Um dos bairros mais agradáveis de se morar em São Paulo, a Aclimação, faz alguns anos que se tornou um grande foco de especulação imobiliária, no que parece ser uma das ações mais agressivas contra casas e casarões em bairros que já tomei conhecimento.

Por todos os cantos da região é possível observar conjuntos de casas sendo compradas todas juntas e demolidas para virarem edifícios.

Desta vez a má notícia que recebemos fica no número 66 da Rua José do Patrocínio:

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Um dos mais antigos casarões sobreviventes do bairro é a bola da vez da sana das incorporadoras por terrenos.

Informados por uma leitora, descobrimos que o imóvel será demolido muito em breve para dar lugar a um novo empreendimento imobiliário.

No local, já estão indícios do fim da casa: sob as janelas repousa o cartaz da demolidora, que alerta que o fim é eminente, e em um dos portões uma pequena placa da construtora You,Inc.

No site da empresa ainda não há informações sobre o que será construído ali, apenas o nome do empreendimento é conhecido, You & Saralu, mas pelo perfil da empresa parece que será algo de pequeno porte ou muito compacto.

Caso venha a ser um prédio, quantos outros vizinhos irão abaixo juntos? Pois a área do sobrado não me parece suficiente para uma torre.

Resumindo: Estão destruindo um dos bairros mais elegantes e charmosos de São Paulo, deixando construir mais e mais prédios totalmente fora de sintonia com o padrão da região, que é fortemente de casas e não de edifícios.

Me pergunto (e acho que até já sei a resposta) se a Prefeitura de São Paulo se dá ao trabalho de fazer algum estudo sobre o impacto que estes prédios novos fazem na Aclimação, que a cada dia que passa perde um pouco mais da qualidade de vida.

Uma das várias casas da Rua Topázio que foram demolidas recentemente (clique para ampliar).

Uma das várias casas da Rua Topázio que foram demolidas recentemente (clique para ampliar).

Construído no início do século 20, o sobrado da Rua José do Patrocínio é bastante conhecido pelos moradores do bairro. Vazio e fechado há muitos anos, chegou a receber um início de reforma algum tempo atrás mas por algum motivo a obra logo parou.

Sem eletricidade e com o poste de iluminação um tanto quanto distante dele o casarão à noite é bastante escuro, com ares um tanto sombrio, o que deu ao imóvel o apelido de “Casa do Conde Drácula”.

Apesar de estar em um triste estado de abandono, o sobrado apresenta-se conservado, com sua estrutura bastante sólida e com todo os detalhes da fachada preservados. Me parece um imóvel perfeitamente possível de ser restaurado.

No fundo do sobrado, a garagem de automóveis

É realmente lamentável ver algo tão belo prestes a desaparecer. Nossos agradecimentos à leitora Sílvia Massara  que nos alertou sobre o imóvel a tempo de irmos até o local para fotografar.

A colaboração dos leitores é fundamental para que o trabalho do São Paulo Antiga seja ainda mais eficiente.

Veja mais fotos do sobrado (clique na foto para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • André Borges Lopes 16/12/2013 at 17:57

    Em breve, mais 48 varandas gourmet “a cinco minutos do Parque da Aclimação”. O curioso é que esses empreendimentos vendem para os compradores um bairro que eles mesmos estão destruindo. Uma coisa meio surreal.

    A agradável Rua Gualaxos, que dá acesso à portaria principal do Tênis Clube Paulista, é outra que está virando terra arrasada.

    Reply
    • Isamar 17/12/2013 at 17:42

      Meu sonho era comprar uma casa na Rua Gualaxos !!!!!!!!!!!

      Reply
  • Dan 16/12/2013 at 18:10

    Viram que a casa estava em começo de reforma, pois tem um cimentado no andar de cima, mas devem ter desistido da reforma e preferiu demolir… pelo tamanho do terreno, não aparenta para fins de construção de um prédio, mas sim, de outra casa…

    Reply
  • Ligia 16/12/2013 at 22:08

    Acontece que compraram mais umas 4 ou 5 casas ao lado dessa e outras na Rua Paula Ney, que é perpendicular a ela. Com certeza o empreendimento vai ter frente para as duas ruas.
    É uma pena mesmo. Moro numa travessa da Rua José do Patrocinio e a cada dia vejo mais uma casa sendo demolida acabando com as caracteristicas desse bairro e super ocupando o espaço e as ruas que continuam as mesmas de 60 anos atrás

    Reply
  • Alexandre Fontana 17/12/2013 at 11:49

    Uma pena, nossa cidade a cada dia que passa sendo descaracterizada pela sanha predatória da especulação imobiliária.

    Reply
  • lucienne lima 17/12/2013 at 23:06

    lamentavel ver nossas memorias irem abaixo dia após dia

    Reply
  • ADEMIR RICHOTTI 18/12/2013 at 10:34

    O que poderíamos fazer para tentar brecar um pouco essa construção desenfreada de prédios em São Paulo?

    Reply
    • Lígia Maria de Oliveira 02/04/2014 at 18:51

      No Bairro do Brooklin, os moradores há alguns anos se juntaram e criaram a associação dos moradores e através de abaixo assinado conseguiram preservar o gabarito de uma determinada área que hoje não pode ser construído prédios. Defenderam e conseguiram e hoje esta área é estritamente residencial. Talvez falte os moradores da Aclimação se reunirem. Além do que qualquer pessoa pode tombar um bem, mesmo que não seja o proprietário, como Patrimônio Histórico. O que poderia ter sido feito por algum morador. Existe um formulário próprio que deve ser preenchido e encaminhado ao IPHAN, demonstrando que este bem representa valor histórico, cultural ou até natural. Se ainda não foi demolido, algum morador da aclimação poderia entrar com este formulário preenchido, o que asseguraria que não fosse demolido até que os órgãos competentes analisassem o caso. Isso evitaria a demolição da nossa história e um abaixo assinado poderia tentar manter o gabarito, evitando a construção de edifícios e a especulação imobiliária.

      Reply
  • Eliana Lucania 22/12/2013 at 17:15

    Para aqueles que tem interesse há vários movimentos contra a verticalização. Aqui na Aclimação existe a Associação de Moradores do Bairro da Aclimação, na qual ajudei a fundar, cuja luta tem sido árdua mas já obtendo os primeiros resultados.Edificio construído na Rua Armando Ferrentini estava com uma Ação Popular contestando a validade doa Alvars por esta na área do tombamento do Pq.Aclimação. Ganhamos a ação na primeira instância condenando a demolição do prédio. Quam tiver interesse junte-se aos movimentos de seu bairro.No Facebook há vários grupos.

    Reply
  • Jerri V. Reilly 30/12/2013 at 15:31

    Leitora reclama de vizinhos que jogam lixo em sua calçada18 Janeiro, 2012: Tenho um terreno na Rua Masazo Yoshimoto (fundo da minha casa) que uso inclusive como quintal. Porém, meus vizinhos de trás teimam em jogar lixo na minha calçada (que já é bem estreita). Por diversas vezes, limpamos mas não demora muito e aparece novo lixo, entulho, etc. Estivemos ontem na subprefeitura da Capela do Socorro para orientação ou ver se conseguimos uma placa oficial dizendo que é proibido jogar lixo, mas apenas disseram que não poderiam fazer nada. Não sei mais o que fazer para coibir essa prática pelos vizinhos.

    Reply
  • Jefferson Eduardo 05/02/2014 at 09:05

    A Prefeitura de S. Paulo só tem interesse em arrecadar impostos. Ela ( como as esferas estadual e federal ) não se importam nem um pouco com a preservação do patrimônio histórico-cultural, cedendo sempre a quem dá mais por um pedaço de terreno, dando livre curso à cobiça das incorporadoras. Deixa muito a desejar em áreas como saúde, transporte, educação, quanto mais com a preservação e cultura de nossa memória. Mas, se o imóvel é particular, talvez o dono não o possa manter, ou os herdeiros deste não estejam interessados na sua conservação__ eis a triste realidade!

    Reply
%d blogueiros gostam disto: