Uma importante passarela ferroviária, que faz a ligação entre a Estação Brás da CPTM, pela Praça Agente Cícero com a rua Coronel Francisco Amaro segue interditada após ter desabado repentinamente. Parte da passagem, que era utilizada diariamente por centenas de pessoas, caiu apodrecida após anos e anos sem qualquer tipo de manutenção preventiva.

A foto abaixo, enviada pela leitora Edileuza Alves dos Santos, mostra como ficou o local após o desabamento:

clique na imagem para ampliar

clique na imagem para ampliar

Felizmente ninguém se feriu com o desabamento e desde então o local segue interditado com um placa informando a ocorrência. Consultada sobre prazos para recuperação e reabertura da passarela, a CPTM até o momento não respondeu aos questionamentos enviados pelo São Paulo Antiga.

Devido a linha férrea que corta os bairros de Mooca e Brás ao meio, a região possui cerca de cinco passarelas ferroviárias, sendo que quatro delas são de alto valor histórico, erguidas pela extinta São Paulo Railway. Todas estão em estado de ruim a regular de conservação e limpeza.

Foto: Edileuza Alves dos Santos

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Emerson de Faria 21/01/2016 at 12:31

    O descaso com que o patrimônio público é tratado é algo simplesmente asqueroso.

    Reply
  • ernani 27/01/2016 at 15:41

    É um absurdo o descaso da CPTM. Passei várias vezes ali e o que pude verificar me deixou enojado. Moradores de rua e drogados fizeram do local um banheiro público. Talvez seja a ferrugem o motivo da destruição dos ferros. Os trens então virou um camelódromo.

    Reply
  • Claudio 27/01/2016 at 21:17

    Mais um abandono do Governo do Estado, juntando-se ao Butantan (ruindo), Museu do Ipiranga (fechado e abandonado), Memorial da A. Latina (abandonado após o incêndio) e a Luz (incêndio por falta de manutenção).

    Reply
  • Rogerio Kezerle 29/01/2016 at 13:51

    Um absurdo. Usei diversas vezes essa passrela durante 2014 e sempre fiquei revoltado com o descaso com ela.
    Esse pais não tem jeito ….

    Reply
  • Alexandre Fontana 02/02/2016 at 14:13

    Um descaso com a memória e o patrimônio e um descaso tb. com o cidadão já que a CPTM não te respondeu. Aliás, os orgãos públicos, nas trẽs esferas, não gostam de dar respostas ao cidadão, acham que não estão a nosso serviço e não devem satisfação. É lamentável

    Reply
  • danielpardo2015 08/02/2016 at 21:06

    A “maravilhosa” privatização do PSDB… (um abraço Alckmin…)

    Reply
  • Thiago Teixeira 15/02/2016 at 16:11

    Sou usuário de uma dessas passarelas, aliás, de uma das “tombadas”: a que integra os dois lados da Rua Visconde de Parnaíba, no Brás. Todos os dias desço de um ônibus na Estação Brás e caminho até a Bresser para tomar outro ônibus. A Passarela, já mostrada aqui, é uma vergonha absurda! Convertida em banheiro público (apesar da PMSP limpá-la quase que diariamente), está totalmente podre, sem iluminação, com os degraus dos acessos em ruínas, ou tortos. É mais uma séria candidata a desabar, e se desabar, ainda cairá por sobre a rede aérea da CPTM. A manutenção de TODAS as passarelas ao longo das linhas da CPTM, é inexistente. Todas, novas, velhas ou tombadas estão da mesma maneira.

    Reply
  • Edileuza Alves dos Santos 21/04/2017 at 11:11

    Esta passarela foi simplesmente removida, agora quem quiser atravessar para o Largo da concórdia tem que usar o viaduto disputando espaço com outras pessoas com nos postes carros e bicletas

    Reply
%d blogueiros gostam disto: