      Reply
      • Roberto Tonsmann 09/04/2013 at 12:00

        Cara Helena:
        Você tem razão, não dá para esquecer não só do cachorro quente com molho de tomate e cebola como da grapette uva que eu consumia junto.
        Tento reproduzir este cachorro quente em casa, mas não é a mesma coisa.
        Infelizmente não lembro de você, considerando que possivelmente estudávamos em periodos diferentes, e que no Ateneu era meio “clube do bolinha” e “clube da luluzinha” isolados, a comunicação era um pouco difícil…
        Grande abraço, grato pela lembrança,
        Roberto.

        Reply
  • AS Adriano Souza 01/10/2012 at 15:26

    Estudei no colégio Ateneu de 93 a 95 e passados os anos fui morar na Zona sul e quando fui mostrar para meu filho o colégio que eu estudei, me deparei com um plantão de vendas. Fiquei indignado! História, memória dada disso tem valor para esse prefeito déspota e esses assessores que muitas vezes sequer nasceram aqui em SP e por isso não nutrem qualquer amor, cuidado e respeito por essa cidade.
    Vergonha e revolta esses são os sentimentos que me vem a mente.

    Reply
  • magda oliveira 02/10/2012 at 18:45

    poxa lá se vão 25 anos que estudei e formei no colégio ,e preciso do meu histórico alguém sabe como conseguir??
    saudades da ninha turma

    Reply
    • ELiane Cachuf 16/03/2013 at 01:29

      todo arquivo da escola que é extinta fica na Diretoria De Ensino a qual a escola era jurisdicionada no caso do Ateneu é a DER Leste 1, que fica na Rua Caetano de Campos nº 220 – Tatuapé (próximo ao Lgo São José do Maranhão) só ir lá e procurar o núcleo de vida Escolar.

      Reply
  • Aline Saraiva Costa 03/10/2012 at 19:36

    Estudei no Ateneu nos anos de 1986 à 1990, da 5.º à 8.º serie, o antigo ginasio, e morava em uma casa grande ao lado do colégio.
    Bons tempos aqueles… Recentemente conseguimos reencontrar quase que a turma toda com ajuda do face!
    Estamos nos encontrando, mesalmente até que em no fim do ano faremos uma grande festa!

    Reply
  • Josephine Sanchez (Fifi) 10/11/2012 at 10:10

    Que saudades! Comecei a minha carreira como professora de Português no Ateneu.

    Reply
  • Alessandra 13/11/2012 at 19:37

    Estudei no Ateneu lembro muito bem do meu professor de inglês e tbém diretor do colégio Sr Glady, todos
    os alunos tinham que ficar em pé toda vez quando ele entrava na sala de aula, sempre com a cara fechada nunca dava um sorriso, e coitado daquele aluno que não
    pronunciava o inglês correto era chamado de AMEBA, MONGOLOIDE, ele gritava dentro da sala de aula e todos
    ficavam c/ MEDO dele, essa é a palavra, e os alunos que sofriam preconceitos, apelidos, apanhavam de outros alunos, e o colégio nada fazia totalmente indiferente, só queria no final do mês receber a mensalidade $$$$$ rsrsrsrsrs
    Ateneu um metodo totalmente ultrapassado não evoluiu ficou parado no túnel do tempo um Colégio arcaico,
    inclusive fui visitar o novo empreendimento está deslumbrante……

    Reply
    • Helena Jakstas 08/04/2013 at 20:16

      Fui muito feliz no Ateneu, passei toda a minha adolescência estudando neste método que você acha ultrapassado, mas que para mim foi fundamental.Me tornei uma pessoa bem sucedida e realizada.

      Reply
    • Roberto Tonsmann 09/04/2013 at 13:10

      Alessandra:
      Lamento, não queria provocar polêmica porque pontos de vista são pontos de vista, mas o que havia naquela escola naqueles tempos falta muito nas escolas de hoje.
      O Prof. Gladys, apesar de carrancudo, era exigente o suficiente para que realmente aprendessemos o que ele ensinava, eu viajo com frequência pelo mundo, consigo me comunicar muito bem nas várias linguas inglesas que existem por aí, e não preciso muito mais do que aprendi nas aulas dele, a não ser a prática. E isto eu poderia também dizer de outras matérias, a Profa. Dinorah dava com a régua na cabeça dos desatentos, mas a base de desenho que tive com ela foi muito boa, os outros professores não tinham as mesmas práticas, mas todos eram de bom nivel, com boa didática, etc, etc, etc… Apesar de na Penha o Ateneu não ser considerada a melhor escola naquela época, eu sempre me orgulhei de ter estudado lá.
      Com relação à edificação da escola, é uma pena que ela tenha sido derrubada, era um marco na região. O novo empreendimento pode ser mais bonito, mas não carrega parte de nossa vida, e isto para alguns tem muito valor… Abraços, Roberto Tonsmann

      Reply
      • carlos 28/10/2013 at 17:46

        Roberto… Cara! eu também Tive aula com a Dinorah (desenho geométrico)

        Reply
    • Aparecida Hojas da Rocha 18/11/2015 at 20:28

      Lamento que tenha ficado com essa impressão. O professor Glady apesar de carrancudo, sempre tratou bem os alunos e sanava nossas necessidades na medida do possível. Vi muitos alunos conversando com ele, quando não podiam pagar a mensalidade e ele esperava. Eu também precisei de um documento e mesmo depois da escola fechada ele prontamente me forneceu(quando fui procurá-lo fiquei imensamente feliz, pois haviam me informado que ele havia morrido, tive então uma surpresa e lhe dei um grande abraço) Hoje ele está muito doente e eu gostaria de dar novamente este abraço. Um grande homem, devo muito a ele.
      Quanto ao prédio, quando me resolvi a estudar, escolhi uma escola bonita, tradicional. Fiquei encantada com aquele prédio, e quando lá comecei a estudar, contavam antigas histórias sobre o prédio, era ainda melhor, falavam daquela torre, acabei saindo da escola sem conhece-la.
      Eu contava tantas histórias a meu filho que ele foi estudar lá também. Tem razão o empreendimento é lindo, porém, eu gostaria que aquele prédio continuasse, que fosse reformado. E o professor não cobrava muitos nas mensalidades, era humano e amava os alunos, sempre participando das festas (casamentos etc) quando o chamavam. Está muito doente e eu hoje enviei esta mensagem que foi por ele respondida ” Olá professor sou Aparecida Hojas turma de contabilidade ano 79 hj sou advogada com sua ajuda. Tenho pelo senhor carinho imenso e muita saudades. Que Deus o abençoe e o envolva em muita luz, hoje e sempre, Abraço enorme”, Ele então respondeu com aquela voz, ainda forte, que tem se recuperado, pelo carinho que tem recebido, incluindo-me.
      Abç Alessandra

      Reply
      • Alessandra Felix 01/08/2016 at 14:35

        Aparecida, ficará feliz em saber que ele está bem, inclusive no último dia 23/07 lançou MAIS um livro! Vc pode encontrar a reportagem na gazeta penhense….

        Reply
    • Alessandra Felix 01/08/2016 at 14:31

      Muito triste seu pensamento, ele não era este monstro, nunca foi! Era apenas um homem rigido e de regras, que ajudou a educar e criar adultos de valores, fui aluna dele da 1ª série até o ensino médio e tenho muito orgulho de tê-lo tido como mestre. Hoje um homem de 90 anos ativo, um escritor que ainda leciona por prazer. Homem como poucos e minha turma toda está se reunindo para vê-lo. Quanto a mensalidade que ele visava, acredito que seja o intuito de todo estabelecimento que presta serviços, não? Mas mesmo assim contesto o que disse, pois quando estava na 4ª série sofri um acidente que causou aos meus pais muitas despesas e o Gladys foi fundamental nesta época, pois ajudou meu pai com os custos da escola e não interrompi meus estudos. Mas enfim, que bom que você gostou que demoliram uma escola de tradição para construir um prédio comercial que sequer está com suas salas todas ocupadas!

      Reply
      • Roberto Tonsmann 02/08/2016 at 18:34

        Alessandra, concordo com você em gênero, número e grau. O Prof. Gladys foi um dos exemplos que marcaram a minha vida. Faço alguns relatos acima par atestar isto. Ele era rígido e exigente e ajudou a incutir em nós, adultos, estes valores. Caso vocês, no encontro que terão com ele, consigam o seu contato e puderem me informar, ficaria imensamente grato.

        Reply
  • Mara Regina Belchior 30/11/2012 at 12:24

    Estudei Técnico de Química Industrial em 1976 e 1977,saudades dos colegas e professores. Mara

    Reply
    • LUIZ CARLOS DO PRADO 25/07/2014 at 23:20

      Oi Mara eu tam bem fiz o curso de técnico quimico de 1975a 1978, fiz o quarto ano de especialização com o professor vanderley lembra.

      Reply
  • Ricardo de Jesus_turma de 95 a 98 03/04/2013 at 10:09

    Eu estudei nessa escola tecnica, fiz tecnico contabil, bons tempos, e infelizmente, o dinheiro falou mais alto e os grandes predios tomaram mais um espaço da historia.

    Reply
  • Americo Sapata Gameiro 10/04/2013 at 21:20

    estudei no Ateneu,anos 60 que saudade, Professor Barros,Leone,Professora Dinorah,Ivete e outros que n’ao lembro o nome (tou velho), do dantop da cantina,do Locozelli (afilhado do Gladys)do Professor Trama……… que saudade

    Reply
  • Roberto Tonsmann 11/04/2013 at 19:39

    Americo:
    Eu havia esquecido, além do cachorro quente com molho e tomate e a grapette de uva da cantina, que fazem parte da minha memória “gustativa”, tinha também o Dantop, que é parte de uma outra memória… É que o Dantop era uma arma de guerra na hora do intervalo, alguns desatentos eram apanhados pelos menos desatentos, como o Elvio, e tinham o Dantop literalmente “estourado” e passado no rosto. Ficou muito bem no Alberto Copat, os óculos com uma camada de creme branco ficaram legais…
    Grade abraço,

    Reply
  • Lívia Sousa da Costa 08/06/2013 at 09:10

    Estudei no Ateneu, na penultina decada de sua existencia, onde tinhamos o Senhor Gladys como diretor, nunca mais estudei em nenhuma outra escola onde podiamos ver os alunos demostrando tamanho respeito por tal figura. Lembro que os alunos nunca amarrava a blusa na cintura se houvesse a possibilidade de cruzar com ele e sempre tinha, por que ele sempre estava por perto e ficava muito bravo com isso. Apesar de não ter tido contato proximo com ele, lhe devotava um respeito de filha. Fazia muito tempo que não procurava noticias do meu querido colegio, fiquei muito triste em saber que ele não esta mais lá. Pena!

    Reply
  • Demilcio Emilio 03/07/2013 at 09:15

    Também tive á honra de estudar neste maravilhoso colégio, estudei na década de 80 entre os anos de 1985 á 1990, lembro bem das aulas de Inglês do Sr. Gladys, onde além de ser um ótimo professor também em suas aulas nos informava sobre as suas experiências de vida ao redor do mundo.
    Como éramos jovens adolescentes o mesmo já se preocupava com o mundo real que estaríamos para enfrentar, também tenho saudades dos colegas de classe daquela época e das grandes partidas de futebol que realizávamos na quadra deste colégio, há alguns anos atrás encontrei por acaso o Prof. Márcio de Educação Física daquela época no litoral Norte, fiquei muito contente pois ele ainda se lembrava muito bem de mim e da nossa turma do Colégio Ateneu, como eu estava com á minha esposa e ele com a dele, almoçamos todos juntos naquele mesmo dia em um restaurante no litoral e relembramos as boas histórias deste colégio, espero que estejam todos bem.

    Reply
  • Giuseppe Masi 16/08/2013 at 16:18

    Estudei no Ateneu de 1981 a 1983. Que pena a destruição do prédio.

    Reply
  • Marlene Fujii 28/09/2013 at 10:41

    Eu estudei, 1971 , parei me casei tive meu filho e retornei em 1977, nasceu meu outro filho mais uma parada, retornei,fui fazer processamento de dados desisti.Fiz o magistério, fui para a UNG, fazer Psicologia.Depois direito na Unip.Meu Filho Mário Rodrigues dos Santos também estudou no ARB. SAUDADES.

    Reply
  • Ricardo Batista da Silva (MAGRINHO) 06/10/2013 at 07:51

    AMIGOS…
    Estudei no Ateneu de 1980 à 1991,
    com certeza foram os melhores dias
    da minha VIDA! Muitas saudades e
    lembro como se fosse hoje de minha
    primeira professora Tia Marli…
    Já mais tarde com os Profs. sr. Glady,
    Regina, Aurea, o GRANDE Gabriel e
    outros mais que marcaram nossas Vidas…
    SAUDAES!!!

    Reply
    • Cesar Garcia 24/01/2014 at 18:36

      Ricardo, apenas por curiosidade… Eu estudei de 1979 a 1987, no entanto os nomes do professores batem com minha fraca memória. Lembra-se de algum dos seus colegas daquela época? Obrigado!

      Reply
    • MARCELO RAMOS MARTINS 19/09/2014 at 18:25

      estudei de 81 á 86 e parece que me lembro de você….

      Reply
  • Fábio 25/10/2013 at 00:36

    meu pai, meus familiares moraram no ateneu antes de ele ser um colégio, meu pai antes de falecer, hj faz 2 meses que isso aconteceu, chorou muito com o ocorrido, pois lá ele disse que fez muitas loucurass
    é uma pena .

    Reply
  • Luciana 31/10/2013 at 11:26

    Qualquer um poderia entender que um imóvel destas proporções não poderia passar por uma reforma e sim um restauro. Foi uma agressão à história desta cidade já tão carente de memórias! Outro imóvel que foi demolido para dar espaço a construção de alguns apartamentos na região foi um pequeno castelo. Uma construção do final do século XVIII situado no “Jardim Castelo” nas imediações do Cangaiba. Nasci e cresci nesta região que infelizmente é castigada pela especulação imobiliária sem medidas. A falta de planejamento está transformando uma região inteira em um lugar sem identidade, deformado!
    No Ateneu foi construída parte da minha formação, onde conclui o meu ciclo no ano de 1993 com o curso de Secretariado.
    Lamento que outros jovens não poderão percorrer aqueles corredores cheios de história!

    Reply
  • Marcelo Prates de Andrade 07/11/2013 at 13:10

    Estudei no Ateneu na minha infância (Pré 3 até a 4º Série), fiquei muito triste com esta notícia…. este é o preço do progresso, mais um sinal de “desordem e progresso” nas grandes capitais, por isso resolvi morar no interior onde as raízes ainda prevalecem e tem o seu valor. Lembro que cantávamos o hino nacional todos os dias e tinha campeonato de futebol, até com os palhaços “atchim e espirro” (Acho que era esse o nome deles rsrs) tiramos fotos que guardo até hoje… sds de toda a turma, professores e do Diretor Gladys.

    Reply
  • Regina Medeiros 02/12/2013 at 20:29

    Meu coração chorou ao ver a demolição do Ateneu. Fiz tec contab, acabei em 90. Passei momentos unicos, professores competentes. Muitas saudades e lembranças de pessoas
    que o tempo jamais apagará.

    Reply
  • LUIZ CARLOS DO PRADO 24/07/2014 at 19:20

    Nossa que nostaugia li todos os depoimentos anteriores e me veio a lembraça de todos os fatgos relatados aqui, vivi muito deles com os professores, gladys e quem não se lembra do professor Leoni um monstro como professor não desmerecendo nenhum dos outros estudei no ateneu de 1975 a 1979 fia a antiga oitava série depois fiz 3 anos de técnico quimico que no final comessava o 4 ano de quimica que era um ano de especializaçao somente aulas praticas no laboratorio do professor Vanderley que tambem, era uma turma pequena mas muito bacana pessoas que me deixaram grandes saudades, hoje morto em Fortaleza por isso não tive o desgosto de ver a demolição do atneu mas nem por isso sinto menos que todos voces.
    Saudades.
    beijop e abraços a todos que um dia passaram pelo ateneu.

    Reply
  • Reginaldo de Maio 24/08/2014 at 16:26

    Fiquei muito triste com a demolição do Ateneu, ao passar pela Padre joão e olhar para o meu velho colégio, as boas recordações me vinham a mente.
    Nancy, se não me falha a memória, você e mais duas sobrinhas do Dr. Gladys estudaram comigo, lembro-me dos rostos mas os nomes não, inclusive vocês tinham um sotaque carioca e usavam uma franjinha. Meus professores eram: Leone, a Dinorah de desenho os dois filhos dela estudaram na minha sala um deles o nome era Luiz, Sueli de Português, casou um dos Paganini e outros mais. Terminei meus estudos em 1972, e fui fazer Técnico em Análises Clinicas no São Judas da Mooca. Gostaria de reencontrar o restante da turma. Sei que o Alípio tem ou tinha um restaurante na Penha, o Gerson está no litoral norte.
    Abraços e beijos

    Reply
  • Fausto Di Giovanni P da Cista 05/10/2014 at 17:53

    Ola Nancy.Hoje lendo alguns comentarios sobre o Velho Ateneu, tenho muitas lembranças, estudei ginasio e Cientifico na época, depois de varios anos lecionei no Ateneu de 1975 a 1986,nas disciplinas Português, Direito e legislaçaõ, fui aluno do professor Leoni e lecionei com ele até o dia de seu falecimento.Minha filha estudou no ateneu foi colega de filha do Gladys, lamento o fim do Ateneu. Fausto Di Govanni P Costa

    Reply
    • Aparecida Hojas da Rocha 03/12/2015 at 02:28

      Olá acho que foi meu professor de português turma de 77 a 79 contabilidade eu era da mesma classe da Lenira, André (genro do contador Manuel Guerreiro) Flávio. Como vai ? Muitas saudades!! abraço grande!

      Reply
      • Flavio 03/12/2015 at 15:36

        Grande professor Fausto, sempre tratou muito bem todos seus alunos, com educação e simpatia.
        Abraços,
        Flávio Benvenuti

        Reply
  • Edmundo Rossi Cuppoloni 08/11/2014 at 13:33

    Estudei no Ateneu onde cursei o 2º semestre da 2ª série em 1949, a 3ª série em 1950 e a 4ª série ginasial em 1951. Fui aluno do Prof Benedito Antônio Trama, pai do Prof. Gladys. Foram também meus professores:
    Leoni (Latim), Barros (Francês), d.Irecê (Canto Orfeônico), Sílvio (Matemática), Bragatto (Geografia), Gladys (Inglês), Trama (História), Afonsinho (não me lembro a matéria) .
    Fiz o Colegial no Colégio Estadual N.Sra. da Penha e me formei Engº na Escola Politécnica da USP.
    No tempo em que fiz o colegial (científico), o Ateneu não ministrava ainda o Colegial. Seus cursos, após o ginasial, iam até Contabilidade.
    Foram meus colegas no Ateneu,, entre outros: Gilberto Scafuro, Carlos Berti, Laerte Plínio Martins, Wladimir, Nibe (que cursou a 4ª série e se casou em seguida), a Ruthe Lapenna,e outros tantos que, lá se vão já mais de 64 anos, não me recordo.
    Bons tempos da Penha.
    Tel. 011-3759-7205

    Reply
  • sonia godoy 01/02/2015 at 02:08

    Meu nome Sonia Godoy , fui professora da Pré Escola de75 a78, Que saudade!

    Reply
  • Elisangela Lima 14/02/2015 at 03:33

    Eu tbem fiquei muito triste, estudei no Ateneu de 1989 à 1992, onde conclui na epoca o ginásio, me lembro qdo o Liceu Sto Afonso fechou e os alunos foram transferidos pra la, cantina do tio Edson e tia Carmen mudou de lugar e onde havia algumas arvores plantadas proximo a quadra viraram salas de aula, lembro- me da tia Dirce, tia Wanda, nossas queridas inspetoras, tbem dos nossos mestres Profa Cristina( Geografia), Fabiana ( Matematica), Profa Sylvia ( Portugues) e do gde Mestre Prof.Gladys q tinhamos q nos levantar toda vez q ele aparecia na sala de aula, lembro me de algumas da secretaria Ligia, Simone, Paula, nossa bons tempos, hj moro em outro país e realmente foi chocante qdo estive em 2012 e o predio ja ñ existia, lamentavel, lembranças eternas meu Ateneu Ruy Barbosa!!!

    Reply
  • Antonio Carlos de Ayres Costa 15/05/2015 at 16:51

    Estudei na antiga Fazle, hoje UNICIP nos anos de 1978 a 1982, e tínhamos aulas no Ateneu> Naquele tempo lembro-me dos professores: Gleide Felix Del Buono, Rubens Del Buono, José Nogueira Elton Diefenthaler, Watanabe, Mauricio Gaiarsa Simões, Luiz Olinto Tortorello, e outros. Tempo muito bom. O Rubens Buono foi para nós como um pai.

    Reply
    • gumercindo bezerra de lima filho 18/09/2015 at 00:03

      Vrdad , o prof Gladys foi exemplo p mtos d nos. Estudei o ginasial entre 71 a 74 . guardo mtas lembranças do Ateneu , prof e amigos q la conheci , sera 1 grande prazer em receber Algue’m. Abç a todos.

      Reply
  • luiz rodrigues thomaz 16/10/2015 at 13:28

    tbm estudei no ateneu de 60 a 64 no periodo da manhã
    lembro dos professores Gladys , Trama , Leone , Dinorah , Barros , Agostinho , depois shirlei , Mario de geografia , Amauri de ed. fisica ,
    lembro do Veronese inspetor de alunos , seu João da cantina , tempos mto bons
    gostaria de fazer contatos com amigos dessa e
    época

    Reply
  • Mariana Queiroz 16/12/2015 at 00:26

    Já temos dois prédios enormes erquidos lá, um residencial e outro comercial, considerados de “alto padrão”. Não me lembrava do prédio antigo, apenas de como era a escola Ateneu Ruy Barbosa, já após a reforma. Essas fotos me entristecem muito. A Penha é um bairro histórico, e muito bonito por isso, assim deveria ser conservado. Triste que as administrações públicas não valorizam a história da cidade. Se continuar assim, logo logo veremos a Igreja do Largo do Rosário ser demolida também, e toda a história da Penha indo por água abaixo…

    Reply
  • Alvaro Donizeti de Carvalho 03/01/2016 at 19:48

    Cursei contabilidade no período noturno entre 1982 e 1984. Meu pai também estudou no Ateneu em meados dos anos 50 (época áurea da instituição). Infelizmente, nos anos 80, o ensino no Brasil, como um todo, entrou em declínio. Reconheço que o Prof. Gladys lutava para manter a qualidade e a tradição, mas já não era mais a mesma coisa (até por questões econômicas). Saudades da turma que permaneceu praticamente a mesmo do primeiro ao último ano do colégio: Luiz Antonio, Lincoln, Adilson, Luiz Carlos, Márcia Batista, Márcia Derneca, Mauro, Hamilton e, especialmente, a Lilian. Abraços.

    Reply
  • Jesuan Leão de Oliveira 24/05/2016 at 20:55

    Sai do Paraná e Estudei no Colégio Atendi Ruy Barbosa na Penha – SP. Em 1968 a 1969. Abraços.

    Reply
  • Luiz Alberto Ruiz 28/02/2017 at 11:51

    Luiz Alberto Ruiz

    Curso quimica de 1977 a 1980

    Tambem estudei no Colégio fiz o curso técnico de química, Ai o prof Vanderlei Danielle me falou do Instituto Tecnológico do Estado de São Paulo, fiz o concurso la na década de 1977 a 1980 e ai começou minha carreira de Químico, sou grato ao Prof Dr Gladys Feliz Del Buena Trama, aos profs e aos meu Amigo Elcio Vitorato, prof de Corrosão e Operação Unitária. e aos amigos que estudaram nesta época, meu e-mail supralabor@uol.com.br , face Luiz Alberto Ruiz

    Reply
  • Erica Magalhaes Furukawa 06/08/2017 at 12:29

    Estudei só a 1ª série em 1990 com a professora Marcia, me recordo saudosamente do local, que diante de minha pequenez na época parecia esplendido, hoje também sou professora e estou refletindo sobre minha trajetória de vida e como não me recordo muito dos colegas tenho curiosidade de saber quem eram, também queria saber por qual método fui alfabetizada, já que não tenho nenhum material da época. Caso alguém queria me ajudar segue e-mail para contato: ericafurukawa@gmail.com

    Reply
%d blogueiros gostam disto: