Ah o Ipiranga!
Bairro de onde um grito fez do Brasil independente do Portugal…
Bairro do magnífico e grandioso Museu do Ipiranga…
Bairro onde o primeiro Imperador do Brasil repousa em sua eternidade silenciosa…

Tudo isso que escrevi acima soa muito bonito, se não observamos que todos eles tem um ˝mas…˝. O grito da Independência ainda não nos fez grandiosos como nação, apenas grandes como território. E o Museu do Ipiranga (ou Paulista, se preferir), está fechado há anos e sabe-se lá se reabrirá para as celebrações dos 200 anos da proclamação da Independência do Brasil.

Fora isso o bairro há alguns sofre de maneira mais acentuada com a especulação imobiliária, que já fez desaparecer não só alguns casarões como também inúmeras residências menores, mas igualmente importantes.

No número 1570 da rua Dr. Mário Vicente, encontrei o terreno vazio abaixo que, tristeza à parte das casas demolidas, tive um motivo para me alegrar:

clique na foto para ampliar

Sempre que observo um espaço vazio que outrora foi algum imóvel antigo, procuro tentar olhar o que ainda pode haver de interessante lá dentro. Não é sempre que encontro algo, mas desta vez tive uma grata surpresa em uma de suas paredes:

clique na foto para ampliar

A demolição limpou praticamente todo o terreno que era ocupado por duas pequenas residências, mas como teve de preservar as paredes limites do terreno um mural de azulejos acabou sendo preservado, ao menos por enquanto.

O painel mostra um cenário bucólico tipicamente europeu, repleto de árvores e vegetações e com algumas casas em uma das margens de um rio. Há também um pequeno bote e aves.

No canto do mural, a assinatura do artista

A obra é de autoria de um artista identificado como Wilhelm Hodapp. Desde que comecei a catalogar esse tipo de mural, nunca tinha visto este nome e não encontrei na internet nenhuma informação sobre ele. Também não encontrei nada sobre nos acervos dos jornais Correio Paulistano e O Estado de S. Paulo.

Se você tiver alguma informação sobre este artista, entre em contato conosco. Seria interessante saber se há mais obras dele pela nossa cidade. O outro mural que havia neste terreno foi demolido junto com as casas e é possível que era de autoria do mesmo pintor.

Ficou curioso em saber como eram as duas residências ? Abaixo uma foto extraída do Google Street View em 2015. O mural sobrevivente é o da direita:

Além da beleza dos murais e também dos lindos azulejos em branco e azul que os rodeavam (veja na galeria abaixo) as casas também tinham os famosos caquinhos vermelhos da Cerâmica São Caetano. Uma jóia… que virou pó.

Veja abaixo mais fotos do local (clique na foto para ampliar):

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Natasha 23/05/2018 at 23:09

    Que judiação… Coisa linda essas casas!

    Reply
  • Emerson de Faria 26/05/2018 at 16:13

    Pelos detalhes arquitetônicos, essa casa deve ter sido construída em meados dos anos 60. Curioso sentir saudades de uma época em que eu nem era nascido…

    Reply
  • Daniel Pardo 27/05/2018 at 19:37

    Essas casas antigas são algumas das coisas que caracterizam o bairro do Ipiranga e desde o mandato do Kassab os caras querem enfiar prédios e mais prédios nesse bairro, até mesmo onde não cabe.

    Reply
  • Daniel Pardo 27/05/2018 at 19:39

    Essas casas antigas são algumas das coisas que caracterizam o bairro do Ipiranga e desde a gestão Kassab que querem enfiar mais e mais prédios nesse bairro, até mesmo onde não cabe.

    Reply
  • Jorge Marques De Souza 05/07/2018 at 22:59

    Será que ainda estão lá?!
    Será que vão reaproveitar na futura obra no terreno?!

    Reply
%d blogueiros gostam disto: