Muitas pessoas entram em contato aqui com o São Paulo Antiga perguntando o que vem a ser o pórtico que existe diante do prédio de um hotel na Rua Araújo, região central de São Paulo, muito perto da Praça República. Para quem não conhece, veja a foto abaixo.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

O que hoje é apenas o tal pórtico, no passado foi um grande edifício que abrigou no uma usina de energia, cuja eletricidade era destinada ao funcionamento do serviço de bondes da Cidade de São Paulo.

Erguido na primeira década do século 20, o prédio cuja construção resta apenas a fachada frontal, foi erguido no local da antiga usina a vapor que pertencia à Companhia de Água e Luz do Estado de S.Paulo, que era do século 19, e que foi adquirida pela Light no ano de 1900. A foto abaixo, de 1901, mostra o antigo prédio.

Rua Araújo em 1901 (clique na foto para ampliar).

Rua Araújo em 1901 (clique na foto para ampliar).

O galpão era alto para abrigar e permitir uma confortável ventilação dos imensos geradores que foram instalados ali para fazer funcionar o serviço de bondes paulistano. No início do funcionamento dos bondes eram poucos, cerca de 15, mas a medida que o serviço foi se popularizando o número de carros também foi crescendo, chegando a 300 já no final da década de 1910.

Anos depois, o local foi desocupado por um breve tempo e em 1927 passou a abrigar uma concessionária de veículos da marca Ford, chamada Sonnervig, uma das mais antigas do Brasil e que existe em São Paulo até hoje em outros endereços.

A publicidade abaixo, de janeiro de 1928, mostra a chegada da nova linha de veículos Ford Modelo A – os populares Fordinhos – ao Brasil e com visitação disponível na Rua Araújo, local da referida concessionária:

Anúncio dos novos veículos Ford

A empresa continuaria neste endereço por longos anos, até partir para outro local. Atualmente a empresa está espalhada em 6 endereços diferentes por São Paulo e segue como referência da marca Ford.

Nesta foto, o local era sede uma concessionária Ford

Nesta foto, o local era sede uma concessionária Ford

Além desta usina houveram outras destinadas a eletrificação de bondes em São Paulo, como na rua São Caetano. O centro da cidade também teve outra central de força muito conhecida e que sobreviveu, a Subestação Riachuelo, hoje um centro cultural.

A usina da rua Araújo, instalada em uma área central e valorizada tão logo foi desativada tornou-se um objeto de disputa de construtoras, interessadas em novos empreendimentos na capital paulista. O imóvel estava bastante deteriorado quando foi vendido, entretanto, a fachada da velha usina foi tombada pelo Departamento de Patrimônio Histórico (DPH).No local foi erguido um hotel, o Confort Downtown, sendo que a fachada foi preservada.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Fica aqui uma sugestão ao hotel, que poderia instalar uma pequena placa explicando aos pedestres, hóspedes e turistas do que se trata o pórtico que está diante do imóvel.

Veja mais uma foto do pórtico da rua Araújo:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Saiba mais sobre o tema e assuntos similares:

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

  • O Estado de S.Paulo – Edição de 27/01/1928 – pp 01
  • Sonnervig – Site oficial – Consultado em 23/10/2016

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Leandro Guidini 06/08/2014 at 18:02

    Uma atitude louvável, em preservar o “espírito” daquele passado glorioso. Mesmo que isso seja feito, de certa forma, de maneira obrigatória pelo tombamento, é uma maneira de se estabelecer um elo com o passado. Impossível se preservar tudo, mas admirável que estes retalhos sejam bem cuidados.

    Reply
  • Iglemaria 06/08/2014 at 19:20

    Aindabem que existe um douglas. Nascimento, para preservar na escrita e em fotos, nosso passado, as belezas que temos, nao que o atual nao seja lindo, mas a nostalgia do passado, nos encanta. E da uma doçura na alma da gente, no nosso ontem, obrigada

    Reply
  • nazarethlmperes 06/08/2014 at 21:14

    Realmente, não há interesse, talvez por ignorância dos fatos, de que sejam passadas informações relevantes ao público. Assim, a história da cidade vai ficando mais pobre.

    Reply
    • william 05/05/2015 at 20:42

      Quando eu trabalhei no hotel, tinha uma placa com uma breve explicação. Dentro do hotel havia mais informações. Bata ir até o hotel e verificar.

      Reply
  • CAETANO M. FARAONE 06/08/2014 at 21:31

    OI DOUGLAS ! QUERO QUESTIONAR ESSE PÓRTICO……NA VERDADE ESSE PÓRTICO ERA DE UMA CONSECIONÁRIA FORD CHAMADA SONERVIG , NOS IDOS DE 1946… NA FOTO MAIS ANTIGA QUE QUE Vc MANDOU ESSE PREDIO ESTAVA ENTRE AS RUAS MAJOR SERTÓRIO, EPITÁCIO PESSOA E BENTO FREITAS.
    ESSE PRÉDIO ERA CONSTRUIDO NA PARTE QUE SE VÊ DE FRENTE , COM O SISTEMA DE “TAIPA DE PILÃO”, SUAS PAREDES ERAM DE MAIS OU MENOS 50 CENTIMETROS.. TRABALHEI NELE ATÉ SUA DEMOLIÇÃO, QUANDO FOMOS TRANSFERIDOS PARA A PONTE DO LIMÃO. TEM UMA PARTICULARIDADE QUE POUCOS SABEM, NA PARTE INTERNA DO PREDIO, QUASE NA ESQUINA, DESCIA UMA PEQUENA ESCADA QUE DAVA PARA UMA PORTA ERMETICAMENTE FECHADA. NOS QUASE 25 ANOS QUE TRABALHEI NESSE PRÉDIO SÓ VI UMA UNICA VEZ ABRIREM ESSA PORTA. ERA A ENTRADA DE UM TUNEL QUE SEGUNDO DIZIAM LEVAVA ATÉ O PORÃO DA IGREJA ….SE IA OU NÃO , NÃO POSSO AFIRMAR, EU ENTREI POR ELE E ANDEI POR ALGUNS MINUTOS, MAS NÃO PUDE IR MUITO LONGE, POIS TINHA MUITAS BARATAS, RATOS E UM CHEIRO MUITO FORTE DE MOFO. SE FOR CONTAR TUDO SOBRE ESSE PREDIO TERIA DE FALAR POR MUITO TEMPO. QUE ELE FOI DEMOLIDO JA FAZEM UNS 30 PARA 40 ANOS.
    SEM MAIS ………..ABRAÇOS CAETANO

    Reply
    • Vinicius Campoi 07/08/2014 at 14:26

      Interessante essa história!

      Reply
    • Eunice Viera 05/05/2015 at 17:02

      Eu também conheci esse pórtico como entrada da Sonnervig….

      Reply
    • Eduardo Fidelis. 05/05/2015 at 18:36

      Sim, Sonnervig-Fidelis, no início, depois. Só Sonnervig-Willys, depois Ford.

      Reply
  • SavianoMarcio 08/08/2014 at 08:34

    Esse pórtico não aparece na foto antiga no topo da página, vocês tem uma foto da fachada atual na época?
    Me parece ser uma construção posterior a da foto, como é comum acontecer, um edifício simples ser substituído por outro mais suntuoso anos depois.

    Abraços!

    Reply
    • Douglas Nascimento 08/08/2014 at 08:55

      Não temos, como expliquei no seu outro comentário temos apenas essa da usina a vapor. Estamos conversando com a Sonnervig para ver se eles possuem fotos de quando alugavam o lugar.
      Caso tenham atualizaremos o artigo.

      Reply
      • Pedro Reis 05/05/2015 at 21:34

        Salve Douglas! Encontrei esta foto no Pinterest https://www.pinterest.com/pin/411727590909884101/ espero que ajude a elucidar. Abraço

        Reply
        • Douglas Nascimento 05/05/2015 at 23:02

          Excelente!

          Reply
      • Pedro Reis 05/05/2015 at 22:15

        Como disse o Caetano, logo acima é bem provável que o prédio da usina fosse mesmo na esquina Major Sertório x Bento Freitas x Epitácio Pessoa – Se você olhar o estacionamento que fica nessa esquina tem a mesma forma do prédio da usina e as paredes devem ter mesmo 50 centímetros. Até o chanfro na esquina e a marca no pé do muro são parecidas. Acho que vale uma visita do SPA até lá. Abraço!!!

        Reply
  • SavianoMarcio 08/08/2014 at 08:37

    Essa foto antiga não é da fachada atual.

    Reply
    • Douglas Nascimento 08/08/2014 at 08:54

      Em nenhum lugar dissemos que era. Conforme o texto explica é a antiga usina a vapor, demolida entre 1900 e 1901.

      Reply
      • silvia 05/05/2015 at 16:27

        não localizei o pórtico na foto de 1901 e também não entendi a relação deles no texto. Poderia explicar? Obrigada

        Reply
        • Douglas Nascimento 05/05/2015 at 16:30

          O parágrafo acima da foto explica que o pórtico era do imóvel que foi construído no local onde estava da antiga usina a vapor da foto

          Reply
  • Malagoli Oj 10/08/2014 at 11:53

    Seja como for, o local e seus arredores, são repletos de história; basta citar que na próxima quadra, no número 43 da Gen. Jardim, (esquina com a Bento Freitas) residiu Moacyr de Toledo Piza, suposto assassino de Nenê Romano,

    Reply
    • José Márcio 05/05/2015 at 17:21

      Quem foi Nenê Romano??? e Moacyr de Toledo Piza???

      Reply
  • Amiga 06/05/2015 at 00:33

    Oi Douglas, mas uma excelente matéria informativa do SP Antiga.
    Mas aí vai um toque:

    No 5º parágrafo reza: “Além desta usina houveram outras…”
    Quando o correto seria: “Além desta usina houve outras…”

    O verbo haver, no sentido de existir é impessoal, portanto, não flexiona.

    Um beijo.

    Reply
  • andres sandoval 06/05/2015 at 02:27

    Sempre vi nesses vãos janelas, inclusive tinha um caixilho bem bonito nesses “pórticos”. Perto de 2001 vi o hotel subir e destruir tudo, até ficar essa fina fachada. Uma pena que esse galpão tenha virado essa ruína vazia e sem vida.

    Reply
  • Antonio 06/05/2015 at 03:45

    Logo antes de construírem o hotel, funcionou ali um estacionamento ou oficina mecânica, ainda no prédio antigo. Pena não ter virado um espaço cultural.

    Reply
  • Igor Nascimento 01/09/2015 at 03:06

    No hospital Bandeirante, lá na Liberdade, tem algo parecido com esse portico.
    Vcs sabem o pq de estarem lá?

    Reply
    • Douglas Nascimento 01/09/2015 at 12:49

      Era o prédio antigo do hospital que foi derrubado

      Reply
%d blogueiros gostam disto: