Requisito mais que obrigatório nas construções residenciais antigas, os quintais com jardins eram tão comuns que era muito difícil encontrar uma casa que não os possuísse, seja na frente ao lado ou aos fundos do imóvel. Nestes quintais encontravam-se roseiras, pés de frutas, pequenas hortas e até galinheiros.

Já hoje em dia, é raro encontrar uma casa nova sendo vendida com quintal, imagine então com um jardim. O espaço urbano tornou-se algo caro e disputado e a construção civil hoje opta quando ergue casas, por apertados sobrados construídos de forma geminada, onde geralmente o único espaço fora da casa é a garagem do automóvel.

Com isso o canto do pássaros pela manhã, o zigue-zague da abelha em busca do pólen e o vôo do Beija-flor ficaram ausentes ou distantes. Ganha-se a falsa ilusão que um conjunto residencial fechado é mais seguro e perde-se em qualidade de vida, no contato humano e na relação com as coisas da natureza. O galo cantando no despertar de um novo dia, é substituído pelo alarme de um carro que dispara aqui e acolá.

Na número 153 da rua Benvinda Aparecida Abreu Leme, em Santana, encontramos fechada e em avançado estado de abandono este bela casa térrea. Apesar da deterioração do imóvel, é possível parar e admirá-la, e assim voltar no tempo por um instante, época em que seu quintal haviam crianças brincando e que em seu jardim, hoje tomado pelo mato, árvores davam frutos e flores sarapintavam a vista. Tudo isso hoje está perdido no tempo e na memória saudosa dos que outrora ali viveram.

Veja mais fotos deste imóvel (clique para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
 

Conheça a área através de nosso mapa:

Visualizar São Paulo Antiga em um mapa maior

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • José 22/11/2011 at 12:30

    É engraçada ainda a plaquinha de “aluga”. Quem alugaria uma casa neste estado de conservação? Os donos estão perdendo dinheiro, uma simples reforma tornaria a casa muito mais atraente para quem busca uma residência para alugar.

    Reply
    • Juliana 15/12/2011 at 17:40

      Foi justamente o primeiro ponto que me chamou a atenção. Ter cuidado com o imóvel para alugar é o primeiro passo para se tornar atrativo. É triste ver um imóvel desse tão belo, tão deteriorado e saber que ninguém o assumirá.

      Reply
  • Peterson Henrique Freitas 22/11/2011 at 13:40

    São Paulo consegue ser deprimente.

    Reply
  • Peterson Henrique Freitas 22/11/2011 at 13:45

    Pelo visto essa casa tem prédios em volta. Quem vai querer morar numa casa cercada de prédios? Pros vizinhos olharem o seu jardim do 10º andar? Odeio con(mons)strutoras & imobiliárias.

    Reply
  • Felipe Herculano 22/11/2011 at 14:37

    Interessante reparar que na parte da “varandinha” da frente, tem um espaço, que normalmente ficavam imagens religiosas.
    Eu que moro em aparatamento, tenho que aproveitar um cantinho da varanda pra ter algumas plantas e vasos, imagina ter um quintalzão desse…

    Reply
%d blogueiros gostam disto: