Em um bairro que no passado foi tipicamente operário, muitas das construções da região são remanescentes deste período. E o bairro do Belenzinho, tal qual seus vizinhos Mooca e Brás, é repleto de galpões que no passado deram abrigo as mais variadas fábricas e que empregavam muitos operários.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga - Clique para ampliar.

Este enorme galpão da Rua Bresser esquina com a Rua Coimbra, não é diferente. A construção de 2777 metros quadrados está há muitos anos fechada. E há algum tempo ostenta uma placa de vende-se.

O destino de um galpão deste ao ser vendido não são muitos. As opções geralmente giram entre ser demolido e dar lugar a novos prédios ou a tornar-se mais um estacionamento. Dificilmente quem compra um galpão quer mantê-lo como está, especialmente em uma cidade como São Paulo, cujos espaços nobres para a construção tornam-se cada vez mais raros.

No entanto, muitas vezes não há o que de fato se preservar, e manter um galpão como este em pé não seja talvez a melhor das opções. O quadrilátero compreendido pelas Ruas Bresser, Coimbra, Rua Marajó e Vinte e Um de Abril há muito tempo está degradado, com muito lixo nas ruas devido ao serviço de varrição ineficiente e outros galpões fechados no entorno que também trazem deterioração. É possível conferir em algumas fotos abaixo a presença excessiva de lixo no entorno do imóvel.

Talvez um novo empreendimento no local seja benéfico para a recuperação desta área. No passado o imóvel foi sede da empresa Ultraprint, que mudou-se para outro bairro paulistano.

Atualização – Abril/2013

Por algum motivo (evitar o tombamento, talvez ?) o imóvel teve sua bela fachada de tijolos coberta por cimento. Ficou muito esquisito.

Confira mais fotos do galpão (clique na foto para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Tarcísio Gonçalves do Carmo 22/06/2010 at 13:37

    Este galpão pertenceu à UltraPrint , que hoje tem matriz na Barra Funda.

    Reply
    • Eduardo baruffi 09/09/2010 at 08:55

      A informação é verdadeira, era uma grafica grande que tinha tambem o escritorio quase em frete no 1197 um edificio baixo.
      Ultraprint

      Reply
  • luis 14/04/2012 at 19:30

    pq não fazem como na região da joli….dividem esse galpao em diversas lojas sem ter interferencia na fachada acredito que seria sucesso de vendas e não teria que mexer externamente em nada. Ai daria um ótimo shopping.

    Reply
  • Luiz C. Brolio 11/08/2012 at 00:18

    Esse galpão em 1966/7 abrigava a Fábrica de cigarros Flórida; o quarteirão e imediações recendiam aos odores do fumo numa determinada etapa da fabricação.
    É uma construção interessante, poderia ser arrendada para um shopping ou um outlet como foi realizado com a tecelagem dos Crespi na Moóca, o prédio com as frentes para a Rua Taquari e Javari foram restauradas. Confiram.

    Reply
  • Julia Favaron Magoulas 02/06/2013 at 18:23

    Bom. como carioca, fica dificil situar a geografia do lugar em relação a outros bairros, mas pelo que entendi além deste galpão, tem outros, também vazios e nessa área esvaziada de serviços públicos minimos, como a retirada do lixo, por exemplo., são os mesmos proprietários, são todos diferentes? Eles tem algum interesse que não seja livrar-se do imóvel? Não sei se cabem as perguntas, mas o sentido é juntar pessoas, idéias, para restaurar estas construções e dar um destino a elas e ao entorno um valor novo sem perder sua história.,

    Reply
  • Valdimir 09/06/2014 at 10:44

    O “quadrilátero” não comporta a Rua 21 de Abril, mas sim a Dr. João Alves de Lima, onde morei até 1972.

    Reply
  • Cllaudio Sergio Contro 22/08/2014 at 10:08

    Alguém tem fotos antigas da rua Inácio de Araujo, mais própriamente das décadas de 50 e 60, se tiver por favor contatar: claudiocontro@bol.com.br.
    Desde já, agradeço a cooperação.

    Reply
    • Gilmar Santana 30/06/2017 at 14:23

      Olá Claudio,
      Se conseguir as fotos antigas, poderia compartilhar comigo? Tenho muita curiosidade de saber com era a rua no passado.

      Reply
  • Mariana Araujo 05/05/2015 at 13:24

    Fopi pintado e parte dele virou estacionamento…já não é mais tão belo…

    Reply
%d blogueiros gostam disto: