Crédito: DivulgaçãoToda grande cidade tem alguma boate ou casa noturna cuja trajetória é tão marcante que sua história fica incorporada na memória da cidade mesmo com rotineira rotatividade deste tipo de estabelecimento. Nos anos 80, era impossível falar do underground paulistano sem citar o Madame Satã.

Inaugurado em 1983, o Madame Satã marcou toda uma geração paulistana, formou e lançou bandas e funcionou de maneira ininterrupta até 1994. Depois de algum tempo fechado a casa reabriu com o nome de Morcegóvia, rapidamente caindo mais uma vez no gosto dos frequentadores. Posteriormente a casa ainda mudaria mais uma vez de nome, chamando-se The The até que retornaria ao seu nome original, Madame Satã, até fechar de vez em 2007.

Após fechar o imóvel ficou alguns anos largado e em situação de abandono. Suas paredes e janelas foram lacradas e pensou-se que a saudosa casa noturna nunca mais voltaria a animar a noite paulistana.

Felizmente, em fevereiro de 2011, após a casa receber uma ampla reforma e recuperação, o saudoso imóvel da Rua Conselheiro Ramalho, na Bela Vista, voltou a ter vida com o nome de Madame.

Fachada atual do Madame (clique na foto para ampliar).

Fachada atual do Madame (clique na foto para ampliar).

Abaixo, outra imagem do local atualmente:
Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

E uma do período em que esteve abandonado:
Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Frequentou Madame Satã, Morcegóvia ou The The ? Frequenta o atual Madame ? Tem alguma história curiosa para contar ? Deixe um comentário!

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Comments

  • coy 04/09/2009 at 14:15

    infelizmente nosso pais é uma merda… não me conformocomo eles fecharam o madame.. uma casa q fez parte da historia de São Paulo

  • Alina Galante 14/09/2009 at 22:04

    Fui frequentadora do Madame Satã e o que mais me encantava era sua aura de tempos antigos, pessoas da mais ousada vanguarda dançando entre aqueles tijolos cheios de histórias.

  • Marcio Fonseca 01/10/2009 at 12:32

    Quanta história tem esse casarão ! Quantas pessoas fizeram parte deste história e como o Madame faz parte da história de tantas pessoas ! Isso não pode ficar assim !!!

  • Adriana 12/10/2009 at 16:57

    Concordo plenamente, a primeira balada que eu fui aos 18 anos foi lá, a 20 anos atrás a primeira baladas que o meu irmão foi lá. As principais bandas nacionais tocaram lá. A arquitetura interna do Madame Satã é belíssima!

  • Juliana Ribeiro 13/10/2009 at 10:46

    Uma pena… este lugar traz muitas lembranças para mim… fiz muitas amizades, tomei muitos porres, dancei horrores, conheci meu marido… sou brasileira e não desisto nunca! Espero logo logo frequentar de novo a balada e rever todos meus amigos… Madame Satã forever!

  • Fabrício Godoi 13/10/2009 at 17:51

    Bom, espero que empreendedores da “noite” tomem coragem e invistam na reabertura dessa casa cheia de história (e de histórias).
    Seria uma demonstração de evolução do povo brasileiro!

  • Marcelo Simpson 19/10/2009 at 18:39

    Está fácil reabrir o Satã, basta pagar algumas centenas de reais em impostos atrasados, adequar a casa as leis urbanas (não incomodar os incomodar os tragicantes que por ali rodeiam) e garantir que mesmo com lotação máxima (aprox 900 pessoas pois a casa tinha se rendido ao pop) niguem morra soterrado no porão… e o que mais… há os EMOS, esse deveriam ter entrada VIP!!! NO INFERNO!!! que fica lá na rua augusta rsrsrs

    • Soo 29/01/2010 at 17:22

      Finalmente alguem falou algo consistente.

  • Elaine Silva 11/11/2009 at 18:43

    Eu amo o Madame Satã! Não é só uma casa noturna, tem alma, tem história, tem estilo e ousadia. É uma grande tristeza ver esse patrimônio cultural fechado.

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

  • Maligno 09/12/2009 at 01:38

    Ao passar por aquela porta entrava em outra dimensao,
    nos fazia acreditar que o mundo era todo alternativo.
    Poesias, quadros, pessoas se expressando livremente, musica cultura tudo a luz de velas.
    Dançava com as pilastras da pista, com a parede, acompanhado, sempre de acordo com meu humor. A casa me dava espaço para curtir de variadas formas. A escuridao da pista dava privacidade, a parte ao ar livre uma bela visao da lua o ar frio da madrugada, no bar filmes de terror e atari para jogar. E a sempre presente sombra do morcego na parede.
    Ao fechar o madame fecharam parte da historia de um povo seleto e diferenciado que encontrava ali o ultimo portal do tempo.
    Onde os problemas ficavam do lado de fora e o preconceito nao tinha vez.

    Estamos feridos e essa dor nunca acabará!!!!

    Somente os que viveram nesse tempo sabe do que estou falando.

    Apenas saudades!

  • Douglas 27/12/2009 at 21:02

    Madame Satã, depois Morcegóvia, depois The The… rapaz, que saudades!

    Pô, xará, esse seu projeto é demais! Agora são 22h e eu estou desde às 18h “viajando” por aqui!

    Meus parabéns!

  • Carlos 20/01/2010 at 19:42

    O Madame faz muita falta mesmo. Curtia principalmente as noites de sexta e agora eu não sei aonde ir. Na verdade, não existe nenhuma casa noturna similar aqui em São Paulo. Pior, depois de toda a confusão causada pelo MadameFest, é impossível a reabertura da casa.

    Madame Satã R.I.P †

    • roberta 18/04/2010 at 19:52

      tenho certeza que faz muita falta,pra muita gente,eu tenho muita saudade…valeu MADAME SATÃ!!!

  • E.L.C.L 18/02/2010 at 08:03

    Madame Satã….
    esse nome me lembra um lugar mágico onde eu gostava de ir às quintas e sextas-feiras, onde frequentavam pessoas inteligentes, onde haviam bons papos.
    Luz de velas….
    não terei mais a sensação de sentar numa mesa e tomar minha bebida iluminado por velas e admirando quão belo era o lugar,e, por me sentir previlegiado por estar naquele lugar.
    Como o amigo acima falou, não sei mais para onde ir… O Madame Satã era meu refugio, onde minha vida tinha algum sentindo.
    Onde também sofri por uma mulher que quase me matou, uma mulher que amei muito e acabou brincando comigo. Nunca esquecerei a marca que você deixou em meu coração cujo nome começa com “D”, um dia ainda nos veremos.
    Madame Satã com certeza fez parte da minha vida e sempre fará.
    Agora fico no desejo que a casa reabra algum dia.
    Abraços à todos.

  • André 22/02/2010 at 17:26

    Sou de Curitiba e fui uma vez ao Md. Satã com meu primo de São Paulo, lá pelos idos de 1986 ou 1987, assistir a uma banda de cover do U2, achei naquela época (eu tinha 15 anos) um ambiente muito louco e legal ao mesmo tempo. O clima da casa era bem underground e as pessoas pareciam saídas de filme cult. Uma pena que não existam mais lugares com essa aura.

  • Thiago Trivelato 23/03/2010 at 15:30

    Aguardo ansioso o Madame Satã reabrir suas portas.
    Não frequento mais baladas desde o dia que o Kassab quis mostrar serviço e acabou com uma das baladas mais histórica e que mora no coração de Milhares de pessoas saudosas como eu.

  • Cajú Neto 28/03/2010 at 01:24

    Olá, por favor, preciso de material e depoimentos sobre o Madame satã, por favor, quem puder ajudar entre em contato.

    Gratto!

    Cajú!

    um dia a casa vai voltar !!!!!!!!!! acredito nisso!!!

  • juliana 02/04/2010 at 21:00

    Nossa foram tempos muito bons
    Noites maravilhosas de um tempo que não volta mais
    Os anos passaram
    O madame fechou
    E eu mesmo já não sou igual
    Lá passei boa parte da minha juventude
    E que farra uma pena que fechou pois essa nova geração não teve o
    prazer de conhecer este lugar maravilhoso

    • Cajú Neto 13/04/2010 at 09:28

      juliana, estou escrevendo um livro da cena rock de são paulo, no livro, bandas, casas noturnas e outras coisas, vai ter depoimentos de artistas, como, kid vinil, mingau, clemente, entre outros, vc póde nos ajudar, com depoimentos? e mais uma coisa, vc consegui fotos da época?

      desde já gratto!

      Valew!

      cajutnt@gmail.com

  • Rodrigo 09/04/2010 at 21:46

    Alguem sabe me dizer quando o Madame fechou???

  • Thiago 10/04/2010 at 22:21

    Que feio! Quanto saudosismo irracional de adolescente… Deveriam estar comentando do imóvel, e ficam falando das bebedeiras e de outras coisas que aprontaram no inferninho. O Marcelo Simpson foi o único que manteve os pés e a cabeça em 2010, os outros só ficaram sob os efeitos da fumaça de mais de 20 anos. Foi assim que Sodoma e Gomorra desapareceram…

  • Gian Pietro 20/04/2010 at 00:27

    O que tem a ver Sodoma e Gomorra com o Madame Satã? Nada. Sodoma e Gomorra e os seus habitantes foram destruídos por Deus devido a prática de inúmeros atos imorais. Tomar uns drinks ao lado de pessoas que você gosta e ouvir Bauhaus é imoral? Você acha que foi Deus que fechou o Madame, seu idiota? Não! Foi a Subprefeitura da Sé que decidiu isso.
    Madame Satã era o mais mítico espaço de rock de São Paulo!
    Você não tem rock nas veias e por isso jamais vai entender.

    Gian Pietro

    Music is God’s gift to man, the only art of Heaven given to earth, the only art of earth we take to Heaven. – Walter Landor

%d blogueiros gostam disto: