Houve um tempo não muito distante que a cidade de São Paulo possuía inúmeras empresas de grande porte. Estas empresas estavam espalhadas pelos mais variados bairros da cidade de São Paulo e não só fomentavam o emprego como também alimentavam toda uma vida ao redor de suas dependências. Residências, estabelecimentos comerciais, tudo ficava ao redor das empresas.

Com o passar dos anos, muitas destas empresas deixaram a cidade de São Paulo, buscando cidades com impostos menores pelo interior do estado e do Brasil e muitas outras fecharam deixando para trás suas construções, ex-funcionários e muito saudosismo.

É aproveitando a história destas grandes indústrias que por muito tempo trouxeram emprego aos paulistanos que o São Paulo Antiga passará a partir de agora a cadastrar as antigas indústrias que fizeram parte da história de São Paulo, e a primeira que temos a honra de escrever é a Satúrnia S/A.

No passado, a Saturnia S/A Acumuladores Elétricos era localizada à rua Ministro Ferreira Alves, 902/920 no bairro das Perdizes, zona oeste da cidade de São Paulo. A empresa ocupava um quarteirão inteiro do bairro e produzia principalmente baterias para veículos.

A foto do início deste texto é uma visão aérea do que era a antiga sede da Satúrnia, demolida alguns anos atrás para dar lugar a um recém construído condomínio de edifícios (vide mapa no final do artigo). A empresa produziu nesta unidade das Perdizes baterias para a grande maioria dos carros brasileiros especialmente nas décadas de 1950 e 1960, que representaram um período de ouro para a companhia.

Linha de montagem das baterias Heliar e Saturno.

Em 1954 existiam cerca de 400 fábricas de auto peças no Estado de São Paulo, que empregavam mais de 50 mil operários e técnicos. Nesta época, todos os automóveis e caminhões de São Paulo utilizavam exclusivamente baterias (então chamados de acumuladores) nacionais, a grande maioria deles fornecidas pela Satúrnia S/A através das marcas Heliar e Saturno, cuja qualidade se equiparavam as melhores marcas estrangeiras.

Publicidade – Anos 1970

Com um capital a época de Cr$24.000.000,00 (vinte e quatro milhões de cruzeiros) era um dos grandes orgulhos da indústria paulista. Seu compromisso com a cidade era tanto que foi uma das empresas mencionadas em artigo no dia 25 de janeiro de 1954,  ocasião do IV Centenário de São Paulo, pelo então jornal Folha da Manhã como um dos grandes contribuintes para a emancipação econômica do Brasil.

Com o tempo a Saturnia S/A encerrou suas atividades na região. Hoje as baterias Heliar são produzidas pela Power Solutions em Sorocaba.

A antiga fábrica que existia no bairro das Perdizes começou a ser demolida no início do século XXI e a primeira torre foi construída entre 2003 e 2004. Hoje no local temos dois edifícios e um terceiro sendo erguido. Do passado industrial protagonizado pela Satúrnia S/A só restaram saudades.

Você trabalhou na Satúrnia S/A ? Deixe um comentário e contribua para enriquecer a história da sua cidade!

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Ralph Giesbrecht 18/01/2010 at 17:07

    Chi… tem a Orion, tem a Sotema… a Orion acho que ainda existe, a Sotema já foi pro saco. Nessas duas empresas parentes meus trabalharam… A Sotema era na Francisco Matarazzo

    Reply
    • Maria Aparecida Silva 19/05/2012 at 16:27

      Gostaria de saber o que aconteceu com a RECUPERADORA DE LATAS SANTA CATARINA LTDA.. Ainda existe. alguém sabe me informar. A mesma situava na Rua Paulo Barbosa na vila carioca.
      Abraços

      Reply
    • andressa 30/01/2014 at 11:36

      por gentileza vocês sabem o cnpj da orion s.a ?
      entrem em contato por favor 11 94185-88-83 andressa …é por que uma amiga quer aposentar e não consegue por conta disso …a empresa faliu …nos ajudem
      grata de coração ..

      Reply
      • Junqueira 20/08/2018 at 09:35

        Procura a antiga Goodyear fábrica de pneus que ainda está em atividades, com outro nome no bsirrb do Belém em São Paulo. Eu consegui entrar nesta fábrica e vi algumas peças com a marca Orion. Parece que eles hoje dao donos da marca. Tavez lá você encontre a informação.

        Reply
  • Robson Souza 19/01/2010 at 06:15

    No bairro de Santo Amaro, ao lado do Shopping Boa Vista há um grande condomínio de luxo onde antes era a fábrica Calfat (têxtil). Não muito longe dali, mais ou menos atrás do Extra Interlagos ficava a fá brica de alto-falantes Novik. Tinha também uma fábrica da Coca-Cola (acho) na Av. Interlagos onde hoje está sendo erguida uma igreja e pouco antes de chegar na Ponte Jurubatuba havia a Aços Villares, quase de frente para a Avon.

    Abraço

    Reply
  • Robson Souza 19/01/2010 at 06:24

    Desculpe o flooding, mas lembrei da Dominium Café Solúvel na Av. Interlagos, da Lacta na Av. Prof. Vicente Rao esquina com Av Ver. José Diniz, da Weber autopeças na Av. Interlagos (quase de frente pra Dominium) e da Magnetti Marelli na Av. Yervant Kissajikian, próximo ao campus Interlagos da UNIB. Acho que é isso, se precisar de mais informações me manda um e-mail.

    Reply
  • João Alberto 20/01/2010 at 08:51

    Prédio da antiga fábrica de violões Giannini na Vila Leopoldina na Rua Carlos Weber com uma área de 8.000 m2 e pertencia a massa falida da construtora Encol, hoje encontra-se em abandono.

    Reply
    • amaury 27/01/2010 at 12:36

      olá, moro na Carlos Weber. em que altura fica o prédio da Giannini?

      Reply
      • amaury 02/02/2010 at 08:40

        já localizei.

        Reply
  • marcelo 15/02/2010 at 22:36

    Gostaria de saber se alguem tem noticias do que existe hoje na rua vergueiro 310, onde por decadas funcionou a fábrica dos chocolates Sonksen, firma fundada em 1888 pelo Snr. Alfred Richter, depois vendida ao Snr. Augusto Sonksen. A obra foi iniciada em 1910 e concluida em 1912. A fabrica viveu seu periodo aureo até meados dos anos 70, quando por motivos financeiros começou a decair. Tenho uma revista de 1959, exatamente quando a firma completou 70 anos de sua fundação, tem uma foto linda de quando a avenida 23 de maio era so um corrego, do outro lado tinha um barranco cheio de mato e varios casaro~es em volta. Nessa epoca a firma tinha lojas em São Paulo, na rua 24 de maio, 29 (edificio Palacio do Comercio), Rua Augusta 2310 (jardim America), e Av. São João 233, de frente ao Edificio dos correios, e ainda uma loja em Santo André sita à Rua Coronel Oliveira Lima 433. Claro que isto em 1959… No inicio dos anos 80 com o agravamento da crise financeira a firma se uniu a outra fabrica de chocolates a, Falchi. A Sonksen foi a primeira fabrica do Brasil a ter uma maquina de fazer ovos de pascoa. Era o melhor chocolate do pais, pois eles compravam o cacau bruto e beneficiavam tudo. Meu pai trabalhou lá 22 anos. Em 1982 em uma quinta feira ele chegou cedo em casa, por volta de 2 horas da tarde. Assustado e ainda com a roupa de serviço: um incendio destruiu tudo, maquinarios, caminhões, estoque, tudo… ele so teve tempo de pegar os documentos e as chaves do fuscão 72. Esse foi o fim da Sonksen, o melhor chocolate do Brasi…

    Reply
    • SPA 28/03/2010 at 20:24

      Olá Marcelo,

      A fábrica da Sonksen foi demolida.
      Mas fique de olho no site esta semana que você terá uma grande surpresa sobre esta fábrica !

      Reply
      • cristina 26/03/2011 at 23:48

        Ola! Eu li o que o Marcelo escreveu sobre a Sonksen e gostaria de saber se houve alguma novidade como o SPA comentou .
        Eu sou uma fã saudosa (heheh Idade faz isso :)) e gostaria de saber obrigada

        Reply
  • Elton Costa 24/03/2010 at 19:01

    Olá meu pai trabalho na Saturnia decada de 70, alguém sabe se ela entro em outro ramo de trabalho ou abril falencia??

    Reply
    • Gilberto Donadio 19/01/2011 at 08:02

      Trabalhei na Saturnia por quase 8 anos na década de 1991 até 1999. Nesta ocasião a empresa que era do Grupo Microlite, fabricante das pilhas Rayovac, já havai mudado a fábrica para Sorocaba para um terreno de 1 milhão de metros quadrados sedidos pela prefeitura local e com isenção de ISS por 10 anos. A mudança da Pompéia iniciou-se em 1980 e terminou somente em 1990. A princípio o terreno foi vendido para a falida ENCOL que até iniciou a construção de edifícios mas faliu antes de terminá-los no 3 pavimento. Em paralelo a gigantesca fábrica construida em Sorocaba foi trocando de donos na época em que trabalhei lá, primeiro dividindo as fábricas do parque em Automotivas e vendida separadamente para a Enertec do México e atualmente está na mão do Grupo Johnson Controls. A outra fábrica, divisão em que trabalhei, que só fabricava as baterias industriais, tais como Submarino, Tracionárias (p/empilhadeiras), estacionárias para nobreaks e telecomunicações, foi vendida primeiro para o Grupo Brasileiro Sul América de Seguros que comprou a empresa somente para revendê-la, o que o fez para um grupo Inglês chamado BTR que também tinha comprado um grupo de baterias Europeu chamado Hawker e a Saturnia passou a chamar-se me 1996 de Saturnia Hawker. Após isso a empresa foi vendida p/ o grupo EATON, exatamente quando saí de lá, em 1999. Depois disso, fiquei sabendo que foi vendida mais uma vez para o grupo ALTM do Rio de Janeiro que definitivamente levou a empresa a falência.

      Que trizteza! Amava aquela empresa.

      Reply
      • Paulo Roberto 04/09/2013 at 21:16

        A Satúrnia foi o meu primeiro emprego. Comecei no Departamento Pessoal.como Aprendiz de Calculista, Depois tive a oportunidade de trabalhar como office-boy da Diretoria: (Srs.. Hans Gummersback, -ao qual chamávamos Sr. João – Sr. Hans Alexander Von Uslar e Cláudio Roberto Heichheimer onde a secretária era Da. Wilma). Após isso tive uma oportunidade no Faturamento sob a direção do Sr. Sylvio Luzzi, Tinha na ocasião 17 anos, o Sr. Silvio confiou no meu trabalho e ocupei a 3.a mais importante posição naquela seção, controlando o estoque de baterias das filiais de todo o Brasil, que naquela época eram 24 filiais. Agradeço a grande confiança que o Sr. Sylvio Luzzi teve em confiar no menino que eu era. Graças a DEUS não o decepcionei. O Aldecir (que também postou) trabalhou no Faturamento também. O Romeu era o assessor do Sr. Sylvio, Tínhamos o Babá (João de Faria Filho) um humorista. O Roy, O (Ranchinho), e outros mais. A sessão de Faturamento era um verdadeiro Programa de Humorismo. Embora desenvolvêssemos todo o trabalho com seriedade. Brincávamos o dia inteiro. Foi muito bom, ganhei grandes experiências na Satúrnia. Eu era conhecido como Paulinho.

        Reply
      • Paulo 17/10/2017 at 12:55

        Olá, Gilberto
        Eu trabalhei na Eaton Power Solution e atualmente ainda é a dona da fabrica de baterias Saturnia.

        Reply
    • Ednilson D. Beltrame 11/04/2014 at 23:54

      Nessa época anos 70 ela ja era da Microlite e se mudou em 76/77 se não me engano para Sorocaba, meu Pai saiu antes de irem pra Sorocaba, trabalhou 19 anos lá.

      Reply
    • Rogério Araújo 20/08/2018 at 00:24

      falencia oficial em 2016 mas ja tinham mudado para sorocaba.

      Reply
  • Patricia 05/05/2010 at 15:03

    Uau, minha casa é ali do lado. Quando mudei ainda existia a Saturnia, mas estava desativada. Hoje só aqueles prédio feios. Amei este site, uma viagem no tempo.

    Reply
    • Sérgio 28/04/2011 at 11:13

      Olá, Elton, Gilberto e Patrícia.
      Continuo também morando ao lado onde era a fábrica da Saturnia e trabalhando nela desde 74.
      Estamos atualmente com a fabrica na cidade de Sorocaba, operando com mesmo ramo de baterias para telecomunicação,tracionárias (p/empilhadeiras)e até para submarinos da Marinha Brasileira.
      Abraços.

      Reply
      • silvia 04/06/2013 at 17:06

        Sergio , você conheceu meu pai ? Ele era responsável pelo faturamento – Sylvio Luzzi .

        Reply
        • Paulo Roberto 04/09/2013 at 21:20

          Sílvia. o seu pai foi meu chefe. Agradeço a grande oportunidade que ele me deu. Pois eu era um, menino e ele me entregou a responsabilidade da 3.a posição mais importante no Faturamento.. Abraços.

          Reply
      • Lucilene Ferreira 18/09/2018 at 11:57

        Oi Sergio, vi aqui sua mensagem que vc continua trabalhando na Saturnia, eu estou tentando conseguir algum telefone de contato da empresa, para solicitar uma documento para meu pai! vc teria esse contato para me passar? como faço para falar com a empresa? desde ja agradeço

        Reply
  • Mauricio 11/05/2010 at 17:53

    Puxa! Quanta saudade! Eu adorava o chocolate Sonksen. Era sem dúvida o melhor do Brasil. Nos idos dos anos 70, quando eu era moleque era dificil de achar aqui no Rio, mas tinha um supermercado no Centro onde se encontravam as barras e as latinhas de balas. Eu tenho uma latinha guardada até hoje! Eu li uma reportagem dizendo que a firma fechou por má gerencia, ela tinha grande demanda pelos seus produtos, mas não conseguia atender a procura e não possuia capital de giro. Uma pena! Nos dias de hoje são raras as empresas brasileiras, a Garoto já foi, a Mate Leão também. Saudades…..

    Reply
  • Moacyr 20/05/2010 at 13:23

    Respondendo ao Marcelo:
    Na R. Vergueiro, 310 hoje existem uns prédios. Se bem me lembro, a fábrica da Sönksen (com trema) ficava na parte baixa da rua, cujo nome não me lembro, e que não tinha saída (talvez fosse Vergueiro mesmo, não estou certo). A Rua Vergueiro tinha uma pista só, que era parte alta. Quando houve a duplicação da Vergueiro é que essa ruazinha passou a ser a segunda via (sentido bairro). Um pouco mais acima da Sönksen ficava o Cine Leblon, que também já não existe mais há décadas e mais acima ainda, hoje é o Centro Cultural São Paulo.

    Reply
    • SPA 20/05/2010 at 23:48

      @Marcelo e @Moacyr

      Aguardem para o final da semana que vem uma matéria especial, extensa e exclusiva sobre a antiga Sönksen.

      Reply
      • silvia del gallo 21/05/2010 at 15:49

        Sempre acreditei que nesta vida estamos todos conectados. Hoje, sem mais por que, me veio à memória o sabor dos chocolates e balas da Sönksen.
        Todos em especial, sem exceção! As balas de frutas, a de cevada e o maravilhoso chocolate. Dando uma busca na Internet, deparei-me com sua chamada sobre a Sönksen. Aguardarei a publicação! Ansiosamente!

        Abraços

        Reply
      • João santos 24/08/2010 at 23:32

        Boa noite, amigo
        Sou um amante de chocolates e cheguei a distribuir chocolates
        sonksen na região de Mogi das Cruzes / SP. Fiquei muito
        triste qdo recebí a notícia que havia incendiado. Comí muito
        a famosa língua de gato, os bombons e ovos de páscoa. Fico aguardando mais noticias da sonksen. Se tiver fotos
        referente aos produtos gostaria de relembrar.
        Um grande abraço pela matéria especial.
        João santos

        Reply
      • luis toledo 01/01/2011 at 21:14

        minha esposa ao revirar velhas lembranças encontrou uma lata na cor branca de formato oval com a inscrição azedinhas sortidas sonksen, gostaria de obter mais informações sobre este produto, tipo até quando foi produzido, aceitação no mercado, enfim um pouco de sua historia.
        ressalto que até o momento este foi o local virtual onde encontrei mais informações sobre este assunto.
        meu obrigado antecipado.

        Reply
        • Douglas Nascimento 01/01/2011 at 23:30

          Luis,

          Consegui com os familiares da Sonksen muito material inédito sobre a fábrica. Devemos publicá-los ainda em janeiro! Aguarde!

          Reply
          • João Rodolfo 18/01/2011 at 19:14

            Curiosamente estava nos primeiros dias de janeiro de 2011 de férias em Ubatuba – SP, e enquanto brincava com meu netinho na piscina, e conversando com meu irmão, as lembranças do passado vieram a tona, e começamos a relembrar os deliciosos chocolates Sonksen. Lembro o gosto do chocolate Paracajú (uma barra grande com cerca de 200 gramas de chocolate com castanhas de cajú e do Pará, em grandes tabletes com a palavra Sonksen gravada em baixo relevo), não me lembro de ter comido chocolate mais gostoso nem entres os importados. Meu irmão já lembrou-se com saudades das deliciosas balas de cevada, que vinham caprichosamente acondicionadas em latas de metal com formato ovalado. Comentei então que iria pesquisar na internet quando retorna-se a S.P., e encontrei este site com tantos outros aficcionados pelos mesmos chocolates.Vou aguardar anciosamente pelo material que voce diz ter conseguido junto a família Sonksen. Lembro-me bem da notícia do incêndio na fábrica e como isto me intristeceu na época.Parabens pelas informações e vou aguardar ancioso por mais notícias. um grande abraço.

          • Douglas Nascimento 19/01/2011 at 09:13

            Olá a matéria da Sonksen será publicada na Páscoa!

          • Selma Cristina 30/03/2011 at 21:39

            Ola Douglas.

            Vi seu comentário que sairá matéria sobre a Sonksen. Trabelhei na Casa Falchi e após passou a ser Sonksen. Eu era muita menina quando comecei na Casa Falchi. Atualmente estou entrando com recurso na Previdencia para ver se consigo me aposentar por tempo de contribuição. Se você conhece ou souber de alguem que trabalhou na Sonksen ou Casa Falchi por volta de 1978 a 1981. E puder me dar alguma informação extra. agradeço.

  • Marcelo 29/05/2010 at 17:23

    Aguardo ansiosamente a matéria, fiquei muito satisfeito com a noticia e agora sou mais admirador do site ainda. Abraços e parabens pelo trabalho realizado.

    Reply
  • josé roberto andrade amaral 13/09/2010 at 21:24

    Muito bom o texto do Marcelo sobre a Sonksen. Apenas quero esclarecer que a rua Augusta termina na rua Estados Unidos. Só aí é que coméça o Jardim América, terminando na rua Groenlandia.
    A rua Augusta,no trecho entre Av.Paulista e rua Estados Unidos,fica no bairro de Vila América. Tenho o mapa dos loteamentos originais de Jardim América, e Vila América.
    Não confundir: São dois bairros distintos.

    Outra coisa: a rua Min.Ferreira Alves náo fica no bairro de Perdizes.
    Ela fica no bairro de Vila Pompéia, no Distrito de Perdizes.
    Perguntarão se não é a mesma coisa?
    NÂO! Não é.
    Não devemos confundir “Bairro” com “Distrito”.
    Um Distrito engloba vários bairros.

    Reply
    • Jorge 29/11/2012 at 00:58

      Oi José Roberto.
      Achei muito esclarecedora a sua explicação sobre o distrito de perdizes e o bairro vila pompeia… Digo isso pois moro por aqui e cada um fala uma coisa… já me irritei muito com isso…. Valeu!

      Reply
    • maria dalva orlando 14/10/2017 at 12:05

      Pompéia não é Perdizes, aliás a fábrica da Saturnia ficava mais para o lado de V. romana do que Perdizes, mas ainda é Pompéia. Nasci e me criei lá. E ainda fico irritada com a confusão, embora não resida mais nesse bairro querido.

      Reply
  • Ligia 19/10/2010 at 14:22

    Tbm comi muito chocolate sonksen…amava, até hoje sinto o cheiro e o gosto. Minha tia trabalhava lá, a gente comia muito. Saudade desse sabor da minha infancia.

    Reply
    • Selma Cristina 30/03/2011 at 21:38

      Ola Ligia será que conheço sua tia. trabalhei na SOnksen e procuro alguem que tenha trabalhado lá

      Reply
  • Inês 19/12/2010 at 20:17

    Nossa! estou até arrepiada, não esqueço nunca o sabor desse chocolate na minha boca, meu primo trabalhava nessa fábrica e sempre tinha chocolate na casa dele, na Páscoa eu ganhava o mais lindo Ovo de Páscoa, era tão grosso que eu não conseguia quebrar a casca e vinha muuuito recheado com bombons e balas deliciosos e também vinha com um enfeite de feltro. Ai que saudades!!

    Reply
  • Clelia Person Lammardo 20/12/2010 at 22:40

    Douglas
    No Pari, não podem ficar de fora empresas fechadas há muio tempo, como: Tostines (bolachas) Kids (balas)(antiga Confiança)e Fábrica de Doces Neusa. Estas duas empresas contribuiram para que o Pari, por um bom tempo, fosse conhecido como Bairo Doce.
    O antigo prédio da Confiança foi construído pelo meu Avô Idérito de Souza Trovões, construtor de muitos imóvis do bairro. Hoje, só resta a Fábrica Bela Vista e alguns poucos depósitos de doces.
    Outra grande indústria importante foi a Fábrica de Alumínio Globo.
    Clelia

    Reply
    • Douglas Nascimento 21/12/2010 at 09:51

      Clelia

      A fábrica de Doces Neusa foi fundada pelo avô da minha esposa. E Neusa, que dá nome à marca, é o nome da tia mais velha da minha esposa.
      Curioso né ?

      Reply
      • Douglas Estevam Castro 18/02/2011 at 10:08

        Bom dia Douglas,

        Meu nome é Douglas e minha mae trabalhou na fabrica de doces neusa a muito tempo atras e precisa recuperar registros a fim de conseguir aposentadoria. gostaria de saber se vc pode me ajudar de alguma forma?
        grato pela ajuda

        Douglas Castro

        Reply
        • Douglas Nascimento 18/02/2011 at 10:47

          Oi Xará!
          A minha família não ficou com a Doces Neusa até o fim, foi vendida. Vou fazer o seguinte: Vou falar com a Neusa (rsrs a que dá nome à fábrica) e perguntar quem foi o último dono e se tem contato, ok ? Ai passo para você…

          Reply
          • Douglas Castro 21/03/2011 at 12:35

            Olá Douglas, só vi sua resposta hoje! bom, grato demais por sua atençao, continuo no aguardo e na busca de algum contato.
            Penso que seria melhor falarmos por email q acha?
            O meu é castrodouglas@hotmail.com

            mais uma vez grato pela ajuda, qualquer novidade por gentileza entrar em contato.
            Se preferir meu Cel. é 12-78137327

            Valeu mesmo

            abraço

            Douglas Estevam Castro

          • Francisco Costa 19/04/2013 at 16:58

            Caro Douglas
            Não me recordo de voce mas passei inúmeros natais na casa do seu avô,jardim santana, voces devem ter filmes em 16 mm deste natais onde posso dizer passei varios, com meus pais Nelson e Emilia e meus avos Jose da Silva e Dona Amelia Marques da Silva. fiquei ocntei de reencontrar alguem desta familia muito querida, que acredito serem da mesma terra em portugal

      • Eliezer A Andrade 04/03/2012 at 00:49

        Olá, voces tem fotos dos carros de entrega, fazem parte da minha infancia, gostaria de ter uma.

        Reply
      • Aurelio 07/11/2012 at 16:33

        Olá Douglas, pergunte a Dona Neusa ..rsrssr se era lá que faziam a paçoquinha PILANTRA de chocolate. Aguardo retorno, obrigado.

        Reply
  • Clelia Person Lammardo 22/12/2010 at 21:35

    Eu sei, pelo que já li nos seus comentários, que vc gosta do Pari. Então, vc tem um pezinho aqui? É interessante, como através dos comentários, nossas histórias vão se entrelaçando.

    Douglas, este site faz muito bem para todos nós porque nos permite lembrar de coisa passadas e que nos são gratas, que nos fizeram felizes.
    Parabéns.

    Reply
  • Miguel Cardoso 30/01/2011 at 16:18

    Moro em Guarulhos desde 1977,aqui também tinha uma
    Fabrica da saturnia Acumuladores Eletricos,nos anos
    1980 fechou e foi demolida…Abçs.

    Reply
  • waldir de oliveira 25/02/2011 at 22:11

    E SAO PAULO CONTINUA PERDENDO INDUSTRIAS, A PROXIMA REGIAO QUE VAI FICAR VAZIA É SANTO AMARO, DEVIDO A RESTRIÇAO DE CAMINHOES GRANDES NA MARGINAL PINHEIROS, NAO EXITE ACESSO DURANTE O DIA E A NOITE QUASE NENHUMA FABRICA GOSTA DE RECEBER MATERIAIS.

    Reply
    • Maristela de Brasília 13/05/2011 at 02:11

      Gostaria muito de saber que vc é o Waldir que morou aqui em Brasília, em especial no Nucleo Bandeirante, no Hotel Paraizo.

      Reply
  • Taka 02/04/2011 at 05:31

    Falando em antigas fabricas não podemos esquecer a antiga fabrica da Avon Cosmeticos que ficava na Av. Jão Dias onde hoje é o Cursinho Anglo.Eu trabalhei lá de 1975 até a +- agosto de 1976 quando foi feita a mudança para onde está hoje na Av.Interlagos onde trabalhei por 24 anos.O meu filho fez cursinho neste predio da J.Dias.

    Reply
  • claudia 17/05/2011 at 17:12

    minha mãe trabalhou na Saturnia, tem registro emcarteira de 04/05/1966 como servente, ela chama-se Gerusa.

    Reply
  • carlos 08/08/2011 at 15:03

    SATURNIA esta com muitos problemas financeiros.Desde que o grupo ALTM comprou, a empresa esta esta passando por muitas dificuldades financeiras.Esse grupo vai falir essa empresa de vez, e não é por falta de pedidos, mas sim uma má administração.
    Recentemente ela assinou um contrato com a marinha do brasil, para a fabricação de baterias de submarino, mas a Saturnia não vai conseguir cumprir com o acordo.Pena

    Reply
  • Gisele 19/12/2011 at 14:25

    Boa Tarde Amigos,
    Estou com muita difículdade em encontrar o número de telefone da empresa Orion S/A que fica no Brás.
    Se Alguém tiver alguma informação por favor, me envie.
    Obrigada

    Reply
  • Antonio Hilton Ribeiro 16/01/2012 at 18:21

    Que saudades da Saturnia. Vou tentar relebrar aqui pra vocês um pouco que sei sobre a Saturnia. Essa empresa na decada de 50 trabalhava com depositários Fieis. O primeiro depositário da Saturnia, foi o Snr. Onofre Benetti de São José do Rio Preto, o segundo o Snr. Guerino Seiscentos de Bauru. A minha familia entrou para essa empresa através de meus tios, Anderson e Paulo Ribeiro que foram depositários em Presidente Prudente. Nessa época o proprietário da Saturnia era o Snr. Mario. Meu Pai entrou na empresa em 1963, como distribuidor na cidade de São Paulo. Nossa empresa chamava-se INDUPAR – Induzidos e Partidas, e era localizada a Rua Freira da Silva nº 178 no Cambuci. Para esclarecimento, na cidade de São a Saturnia so trabalhava com distribuidores. Em 1972, mudamos para Araraquara, como depositários. Nossa empresa em Araraquara chamava-se Cobara Comércio de Baterias Araraquara Ltda. Em 1977 fomos transferidos para São José do Rio Preto. Em 1980 a Saturnia foi vendida, acabou com sistema de depositários Fiéis. Realmente a Saturnia deixou muitas saudades, de nossas conferencias, do Daniel Alves, do Chico, do Snr. Joaquim, e muitos outros que ficaram na saudade. O tempo se vai, mas as coisas boas são eternas.

    Reply
    • Bene miranda 22/10/2012 at 19:28

      Saudades mesmo. Tenho estas fotos tambem da Saturnia. Meu pai trabalhou na Saturnia, pois na época morávamos na rua Gurupa, ele saiu nesta fotos. Hoje ele esta com 82 anos, trabalhou na Matarazzo em frente ao Palmeiras tambem

      Reply
      • Wilson Justino de Oliveira 16/07/2013 at 02:06

        Meu pai Antonio Justino de Oliveira tambem trabalhou na Saturnia. Começou lá aos 13 anos como faxineiro, depois portaria.Fez Senai na Rua Tagipuru..Tendo terminado o curso de torneiro mecanico aina trabalhou na Saturnia por alguns anos tendo sido transferido para a Lonaflex que ficava ao lado da Saturnia. Saturnia e Lonaflex eram dos mesmos donos. Em 21 de abril de 1960 a Lonaflex inaugurou sua nova sede na Avenida dos Autonomistas, Vila Iara ,Osasco onde meu pai trabalhou até se aposentar. ficou afastado 2 anos. a L ok naflex o chamou novamente . Voltou e trBalhou mais 4 anos. Me pai faleceu em 1988. Também trabalhei na Saturnia de 68 a 69 onde tambem fiz o Senai.Tenho várias fotos de meu pai ainda jovem com amigos da Saturnia e Lonaflex.Também tenho uma foto da inauguração da Lonaflex em Osasco. Caso tenha interesse em manter contato meu email é w.justino.oliveira@uol.com.br meu nome é Wilson

        Reply
  • Edison Carvalho 22/02/2012 at 16:22

    O Sr. Joaquim, salvo engano já falecido, anos depois ficou Sócio da Distribuicão Cobater com o Francisco Navarro de Lucca, o Willian, e o Sebastião com as instalacões alí na Mooca próximo ao Juventus…….!!!!!

    Um Gerente Nacional de Vendas de boas recordacões foi o o Gil Bueno dos Santos…….!!!!!

    Reply
  • Marcos 01/03/2012 at 16:50

    Olá aqui na região de santo amaro tem muita empresas que mudaram, por exemplo: cartepillar fabrica de tratores, hoje é o shopping sp market, ao lado tinha a carbono lorraine, e outras como a giroflex, monark, rolamentos fag, brassimet, upt, telemecanic, inclusive a ultima empresa onde eu trabalho: knorr bremse irá para itupeva no fim desse ano. Só saudades.

    Reply
  • Sergio de Castro 08/03/2012 at 20:21

    Visitava a Satúrnia para assinar contrato de publicidade diretamente com o Presidente da Empresa, Dr. Aldo Rabioglio que era rotariano ativo e dotado de grande sensibidade social.
    Como jornalista também elaborei muitas matérias sobre essa Empresa de ponta em São Paulo.Foi um profícuo período entre as décadas de 60,70 e 80. Inesquecível.
    Sérgio de Castro

    Reply
  • carlos 20/03/2012 at 16:45

    trabalho nessa empresa há mais de 15 anos, e situação igual a essa que estamos passando, não desejo a ninguem.Esse grupo que esta no comando da saturnia, só esta nos fazendo mal….são 150 funcionarios que restou…e não pedimos a conta, porque temos fé que essas pessoas vendam a empresa…temos carteira…mas não temos materia prima…como pode esse grupo querer acabar com uma empresa com mais de 80 anos?isso é que todos nos perguntamos…

    Reply
    • antonio 23/11/2012 at 21:20

      vc conhece um homem que se cham agrinspio

      Reply
    • Jorge 29/11/2012 at 01:00

      Olá Sérgio.
      Vi que trabalhou na Saturnia da Pompeia e continua morando por ali…
      Eu tive interesse em comprar um abartamento nesse terreno onde atualmente é o condomínio Villa Bella e me falaram para não fazer isso pois o solo é contaminado pela fábrica de baterias…
      O que acha disso? É verdade?

      Reply
    • Lucas 03/08/2013 at 16:42

      Eu abri uma fabrica de baterias industriais em Santa Catarina e conheci o Sr. Raimundo, pessoa muito boa que trabalhou muitos anos na Saturnia. Ele conta que era uma fabrica que tinha a melhor bateria do Brasil, porém ultimamente as noticia que temos é que a Saturnia está quebrada.

      Reply
  • Antonio Hilton Ribeiro 29/03/2012 at 20:10

    Edison
    O Snr. Joaquim ainda esta vivo, e reside em Araraquara. Você teria por acso o contato do Chico.
    Hilton

    Reply
    • Edison Carvalho 06/02/2016 at 18:12

      Que Bom……………!!!!

      Dias atrás encontrei o Gil Bueno dos Santos na agência do Bradesco em Rudge Ramos – SBC – Est. de S. Paulo. Ainda se acha na ativa com Negócio de Utilidades domésticas………….!!!!!

      Êle também perguntou pelo Chico Navarro de Lucca……………..; provavelmente ainda se acha na Cobater com o William e o Sebastião……………..; fica ali atrás do Juventus na Mooca………!!!!!

      Reply
  • Ana Maria Bejatto 03/04/2012 at 05:31

    Olá, preciso de notícias sobre uma fábrica de doces no Bairro Alto do Pari, próximo á Rua Canindé, esqueci o nome, onde Sr. Antonio Pinheiro marido da Dona Zoraide, pais de Luís, Sandra que moravam na Vila Medeiros, poe favor entrem em contato comigo
    e-mail maria_bejatto@hotmail.com
    Obrigada

    Reply
  • antonio 23/11/2012 at 21:14

    trabalhei na satúrnia da pompeia tinha um grande amigo por nome Agrinspio apelido (lopes) trabalhávamos no almoxarifado quando a saturna foi embora pra vila maria perdi o contato com ele gostaria muito se alguém conhecesse ele e pudesse me passar o endereço ou telefone dele ficarei muito grato..

    Reply
    • Sergio 13/11/2013 at 21:58

      Oi Antônio, também trabalhei na Pompeia principalmente quando tínhamos inventário geral na fabrica, lembra-se. Você, o Lopes entre outros foram grandes colaboradores das contagens físicas.
      Depois da Vila Maria, toda a fabrica (Saturnia equipamentos eletrônicos) e os escritórios da Vila Olímpia (Rua Funchal) acabamos sendo transferidos para Sorocaba e o Lopes que morava em Guarulhos assim como eu que ainda moro na Pompeia acabamos indo também. Felizmente no inicio a Saturnia disponibilizou ônibus e viajávamos todos os dias. O Lopes fez essa vida ainda por um ou dois anos, sendo demitido. A partir dai perdemos o contato com o Agrinspio (Lopes), espero que esteja bem. Sinto muito não poder ajuda-lo
      Um grande abraço.
      Muito Obrigado!

      Reply
  • Marcelo 07/12/2012 at 14:35

    Meu pai (Itagyba) trabalhou na Saturnia de Guarulhos onde foi a Rayovac, mais precisamente no bairro da Vila Augusta, que hoje é um dos mais valorizados de Guarulhos (tanto que as construtoras gastam milhões em despoluição de solo).
    No mesmo bairro existiram outras grandes empresas como a Olivetti (maquinas de escrever), Philips (Eletronicos), Fracalanza (baixelas e travessas em inox, Editora FTD….etc.
    O bairro estrategicamente era o ideal, pois se localiza as beiras da rodovia DUTRA e FERNÃO DIAS.
    Porem com o avanço do setor imobiliário e do alto valor do IPTU elas se mudaram ou fecharam.

    Reply
  • Mario L Felipe 28/01/2013 at 12:14

    Meu pai, trabalhou 27 anos, se afastou-se em 1972 por problema de doença, teve avc, onde na epoca estavamos já preparando para ir par Sorocaba, assim a familia teve que continar ainda em São Paulo. Minha mãe também trabalhou na Saturnia, foi la que eles se conheceram, e se casaram em 1954, onde eu vim a nascer em 1955, sendo assim eu o primeiro produto desta empresa. Meu padrinho Milton, sobrinho do sr. Mario diretor comercial, também trabalhou, pois esta empresa era uma grande familia, tenho mais de 20 fotos das festas, das reunião etc. Passei a minha infancia todos os domingos de manhã na fabrica, pois meu pai na epoca era o chefe de manutenção da industria e também chefe da oficina, onde eram criadas as peça das maquinas e estas não tinham no mercado como hoje tudo tinha que ser criado. A empresa teve alguns incendios, e quando isto ocorria qual era o primeiro a ser chamado, meu pai, é claro alem dos executivos o diretor de producao o Engenheiro, Sr. Remo, que morava na city da Lapa, alem deste lembro do Sr. Atos, que morava na Rua Padre Chico com a Caraibas,os moravamos na vila Romana, Sr Mario morador na av Pompeia na frente do hospital, e mais , eu na infancia conhecia todo mundo. Dr. Arnaldo, era o medico que ficava na fabrica, veja um medico na industria já na decada de 50. E tudo mais, por exemplo o goleiro Rafael do Santos é de Sorocaba, mas o seu avo foi transferido, Sr. Celso morava na rua Diana. Lebra das idas ao autodromo de Interlagos, onde, ond a empresa tinham um box, principalmente nas 24 horas de Interlagos. Eu adorava o chero da industria, aquela que a borracha misturada com outros componetes fabricava a caixa. Eu achava que iria trabalhar lá, mas infelismente não deu. sou engenheiro mas não mecanico sou civil, mas o sonho era trabalhar emfabrica. Belos tempos aquele. E tem o time de futebol da empresa que jogava todos os sabados, no Nacional é claro. Tem alem destes nomes o tinha o Sr. Walter, Sr. João Tosareli, Edson, Etc.

    Reply
    • Silvia 06/09/2013 at 10:50

      Mario , meu pai Sylvio Luzzi trabalhou lá 26 anos ( de 1953 a 1979 ) , o escritório cujo comando do faturamento era dele , ficava na rua Padre Chico e passei a infância em contato com boa parte dessas pessoas que você mencionou … Meus pais se casaram em 1954 e o Dr. Arnaldo foi o médico oficial da família durante anos … na verdade minha mãe hoje aos 80 ainda fala de todas as recomendações e orientações dele . No ano passado , seu filho também médico ( Dr. Arnaldinho faleceu de câncer ) , minha madrinha agora com 87 anos era paciente dele e compareceu ao enterro .Falamos de uma São Paulo especial , de doces lembranças , pessoas de fibra que colaboraram muito no desenvolvimento dessa cidade e de uma época que sem dúvida deixará eternas e maravilhosas recordações …

      Reply
      • Sergio 13/11/2013 at 20:58

        Oi Silvia, você me perguntou se conheci seu pai, conheci sim porem tivemos pouco contato porque em 1974 quando entrei na Saturnia na Ministro Ferreira Alves, foi para trabalhar no escritório da fabrica junto à diretoria financeira que naquela época era o Sr. Hans Alexander Von Uslar e que foi muito bem lembrado pelo ex funcionário ( que também postou) Paulo Roberto o “Paulinho” que também trabalhou com seu pai.
        Tenho saudades das pessoas de todos os locais da Saturnia onde trabalhei como Pompéia, Vila Olímpia (Rua Funchal), Guarulhos (prédio da Microlite), Sorocaba, Valinhos (fabrica de container Cargo Van) e atualmente Sorocaba novamente.
        Hoje com 39 anos de Saturnia não tenho nenhuma critica a fazer, muito pelo contrario, só tenho que agradecer a todos principalmente a atual diretoria bem como também as anteriores, pela paciência e colaboração que tiveram comigo.
        E que DEUS abençoe e ilumine a todos os que foram funcionários estejam eles vivos ou não e onde quer que estejam.
        Muito Obrigado!

        Reply
        • Maciel José dos Santos 27/06/2014 at 10:16

          Olá pessoal, trabalhei na Saturnia no período entre 20/07/1987 e 05/04/2010, sendo quase 23 anos onde convivi com muita gente maravilhosa. Comecei na fábrica da C&D em Santo Amaro (1987 a 1992), depois fomos para Guarulhos (1992 a 1996) e finalmente para Sorocaba (1996 a 2010), onde resido atualmente. Infelizmente os últimos administradores levaram a empresa á falência, o que me entristece muito, pois éramos uma verdadeira família e muita gente foi prejudicada pela irresponsabilidade desses maus administradores (Grupo ALTM). Hoje trabalho na Schneider em Cajamar e gostaria de contatar aqueles que por força do destino tivemos que tomar rumos diferentes na vida, para tal, deixo meu telefone atual (11) 3215-8486. Um grande abraço a todos…..

          Reply
        • Paulo Roberto (Paulinho) 30/06/2014 at 01:41

          Sérgio, tudo bem? era muito gratificante ser funcionário da Satúrnia. Sr. Uslar, Sr. Hans Gummersback e Claudio Roberto juntamente com a Secretária Da. Vilma deram-me a oportunidade de um início de vida profissional muito consistente.
          Que DEUS abençoe a vc e família.

          Reply
        • Alexandre 23/08/2018 at 13:00

          Boa tarde! Minha mãe trabalhou no Grupo Microlite por mais de vinte anos, trabalhou na Saturnia, Lipasa, Rayovac, em Guarulhos, na Rua Funchal (Vl. Olímpia), na filial da Microlite de Riberão Preto. Eu lembro quando ela foi promovida para ser Chefe da Filial de Ribeirão Preto e nos mudamos para lá. Eu lembro dela comentar ser uma excelente empresa para trabalhar.

          Reply
    • Ednilson D. Beltrame 12/04/2014 at 00:08

      Mario L. Felipe, meu Pai Irineu Beltrame, trabalhou na Satúrnia 19 anos ( até 74 +-) e sempre falava muito do Sr Remo, meu Pai cuidava se não me engano da Expedição.

      Reply
      • Ednilson D. Beltrame 13/04/2014 at 00:40

        Corrigindo, me lembrei agora… Meu Pai era chefe

        Reply
      • Paulo Roberto (Paulinho) 30/06/2014 at 01:47

        Ednilson, tdo bem. Trabalhei com seu pai na Satúrnia. Ele na verdade era chefe de um setor que controlava a produção diária de baterias. E eu, que trabalhava no faturamento tinha de confrontar diariamente o meu trabalho relacionada aos números de produção produzidos por ele. Tive experiências muito gratificantes no trabalho com o Sr. Irineu. Um abraço.

        Reply
        • Ednilson 30/06/2014 at 19:59

          Obrigado pela atenção em responder, grande abraço.

          Reply
  • berti.regina@yahoo.com.br 10/04/2013 at 13:35

    preciso muito do telefone e endereço da saturnia, para fins de aposentadoria, será que alguem pode me ajudar

    Reply
  • Aldecyr Antonio Zani 26/07/2013 at 16:21

    Treabalhei na Saturnia S/A, Rua Ministro Ferreira Alves 920, Perdizes São Paulo, np período de
    13/08/70 a15/10/72, moro em Vitória no ES. Gostaria que me fosse fornecido o endereço e o E mail
    da SaturniaS/A, para que eu possa estar sempre mentendo contato. Um forte abraço a todos
    ATT
    ALDECYR ANTONIO ZANI – TEL contato 27 30329288 ou 27 92535317
    Fico aguardo uma resposta obrigado
    Meu E-mail cymbalta5050@gmail.com

    Reply
    • Paulo Roberto 04/09/2013 at 21:28

      Tdo Bem Aldecyr? Sou o Paulinho. Trabalhamos juntos no Faturamento. da Satúrnia.; Abraços.

      Reply
      • Aldecyr Antonio Zani 06/09/2013 at 11:20

        Obrigado Paulo Roberto por ter lembrado de minha pessoa, lembro muito bem, quando
        cheguei em São Paulo, trabalhei no arquivo da empresa , este departamento ficava na
        parte externa da empresa, tinha inclusive uma pessoa que trabalhava comigo que se
        chamava Doroteu, depois fui trabalhar no faturamento com borderôs bancários. Fico
        muito feliz de saber que ainda tem colegas que lembram da gente. Caro amigo um
        grande abraço do Ex colega de Saturnia ALDECYR ZANI. que Deus abençoe você
        e toda a sua família

        Reply
        • Paulo Roberto 16/09/2013 at 02:49

          Que DEUS também abençoe os seus Aldecyr

          Reply
          • wilma silva gomes 22/10/2013 at 23:42

            WILMA SILVA GOMES

      • Ednilson Damião Beltrame 13/04/2014 at 00:45

        Voces devem ter trabalhado com meu Pai, Irineu Beltrame, ele trabalhou 19 anos na Satúrnia até 1974 + – era chefe do almoxarifado.

        Reply
  • wilma gomes 22/10/2013 at 23:46

    ola pessoal alguém sabe a respeito de uma empresa ligada a Saturnia anos 70/72, que se chamava ALIANCA MERCANTIL LTDA , rua Cantareira 22 centro de são Paulo, já extinta desde 1980, trabalhei la a 40 anos e por motivos de aposentadoria presiso urgente saber se alguém tem alguma dica dos livros desta extinta empresa, que tb era da SATURNIA ACUMULADORES ELETRICOSLTDA.

    Reply
  • Kelvyn Siewert 22/03/2014 at 13:40

    eu tenho tipo de uma caixinha ou cinzeiro ”HELIAR” procurei e nada na internet, se tiver algum valor estou disposto a vender

    Reply
    • Silvia 27/06/2014 at 10:57

      Oi Kelvyn , quanto quer pelo cinzeiro ?

      Reply
  • Ednilson D. Beltrame 12/04/2014 at 00:11

    Esse cinzeiro era uma bateria de carro estilizada, tivemos muitos aqui em casa.

    Reply
  • Mario Luiz Felipe 24/11/2014 at 08:41

    Este rapaz de costa na foto na montagem das baterias é simplesmente o meu pai,( deve ser por volta de 1954), hoje sou Engenheiro Civil, mas teria sido Engenheiro Mecânico se o meu pai continuasse trabalhando nesta empresa, saiu por motivo de doença. Ele era o responsável pela manutenção e oficina da industria, para saber como ele era dedicado eu ia com ele todos os domingos pela manhã visitar a fabrica, logico ele ia conferir o andamento das manutenção, pois a fabrica não funcionava nos domingos, lembro que em dois incêndios ele teve que sair de casa na madrugada, era muito dedicado, trabalhador metalúrgico de verdade, e muito honesto, não igual que se diz metalúrgico e safado. Alem de meu pai, minha mãe também trabalhou e meus padrinhos.
    O meu irmão e minha irmã ambos trabalham com baterias,são distribuidores.

    Reply
  • Eliane 26/11/2014 at 01:02

    PESSOAL: preciso de ajuda. Minha mãe, que hoje está com 76 anos, trabalhou por cerca de 5 aos na Sonksen. Infelizmente, sua carteira de trabalho sumiu e com ela, qualquer prova para fins de aposentadoria. Conseguir o resgate desses registros é quase uma utopia, já que ela trabalhou no final da década de 1950 e início de 1960. O sonho dela (tadinha) é poder se aposentar e, por isso, preciso encontrar os responsáveis pela massa falida para tentar obter esses registros (ficha de empregado, talvez). Alguém pode me ajudar?

    elianebernal@gmail.com

    Reply
  • Edison Carvalho 06/02/2016 at 18:32

    Sugiro que também se dedique espaco para os antigos colaboradores da Gessy Lever………, ainda lá do Escritório da Praca da República………………….e/ou Vila Anastácio………………!!!!!

    Reply
  • Luis Aires 29/05/2017 at 09:39

    Ola Caros,
    Vi algumas casas na Rua Dr. Augusto de Miranda, em frente ao que entendi ser a Saturno.
    Me disseram que eram casas operárias, confirmam?
    Alguém tem fotos delas, de como eram originalmente?
    Muito me interessa saber a historias dessas pequenas casas e principalmente fotos.
    Obrigado

    Reply
  • Hans-Peter OTTO 06/06/2017 at 13:10

    Resp.a SATURNIA
    No ano 1968 foi mandado a Saturnia por a Empresa VARTA AG para pesqisar ate que ano nos podemos fabricar accumuladores eletricos na area das Fabrica no Perdizes.
    Chegamos a conclusao que há nessesidade iniciar a construcao de ume nova instalacao fabril no Bairro de Sorocaba.
    Ai recebi a ordem de planejar uma Fabrica grande em Sorocaba – que fiz.
    A Obra da Fabrica em Sorocaba foi iniciado em 1971/72 após um Planejamento perfeito na epoca.
    Apos da crise de Oleo foi decidida pela diretoria que a fabrica vai ser diminiuda a 1/3 como antigamente planejado; mas como posso ver no Internet aos poucos a Fabrica em Sorocaba cheguei a ser enorme.
    So grato aos companheiros me tinham ajudadomuito, como
    Dr.Valter Armentano
    Enenheiro Eugenie Yurkin
    Luis Chiapori
    Remo Rabgolio
    Carlo Lovatelli
    Claudio Hirschheimer
    e muitos outros

    Voltei a alemanha em 1982, portanto pesso desculpar o mal conhecimento da lingua portuguesa

    Grato por muitos anos de convivencia com gente boa
    Hans-Peter Otto

    Reply
    • Alcides Pavan 26/08/2018 at 23:06

      Boa Noite! Com muito saudosismo, me lembro da maioria das pessoas que comentaram, sua passagem pela Saturnia, foi meu primeiro emprego, trabalhei no período de 1971 a 1978, comecei também com registro de Aprendiz de Calculista, tinha como chefe o Sr. Aníbal da Contabilidade, e convivência com a Administração, Sr. Silvio e Romeu -Faturamento, sr. Nabor – Cobrança, Sr. Carmo e Araújo contas a pagar, Pedro Corderini Chefe da Contabilidade, Jaime chefe de compras, Yone contas a pagar entre outros. Depois me transferiram para a Diretoria Boy de luxo, com Dona Wilma Nogueira e Alice Askinis, secretárias da Diretoria. Acessória elas e a Direteoria da época. Sr. João, Dr. Walter, Sr. Mainzer Gerente Geral, Sr. Uslar, Sr. Cláudio, Dr. Carlo Lovatelli. E a turma de setor de Custos Jorge, Ivan, Richard entre outros, e o setor fiscal Sr. Sidney. E a Secretaria do Sr. Usar, Elisa Imperatrice . Em 1.974 foi promovido para trabalhar como assistente do Edson Vitorelli, Chefe da Expedição. Em seguida fomos transferidos para a Vila Leopoldina, para a Gastão Vida galera juntamente com o pessoal da área de vendas que estavam no centro na Praça Domingo José Gaspar ..Bons Momentos Vividos… Abraços a Todos que lá contribuíram de alguma forma…

      Reply
  • Ednilson 06/06/2017 at 21:41

    Meu Pai, Irineu Beltrame, falava muito do Sr Remo.

    Reply
  • Marcio Camargo 26/02/2018 at 15:14

    Boa tarde, trabalhei no laboratório de baterias de submarino e também no de tração e industriais, nos anos de 1985 e 86.
    Lembro-me do sr Henning (alemão muito boa pessoa e com um sotaque típico), Norival, igualmente, e os “brother” (na época não era assim….) Mario, Gilberto (de Promissão), Osvaldo (paraibano) e Marquinhos do laboratório de química. Infelizmente pouco nos vimos após este período mas as lembranças só trazem alegrias. Por acaso alguém saberia um contato para conseguir documentos relativos ao histórico profissional? Abraço a todos

    Reply
  • mario luiz felipe 31/05/2018 at 18:04

    Na foto da montagem temos meu pai de costa, Mario Português, meu padrinho de crisma na frente do meu pai, Airton, João Tosarelli o do fundo a direita e o outro pode ser o Celso.
    Sei tudo isto pois vivi minha infância dentro desta fabrica, inclusive minha mãe trabalhou la também, onde tudo indica que eu sou um dos produtos “vivo”, se não for o primeiro, desta fabrica. Todos os sábados e domingos eu ia com meu pai a fabrica, no sábado para acompanhar o time de futebol, me lembro do orgulho deles com 28 partidas invictas. e no domingo iria ver a manutenção que estava sendo executada com as maquinas paradas, meu pai era chefe da manutenção.Tenho uma foto onde temos todos os funcionários e executivos da fabrica, neste periodo, onde na frente desta estava o Sr. Aldo ( dono da fabrica), os diretores Sr. Mario, Sr. Atos, Sr. Remo meu padrinho de batizado Milton, o Erbi sogro de meu irmão.
    Sou engenheiro civil, aposentado, mas tenho uma loja de bateria de varejo, onde atendo mais caminhões, meu irmão tem uma grande distribuidora de bateria e também minha irmã tem outra distribuidora.

    Reply
    • Bene Barbosa 01/06/2018 at 21:20

      Ola Mario Luis Felipe, me chamo Bene meu pai trabalhou na Satúrnia na década de 60. morávamos na Vila Anglo, ele descia a Rua Miranda de Azevedo de bicicleta até a empresa. tenho uma revista da Satúrnia, (não sei onde esta, mas à alguns anos a vi), onde consta estas fotos. Meu pai esta com 88 anos, trabalhou na Satúrnia, IRFM-Matarazzo, e na Titan (industria de meias, que ficava na rua Tito, próximo do largo Tito, bairro da Lapa-São Paulo. Saudades das industrias de São Paulo, trabalhei na Siemens, na Lapa, hoje não existe mais.

      Reply
  • Beto Barros 18/08/2018 at 21:18

    Parabéns A Toda Equipe Com Essa Iniciativa de Resgatar e Informar Sobre Empresas Em Outros Momentos Importantes Para Nossa Cidade!!!

    Reply
  • Rogério Araújo 20/08/2018 at 00:22

    Meu pai trabalhou na Saturnia e depois na Cometa que fazia pecas para caminhoes, no caso da Saturnia deve haver muito chumbo enterrado por la como denunciado sobre a outra fabrica em Sorocaba.

    Reply
  • PAULO ANDRÉ DA SILVA MERLINI 20/08/2018 at 22:17

    Meu pai trabalhou alguns anos com o Senhor e lembra suas lições de como criar seus filhos. Tem em grande consideração pelo seu perfil de chefia. Trata-se do Guilherme Merlini que na época teve a infelicidade de ser alvejado em um tentativa de roubo mas que felizmente ainda goza de boa saúde! Grato pela boa convivência compartilhada.

    Reply
  • Alcides Pavan 27/08/2018 at 00:01

    Boa Noite! Trabalhei na Saturnia meu primeiro emprego no período de 1971 a 1978, registrado como Aprendiz de Calculista. Trabalhei na Administração, tinha como Chefe o Sr. Anibal Martins Contador Chefe. A Rita era sua secretaria, Pedro Corderini era o Encarregado da Contabilidade. Trabanheiro também indiretamente com o Sr. Silvio e Romeu Faturam entorno, Sr. Nabor Cobrança, Sr. Carmo e Araújo Contas a Pagar, Yone Caixa, Sr. Jaime Compras.O Celso que trabalhava na Contabilidade, criou um Bolão Semanal, que foi batizado de Caixinha de Final de Semana, me colocou como responsável pela coleta todas às Sextas Feiras, eu andava toda a Fábrica, arrumando colaboradores que contribuíam com um valor, e no final do expediente era sorteado o vencedor. Cheguei a ganhar uma vez.Depois me transferiram para a Diretoria Boy de Luxo, para acessorar as Secretarias da Diretoria Sras. Wilma Nogueira e Alice Askinis, e também a Diretoria Sr.João (Hans Gummersbach), Sr. Pablo Mainzer, Sr. Cláudio, Dr. Walter Armentano, Dr. Carlo Lovatelli, Sr. Uslar e a secretaria dele a Elisa. E também o pessoal dos Departamentos de Custos Jorge, Richard, Ivo Ivan e o Fiscal Sr. Sydney Monteiro.entre outros.Depois fui promovido como assistente do Sr. Edson Vitoreli, Encarregado da Expedição. Depositar fomos transferidos para Vila Leopoldina, para Gastão Vidigam, juntamente com o pessoal da área de vendas, que estava no centro na Praça Don José Gaspar…Na transição de transferência para Sorocaba, não tive interesse em mudar de cidade, tinha condução de lotação que levava e trazia, mas para mim era inviável por causa dos estudos… Mas para mim valeu o trabalho o aprendizado e as boas amizades que passaram por minha vida . Abraços a todos e me desculpa se esqueci de alguém, pois na época eram mais de 300 colaboradores….

    Reply
  • Patrícia Carvalho 27/08/2018 at 11:54

    Olá, meu pai trabalhou na Saturnia de 1979 á 1998. Trabalhava na produção (Fundição) com baterias de submarino.
    Ele faleceu em 2010. Seu nome Ramiro Rodrigues de Carvalho.
    Creio que ele tinha apelido na empresa, talvez Magal.
    Se por acaso alguém conhecer e tiver algo pra compartilhar.
    Conversei recentemente com um dos contatos que deixou comentários neste matéria. Seu pai também trabalhou lá em outra época.

    Reply
  • sonia santos 26/09/2018 at 14:50

    Acho que estou um tanto atrasada pra comentar , mas vamos lá eu também trabalhei na Saturnia no setor montagem de equipamentos eletrônicos , era maravilhoso e também foi o meu primeiro emprego, eu me maravilhava de ver como era montado as placas de circuitos impressos , até hoje me lembro dos leds , reles , transformadores dos diferentes tamanhos , maravilha.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: