Pouco lembrados pelas pessoas quando o assunto é patrimônio histórico, os postos de combustíveis raramente são preservados.

A necessidade de atualização de bombas e equipamentos, dos tanques no subsolo e também extinções de bandeiras (marcas) e alterações na identidade visual acabam por deixar os postos distantes de um laço histórico as cidades.

Na capital paulista hoje restam, que se tem notícias, apenas dois postos de combustíveis com herança arquitetônica: um na Avenida Tiradentes e outro na Avenida Aclimação. Os demais viraram pó, sejam substituídos por outras construções ou modernizados.

Alguns postos de combustíveis antigos eram muito pequenos, consistindo de apenas uma única bomba de combustível instalada na calçada, e uma pequena porta comercial onde se fazia troca de óleo, vulcanização de pneus e pequenos reparos. Vejam o exemplo abaixo:

Pai (à direita) e filho posam para a fotografia

Precioso registro fotográfico de 1950, o Posto Gulf da foto era localizado no então número 3879 da Avenida Adolfo Pinheiro, numeração esta que, tal qual o posto de combustíveis não existe mais.

O estabelecimento era propriedade de A. Ramalho Felix (anteriormente sociedade Felix & Braga Ltda) e a fotografia mostra dois funcionários do posto, sendo que à esquerda abastecendo o carro trata-se de uma Cláudio Ramalho Félix e seu pai Antônio Ramalho Félix, dono da posto e avô da leitora Cecília Lobo que doou a imagem ao São Paulo Antiga.

Sobre a localização exata do posto atualmente, equivale a aproximadamente o número 4690 da Avenida Santo Amaro. Na década de 1970 parte da Avenida Adolfo Pinheiro foi incorporada à Avenida Santo Amaro. O estabelecimento era localizado em frente a antiga empresa Orquima, que também não existe mais (há um condomínio no local).

Abaixo, cartão de visitas do antigo Posto Gulf:

cartão de visitas do Posto Gulf (sem data)

Agradecemos a leitora Cecília Lobo pela doação desta e outras fotografias para o acervo do São Paulo Antiga.

Artigo atualizado em 07/02/2019.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • JORGE ROBERTO COELHO FERREIRA 04/02/2019 at 18:05

    Seguramente, tomando-se como base a numeração, devia estar localizado na última ou penúltima quadra antes de atingir o Córrego da Traição, hoje Av. dos Bandeirantes. Antes de 1964 ambas as Avenidas, Santo Amaro e Adolfo Pinheiro terminavam justamente no Córrego da Traição, hoje Av. dos Bandeirantes. Com o prolongamento da Avenida Santo Amaro, até a João Dias, a Av. Adolfo Pinheiro foi reduzida ao trecho entre o Largo Treze e o Borba Gato. Lembramos ainda que antiga Estrada de Santo Amaro, começava no Largo do Piques, hoje Praça da bandeira e terminava no Largo Treze, abrangendo as atuais Rua Santo Amaro, Brigadeiro Luiz Antonio, Av. Santo Amaro e Rua Adolfo Pinheiro

    Reply
  • Claudio Cardoso Saddi 08/02/2019 at 17:11

    Diferente hein ?? Bela reportagem , parabens !!

    Reply
  • Odair Menezes 21/02/2019 at 18:27

    Que foto bacana! Gostei de saber dessa história.

    Reply
  • Odair Menezes 21/02/2019 at 18:34

    Que bela reportagem sobre esse posto de gasolina. Pai e filho trabalhando juntos! A vida era mais simples e as pessoas mais felizes! Parabéns pela bela foto publicada e mostrando como era os costumes da época!

    Reply
  • Fabio Cavalheri Fagundes 22/02/2019 at 00:53

    Morei no Brooklin desde 1959 até 2015 ao lado da Orquima, na R. Eleutério e nunca havia visto um letreiro da Gulf, a não ser o do topo do prédio em frente à Praça da Bandeira e olha que nos anos ’60 eu percorri vários bairros pedindo chaveiros, decals e adesivos em todos os postos de combustíveis, oficinas e casas de auto-peças, formando uma imensa coleção…

    Reply
  • Luiz Henrique 25/02/2019 at 12:02

    Este é o seu post mais recente? É do dia 04/02/2019 e, desde então, não recebi mais nada…

    Reply
    • Douglas Nascimento 26/02/2019 at 12:03

      Olá Luiz, é sim.
      Infelizmente estamos com muita dificuldade em manter o site no ar e poucos são os leitores que contribuem com nossa vaquinha mensal.
      Temos mais de 25.000 leitores/dia mas apenas 22 pessoas contribuem. Em virtude disso é possível que não tenhamos mais condições financeiras de manter o São Paulo Antiga no ar a partir de março ou, no máximo abril.
      Caso queira nos ajudar: https://apoia.se/saopauloantiga

      Reply
      • Luiz Henrique 28/02/2019 at 12:51

        Vou ajudar.

        Reply
%d blogueiros gostam disto: