Na história da humanidade o patrimônio histórico se faz presente nas mais variadas manifestações arquitetônicas possíveis, desde as belas Pirâmides do Egito, até a Muralha da China, passando por maravilhas como o Cristo Redentor e até a Estátua da Liberdade.

Alguns monumentos não resistem ao tempo, sendo destruídos pela natureza como o Colosso de Rodes ou o Farol de Alexandria. Já outros monumentos são destruídos pela ação do homem que, na vil necessidade de mostrar sua ganância ou burrice colocam abaixo patrimônios da humanidade como os Budas do Afeganistão, destruídos pelos Talebans.

Em São Paulo, mais precisamente no bairro da Penha de França, um vereador, um monsenhor e uma imobiliária querem repetir o feito dos terroristas afegãos, colocando abaixo a belíssima construção que atende pelo nome de Seminário da Penha.

O SEMINÁRIO

Construído no início da década de 1950, o antigo seminário foi inicialmente elaborado para ser um convento. Entretanto, devido ao seu tamanho grandioso optaram por transformá-lo em um seminário para os padres redentoristas.

Na época de sua construção, o bairro da Penha se engajou completamente na iniciativa tanto com a mobilização de pessoal para a empreitada, como para a arrecadação de dinheiro que foi fundamental para a conclusão do audacioso projeto.

A identidade do prédio com a Penha é impossível de ser dissociada. Já se vão alguns séculos que a Penha de França tem uma importante participação na história da cidade de São Paulo, especialmente no cunho religioso. O bairro é intimamente ligado à fé católica e só no alto da colina, na região mais central da Penha se encontram três igrejas, todas elas altamente significativas para a história de São Paulo e do Brasil. O seminário complementa esta ligação entre história e religião na Penha.

Foco de formação de muitos sacerdotes o seminário foi vendo seu público diminuir à medida que outros novos seminários foram sendo abertos pelo Brasil até que, quando começou a ficar ocioso foi desocupado pelos redentoristas, tornando-se sede da Administração Regional Penha (o que hoje chamamos de subprefeitura). O local foi ocupado pelo poder municipal por alguns anos, até que mudou definitivamente para uma parte mais afastada do bairro.

Com a saída da Regional Penha, o local ficou apenas um curtíssimo período de tempo vazio, sendo então ocupado pelo Hospital Nossa Senhora da Penha, que tornou-se seu inquilino por muitos e muitos anos. O hospital permaneceria no local até próximo de 2000.

Desde então o prédio encontra-se vazio, e nos últimos anos começou a circular no bairro a notícia de que o prédio do antigo seminário será vendido e demolido.

SÓ CRISTO SALVA O SEMINÁRIO ?

Segundo apuramos, a transação que colocará abaixo parte da história da Penha de França já está praticamente decidida. Para que o negócio seja fechado basta a alteração da ZEPEC específica do bairro, o que segundo muitos não deverá demorar a sair. Dizem pessoas próximas a igreja de que até a empresa de demolição já foi contratada.

Porém a história poderia (e ainda pode) ser diferente. Entretanto, o calvário da Penha é bastante tortuoso. Para saber mais sobre o antigo Seminário da Penha conversamos com a arquiteta Ângela Maria Calábria, Francisco Folco curador do Memorial Penha de França e com o escritor e psicólogo José Morelli.

Segundo a arquiteta Ângela Calabria, o CONPRESP visitou o prédio do antigo seminário logo no início de 2009. A ideia da visita era para o órgão estudar o tombamento definitivo da área. Na época estiveram presentes o corpo técnico do CONPRESP e também foram convidados a ir ao local representantes do imóvel e interessados no tombamento.

Após a reunião todos ficaram animados com a preservação do imóvel mas o primeiro contato que pareceu ser tão animador logo esfriou e nada mais foi dito até que em 27 de outubro de 2009 ocorreu algo muito estranho: Uma nova comissão do CONPRESP voltou ao prédio do seminário, mas apenas pessoas interessadas na demolição do prédio e venda da área foram chamadas a participar. Em uma estranha visita ao seminário estiveram presentes o Monsenhor Calazans, o vereador Toninho Paiva além de representantes da construtora Stuhlberger. Os interessados na preservação que estiveram na visita anterior foram excluídos desta nova reunião, conclui Ângela.

Reprodução do jornal Gazeta Penhense confirma o que foi dito pela arquiteta Ângela Calabria, confiram:

Na primeira reunião, interessados na preservação do prédio foram chamados e ouvidos, como atesta outra edição do jornal Gazeta Penhense:

Qual teria sido a razão de não os chamarem para uma outra reunião ? Fica a pergunta para CONPRESP responder.

IGREJA DIFICULTA AÇÕES DE TOMBAMENTO:

Segundo o curador do Memorial Penha de França, Francisco Folco, o seminário não é o único local que sofre ação da igreja. Ele conta que em 2004 houve uma iniciativa no bairro, liderada por católicos, em tombar a igreja Nossa Senhora da Penha e este pessoal inclusive procurou o Memorial para obter auxílio para a ação. Foi preparado um abaixo assinado que começou a ter grande número de adesões por parte dos moradores do bairro, até que houve o pedido (ou ordem) de um padre local para que a iniciativa fosse suspensa.

Folco completa dizendo que a iniciativa em não tombar um imóvel facilita que o mesmo fique largado, esquecido, e se deteriorando até que sua descaracterização seja grande e permita que a única solução seja derrubar o imóvel.

O NOVO SEMINÁRIO:

Segundo o escritor José Morelli, mesmo com este prédio em perfeitas condições de uso, alguns anos atrás a igreja iniciou campanha arrecadatória para construção de um novo seminário mesmo tendo este a disposição. O prédio foi erguido e inaugurado na região do Itaim Paulista. Se fosse ocupado novamente o seminário poderia trazer uma grande movimentação na região, mas foi esquecido para que o novo fosse construído.

QUEM COMANDA A PENHA NÃO CONHECE O BAIRRO:

As maiores críticas dos moradores da Penha são dirigidas a subprefeitura da região. Segundo os moradores a Penha sofre com o descaso dos últimos prefeitos da cidade de São Paulo que entra mandato sai mandato só nomeiam subprefeitos que não tem nenhuma ou muito pouca ligação com a região.

O atual subprefeito da Penha, Cássio Freire é da região do M’Boi Mirim e entre os subprefeitos anteriores tinha até morador do Morumbi. Segundo estes mesmos moradores, é urgente a troca do subprefeito por alguém mais ligado ao bairro, com raízes penhenses e mais conectado aos anseios e problemas do bairro.

Em 29 de junho de 2009, o subprefeito da Penha esteve em visita ao Memorial Penha de França e prometeu lutar pela preservação do patrimônio histórico do bairro. Terá ele, como é comum entre os políticos, esquecido o que prometeu ? Sua visita ao Memorial foi coberta na época pela equipe do site São Paulo Abandonada & Antiga e pode ser conferida clicando aqui.

A Penha não é de hoje que é tratada com desprezo pelos políticos. Marta Suplicy prometeu um grande parque aos penhenses e entregou um grande piscinão que é um belo esgoto a céu aberto. Em dia de sol o cheiro nada agradável do recreativo parque-esgoto chega até as dependências da estação do Metrô, isso sem contar que o local está sempre repleto de urubus atraídos pelo mal cheiro.

O desprezo também atinge já se vão muitos anos a região do Mercado Municipal da Penha, e a avenida Gabriela Mistral, especialmente na região próxima do Tiquatira sempre cheia de lixo, sujeira e com um algumas favelas em crescimento vertiginoso. Fica aqui a sugestão ao vereador Toninho Paiva que diz lutar pela Penha, preocupar-se menos com o seminário da Penha e cuidar das partes carentes do bairro. Falar e cuidar de patrimônio histórico é para quem entende.

CONHEÇA O SEMINÁRIO DA PENHA (por dentro e por fora):

Uma das melhores maneiras de se confundir a população é escondendo ou manipulando a verdade. Isso era algo que se fazia muito bem no nazismo, ou para ser mais perto do brasileiro, durante o regime militar.

Como podem dizer que algo “é um lixo” por ai, quando na verdade é algo muito diferente disso ? Alguns interessados em ver o seminário no chão, andam dizendo que o prédio está acabado, caindo aos pedaços, irrecuperável. Mas se você tentar ir conhecer o seminário para tirar suas próprias conclusões, irá encontrar os portões fechados, tal qual na foto acima. O curioso é que trata-se de algo construído com a ajuda do cidadão penhense, mas ele próprio não pode entrar.

 

Fotos deste artigo: Eduardo Morelli e Douglas Nascimento

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • Ralph Giesbrecht 21/04/2010 at 21:05

    Parece-me imoral e nada católico o fato de se derrubar para vender a área uma construção erigida com dinheiro de colaboradores e voluntários, se este realmente for o caso. Pergunta: estas pessoas que contribuíram, ou suas famílias, nos anos 1950, terão sua parte no lucro??? Haja safadeza!

    Reply
  • Pedro Paulo Penna Trindade 21/04/2010 at 23:26

    É uma pena que as autoridades, que formam os conselhos de preservação do patrimônio da cidade de São Paulo, não estejam atentas a este crime anunciado contra o antigo seminário da Penha. Com certeza o assunto está envolvendo muito dinheiro! Infelizmente a memória urbanística deste bairro ficará registrada, para as futuras gerações, apenas por meio de fotos amareladas pelo tempo!

    Reply
  • Bernado Magalhães 21/04/2010 at 23:45

    Isso está ocorrendo por conta da forte especulação imobiliária da Zona Leste. Em um terreno desses daria pra construir 8 torres de apartamentos minúsculos a serem vendidos por preços absurdos… e o pior: as pessoas compram!

    E tem a má vontade do poder público, a corrupção do estado, da igreja e a falta de cultura do povo brasileiro em manter sua história.

    Sinceramente, não sei o que é pior… derrubar o edíficio, ele virar um cotirço ou ser descaracterizado por algum arquiteto sem vergonha.

    O que podemos fazer é divulgar, deixar a notícia correr! Farei isso.

    Abraços e parabéns pela matéria!!

    Bernado

    Reply
  • Britto 22/04/2010 at 07:12

    Vão pra PQP essa canalha ignorante que quer destruir tamanha riqueza, para erguer um monte de lixo no lugar. Já não basta uma das coisas mais ignominiosas feitas em São Paulo nos últimos tempos, que foi aquele monstro construído da frente da basílica da Penha. A Penha vai admitir novo escândalo, novo atentado à sua história e ao seu patrimônio? Emails, quero emails das otoridades, vireadores e todos, pra mandar uma mensagem de profundo REPÚDIO a esse risco. Parabéns pessoal do SP Abandonada!! Vou repassar a matéria para meu pequeno mailling de aprecisadores da cidade. Isso não pode dar certo (a cretinice dos caras)!!

    Reply
  • LILIAN R COSTA 22/04/2010 at 10:50

    Por favor, não façam isso. Este lugar é lindo!!!! Tive a oportunidade de quando criança frequentar o antigo hospital. É um lugar que pode ser ocupado novamente e continuar em pé para nossas futuras gerações. Vamos preservar a nossa historia!

    Reply
  • Elis Marchioni 22/04/2010 at 11:09

    Como moradora da Penha, sempre usei o ambulatório. Da última vez, cheguei a entrar e só na recepção me avisaram que o hospital havia fechado as portas. Foi muito triste, os funcionários ainda estavam lá dentro e não podiam mais prestar atendimento.

    Esse prédio é lindo, podia abrigar um colégio.

    Reply
  • JODISON 22/04/2010 at 15:33

    SOU MORADOR DO TATUAPÉ E UTILIZEI POR VARIAS VEZES O HOSPITAL NS.PENHA. QUANDO AI INSTALADO. REALMENTE A OBRA ARQUITETONICA E LINDA. PENA QUE AGORA ENCONTRA-SE EM TOTAL ABANDONO. ACREDITO QUE SERA DIFICIL REVERTER ESSA SITUAÇÃO E TUDO IRA ABAIXO PARA CONSTRUÇÃO DE UM OU UNS EDIFICIOS.
    FICAREMOS APENAS COM A LEMBRANÇA DESSA LOCAL QUE, PELO MENOS PODEREMOS
    RELEMBRAR E VISUALIZAR PELA RICA COLEÇÃO DE FOTOS QUE OS ORGANIZADORES DESTE SITE TIVERAM A GENTILEZA DE INSERIR.

    Reply
  • Irineu 23/04/2010 at 00:11

    Olho no Vereador Toninho Paiva: Ele se diz defensor dos interesses da população da Zona Leste, mas é um enrustido defensor de seus interesses próprios. A saída é a mobilização, já detonaram a antiga fábrica da Caio, se não houver mobilização o Seminário vai virar poeira. Conseguiu-se, há alguns anos, salvar a Igreja Velha da Penha pela mobilização.

    Reply
  • Ricardo 23/04/2010 at 10:50

    Areas eclesiásticas deveriam se tornar imediatamente do Estado em caso de abandono. Não deveria sequer haver dúvidas quanto a isso, pois em geral, foram terrenos doados pelo Estado à Igreja.

    Reply
    • Rosemari 24/04/2010 at 11:18

      Concordo em gênero, número e grau, Ricardo!!!

      Nem mesmo passar por desapropriação, já que o terreno original já era do Estado.

      A Penha é tão carente de áreas culturais e de lazer… Acho que poderiam, por exemplo, alguns arquitetos do bairro se unirem e elaborarem um projeto de preservação e nova utilização do prédio a ser doado ao Município. Empresas atuantes na região poderiam montar uma parceria com a Prefeitura e auxiliar na execução da obra.

      Acredito ser essa uma saída para evitar esse disparate de derrubada do antigo seminário.

      Reply
    • Almir Lucas Fernandes 10/08/2010 at 06:52

      Se o terreno era do Estado foi doado a Igreja. Não passa então ser de utilidade pública?. E mesmo se não for. Qual o Papel da Igreja?. Porque não transforma o Seminário em um destes espaços : Orfanato, Hospital de Referência do Idoso via Autarquia,Hospital para deficientes, Centro Cultural com Teatros e Escola de Dramaturgia,Campos da UNIFESP visto que a área da Jacú-Pessego não vai conseguir agrupar todos os Cursos em Seus Campus. E por ai vai. Mais ainda o Dinheiro para a construção do Seminário não veio exclusivamente da Igreja veio dos fiéis também que são ou eram moradores da Penha. Não há justificativa para interesses imobiliários escândalosos tanto por parte da Igreja. Quanto por parte do Srº. Vereador Toninho Paiva, que controla de forma vergonhosa a Subprefeitura da Penha de França.

      Reply
      • Diego Aparecido Vaz da Silva 08/03/2011 at 13:50

        Caro amigo ALMIR LUCAS FERNANDES, o nosso amado se pode ser chamado assim o Toninho Paiva, só quer saber de Dinheiro,ele não faz nada para o bairro e tudo que é velho ele manda tombar, logo logo o povo tomba ele, pois ele já esta velho. O Bairro da Penha precissa de vereadores preocupados com o bairro e não estes vagabundos que estão na Camara tomando dinheiro nosso e tombando patrimonios publicos que poderiam ser de muita serventia para o bairro como voce mesmo citou, Hospitais, Escolas e outras coisas mais.

        Reply
  • Emidio Pedro 23/04/2010 at 11:51

    Conheço o prédio e realmente seria uma calamidade! Li os argumentos contra e são absurdos, baseados em uma lei falha que decide o que é ou não hiostórico baseado apenas no tempo (sou historiador). Tudo tem história e o prédio é um ícone cultural do bairro… ele teria serventia se fosse realmente estudada uma saída para ele, mas o poder do capital derruba tudo que se opôe a ele. Podia por exemplo abrigar muito bem uma ong (como a casa do zezinho na zona sul) ou um centro cultural, como uma escola de música por exemplo, onde as salas pequenas seriam eficazes para aulas individuais.

    Reply
  • Rafael Rea 23/04/2010 at 14:31

    Quem está vendendo esse patrimônio doado a Cúria com dinheiro do povo da Penha é um velho conhecido que já esteve também envolvido na possível queda da igreja velha da Penha, rezando terços e usando de sua pretensa fé e torcendo para que a igreja acabasse de cair, o que não aconteceu por iniciativa dos fiéis como minha mãe, que foram atrás de artistas que fizeram na época um show grátis no antigo cine Penharama para arrecadar fundos para salvar a igreja e vivam Gilliard e Agnaldo Rayol!!!
    Não nos surpreende esse “santo” senhor encabeçando a venda, afinal ele é o dono da bola, ou assim pensa ele, pobre e pretensioso mortal a destruir a beleza que foi construida por outros padres e vigários Redentoristas, que por certo tinham muito mais apreço a sua religião e ao povo da Penha que ele.
    Com relação aos políticos, ah os políticos, que belezinha esse que é citado na reportagem, com certeza um “Penhense da gema” quando se trata de pedir votos e mostrar a cara quando se faz algo de valor ele entra de papagaio de pirata… “faz de conta que fui eu” eheheh…é a velha história eles fazem de conta que falam a verdade e a gente faz de conta que acredita….é só Deus salva o Seminário por que os responsáveis pela Cúria na Penha hummmmmmmm??????…..

    Reply
  • Katiúcia de Sousa Silva 23/04/2010 at 16:01

    Mais um carniceiro do patrimônio arquitetônico da cidade.

    Tantos terrenos vazios na Zona Leste, tantas coisas a melhorar..

    O SEGREDO É A MOBILIZAÇÃO POPULAR AO VIVO E À CORES! NÃO APENAS A INTERNET, MAS ALGO REAL: MANIFESTAÇÕES E BARULHO!!

    Reply
    • Carlos Prata 27/04/2010 at 20:46

      Sim, devemos nos mobilizar. Nós, considerados classe média, formadores de opinião e outros títulos mais (entendo dessa forma até pela comunicação que estamos tendo) temos que deixar as nossas cadeiras, poltronas,s ei lá. Temos que nos reunirmos e como disse a Katiúcia “fazer barulho”. É dessa forma que as classes mais humildes e necessitadas conseguem os postos de saúde, creches etc que nós também usamos. Temos que aprender a “brigar” pelo melhor de todos e não aceitar passivamente. A especulação imobiliária está destruindo o patrimônio de São Paulo, em investimentos para encher cada vez mais o bolso dos contrutores.

      Reply
  • Priscila Libonati 23/04/2010 at 17:25

    Como que o patrimônio histórico que reflete a memória, tradição e história desse bairro tradicional está sendo revertida em especulação imobiliária!

    Simplesmente um absurdo e uma vergonha!

    Reply
  • Ezequiel Ferreira 23/04/2010 at 17:43

    Está na hora destes políticos trabalharem em pról da comunidade e não para os interesses de pequenos grupos (apesar destes os manterem no poder). População da Penha e de São Paulo, anotem os nomes destes políticos e lembrem de não votar neles nas próximas eleições. Não vejo estes lutarem com tanto afinco, por questões que afetam a população como estão lutando por questões que beneficiam poucos, com muito dinheiro. A Cidade é do Povo e das gerações futuras. Vamos preservar nossa história!!

    Reply
  • Maria Zelia Wolff 23/04/2010 at 18:01

    CRIME IMOBILIÁRIO, SIM…!!!!!
    Fui criada na Rua da Penha, onde morou por muitos e muitos anos, a
    familia de meu Pai – familia WOLFF -. Guardo com muito carinho as
    melhores lembranças desse Seminário, bem como da Igreja da Penha, on
    de casaram minhas tias e primas e onde foram batizados seus filhos(as) e inclusive eu….!!! É muito triste e revoltante tudo que vem
    sendo feito para destruir toda essa maravilha histórica. Vamos,sim,
    levar ao conhecimento do maior número possível de pessoas, a fim de
    evitar que seja cometido mais este CRIME histórico.
    Maria Zelia Wolff

    Reply
  • Marco Antonio Lacava 23/04/2010 at 18:30

    É necessário a criação urgente de uma associação que responda pelo interesse da comunidade, no caso específico de tentar preservar o Antigo Seminário.
    Não tenho conhecimento se o Seminário foi tombado pelo Patrimonio Histórico da Cidade.
    Tal qual foi feito para salvar o Antigo Santuário no topo da Ladeira, devemos fazer agora. Se não tivessemos o instrumento juridico (a Associação Pró Restauração do Antigo Santuário de N.ª da Penha)a comunidade na época (1982/83)teria perdido a parada para os interessados em demolir o Antigo Santuário.( E eram muitos !!!)
    Os interessados devem agir rápido!
    Apresento-me para mais esta luta. Acredito que todos os que se uniram na época para salvar a velha Igreja, com certeza estarão dispostos a colaborar agora.
    A Comunidade Penhense têm tradição de realizar seus objetivos sem muita ajuda do poder Público.

    Reply
  • Maria Cristina Lima 23/04/2010 at 20:03

    Não nasci na Penha, mas faço parte dela, pois moro aqui há muito tempo. Sinto-me agredida por tamanha insensatez. O povo penhense deve lutar por seu patrimônio. Ver um espaço tão belo de rica história demolido, é perder a identidade de seu povo.

    Reply
  • Cavaleiro da agonia 24/04/2010 at 14:37

    CARÍSSIMA ARQUITETA E COMPROMETIDOS!
    > PARABENS PELA POSTURA EM DEFESA, NÃO DE UM PRÉDIO; PEDRAS MORTAS EMPILHADAS, MAS SOBRETUDO DAQUILO QUE PELA FUNÇÃO, VIBRADO PELA CRIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DELINEADO TOMOU FORMA NO ESPAÇO E PELA FUNÇÃO IDENTIDADE; SOBRETUDO FORMAL.
    > DESTARTE, NOSSO POVO VEM, POIS SENDO PREPARADOS A PERDER NOSSA IDENTIDADE; NOSOS VÍNCULOS COM O PASSADO, NOSSA HEREDITARIEDADE.
    > VIDE NOSSO PAPEL MOEDA, ALI, NÃO SOMOS REPRESENTADOS PELOS “GRANDES NOMES ORGULHO DA NAÇÃO”, MAS SIM POR ANIMAIS POSTO QUE SEM MEMÓRIA, NADA MAIS SEREMOS QUE ESTES; FÁCILMENTE EXTINGUÍVEIS SERES EXCETO ASSEMELHADOS; NADA MAIS QUE ASSEMELHADOS A FORMA DOS “VERDADEIROS FILHOS DE DEUS” COMO NOS JULGAM.
    SENÃO VEJA:
    “AS ARTES, AO LONGO DO TEMO DELINEANDO, REGISTRAM E ATESTAM O GRAU DE INDEPENDÊNCIA, DESENVOLVIMENTO TÉCNICO, INTELECTUAL, ECONÔMICO E HUMANO DE UM POVO E NAÇÃO”; (Notlim Said Soriedem X CONDEPHAT; Praia Vermelha do Sul).
    COMPARATIVAMENTE, DIRIA QUE ESTÃO DIANTE DE BATÁLHA INGLÓRIA ONDE, “POR TORNAR VIL O METAL” NÃO IMPORTARÃO DE QUE LAMA SE REVISTIRÃO POBRES E FINITOS MORTAIS, COM QUANTO TRANGRIDINDO INCONSEQÜENTES MACULAM A PRÓPRIA “ENTIDADE” DENOMINADA DINHEIRO.
    Cavaleiro da agonia.

    Reply
  • SAMANTHA 24/04/2010 at 15:02

    Tenho 16 anos, nem sou do bairro, sou filha de arquiteto, conheço história do prédio quando meu Pai conheceu a serviço, quando foi prefeitura. Intrigado, até “conversou” com a imagem do jardim pq exalava perfume suave e não sabia de onde; depois descobriu vir de um jasmim do imperador provávelmene ainda existente.
    Li sobre memória e acho q é isto, não é? aquilo que fica no HD da cabeça?
    SE NÃO TEM GENTE DA PENHA PRA RESOLVER, ENTÃO ALGUEM CHAME O GASPARZINHO E A TURMA PRA DERRUBAR ESTES… DO GALHO E DAR UM JEITO NESTES CARAS QUE SÓ TEM BARRIGA.
    Spit…IGREJA BRASILEIRA!!!!
    GASPARZINHOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Reply
  • Renato 24/04/2010 at 16:09

    Totalmente de acordo com o Ricardo: áreas eclesiásticas retornam imediatamente ao Estado em caso de abandono. Mas para que, para se tornar mais um quartel da Av. do Estado?
    Totalmente contra o Emídio Pedro: jamais ceder o prédio para abrigar uma ONG, essas obscuras instituições sinistras que desviam dinheiro e idéias.
    O prédio em si não é nenhuma jóia de arquitetura, mas o espaço não pode ser ocupado para fins comerciais de modo algum!

    Reply
  • elaine 26/04/2010 at 11:08

    Morei muitos anos no bairro da Penha e tenho lembranças muito doces. Festas juninas, procissões com tapetes de serragem no chão. Nunca esqueço. O seminário é um prédio lindo que não merece um fim desrespeitoso desse. Virar prédios de apartamentos. Já que os bairros do Carrão e Tatuapé estão entupidos, querem chegar na Penha e acabar com o que tem de história.
    Aquele prédio com o que tem de beleza e arte, pode ser um espaço cultural com cursos variados. Espaços destinados à cultura nunca são demais. E a zona leste carece de cultura e arte.

    Reply
  • Cesar Fernando Rocha 28/04/2010 at 13:46

    Cresci na Penha, frquentei o Seminário quando ainda era Seminário, minha mãe nos levava para brincar lá aos cuidados da Irmã Lindaura(que epóca boa), conheço muita gente na Penha e ajudarei nessa luta para preservar o Seminário.
    Vou repassar o link dessa reportagem para algumas pessoas e vamos nos mobilizar para isso.

    Reply
  • Sônia Aparecida Iori 28/04/2010 at 22:01

    É de morrer de raiva que a própria Igreja se mostra vendida , tendo um padre a desprezar o que já está pronto e lindo ainda por interesses econômicos. Dá nojo desse povo falso e ambicioso que se esconde atras de falsas verdades. Só Deus pode salvar o homem.

    Reply
  • EDSON L. FRANCO 29/04/2010 at 19:28

    È de tamanha tristeza que venho saber desta tirania contra o seminario nesse mundo onde a igreja sempre viu os interesses de sua riqueza, onde padres e seus superiores mortais, que nao podem casar, MAS PODEM TUDO,, falsos moralistas.
    Fico triste porque ouvi de minha mãe coisas lindas desse predio que agora vai ser destruidos por DINHEIRO DINHEIRO E DINHEIRO.

    Reply
  • Denia Cristina 30/04/2010 at 00:48

    Um absurdo… As histórias que contarei aos meus netos serão de imagens amareladas de edifícios que marcaram a história de um bairro, no lugar torres de apartamentos subirão .. e como se deslocarão ao trabalho estas pessoas que comprarem estes caros e pequenos apartamentos? Oras pela única estação de metro já congestionada depois da desativação da(s) estação(ões) de trem(ns) da Penha.
    Todo e qualquer espaço tem uma utilidade…construido ou não… Acredito que ele possa ser adaptado para qualquer fim sem alterar sua beleza e riqueza de detalhes…Como o antigo prédio da Santa Casa de São Paulo que já sofreu diversas reformas para se adaptar a atualidade sem alterar sua beleza!

    Reply
  • Fabio Santos 30/04/2010 at 01:02

    Minha tristeza só é superada pela revolta.

    Reply
  • Bernadete Pedroso de Souza 30/04/2010 at 08:50

    Sou do tempo dos cines Júpiter, Penha-Pálace, Penha-Príncipe. Da Fonte Luminosa, dos colégios Estadual e São Vicente, que formaram tantos e tantos penhenses.Perdemos os cinemas e a Fonte Luminosa. Hoje o Estadual está sendo restaurado, com a luta de ex-alunos e ajuda de uma instituição bancaria. Portanto, não podemos perder mais esse belo patrimônio do nosso querido Bairro.
    O Seminário é da Penha e de seus moradores!

    Reply
  • José Roberto da Costa 03/05/2010 at 19:31

    O Toninho Paiva irá mostrar que é um péssimo político acabando com esse patrimônio histórico da Penha.

    Reply
  • jacob (valdemar )goldberg 05/05/2010 at 18:07

    É obvio o crime. Apenas sintoma, mais um, de um Pais que é estiolado pela falta de consciência de todos, não tenha ilusão. Onde estão as entidades representativas, as personalidades gradas e demais?; onde estão os permissionarios da comunicação,os orgãos publicos de defesa dos elevados interesses da Nação?,tudo conduz-me à pensar que estão no limbo da inconsciẽncia da falta de espirito publico de solidariedade coletiva,fraterna, num caldo de cultura nacional ja abastardada por interesses escusos de, ao final, lucro á qualquer custo,custo este para os demais, de preferência.

    Reply
  • marcelo queiroz de faria 14/05/2010 at 14:25

    Amigos, sou nascido e criado na Penha. Nasci ao lado da Igreja da Penha, a da ladeira, estudei no S.Vicente, joguei futebol no seminario na “Chacara dos Padres” e fui, bem como minha familia, atendido no Hospital da Penha. Mesmo morando ha muito tempo fora, venho sempre rever minhas raizes. Sou absolutamente contra o absurdo da atitude dos que querem destruir marcos importantes de nossa memória.
    Vaia nos aproveitadores eclesiasticos!!!! Fora com politicos sem carater!!! Povo não os esqueça !!! Estou engajado nesta luta e vou comunicar-me com todos os contatos que puder. Força a nossa resistência.

    Reply
    • maria da penha queiroz de faria 22/07/2010 at 11:19

      Como o próprio nome diz sou mais uma Maria,da Penha,donde já se vê a importância que esse bairro, onde nasci, teve pra toda a minha família, já aqui testemunhado. Saí cedo da Penha e há muito que vivo longe do bairro, da cidade, do país, mas sempre que retorno, visito a Penha e lamento uma certa decadência que se nota. Esta noticia me chegou por acaso e apenas quero referir que um povo que não respeita sua historia, não preserva suas raízes é um povo sem condições de cidadania. E a cidadania nem se compra, nem se vende( como parece ser vontade da classe clerical e obviamente a política) ,a cidadania adquiri-se e defende-se. Lutemos, façamos por defender a nossa.

      Reply
  • Tania Regina Gamba 31/05/2010 at 20:36

    A luta é de todos e todos precisam saber o quanto os interesses políticos e econômicos mandam e ainda vão interferir em nossas vidas se isso permitirmos. Nasci e morei na Penha(minha família é de lá) por muitos anos de minha vida, estudei em escolas da região e ainda frequento grupos por lá mesmo morando no Ermelino Matarazzo. Muito triste ficamos na época em que “desapareceram” com o Liceu Santo Afonso, escola onde estudava com o sacrifício de meus pais. Sinto-me indignada em saber do absurdo em quererem também “ROUBAR” quantos ainda se enganam ao votar sem conhecer a história de certos políticos e

    Reply
    • almir 25/12/2010 at 23:13

      concordo com vc.

      Reply
  • Tikk 13/07/2010 at 16:25

    É mesmo triste ver uma construção dessas nesse estado, mas a revolta nesse caso é maior, pois foi construído pelo povo, com o dinheiro do povo!

    O estado não está nem aí para o que deve e concerteza vai acontecer com esse local. Essa é a hora em que a população deve tomar uma atitude para evitar esse crime!

    Devemos ficar alertas, pois pode vir tudo abaixo na calada da noite, como foi com o casarão do Livorno, e aí colegas, nada mais pode ser feito além de se lamentar.

    Reply
  • maria da penha queiroz de faria 22/07/2010 at 10:55

    Como o próprio nome diz sou mais uma Maria,da Penha,donde já se vê a importância que esse bairro, onde nasci, teve pra toda a minha família, já aqui testemunhado. Saí cedo da Penha e há muito que vivo longe do bairro, da cidade, do país, mas sempre que retorno, visito a Penha e lamento uma certa decadência que se nota. Esta noticia me chegou por acaso e apenas quero referir que um povo que não respeita sua historia, não preserva suas raízes é um povo sem condições de cidadania. E a cidadania nem se compra, nem se vende( como parece ser vontade da classe clerical e obviamente a política) ,a cidadania adquiri-se e defende-se. Lutemos, façamos por defender a nossa.

    Reply
  • manoel pricolo 23/07/2010 at 21:34

    Quando a saudade bate na gente ficamos pesquisando algo que nos traga
    boas recordações. Morei e vivi no bairro da Penha. Freguentei êsse prédio inumeras vezes. Que tristeza ler essa notícia..Espero que o pessoal que está tentando defender a permanência e existência dêsse,por que não chamar de monumento, consiga tal objetivo.
    Êsse psicologo, Dr.Morelli.,que aparece aqui deve ter sido meu colega em Aparecida do Norte. Desejo a êle e todos os que estão empenhados nessa luta que tenham bastante coragem e persistência.
    manoel pricolo

    Reply
  • sandra 01/08/2010 at 00:55

    Toninho Paiva é apenas um dos 55 vagabundos eleitos para um cargo que hoje não tem nenhuma relevância para a sociedade. Se a cidade tivesse apenas cinco vereadores estaria de bom tamanho. Se fossem exterminados não fariam a menor falta, muito pelo contrário. Essa escória só serve para se servir das muitas mamatas e estão pouco se lixando para esta cidade a cada dia mais emporcalhada, destruída, violentada (é só dar uma espiada nos ‘projetos de lei’ perpretados a cada dia no Diário Oficial) e os prefeitos eleitos nas últimas décadas são da mesma laia, exceção feita a Janio Quadros. O povo da Penha, um bairro com uma bela história, não pode deixar barato. Façam manifestações barulhentas, distribuam panfletos, acionem a imprensa, qualquer coisa que sirva para desmascarar esse vereador pilantra, esse padreco ,seus amiguinhos especuladores e esse prefeitinho de merda (mais um).

    Reply
  • Almir Lucas Fernandes 09/08/2010 at 07:34

    O Círculo de Trabalhadores Cristãos da Penha de França. É a favor do Tombamento do Antigo Seminário e estará realizando no Próximno dia 14 de Agosto de 2010, às 19h00min em sua sede situada à Rua Arnaldo Vallardi Portilho nº103. Debate sobre o Tombamento do Seminário de Nossa Senhora da Penha de França, tanto o Tombamento Paisagístico como o Estrutural. Não caberia ali um Campus da INIFESP, ou ainda um Hospital de Especialidades. O que não falta é uso do Espaço. O que falta é trato com a Coisa Pública . O Seminário é do POVO e não um produto de uso e consumo da IGREJA. O Círculo de Trabalhadores Cristãos de Penha de França fica localizado à Rua Arnaldo Vallardi Portilho nº 103,que é paralela à Rua Santo Afonso , rua do Seminário . CONTAMOS COM SUA INESTIMÁVEL PRESENÇA CIDADÃO PENHENSE OU NÃO.
    APOIO:Deptº. de Relações Comunitárias e Políticas.

    Reply
  • Marcia Peicher Lisboa 15/08/2010 at 13:07

    Infelizmente, mais uma vez os interesses econômicos estão se sobrepondo à preservação da nossa memória histórica.
    Sou penhense e faço parte da nova diretoria do Círculo de Trabalhadores da Penha e sou favorável ao tombamento do Convento.
    Podem contar comigo.
    Marcia

    Reply
  • Mauri 16/09/2010 at 12:02

    Custa acreditar que exista tanto desamor as coisas da nossa terra.

    Tenta-se apagar a história da cidade vendendo a nossa memória.

    Que deixaremos para o futuro ? Caixas de aço concreto armado?

    Amamos nossas raizes.

    Reply
  • RUBENS ROSA 04/11/2010 at 21:21

    NASCI NESSE BAIRRO DA PENHA MARAVILHOSO, FREQUENTEI MUITO ESTE SEMINÁRIO, E ULTIMAMENTE ÉRA UMA REDE DE ATENDIMENTO MÉDICO. É UMA VERGONHA O QUE ESSE BANDO DE INCOMPETENTES QUEREM FAZEDR COM O PATRIMONIO PAULISTANO, ANTRO DE VAGABUNDOS.

    Reply
  • Marcelo Russo 09/01/2011 at 22:56

    Vejo vários comentários falando no nome de Toninho Paiva e outros falando de um “padreco”, seria esse “padreco” o tal Monsenhor Calazans? Por que esconder o nome desse que se acha dono da Basílica da Penha, da Igreja Velha e do Seminário. Vamos lutar contra isso, já chega de acabar com a história da Penha. Esse “padreco” só sabe fazer um social para quem interessa, se pensasse mesmo na igreja e seus interesses estaria do lado dos Cidadãos Penhenses lutando pela causa. Nasci na Penha e vivi 34 anos de minha vida no mesmo lugar, estudei ao lado deste seminário no Padre Antão, conheço a Penha como a palma da minha mão. Amo este bairro e pretendo voltar a morar lá.

    Reply
  • Maria Celia de Oliveira 16/01/2011 at 10:40

    Quando vemos alguém ser contra algo que vai contra o senso comum, talvez devamos perguntar:
    – quem é essa pessoa?
    – onde ela cresceu?
    – o que ela viu?
    porque alguém que cresce com um passado não tem medo do futuro.
    Destruir algo sólido e belo, deve ser obra de ressentido.

    Reply
  • walter 08/02/2011 at 08:50

    só resta aos penhenses deixarem o bairro ierm para
    outro lugar,e depois outro,e outro…É assim a ganancia
    imbiliaria passa por cima de tudo das leis da historia
    das pessoas eles querem é vender lucrar que se dane
    todo o resto.

    Reply
  • CEDLopes 08/03/2011 at 21:25

    Povo PENHENSE….vamos nos unir e transformar nosso bairro digno de orgulho para as geracoes futuras presevando nossa historia e mostrando a nossa cultura bairrista aos nossos vizinhos. Sejamos defensores da transformacao do SEMINARIO DA PENHA em um centro cultural, museu, momorial…algo que nos faca sentir orgulho da nossa historia como bairro de referencia religiosa e de caracteristicas unicas: um bairro com clima de interior, onde as pessoas se conhecem e se respeitam. Vamos lutar em defesa do predio do SEMINARIO DA PENHA como patrimonio dos PENHENSES…nos, cidadaos que fazemos a historia do bairro. Presevemos hoje para nao chorarmos as lembrancas bonitas num futuro proximo. O povo brasileiro é acostumado a viver de lembrancas…pois está mais do que na hora de sairmos da posicao de meros -lamentadores- e sairmos em luta da preservacao da nossa cultura.
    Que nos, PENHENSES, lutemos pelo SEMINARIO DA PENHA e elas pessoas que ali passaram.

    Reply
  • CAMILA GOMES 06/07/2011 at 00:07

    OLA ENTAO CONCORDO PLENAMENTE COM TODOS VCS POIS ISSO QUE QUEREM FAZER E UMA FALTA DE RESPEITO COM A POPULAÇAO DO BAIRRO, E QUEM PASSA POR LA….EU ADORO ANTIGUIDADES E ESTOU JUNTA COM TODOS VCS!!!!!!

    Reply
  • Fernanda 11/07/2011 at 12:13

    Acho que isso é uma baita falta de respeito para quem viveu e para quem vive no bairro da Penha, isso faz parte da nossa história.
    Não temos que deixar que isso continue, com tantos lugares históricos mal tratados, não temos que ter mais um, já basta o que estão fazendo com o hospital Matarazzo…..ISSO É UM ABSURDO!!!!!

    Reply
  • aquinaojacare 25/07/2011 at 07:06

    Gente o que vc’s estão esperando para recomeçar a recolher assinaturas?? Pararam por causa do padre? Esse padre deve estar escondendo o jogo! Nunca vi isso! Qualquer padre estaria de acordo a ajudar a salvar esse seminario! Botem ele pra correr dizimistas! Maldito homem que confia no homem! Vamos gente MOVAM-SE!!!! Ainda ha esperança! Corram atraz enquanto ha tempo pois amanhã podera ser tarde demais….

    Reply
  • MARGARETE 10/10/2011 at 01:26

    Nasci neste hospital no ano de 1967, frequentei o local quando criança..é digo: o local é lindo, porque não ser hospital novamente???

    querem demolir pra que? mais arranha-céus???

    esse Toninho Paiva sempre foi ladrão, e a culpa é toda desse bando de ignorantes que ainda votam nele…

    Brasileiro não tem memoria, não é ensinado nas escolas a preservar e ter orgulho da nossa história, simplesmente isso!!!

    Reply
  • Maria de Fátima Botelho 13/11/2011 at 22:36

    Tomei conhecimento deste site e lógico do movimento em prol do Seminário também, agora (13/11/11 às 22:30 h) e, estoui de pleno acordo com o movimento a favor do Seminário. Não moro na penha, porém se preciso for irei até lá para assinar o documento que reivindica o tombamento do memso. Vamos lá pessoal não podemos deixar que esses cabras safados derrubem o seminário.

    Reply
  • Magda Trentini 28/02/2012 at 08:31

    Estive na feirinha dos bolivianos na Penha e fiquei chocada com a grande quantidade de moradores de rua.

    Reply
  • Rute 15/08/2012 at 22:52

    MORO NA PENHA, E POSSO DIZER QUE NADA É DIVULGADO NO BAIRRO, A MAIORIA DOS MORADORES NAO SE DA CONTA DA RIQUEZA HISTORICA DO NOSSO BAIRRO.
    POR ISSO A MINHA SUGESTAO SERIA QUE EM VEZ DE UMA MINORIA SABER DESSES ABSURDOS, ELES DEVERIAM SER DIVULGADOS A TODOS PELO MAIOR MEIO DE COMUNICAÇAO ,A TV.
    JORNAL, REVISTA, NAO CHEGA A TODOS OS LARES. AGORA TV , ISSO SIM FARIA UMA GRANDE DIFERENÇA.
    ENTAO SUGIRO QUE SE ALGUM MORADOR TIVER CONTADOS COM ALGUEM DA TV, DIVULGUEM POR FAVOR, POR FAVOR.
    SALVEM A HISTORIA DA NOSSA QUERIDA PENHA.
    REDES SOCIAS TAMBEM AJUDAM, MAS TERIA QUE SER TV MESMO.

    Reply
  • Julio Percinoto 29/08/2012 at 11:46

    Eu acho justa a luta dos moradores da Penha, a comunidade deve mesmo se mobilizar e exigir seus direitos! Só tenho duas observações:
    1 Creio que sejam desnecessárias as criticas a Igreja, pessoas incompetentes não representam a instituição! Pois é a mesma Igreja que restaurou a Catedral da Sé, a importantíssima Capela de São Miguel Arcanjo, a Igreja da Boa Morte entre outras, se este padre é um ignorante, concordo com nosso amigo, que os dizimistas e paroquianos se mobilizem também ante ao Bispo! Pois gente ignorante e incompetente tem em todo lugar!
    2 Gostaria de ver a mesma mobilização em defesa da Igreja do Rosário, que além de já ser tombada, é um remanescente importantíssimo das Ordens dos Homens pretos, e se encontra completamente abandonada! Como uma Diocese que cuida de forma exemplar da Capela de São Miguel Arcanjo, deixa apodrecer a Igreja do Rosário? Como disse, são padres diferentes, um consciente da importância do patrimônio e de seus deveres e outro alheio a tudo isso! Sigam o exemplo dos moradores de Itanhaém e acionem o Ministério Publico!

    Reply
  • desentupidora 17/07/2014 at 10:34

    é lamentável que o povo do bairro tenha que lutar pra preservar a história local. Essa preocupação devia vir de cima, dos governantes.

    Reply
  • Jhunior Santos 31/12/2014 at 22:35

    Sou morador da Penha, e o que pouca gente sabé é que.
    o Seminario entrou sim em Tombamento Historico, porem nosso querido Vereador Tonninho Paiva bloqueou esse tombamento, motivos.
    Existe um projeto da linha de metro qual já esta em andamento, que vai passar por debaixo de varios imoveis da Penha (inclusive o Seminario)
    com isso ele vai ter que ser demolido, e para não perder grana ja tem até data marcada.
    Varios moradores da Rua Padra João já receberam o comunicado de desapropriação dos imoveis onde vai ser construida a estação. (minha tia mora do lado do shopping e teve um baita transtorno quando foram fazer a verificação do solo)
    já foi feito varios abaixo assinado para não ter essa linha de metro o que não tivemos nenhuma resposta.

    Reply
  • Wladimir Corbo 19/01/2015 at 18:18

    Que pé está isso, ja se é sabido o caminho que o metro vai tomar e realmente não tem nada a ver com o local em questão, atualmente foi alugado para um estacionamento. Alguem sabe maiores detalhes..??

    Reply
  • antonio de sena 02/07/2015 at 13:31

    Continuamos sem novidades a respeito do destino que será dado ao Seminário, aliás até mesmo as alterações que deverão ocorrer na Penha em função da nova linha de Metrô parecem não ser muito comentadas, na página do Metro dá para ter acesso a mapas e outras informações, mas os detalhes…ah os detalhes… Estação nova de Metro é um prato cheio para especulação imobiliária.

    Reply
  • Wilson Roberto Nogueira Nogueira 11/12/2015 at 11:14

    Os Insanos que querem destruir esta “MEMÓRIA”; São dignos de muito” DESPREZO”! Cambada de Mercenários!!!

    Reply
%d blogueiros gostam disto: