Uma cidade como São Paulo quando vista do alto, mostra-se completamente diferente de quando é observada do plano das ruas, no chão. Uma série de detalhes, nuances e curiosidades surgem através do ponto de vista diferenciado da fotografia aérea.

Foi pensando nisso que trouxemos aqui uma coleção de 30 fotografias do acervo de Carlos Fortner, fotógrafo e também piloto de aviões e helicópteros.

Foto: Carlos Fortner (Acervo Pessoal)

Foto: Carlos Fortner (Acervo Pessoal)

Com um acervo de mais de 400 mil fotografias aéreas, tiradas entre 2009 e 2012 durante cerca de 160 voos pelos céus da capital paulista, Fortner produziu material que foi utilizado por diversos órgãos e mecanismos da prefeitura paulistana, como a Secretaria de Habitação, Secretaria do Verde e Meio Ambiente, Guarda Civil Metropolitana, entre outros.

O Copan e arredores visto lá do alto (clique para ampliar)

O Copan e arredores visto lá do alto (clique para ampliar)

Para explicar melhor um pouco do seu importante trabalho e rico acervo, trazemos aqui uma entrevista com Carlos Fortner e apresentamos algumas de suas imagens mais interessantes, que foram selecionadas pela nossa equipe.

SP Antiga: Como surgiu a oportunidade de tirar fotografias aéreas de São Paulo ?

Trabalhei na Prefeitura da Cidade de São Paulo na gestão Kassab (2009-2012), primeiro como subprefeito de Parelheiros, M’Boi Mirim e Cidade Ademar, e depois na Secretaria do Verde e Meio Ambiente, como diretor de DEPAVE, depois Chefe de Gabinete, e finalmente como Secretário Municipal.

Minha formação profissional é de engenheiro civil, pela Escola Politécnica, e nos 25 anos antes de ingressar no Poder Público, tive minha própria empresa de gestão de projetos e obras. Como tal, sempre fazia acompanhamento das obras de clientes com fotos aéreas.

Desde 1980 sou piloto de aviões, e mais recentemente, de helicópteros também. Na Prefeitura, tínhamos um contrato com empresas de taxi aéreo para fazermos vistorias aéreas do território.

Catedral Metropolitana de São Paulo

Catedral Metropolitana de São Paulo

São Paulo, por ser uma cidade tão grande e tão diversificada, impõe inúmeros desafios de gestão, e o helicóptero é uma ferramenta necessária para conhecer a cidade, planejar políticas públicas, acompanhar obras, solucionar problemas.

Todos os subprefeitos e secretários tinham uma cota de voos para fiscalizar e conhecer o território que estava sob sua responsabilidade.

Vale do Anhangabau e arredores (clique para ampliar)

Vale do Anhangabau e arredores (clique para ampliar)

No meu caso, a formação de engenheiro, com a experiência de fotos aéreas, e o gosto pelo voo, deram-me uma condição diferenciada para contribuir com a gestão da cidade, e ao mesmo tempo em que me fizeram uma espécie de “coringa”, pois meus registros fotográficos foram usados por diversas secretarias e subprefeituras e até pelo Governo Estadual por ocasião das fortes chuvas e alagamentos no verão 2009-2010.

SP Antiga: Você ainda trabalha fotografando São Paulo do alto ? Caso não, por quantos anos clicou a cidade ?

Não mais – pelo menos para fins profissionais – exatamente por não mais fazer parte da gestão municipal. De qualquer forma, vez por outra, ainda vejo fotos que tirei aparecendo aqui e ali em publicações oficiais.

O extinto Playcenter, agora só mesmo em fotografias (clique para ampliar)

O extinto Playcenter, agora só mesmo em fotografias (clique para ampliar)

Infelizmente, a última gestão não fez o mesmo registro que fiz, e não houve continuidade desse importante trabalho.

Apesar de ter um acervo de cerca de 400 mil fotos aéreas da Cidade de São Paulo, tiradas no período de 2009-2012 em cerca de 160 voos pela cidade, ainda fiz alguns registros nos anos seguintes, pelo menos até o início de 2016, exatamente por ser piloto de helicóptero e ter continuado a voar sobre São Paulo.

Na foto, o Edifício Itália

Na foto, o Edifício Itália

Atualmente, morando em Brasília, vez por outra faço registros aéreos daquela cidade, mas não mais com a mesma frequência frenética dos anos em que trabalhei na Prefeitura de São Paulo.

SP Antiga: Das imagens de nossa cidade que você tirou lá de cima, qual te marcou mais, e por que ?

A Cidade de São Paulo é muito diversificada. Costumo dizer que nasci e vivi aqui por mais de 50 anos, mas antes de fazer estes registros, não tinha ideia da realidade que era esta cidade. É difícil dizer qual foto é mais marcante, dentre as mais de 400 mil que compõem o acervo.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Existem fotos impactantes, outras curiosas, outras instigantes, algumas que nem parecem ser de São Paulo, e algumas ainda de uma beleza plástica retratando uma metrópole que não para.

Vê-se coisas inusitadas lá de cima, como um pequeno veleiro flutuando numa piscina, uma espécie de “barco-avião” na represa de Guarapiranga, muita poluição, muito despejo de lixo irregular, cachoeiras quase virgens, cachoeiras de esgoto, muito desrespeito pela natureza e pelo próprio lugar onde se vive, mas também muitos ângulos bonitos.

Na foto, hangar e aeronaves da extinta VASP (clique para ampliar)

Na foto, hangar e aeronaves da extinta VASP (clique para ampliar)

Aprende-se a gostar da cidade e querer que ela seja preservada e melhorada. Mas tudo passa pela educação dos seus habitantes e envolvimento deles com o lugar onde moram.

Tudo passa por eles conhecerem seus direitos e aprenderem a não aceitar migalhas e favores de vereadores inescrupulosos que tratam seus territórios como se feudos seus fossem. Em muito, a cidade está hoje como está exatamente por isso.

O Obelisco do Ibirapuera (clique para ampliar)

O Obelisco do Ibirapuera (clique para ampliar)

 

SP Antiga: Para você, como é São Paulo vista do alto ? Caótica ? Romântica ?

Em uma frase: é uma cidade em transformação permanente.
O que eu via em um voo, na semana seguinte já era diferente. Por vezes caótica, por vezes bela, mas na maioria das vezes o que eu via era uma cidade desrespeitada por seus moradores.

Praça da República e arredores

Praça da República e arredores

 

SP Antiga: Qual o tipo de equipamento ideal para fotografias aéreas como a sua, qual dica você daria para quem quer fazer este tipo de imagem ?

Sem dúvida uma lente com estabilizador de imagem, acoplada a uma câmera de alta resolução e que permita muitas fotos por segundo. Por diversas vezes, lá de cima mesmo, conseguia ampliar a foto e identificar a placa de um veículo que fazia descarte ilegal de entulho, por exemplo.

Algumas vezes, as fotos foram utilizadas para identificar os próprios infratores, e muitas vezes serviram de prova em processos que geraram multas.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Aliás, se considerar as multas por crimes ambientais geradas a partir dos voos que requisitei e das fotos que tirei, tenho certeza que os recursos recebidos pelo município são muitas vezes superiores ao custo dos próprios voos.

Como disse, numa cidade como São Paulo, o helicóptero é uma ferramenta de trabalho imprescindível.

Foto de Max Hans Fortner

Foto de Max Hans Fortner

SP Antiga: Seu avô, Max Hans Fortner também era fotógrafo ? Conte-nos um pouco sobre ele e sobre sua famosa foto do dirigível alemão.

Ele era engenheiro-arquiteto, mas gostava de fotografia, como amador.Imigrou para o Brasil após a Primeira Guerra Mundial, nos anos 20, e aqui em São Paulo desenvolveu sua carreira a partir do zero.

Nota do blog: clique aqui para ler a matéria sobre a passagem do dirigível Hindenburg por São Paulo em 1936.

Veja abaixo a galeria com mais 25 imagens do acervo de Carlos Fortner:

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Valeria fulp 02/12/2016 at 23:56

    Cidade maravilhosa….muito orgulhosa das minhas origens…..

    Reply
  • PoisonIvy363 11/01/2017 at 21:37

    Lindas fotos.
    Faltou dizer o nome, tem algumas que não identifiquei o local.

    Reply
  • znnalinha 25/02/2017 at 16:45

    Muito legal!

    Reply
  • Daniel Pardo 19/03/2017 at 19:38

    O que mais me impressionou foi a coleção abandonada de carros antigos (entre eles um Fusca) e os “mega puxadinhos”.

    Reply
  • Paula Ikesaki 21/06/2017 at 18:59

    Juro… Me deu vontade de chorar… Saudades da minha terra!!! Amei o artigo!

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor