O bairro da Liberdade é muito conhecido por suas tradições orientais, incorporadas ao bairro através do grande número de imigrantes japoneses e posteriormente coreanos e chineses, que fizeram da região uma espécie de “Chinatown” paulistana.

Apesar disso, em diferentes períodos de sua urbanização, a Liberdade experimentou também um grande fluxo de imigrantes ocidentais, que também deixaram sua marca no bairro como os portugueses e italianos. Enquanto os lusos edificaram no bairro a Casa de Portugal, os italianos construíram a Lega Italica.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Localizada no número 86 da Praça Almeida Júnior, a Lega é uma das mais antigas heranças da imigração italiana na Cidade de São Paulo, tendo sido fundada no distante ano de 1897.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Naquela época o bairro da Liberdade era tomado basicamente por imigrantes italianos e portugueses já que o fluxo migratório de japoneses só começaria no século 20, alguns anos mais tarde.

A edificação que dá abrigo a Lega Italica, porém, é mais recente tendo sido construída nos primeiros anos do século 20.

O local atualmente é bastante conhecido principalmente pelo grande e atraente salão de danças que possui, palco de inúmeros eventos de música, dos mais variados segmentos.  O imóvel também abriga a instituição Nikkey Cultural, inaugurada em 1998.

A instituição oriental, inclusive, é responsável por inúmeros bailes da terceira idade com foco para japoneses e descendentes.

Estou em busca de mais dados para aprofundar a pesquisa sobre a Lega Italica. Caso tenha mais informações, entre em contato.

Veja mais fotos:

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

 

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • g2-62c8a8fb21f2fb05d33ea18a0686b880 08/09/2015 at 12:23

    Nunca vou me esquecer no começo dos anos 2.000 em uma comemoração ao dia da repubblica Italiana o coral da lega cantou para mim Va pensiero, do lado do Edificio Italia.
    Viva L’italia!

    Reply
  • Carlos 09/09/2015 at 08:51

    Meu pai (falecido) era italiano e frequentava a Lega Italica. Na década de 1970 havia uma comemoração (creio que em maio) na qual os homenageados eram os soldados da 1ª Grande Guerra, os “Cavalieri di Vittorio Veneto”, naquela época havia muitos “cavaleiros”: já idosos, elegantes, de terno e portando várias medalhas. Meu pai serviu a 2ª Guerra e os colegas eram considerados “jovenzinhos” na faixa dos 60 anos. A festa era sempre em um restaurante em S.B. do Campo ou em Jundiaí, a saída dos ônibus, do Dante Alighieri, era em frente da Lega Italica. Boas lembranças!

    Reply
  • Sergio 09/09/2015 at 20:53

    Meu pai me lavava para assitir aos jogos de futebol da Lega Italica, ao final dos anos 1960, no campo que existia no interior do quartel do 2º Exército, na Rua Manoel de Nóbrega, no Ibirapuera. Havia o 1º e o 2º quadro, como se dizia à época… ou seja, o time principal e o outro de menor importância qua fazia a partida preliminar, aos domingos pela manhã… meu pai vibrava: era como se voltasse à sua Itália dos anos 20/30, onde os jovens se divertiam nos clubes desportivos fundados pelo fascismo, o “Doppo Lavoro”… Fruto de seu contexto histórico, meu pai serviu à Reggia Aeronautica Italiana na famigerada Campanha da Etiópia… e esse forte e entranhado sentimento ancionalista nunca o abandonou… saudades de “Seu Antonio”… e das partidas da Lega Italica!!!

    Reply
  • SavianoMarcio 09/09/2015 at 21:34

    O clipe Papo Reto do Charlie Brown Jr. foi gravado nesse prédio: https://www.youtube.com/watch?v=tZqRfuGpUOA

    Reply
    • danielpardo2015 15/09/2015 at 22:23

      Da hora… dessa eu não sabia…
      Aliás… mudando de assunto… apesar de lamentar a decadência do centrão de São Paulo, ao mesmo tempo eu acho que tem algo romântico na mesma, as vezes eu me pego pensando no tempo em que eu trampava no Mappin e saia as 22:00 e podia olhar com calma o centro a pé até o Parque D. Pedro onde eu tomava o ônibus para a minha casa. Mas é claro que eu também acharia ótimo se o centrão pudesse ser menos hostil e acessível.

      Reply
  • irene 09/09/2015 at 22:17

    acho que era lá que minha avó retirava a cesta de natal ha uns 25 anos, era muito bacana, bons tempos, alguém se lembra?

    Reply
  • gualberto cappi 10/09/2015 at 08:57

    Em quanto isso, o pais aquì està morrendo, seguindo a Uniao Alema (que è termo mais correto de se dizer Uniao Europeia), que nunca traz sorte, e invadido por todos os lados.
    Pior momento da nossa longuissima historia.
    Mais do que “Va Pensiero”, do mesmo grande autor eu sugeria agora o “Requiem” …
    Um abraço de Italia
    Gualberto

    Reply
  • Pedro Marcelo Sá de Oliveira 07/03/2019 at 21:29

    Na época em que morava em São Paulo e trabalhags próximo, cheguei a ver lá um curso de Italiano

    Reply
%d blogueiros gostam disto: