Espalhadas por diversos pontos do país, inclusive na capital paulista, as Santas Casas de Saúde são fundamentais para o atendimento médico, especialmente de pessoas carentes, e estão presentes desde a época do Brasil imperial. Muitas delas estão em construções mais que centenárias e que estão preservadas até hoje, como a localizada no município de Descalvado.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Para entender a construção da Santa Casa de Descalvado, é preciso voltar mais de um século no tempo no distante ano de 1885. Naquela época, fim do período monárquico, a cidade estava em franco crescimento econômico e possuia vários hotéis, padarias, armazéns, tipografias e fazendas mas não tinha nenhum hospital.

E, para completar o problema na saúde pública, a região de Descalvado sofria com um grave surto de febre amarela. Isso acabou por forçar as autoridades locais a pensarem em uma solução para, principalmente, resolver a necessidade dos mais carentes que não tinham condições financeiras de irem se tratar em outras cidades. Foi ai que surgiu a ideia de criar a Santa Casa de Misericórdia de Descalvado.

Corria o ano de 1891 quando, em terreno doado por Francisco de Paula Carvalho, político e legislador local, começou a construção do magnífico prédio que seria a Santa Casa de Saúde de Descalvado. Conta-se que o mesmo Paula Carvalho, além do terreno doou importante soma em dinheiro para a viabilização da obra. A construção levaria dois anos para ser concluída e a seria inaugurada oficialmente em 4 de novembro de 1895, com a entrada do primeiro doente para fazer tratamento de saúde.

De construção eclética, o prédio tem em sua fachada um pouco da arquitetura neoclássica e até colonial, além de traços de engenharia maçônica. Desde sua construção o prédio tornou-se uma das principais referências arquitetônicas da cidade, cuja importância se mantém até os dias atuais.

Prédio da Santa Casa aproximadamente em 1900.

Prédio da Santa Casa aproximadamente em 1900.

O imóvel da Santa Casa manteve-se sem qualquer alteração estrutural significativa até o início dos anos 1960, quando sua instalações já não comportavam adequadamente o número de pacientes. Foi ai que decidiu-se pela ampliação do imóvel, concluída em 1973. Já no ano de 1982, foi inaugurada a maternidade.

Patrimônio histórico da cidade de Descalvado, o imóvel encontra-se absolutamente preservado e bem cuidado em todos os detalhes. É regularmente pintado e mantém também em sua entrada um jardim impecável. Trata-se de uma das mais belas construções históricas da região.

O curioso ano de 1893 na fachada:

Na fachada, destaque para o ano de 1893 (clique para ampliar).

Uma curiosidade da construção que até hoje não tem explicação é o ano de “1893” gravado no frontão da Santa Casa. Não há qualquer referência histórica ao ano nos documentos oficiais. O ano do início da construção é de 1891 e o de inauguração 1895. Alguns pesquisadores da história de Descalvado arriscam dizer que o ano de “1893” deveria ser o ano previsto para a inauguração e que acabou não sendo concluído a tempo.

Dados:

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Descalvado
Construção: 1891
Inauguração: 1895
Endereço: Avenida Bom Jesus, 381

Veja mais fotografias da Santa Casa (clique na miniatura para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Fernando E. Aznar 05/06/2013 at 15:47

    Outro belo exemplo bem conservado, em Amparo/ SP:
    http://j.mp/11ZETks

    Reply
  • valeria fulp 05/06/2013 at 15:54

    Belissima construcao, feita com amor e carinho. Melhor ainda e’ que foi doada ao public, quando os politicos ainda eram generosos e tinham carater e decoro. Se fosse hoje, nao so’ esse predio existiria para sua funcao, como os politicos ja teriam metido a mao no dinheiro para seus usos particulares.
    Espero que esse edificio continue sendo um monumento de honra e que o contrutor seja lembrado sempre como um homem de bem.

    Reply
  • Israel Augusto da Silva 03/12/2016 at 00:05

    Teria como confirmar se a esposa dele chamava-se Maria Jesuina de Jesus?
    Para fins de genealogia

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor