Abandonada há alguns anos esta simpática construção é uma das últimas remanescentes neste estilo típico do início do século 20 que encontra-se em seu formato original nesta rua da Lapa.

clique na foto para ampliar

Segundo a denúncia anônima, até algumas semanas atrás havia uma placa de venda do imóvel que não está mais lá. Vizinhos temem que tenha sido vendida para ser demolida.

Veja mais imagens desta casa:

Atualização 08/12/2017:

Infelizmente recebemos a triste informação de que o imóvel foi demolido dois anos depois de nossa reportagem. Fomos verificar e constatamos que, na verdade, o imóvel não foi demolido mas descaracterizado para deixar de ser uma residência e ser transformado em uma loja. É quase como se fosse uma demolição pois a casa como ela deixou de existir.

Abaixo uma imagem de como ela está atualmente. Uma pena…

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Cesar 23/09/2009 at 22:42

    Aqui não se preserva nada, não há a mínima consciência a respeito desse patrimônio, é deprimente.

    Reply
    • jackeline rebeiro lacerda 22/03/2010 at 18:00

      nosaaaaa essas casas era ou e nao sei muitos feias e nojentas essas pessoas que moram ou nao moram ve se cuida desso. ta pior que a lapa ne rrsrsrsrsrs cuidam em e melhor do que ser falado beijosss

      Reply
  • Rames 02/01/2011 at 01:20

    Esta casa pertence ou pertenceu a familia Gracio. Fui muito amigo do Wilson Gracio que faleceu em 1978 de um linfoma tipo Hodgkin, em sua juventude. Sua mãe já era idosa e cuidava do imóvel. Seu irmão mais velho é o herdeiro deste imóvel, que poderia ser restaurado e mantido como testemunha de uma fase muito bonita deste bairro, tão representativo deste universo que é a cidade de Sampa.

    Reply
    • Maria da Gloria Bach Goncalves 09/05/2015 at 00:32

      VERDADE RAMES. MUITAS VEZES FAZIA ESTE CAMINHO PASSANDO EM FRENTE,PENSANDO PORQUE HAVERIA EU DE MORAR NA VILA HAMBURGUESA QUANDO ALI ERA MAIS PERTO.

      Reply
  • Caraval Almeida Souto 12/03/2011 at 12:06

    Preservar é para quem pode! Quem fica com o prejuízo é o dono da casa, que tem que arcar com os consertos e para que?! Essas construções mequetrefes se arruinam, ocupam o espaço que deveriam ser de edificios modernos, enfeiam os bairros, desvalorizam os imóveis vizinhos. Se tem alguém zeloso, que enxerga valor nesta arquitetura antiga então que as compre, que indenize os proprietários, que promova um fundo [grana] para os que as possuem possam promover reformas e lhes dar um destino ocupável. É muito fácil achar que o dono do imóvel tem alguma culpa pelo arruinamento. Mas cadê o “Estado”? Cade as condições de preservação? Acho que o proprietário do bem é um refém do tombamento! Ele pode vender, mas quem quer comprar uma casa arruinada ou demodê que ninguém quer dar o valor de mercado? Enfim, herdar uma casa com valor histórico ou arquitetônico neste país é um presente de Grego, um azar!

    Reply
  • mayara 14/04/2011 at 15:11

    Eu ficava esperando o onibus e nem por um segundo parava de olhar esta casa imaginando a sua história, mas recentemente ela foi demolida se eu n me engano foi na metade ou no final de 2010. UMA PENA!!!

    Reply
  • Raquel Mendez 02/02/2012 at 10:43

    Hoje em dia é uma loja…

    Reply
  • Samanta Kelli 18/01/2013 at 17:48

    Olá Senhores! Sou integrante da cia Barca Cênica de Teatro, resido na Lapa e estamos a procura de casas abandonadas para conseguir um ofício de ultilização do imóvel para promover atividades culturais. Quem souber de imóveis, salas ou galpões que possam ser “cedidos” para finalidade cultural, gentileza entrar em contato com a cia. inclusive, mesmo que o local tenha algum vículo com herdeiros ou fins comercias, com a atividade cultural, pode este proprietário beneficiar-se de impostos. Portanto, será um benefício para ambas as partes, e todas as atividades pagantes podemos repassar parte desta verba para o proprietário.

    Grata,
    Samanta Kelli

    Reply
  • Marcelo 08/12/2017 at 11:14

    Verdadeiro assassinato dos elementos originais! O pior que os que fazem costumam ficar impunes

    Reply
%d blogueiros gostam disto: