Quem costuma passear pelas ruas Santa Ifigênia e General Osório, na região central de São Paulo, rapidamente nota este enorme edifício quase chegando no final da rua, junto a avenida Duque de Caxias. Trata-se do Condomínio Júlia Cristianini.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Com entrada pela rua General Osório, 188, o edifício é de longe um dos edifícios legalmente habitados mais pessimamente conservados que existe em toda a cidade de São Paulo. Sua visão é desoladora e reflete claramente a inexistência de uma política urbanística realmente séria para a cidade de São Paulo. Nos últimos dias que ainda havia famílias vivendo no São Vito, por exemplo, ele ainda ostentava uma fachada mais conservada do que este.

Um pouco da história do local:

O edifício leva o nome de uma pessoa que foi importante na São Paulo Antiga, Júlia Cristianini. Esta mulher na década de 1930 ergueu no mesmo local onde hoje encontra-se o condomínio, o famoso Cine Astoria, que foi inaugurado no ano de 1939. Por alguma razão o Cine Astoria nunca foi um sucesso absoluto e entrou rapidamente em decadência, vindo a ser demolido logo em meados dos anos 1940.

Com a demolição do cinema a própria Júlia Cristianini teria erguido no lugar da sala de exibição, este enorme condomínio residencial.

Anúncio de venda dos apartamentos em anúncio publicitário de 1944.

Uma das histórias que chegaram até nós, e que não foi possível confirmar, é que o edifício foi vendido sem nunca ter sido totalmente completado. Com o tempo, os compradores teriam se cansado de esperar e mudaram assim mesmo. Se esta situação for verídica, é possível entender em parte o estado do prédio e as diferenças entre janelas e esquadrias ao longo da fachada.

Demolição a caminho ?

Caminhar na calçada onde fica o edifício é reamente perigoso. Devido ao estado avançado de deterioração da fachada, não é raro vermos pedaços do prédio se desprederem e cairem. Em razão disso há muitos anos existe uma proteção de madeira entre o primeiro andar e a calçada, para proteger os pedestres de serem vitimados por um pedaço de reboque (veja foto abaixo), ser atingido pode ser fatal.

Na situação em que o prédio está é impossível continuar, o prédio oferece risco constante a pedestres e, eventualmente, a moradores.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Entrentanto, da mesma maneira que o São Paulo Antiga se posicionou contrário a demolição dos edifícios São Vito, Mercúrio e Herrerias, somos também contrários à demolição e desapropriação do Condomínio Júlia Cristianini. No caso do São Vito, até havia inúmeras unidades ocupadas irregularmente, mas no caso deste edifício, a grande maioria dos moradores são proprietários legítimos.

A reurbanização e recuperação do Condomínio Júlia Cristianini é possível, mesmo mantendo seus moradores. O grande problema do edifício é sua fachada desgastada e problemática. Ao invés do poder público gastar milhões e milhões de reais nas desapropriações de seus moradores, porque não gastar menos com um programa de recuperação e adequação da fachada e restauro das dependências comuns do edifício ? Não precisa ser um grande perito em matemática para notar que irá se gastar muito menos.

Nesta matéria da FOLHA, em 1956, o prédio já era visto como um problema para a cidade.

Nesta matéria da FOLHA, em 1956, o prédio já era visto como um problema para a cidade.

Além disso, uma desapropriação custa muito ao poder público, porém geralmente a verba é insuficiente para que os moradores comprem uma moradia similar na mesma região.

Resta saber a quem realmente interessa a demolição deste edifício, se ao bem da cidade ou ao interesse de alguns poucos.

Veja a galeria de fotos do Condomínio Júlia Cristianini (clique para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

Atualização 10/08/2011:
Um jornal paulistano esteve no local e produziu um vídeo entrevistando moradores do local, confira:

Prédio na cracolândia vive ruína e vira palco de crimes 

Conheça a região através do mapa:

Visualizar São Paulo Antiga em um mapa maior

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Comments

  • Ralph Mennucci Giesbrecht 28/04/2011 at 11:03

    Nossa, que horror!

  • Edu Lima 28/04/2011 at 12:06

    Acho que a questão não se resume a a quem interessa ou não a demolição. certamente existem regras que engessam e proibem a alocação de recursos publicos em propriedade privada. Deve certamente existir um maneira de se efetuar isso, até mesmo que criar uma regra, norma legislação, processo que crie maneiras de se efetuar aporte de capital em imoveis de propriedade privada.

    Olha entendendo os custos de manutenção de um edificio de mais de 5 andares, eu não sou contrario a demolição do São Vito. Acredito que as pessoas também devem ser cobradas pelo minímo, como a corservação de seus imoveis, as normas de higiene e de convivencia.

    Não é um caso isolado, mas certamente é algo que te faz refletir, buscar entender o porque das pessoas fazerem o que fazem. Nesta esquina da Bento Freitas com Marques de Itú, no edificio acima desta lanchonete muitas das pessoas que habitam este edifício, jogam o lixo pela janela que fica ali acumulando sobre a laje da lanchonete. Convenhamos isso não é culpa do governo.

    http://goo.gl/I9y4u

    • Viktor Juncker 11/12/2013 at 19:09

      Prédios do centro que estão hoje sendo transformados em moradias populares irão pelo mesmo caminho em alguns anos. Sem um condomínio organizado, não há prédio que resista para sempre.

  • Renata 28/04/2011 at 13:03

    Nossa,esse prédio precisa de uma reforma para ontem. Não só é um perigo para quem passa por ele como também para os moradores. Vi em uma das fotos crianças na sacada. E se de repente o cimento cai? Isso sem falar no estado do telhado, naquela parte grande aberta.

  • Mauricie 28/04/2011 at 14:24

    pergunta: Chegou a esse ponto por culpa de quem??
    pergunta: Se o poder público reformar isso com o dinheiro do contribuinte, quanto tempo levará até que fique nessa situação novamente.
    Dinheiro público (impostos), deve ser utilizado para obras públicas (escolas, hospitais, saneamento básico, etc.) não para reforma de bens privados. Isso deverá ser feito pelos proprietários do condomínio e fiscalizado e cobrado (isso nunca é feito) pelo poder público.

  • Milena 28/04/2011 at 17:50

    Fiquei chocada com as condições desse prédio. Não deveria ser autorizado que pessoas morassem nesse lugar. Não sei como está o seu interior, mas sua fachada está numa situação muito triste e desesperadora.
    Como o Maurice disse, não sei se seria realmente correto empregar o dinheiro do contribuinte para investir em uma propriedade privada, mas também não acredito que os moradores deste prédio tenham dinheiro suficiente para bancar uma reforma completa nessa estrutura.
    Mas uma coisa é fato, algo precisa ser feito com a máxima urgência!

    • Marcos 10/06/2011 at 17:44

      Cara Milena,as pessoas moram nesse prédio ainda,porque o prédio tem uma baita estrutura.O problema dele mesmo so é a fachada dele.
      E este edificio já tem projeto de reforma,só falta aprovar algumas burocracias e começará.
      E não conta com ajuda do governo e sim os moradorss que vão pagar por isso.

      • Marcos 10/06/2011 at 18:02

        Depois resolve alguams coisas no inteior dele.

  • Daniel 29/04/2011 at 02:33

    Parece um cortiço, e essa deterioração ainda reforça essa aparência.

  • Luiz Carlos Hummel Manzione 29/04/2011 at 17:05

    Concordo com os que defendem a não colocação de dinheiro publico em propriedades privadas. As pessoas que moram nêsse horror de lugar provavelmente merecem o que tem.

    • Marcos 10/06/2011 at 17:19

      Caro Luis eu tbm concordo com isso q vc citou,mas como morador desse predio acredito q as pessoas daki mereciam um predio mas conservado,pq aki tem pessoas dignas e trabalhadoras.
      No passado o governo ajudou a fazer o estadio do Morumbi.
      Mas queria saber pq o governo quer investir no estadio do corinthians??
      Ahhh já sei eh q provavelmente beneficiará eles!!!!

      • Érica 07/06/2014 at 19:13

        Estou fazendo uma pesquisa sobre o edifício, poderia me passar algumas in formações ?

  • Eloisa Magnani 29/04/2011 at 22:38

    É um prédio bonito, pena estar tão estragado. Gostaria de saber que edifício é aquele com um relógio, que aparece na última foto.

    • Luiz Carlos Hummel Manzione 30/04/2011 at 10:43

      É a torre da estação Julio Prestes.

      • Eric 02/05/2011 at 19:53

        O certo é a torre da antiga estação sorocobana, atual sede da Secretaria Estadual de Cultura e da Sala São Paulo

    • Ana Mercedes 26/02/2012 at 00:38

      Pois e eu morei nesse edificio fazem 34 anos e pode ter certeza la dentro nao esta tao ruim como parece por fora e diga se de passagem que os apartamentos de la sao de 10X0 nos aprtamentos de hj, todos sao amplos e bem arejados, nao eses cubiculos que fazem hj, o problema la e que tem varios proprietarios mas muitos alugam e nao tao nem ai pro predio, tenho amigos que moram ate hj la e sao proprietarios o que falta e uma boa administração para uma grande reforma e aquele relogio que vc diz ver na foto e o relogio da antiga Estrada de Ferro Sorocabana.. que depois virou Fepasa e onde a minha mar hj com 86 anos trabalhou anos enquanto motavamos ali e la se aposentou…hj e um grande teatro…

      • Érica 07/06/2014 at 19:07

        Olá, poderia me passar algumas informações sobre o edifício?

      • Brunno Beltran 05/02/2015 at 22:15

        Boa noite Ana Mercedes, minha mãe esta procurando uma amizade muito antiga que moravam no décimo terceiro andar desse edifício na década de 70, mais precisamente em 1978, não vou colocar nomes aqui para não causar constrangimentos, eram cinco irmãos e a mãe era separada do esposo, por favor se a senhora recordar dessa família entre em contato

      • Michel 04/08/2015 at 17:56

        Moro em Pernambuco e tenho uma Mercedes-Benz antiga que ainda se encontra com a documentação em nome do primeiro dono e ao pesquisar o nome deste senhor descobri que o seu endereço atual é neste edifício, gostaria de falar com a Srª Ana Mercedes pra saber se ela o conhece.

  • Juliana 30/04/2011 at 22:37

    Do jeito que ele está, dói de tão feio, além de fazer jus ao apelido carinhoso: “Sarajevo”.

  • Eric 02/05/2011 at 19:58

    Uma pergunta: será mesmo que o antigo teatro foi demolido? Na Rua General Osório, colado ao condomínio, e praticamente no mesmo lote (o condomínio foi contruído em L), se encontra um prédio que tem todas as caraterísticas de ter sido um teatro (claro que hoje funciona como estacionamento).

    • Ana Mercedes 26/02/2012 at 00:39

      e verdade se tornou uma garagem que foi durante anos de um amigo da gente que se chama Ramiz, foi vendido fazem uns 5 meses…

  • paulo branco 06/05/2011 at 23:24

    Gente, não tem condições de reformar, precisa mudar a cultura de quem habita o local. Quem sabe se elas mudarem para um local que tem regras, elas se adaptem.
    a prefeitura devia ter fiscalizado na epoca e nao ter deixado as pessoas habitarem sem estar pronto!!!!
    eu defendo mais dureza dos governos exigindo que se cumpram as leis e as regras vigentes.
    abaixo com este treme-treme!

    • Marcos 10/06/2011 at 17:50

      Caro Paulo Branco,o problema não é exatamente a cultura dos moradores(mesmo sabendo que issonão tem nada ver),mas sim as administrações passadas que só faziam promessas.
      Em questão do prédio,o problema mais urgente é a fachada,porque os engenheiros que vitoriarão disseram que a estrutura dele está otima.

      • Ana Mercedes 26/02/2012 at 00:41

        Estou com vc … morei la durante quase vinte anos fiz otimas amizades que tenho ate hj e nos reunimos uma vez por ano e ficamos felizes em relembrar o nosso tempo no “predio”, faziamos bailinhos em casa e tinhamos uma turma super grande, o pessoal devia era se reunir e reformar o predio pq os aptos. sao otimos …melhor do que os de hj…

  • Leslie***** 09/05/2011 at 21:46

    Se são proprietários que moram aí, então eles mesmos é quem tem que reformar,aliás gente bem relaxada deixarem suas moradias chegarem a este estado. o governo não tem obrigação nenhuma de reformar isto já que é propriedade privada. deveriam é interditar esta maloca, afinal não há outra denominação melhor para este lugar. o São Vito era lindo perto deste ai.

    • Marcos 10/06/2011 at 17:39

      Cara Leslie(que por sinal é um nome ridiculo!!!),
      ninguem está pedindo para o governo reformar este prédio,porque já tem o projeto de reformar ele.
      Infelizmente as administrações passadas não deram atenção a isso,e só cobrava os rateios de reforma,mas nada fazia.Agora com a pressão da prefeitura o projeto está de volta,e espero que se concretize.
      Em questão de você achar o São Vito lindo ou melhor que este,é porque você não se informou direito e não tem nenhum tipo de conhecimento de engenharia,pois este prédio não tem rachaduras e a estrutura dele é melhor do que muitos prédios reformados daki do centro.

  • J.R.Pereira 25/05/2011 at 00:48

    Como é que pode haver alguém neste mundo que ousa dizer que quem mora em tal lugar, assim o “merece”? Quanta maldade!
    A verdade é uma só: a PMSP não faz o menor esforço em cumprir a Lei. Um prédio neste estado precaríssimo assim o ficou por descaso não apenas dos proprietários, locatários e poder municipal.
    A saída é a desocupação imediata, seguida de interdição e reforma se for o caso. Mas só após um rigoroso exame técnico.
    Se negativo, paga-se aos proprietários um valor justo e põem-se o prédio abaixo. Mas larga-lo assim é de uma irresponsabilidade absurda.
    Onde está a Secretaria da Habitação? Onde estão os agentes vistores? E o que faz nosso digníssimo prefeito e seus diretores de regionais?

  • Iraê 25/05/2011 at 14:45

    Eu geralmente sou contra a demolição de prédios antigos. Mas nesse caso eu sou à favor. Claro, se uma rigorosa vistoria de engenheiros responsáveis julgarem que é mais barato reformar o prédio e existir interesse para isso, não tenho nada contra. Mas reformar esse prédio vai além da faixada. É necessário ver instalações elétricas e sanitárias e muitas outras coisas.

    Cidades como Nova York, Tokio, Londres e muitas outras que tem uma história muito mais antiga do que São Paulo tem lindos prédios restaurados lado a lado de novos prédios bonitos e modernos. Essa região da cidade merece uma revitalização, e isso só vai acontecer se as pessoas certas souberem escolher quais prédios vão a baixo e dão espaço a novas construções e quais serão restaurados.

    Infelizmente essa região passou décadas se degradando e não há mais interesse da iniciativa privada, que poderia ser a melhor fonte de investimentos.

    O prédio infelizmente parece além da recuperação. Se ele for demolido é possível construir no lugar um prédio comercial com vários andares de subsolo, com estacionamento que é difícil na região.

    Eu fico pensando. As grandes construtoras não se interessam por esse tipo de negócio, mas com a disposição e ideias corretas poderia ser um negócio lucrativo. E se o governo criasse algum tipo de lei que beneficiasse investimentos em áreas que precisam de revitalização? Será que isso não seria uma solução melhor do que abaixo assinados e outros pequenos esforços?

  • Ray 28/05/2011 at 04:56

    O problema neste caso nao e o edificio em si, mas os moradores que nao tem condicoes financeiras de providenciar a manutencao necessaria.
    Voce pode investir milhoes, reformar o predio inteiro, se entregar na mao dos mesmos moradores, em poucos anos comeca a se deteriorar novamente ate chegar no mesmo estado em que se encontra hoje.
    Se ha interesse em se revitalizar a area, que se de inicio a desapropriacao e que se passe o edificio para alguem que tenha condicoes e interesse de recuperar o imovel.
    Nova York teve areas inteiras ao Sul de Manhattan de predios mal conservados desapropriados e demolidos no final dos anos 80, foram entregue a iniciativa privada e as areas totalmente recuperadas e hoje sao regioes revitalizadas com predios residencias, comerciais e parques. Sao Paulo precisa seguir o mesmo caminho para um futuro melhor.

    • Marcos 10/06/2011 at 18:04

      Realmente muitos moradores,infelizmente não tem condições financeiras.

  • santana 23/06/2011 at 23:32

    Realmente é verdade, o edifício nao foi terminado. Quase em frente, um pouco mais para a esquerda da rua general osório, o Neto da Julia Cristianini é proprietario de uma loja de Material de Construção e pode confirmar essa historia para vocês.

  • Douglas Nascimento 29/07/2011 at 09:03

    Matéria atualizada!

    Correções:
    Ano de demolição do cinema ;
    Data de construção do prédio ;
    Anúncio publicitário de inauguração das vendas do Julia Cristianini.

    Confiram!

  • Ralph Mennucci Giesbrecht 29/07/2011 at 09:07

    Se a Prefeitura fosse séria, vistoriaria severamente o predio. Se há condições de recuperação, deveria fazer uma reforma na marra e obrigar os proprietarios a pagar sua parte. Quem nao pagasse perderia a propriedade em troca das dividas. Se nao houvesse deveria ser demolido, indenizando os proprietarios pelo menos em alguma coisa, pois seria culpa TAMBEM da Prefeitura estar deixando municipes morarem em algo sem segurança e tambem ameaçando as propriedades e pessoas ao redor.

  • Ralph Mennucci Giesbrecht 29/07/2011 at 09:12

    No anuncio de 44, a impressão que se tem é que o prédio seria construido na rua Barão de Paranapiacaba, mas este endereço é da construtora.

  • Paulo Branco 29/07/2011 at 21:27

    eu concordo com o Antonio, sobre a responsabilidade dos moradores, a respeito da situação do prédio. Respondendo ao Marcos, quero dizer que meu comentario nao teve a intenção de ofender ninguem, mas a constatação de falta de cultura e educação não é uma generalização com todos os moradores, pois certamente havera sua exeções, mas a verdade é que falta educação e cultura a grande parte da população brasileira, e eu cheguei a esta conclusão baseado nos comentarios que dizem respeito as pessoas que atiram de tudo pelas janelas. Realmente nos temos que pensar nas crianças do predio, nos velhos e nas maes solteiras e em todos os moradores, mas quando defendo que derrube o referido edificio, não quero que se jogue todo mundo no olho da rua, mas sim se indenize as pessoas de modo justo para que possam ai sim viver com dignidade em outro lugar. Como alguem pode defender que se mantenham as crianças em um lugar como esse, pois eu duvido que as condições internas do edificio sejam melhores que as externas. Tambem não podem dizer que nao incomodam ninguem pois a condição externa do prédio incomoda sim, ajuda a deteriorar ainda mais aquela região. As pessoas acham que podem fazer o que quizerem em praça publica pois “estão ali quietinhos sem mexer com niguem” ai o cidadão se acha no direito de montar um barraco bem no meio de uma praça, ou construir um puxadinho aqui e outro acola, e assim a cidade vai virando uma grande favela!

  • Paulo Branco 29/07/2011 at 21:30

    o Sr. Marcos perdeu sua razão quando fez um comentário pessoal impertinente ao nome de uma das comentaristas.

  • Paulo Branco 29/07/2011 at 21:33

    que tal uma nova foto com as novas venezians mensionadas pela sra. Sandra.

  • Paulo Branco 25/10/2011 at 23:00

    Acho que as autoridades tem obrigação de intervir, de modo a evitar novas mortes e apropriaçoes indebitas. As pessoas de bem que moram neste local, merecem que seja feita uma intervenção de modo a reaver a ordem e a garantia de seus direitos.

  • ROBERTO 08/02/2012 at 12:22

    não adianta reformar a fachada, tem de ser feita a troca da parte elétrica, troca dos elevadores, troca da parte hidráulica, olha é preciso o tombamento, ou melhor a implosão que sai mais em conta.

  • viviane vieira 22/02/2012 at 01:50

    tenho 30 anos moro no julia a 30 anos,pra mim este excelente edificio esta assim a muito tempo,descaso das antigas administraçoes e alguns moradores de quinta classe,que deveriam morar em favela,este edificio merece ser tratado com respeito,vale a pena a reforma a quem entende ele possui ótima estrutura,ao contrário do são vito que dava medo.quem faz um prédio,são seus moradores,no caso deste,péssimos moradores que não cuidam do local sagrado que e sua residencia,tem pessoas que sentem vergonha de dizer que moram aqui,mas nada fazem.

  • Ana Mercedes 26/02/2012 at 00:45

    Adoreio que vc falou e concordo plenamente morei 20 anos nesse predio e so mudei quando me casei, o problema e que o pessoal nao sabe o que se passa la dentro e quantas familias moram la e a maioria trabalhadores e maes de familia, quem fala em demoliçao e pq mora bem longe dali e e mais ignorante ainda quem fala o que falou essa tal que disse que e a cultura…se liga menina…

  • Luiz Carlos Hummel Manzione 17/04/2012 at 17:31

    Assistir ao video postado pelo sr. Celenio nos dá uma visão bastante acurada das atribulações vividas pelo
    edificio Julia e nos remete a um velho ponto. Tôdos alí tem o que merecem.

  • Octávio 21/01/2013 at 21:39

    Sou a favor da demolição do edifício e indenização dos proprietários, tendo em vista a revitalização da zona. O prédio parece-me absurdamente degradado para ser simplesmente reformado, além de ser antiquado e de pouco interesse arquitetónico. Não dá para preservar tudo. Como alguém disse anteriormente, ali poderia muito bem ser construido um edifício comercial moderno, de acordo com a própria vocação da área.

  • Moacir Tadeu Lopes 22/02/2013 at 05:22

    Desculpa antonio antes de fazer julgamentos pelas condições didaticas das pessôas faça um julgamento de sua propia pessõa, porque voce mostra não ter um minimo de sencibilidade Humana e falta de compreenção com todo seu conhecimento que acho não ser dos melhores.

  • Moacir Tadeu Lopes 22/02/2013 at 05:25

    Surreal e sua ignorancia

  • Kell Cristina Fernandes 08/09/2013 at 01:08

    Obrigada pelo texto e pelas fotos, estou realizando uma pesquisa sobre o edifício, será que você podia me ajudar de alguma forma ou sabe onde posso encontrar a planta do prédio? Obrigada novamente.

  • Glauber José 26/08/2014 at 02:41

    O Edifício Martinelli passou por tudo isso que o do artigo passou. Problemas na construção, decadência, degradação completa e possibilidade de demolição, mas teve um bom destino. Espero que este também tenha.

    • Douglas Nascimento 26/08/2014 at 09:29

      O Martinelli é um tanto diferente, pois ele foi concluído e anos depois entrou em declínio devido à falência do Comendador Martinelli, proprietário.
      No caso do Julia Cristianini ele jamais foi concluído. Eu defendo sua total demolição pois hoje é o prédio que mais enfeia a nossa cidade.

      • Érica 26/08/2014 at 15:07

        Há mais registros sobre o edifício? como plantas ou algumas informações da construtora?