Voltada para artistas, estudantes, professores, educadores e interessados em geral, a CAIXA Cultural São Paulo dentro do Programa Educativo CAIXA Gente Arteira traz de volta a oficina especial “Rugendas, a técnica e o olhar (o desenho, a aquarela e o caderno de viagem) que fez bastante sucesso em fevereiro de 2019.

A atividade é gratuita e para participar o interessado deverá fazer a inscrição no site www.caixagentearteira.com.br a partir do dia 13 de junho de 2019. Não é necessário conhecimento prévio de desenho.

Ministrado em três sábados, com carga horária total de 24h (8 horas em cada módulo), o curso abordará Rugendas e sua obra através da visão de outros artistas, focando na parte técnica da execução de suas obras, no pensamento visual e o aparato estético que só podem ser claramente revelados quando a prática é realizada.

As aulas foram construídas afim de emular o processo do desenho, da aquarela e a realização do caderno de viagens, sendo que serão discutidas e realizadas através de exercícios práticos estimulando os alunos a conectar o fazer manual e perceptivo com o porquê dos resultados plásticos e estéticos alcançados por pelo artista.

A missão francesa e as expedições cientificas são de importância histórica crucial na criação do imaginário do Brasil tanto na Europa quanto para o próprio povo brasileiro, sendo um de seus maiores expoentes, o alemão Johann Moritz Rugendas. A análise de sua produção vem sendo feita com enorme contribuição, para professores, sociólogos, historiadores e educadores. Aulas, análises teóricas além de mestrados e doutorados tem surgido.

Trabalhos realizados na primeira edição da oficina especial / Foto: CAIXA Cultural São Paulo

OBJETIVO DO CURSO

Aumentar o conhecimento sobre Rugendas e suas influências na criação da imagética do Brasil. Entender as abordagens e simular as técnicas usadas por Rugendas na produção de seus cadernos de viagens. Como os desenhos que inicialmente eram “científicos” acabaram por criar o imaginário poético da visualidade brasileira. Perceber o por que as técnicas usadas acabaram por ditar a estética das imagens. Saber como a temática e a técnica se influenciavam. Aumentar a percepção do olhar, afim de ler as imagens através da inteligência visual e não somente do conhecimento teórico verbal.

MÓDULOS

1) O DESENHO (1º sábado) – Contextualização da obra do artista e estímulo a percepção do olhar artístico e o aprendizado de técnicas de desenho que Rugendas usava na observação de plantas, frutas e tipos humanos.

2) A AQUARELA (2º sábado) – Compreender e exercitar a técnica da aquarela e como se constrói imagens pictóricas observando, suas materializações através da veladura molhada sobre seco, e dos efeitos da cor luz sobre a cor pigmento. Será feito também a colorização de uma gravura preto e branco do artista, afim de simular o processo que os gravadores utilizavam para a publicação dos livros.

3) O CADERNO DE VIAGEM (3º sábado) – Demonstração dos cadernos de viagens de artistas consagrados, como Delacroix, Paul Klee, Hokusai, Corbusier e outros, refletindo a postura e objetivos da construção de tais registros e compara-los com a obra do artista em exposição. Desta maneira o participante realizará a montagem do caderno de viagens a partir das imagens construídas ao longo do curso, incluindo esboços, estudos, ideias até a concepção deu uma cena final.

OS PROFESSORES

Jean Richard, 40 anos é formado pela universidade Mackenzie. Trabalhou em estúdios de ilustração e é desenhista desde 1998. Possui um trabalho plástico como pintor e desenhista, com exposições no Liceu de Artes e Oficio, exposição “Arte para todos”, teatro São Pedro no festival de música de Câmara e em 2014 na Funarte com a exposição “Pintura e Desenho”, de 2016 até 2018 expôs no Bunkyou associação cultural na exposição de Caligrafia Japonesa.

Na Funarte, ministrou oficinas de desenho de modelo vivo, foi palestrante sobre o uso da cor nas artes no curso de formação de professores na Pinacoteca do Estado e participou de debates sobre o processo criativo nas artes na Faculdade Estácio de Sá. Ministrou oficinas de desenho artístico na casa Guilherme de Almeida, Museu do Futebol, Poiesis na cidade de Iguape, SESC Ipiranga, São José dos Campos e Itaquera, assim como ministrou curso de pintura baseado na Bauhaus em ateliê próprio.

Em 2013, 2014 e 2015, produziu diversos cadernos de desenhos em visitas às cidades históricas de Minas Gerais, seguindo a rota da Estrada Real, afim de aprofundar o conhecimento sobre o barroco brasileiro e suas influências na cultural do País. Em 2017 foi responsável pelo curso Duas visões de mundo e um só olhar na Casa Guilherme de Almeida, onde as diferenças e influencias da arte oriental e ocidental eram o foco da observação. Em 2018 ofereceu na CAIXA Cultural São Paulo a aula a Escola Bauhaus – as cores na pintura. Atualmente produz pinturas e desenhos em diversos ateliês com produção voltada ao corpo humano. Frequenta também o grupo Aikokai do Brasil de caligrafia japonesa, (Shodo).

Participou em 2016 do grupo de estudos de arte japonesa na USP, assim como em 2015 fez parte do grupo de neuroestética da UNESP/ participando como aluno especial.

Renato Palmuti nasceu e reside em São Paulo. Formado na faculdade de Artes Plásticas na Universidade Mackenzie iniciou sua carreira em 1988 como desenhista em estúdios de ilustração de pequeno porte até ascender em 2001 a sócio de um dos maiores estúdios do Brasil naquele momento. A partir de 2005, alçando voo próprio, funda o UP Ilustração, onde desenvolve trabalhos mais autorias e artísticos agregando expressividade e personalidade própria a seus trabalhos. Em paralelo, mantem o desenvolvimento de um trabalho artístico, fundado na aquarela e na luz, através do qual travou contato com diversos ateliês e artistas.

Participa desde 2011 em diversas exposições coletivas e individuais no Brasil, México, Itália, Indonésia e Espanha sendo premiado diversas vezes e convidado a participar como professor e jurado. Atualmente tem dado vazão a um conteúdo mais plástico, sensual e expressivo em seus trabalhos pessoais e estudos de pintura, onde a luz e suas implicações estéticas sobre a percepção do observador buscam a harmonia atmosférica da aquarela.

É participante e palestrante no Urban Sketches e desenvolve atualmente também workshops de aquarela em escolas e estúdios de arte, tais como a Casa do Artista.

SERVIÇO

Programa Educativo CAIXA Gente Arteira

Curso: Rugendas, a técnica e olhar. (O desenho, a aquarela e o caderno de viagem)
Datas: 22, 29 de junho e 06 de julho de 2019
Horário: 9h30 às 18h30
Duração: 24h (carga total do curso)
Público: Professores, artistas, educadores e estudantes.
Capacidade: 30 vagas*
Inscrições: www.caixagentearteira.com.br (a partir de 13/06/2019)
Informações: (11) 3321-4400 | supervisão.gentearteira@gmail.com
GRÁTIS

Patrocínio CAIXA e Governo Federal
*Para participar do curso não é necessário conhecimento prévio em desenho.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!