Que o poder público paulistano é negligente com seu patrimônio histórico não é novidade. Mas a negligência e o descaso de nossas autoridades parecem ter batido todos os recordes desta vez com um acontecimento realmente inacreditável: o furto da escultura Diana Caçadora.

O monumento já estava danificado há alguns anos

Instalada na Praça Pedro Lessa, a extremidade norte do Vale do Anhangabaú, a escultura de mais de dois metros de altura foi uma obra do Liceu de Artes e Ofícios que há décadas integrava o catálogo de obras públicas da Cidade de São Paulo.

Depois de mais 70 anos no local o monumento não está mais por ali, seu furto foi notado no final de julho por funcionários da obra de revitalização do vale. Após perceberem que a estátua não está mais ali a prefeitura registrou um boletim de ocorrência no 3°DP (Campos Elíseos). Até o momento nada foi encontrado e as buscas continuam.

Conheça a história do monumento furtado clicando aqui.

Assista à reportagem do Jornal da Gazeta, edição de 15 de agosto de 2019, sobre o lamentável ocorrido:

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • MARCELO 16/08/2019 at 16:25

    Sinto que parece haver de tempos pra cá um sentimento institucionalizado, ainda que veladamente por parte de alguns políticos e outros grupos, de tributo máximo ao vandalismo. Aqui no Distrito Federal a prática de vandalismo é quase que uma obrigação formal: o vizinho de cima do meu apartamento tem bicicleta e, quando a usa, carrega a mesma sujando as paredes da escadaria com os pneus, embora haja lugar na prumada para guardar o veículo.

    Reply
  • Antonio Morales 16/08/2019 at 16:27

    Torço para que já não tenha virado “baseado”, “pó” ou “pedra”.

    Infeliz do povo que não cuida de sua educação, cultura e de seu passado.

    E a tempos que não se pode colocar peças feitas assim em cemitérios, hoje tendem a se parecer com valas de guerra que são feitos às pressas devido o contexto se bem que, estamos em uma guerra assimética.

    Reply
  • Ana M M González 16/08/2019 at 16:47

    Caro Douglas, gosto muito dos seus posts. Mas a responsabilidade do governo é qual? Colocar um guarda em cada estátua e monumento? Me parece que a questão vai um pouco mais longe. Vc esqueceu o pouco valor que a população dá para isso tudo de riqueza. Com certeza , o monumento virou peso ou foi vendido para alguém particular.

    Reply
    • Douglas Nascimento 16/08/2019 at 17:01

      Não se trata de colocar um guarda em cada monumento. Leia a reportagem! A área está totalmente isolada por conta das obras do Vale e a escultura estava guardada em uma área do canteiro.
      Entraram no canteiro e a levaram, como poderiam levar equipamentos e outras coisas.
      A essa altura do campeonato já foi derretida.

      Reply
  • neves,aj 16/08/2019 at 23:25

    Tristeza… em 2014, fotografei-a https://www.facebook.com/voz.do.seven/posts/10215088418471429

    Reply
  • Gilberto 17/08/2019 at 15:10

    Que triste…

    Reply
  • Claudya 18/08/2019 at 08:19

    Vergonha!
    Infelizmente o vandalismo e o furto facil faz com que a memoria paulistana fique mais exigua.
    Sao Paulo é uma cidade que abraça todos e não é protegida por ninguem.

    Reply
    • Luiz Henrique 19/08/2019 at 10:43

      Claudya, é verdade o que escreveu. Aqui no São Paulo Antiga eu digo há tempos: NÃO HÁ UM AMOR DE RETRIBUIÇÃO PELA CIDADE. É A CHAMADA TERRA DE NINGUÉM!

      Reply
    • Luiz Henrique 19/08/2019 at 17:53

      Não há um amor de retribuição pela cidade.

      Reply
  • Antonio Carleti 18/08/2019 at 20:50

    É de doer saber que algum ferro velho vai comprar a estátua por alguns reais.nao vamos mais vê la

    Reply
    • Emerson de Faria 29/08/2019 at 19:55

      Não vai não, já foi.

      Reply
  • Alexandre Fontana 21/08/2019 at 12:09

    Isso é o fim do mundo. Só mostra como, neste país, educação e cultura não tem nenhum valor.

    Reply
  • Emerson de Faria 29/08/2019 at 20:06

    O furto da estátua abre o flanco para uma reflexão profunda: até que ponto cada um de nós e a sociedade como um todo tem colaborado para que tenhamos chegado a este estado de degradação? Sim, porque reclamar da falta de educação alheia é fácil, mas até que ponto eu, você e todos nós não somos partícipes dessa situação, será que somos todos esse modelo que tanto cobramos dos outros? O brasileiro é um ser estranho que se sente estrangeiro na própria terra e essa sensação de deslocamento é a raiz dos nossos problemas, não sentimos que fazemos parte da sociedade e tudo o que é público não é de ninguém, precisamos deixar de sermos hipócritas e de esperar pelo próximo, se quisermos mudar esta situação devemos começar por nós mesmos.

    Reply
  • Uiara 02/10/2019 at 14:22

    Na praça da República e largo do Arouche também já levaram várias, infelizmente.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: