Voltando a publicar ruas paulistanas pouco conhecidas ou com nomes curiosos, hoje apresento a vocês a Rua Chá de Frade, no bairro da Mooca:

Esta pequena e estreita via liga duas importantes ruas da região mais conhecida como Alto da Mooca, as ruas Itaqueri e Dr. João Batista de Lacerda.

O nome “chá de frade” é bem diferente porem não é exatamente ligada a algum religioso tomando sua infusão predileta, sendo, na verdade, uma planta medicinal cujo nome científico é Leonorus sibiricus L., da família das labiadas. Planta anual com cerca de 1 metro de altura. Suas flores são pequenas, de róseas até vermelhas. É usada nos males gastro intestinais e nas febres palustres¹.

Vista geral da rua Chá de Frade

A Chá de Frade não é uma via tão antiga quanto as demais que a cercam. De acordo com os dados GeoSampa, da Prefeitura do Município de São Paulo, a rua foi oficializada apenas no ano de 1978.

Isso se confirma ao observar os mapas paulistanos anteriores à década de 1970 onde a rua ainda não aparece. O que apresento abaixo, de 1952, ainda não tinha a rua:

Seta indica onde viria a ser a futura Rua Chá de Frade

Embora não encontrei informações precisas, tenho a crer que a rua foi aberta em meados dos anos 1960 e loteada aos poucos, o padrão arquitetônico das casas atesta essa minha teoria.

E falando das casas da rua Chá de Frade, a grande maioria delas foi modernizada perdendo sua identidade visual original. Mesmo assim encontrei algumas que estão originais ou bem próximas disso e trago-as aqui:

clique na foto para ampliar

De todas as que mantém suas características da época da construção, a que mais me agrada é esta da fotografia acima, localizada no número 94 da rua.

Trata-se de uma simpática casa térrea, com muro baixo, grades ornamentais e portões com a arte de serralheria de época, muro de pedras e calçada e quintal no tradicional piso de caquinhos vermelhos.

A fachada do imóvel está preservada exceto pela janela do quarto, substituída por uma mais moderna em alumínio. Pedras e pastilhas também adornam a parede principal da residência. Muito bonita a casa.

Sobrados geminados (clique na foto para ampliar)

Por fim destaco ainda nesta rua um gracioso conjunto de cinco sobrados geminados (foto acima) que estão no lado oposto da casa anterior, entre os números 129 a 137.

Os sobradinhos são muito interessantes  e estão bastante preservados. De todos eles o da esquerda (número 129) é o mais original deles e também o que tem o lote maior. Os demais tem pequenas alterações mas em suma não fizeram nada que descaracterizasse muito.

Para encerrar, vejam os sobrados na galeria abaixo (clique para ampliar):

Nota:
1 – De acordo com o site Dicionário de Ruas da Prefeitura de São Paulo

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Emerson de Faria 12/06/2018 at 08:11

    Rua aprazível com casinhas singelas, típica vila de bairro com sabor de nostalgia.

    Reply
  • Luiz Henrique 02/07/2018 at 11:19

    Olha, nessa região, em travessas da rua Tobias Barreto, existem casas maravilhosas, bem conservadas, que merecem cliques.
    Perto do Sesc Belenzinho também: é cada casarão que dá gosto!

    Reply
  • Daniel Pardo 11/10/2018 at 20:48

    Felizmente, apesar de toda a especulação imobiliária aqui na Zona Leste, ainda temos muitas casas como essas na região, principalmente na Moóca, Brás, Belém, Belenzinho.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: