O bairro de Perdizes, na zona oeste paulistana, oferece uma boa diversidade de imóveis. Este amplo leque agrada pessoas dos mais variados interesses, já que por ali podemos encontrar casas térreas, sobrados, alguns casarões, edifícios e residências de alto padrão.

As casas de algumas das mais movimentadas residências do bairro perderam em grande parte o viés residencial, mas mesmo assim suas construções ainda preservam na fachada o agradável visual desta casas antigas. Uma dessas vias é a rua Itapicuru.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

No momento em que encontrei esta casa da foto acima, no número 648, vislumbrei o quanto os arquitetos de outrora eram caprichosos ao executarem seus projetos. Não que os de hoje não sejam, mas estas construções são bem mais interessantes e graciosas que os imóveis retilíneos e quase padronizados dos tempos atuais.

A primeira coisa a me chamar a atenção, é sempre o muro baixo. Faz lembrar o quanto de nossa liberdade perdemos em nossos lares hoje em dia. Depois, gostei muito dos arcos que envolvem a entrada da garagem e a entrada da residência.

O arco na entrada principal da residência (clique na foto para ampliar).

O arco na entrada principal da residência (clique na foto para ampliar).

A entrada do imóvel ainda preserva a janela e portas originais, que foram bem escolhidas para o estilo da casa e harmonizam com o restante da fachada. A texturização que é de época também é muito interessante.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Por fim, no andar superior temos todos os detalhes preservados em sua originalidade. Gostei bastante do estilo da sacada e também do estilo das colunas que adornam a porta que dá acesso a ela. Imagino que em tempos mais tranquilos devia ser divertido ficar olhando a região pela sacada, quando ainda não haviam tantos edifícios emparedando o horizonte.

Sempre que passo por esta rua, reserve alguns minutos para admirar esta residência. Vida longa a ela!

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Um pouco mais adiante, na mesma rua Itapicuru, encontramos duas residências antigas, convertidas para estabelecimentos comerciais que também possuem arquitetura bem interessante.

A primeira é esta da foto acima, no número 688. No local funciona o estabelecimento chamado “Na Casa Gourmet“, que recomendo a todos conhecer, pois é bastante charmoso, ambiente agradável e repleto de gostosuras.

A fachada está quase em sua totalidade preservada, exceto na parte da garagem onde o portão da garagem foi substituído e a parede perdeu a textura original. No restante da fachada a estrutura original foi mantida, incluindo os azulejos decorativos, o adorno no frontão e a própria texturização.

Foto: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Vizinha a casa anterior temos o imóvel do número 682, onde funciona uma clínica veterinária bem conhecida na região. Mesmo tendo sido construída na mesma época do sobrado ao lado, esta apresenta um estilo bastante diferente.

É bastante agradável visualmente as duas janelas do andar superior, separadas por uma coluna salomônica e rodeadas por um belo trabalho arquitetônico que as destacam da parede, com a ajuda do contraste entre as cores de tinta. Sobre a janela o mesmo adorno no frontão da residência ao lado.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Estas três residências são alguns dos exemplares interessantes que temos na região de Perdizes, Lapa e Pompéia. E elas tem em comum um grande inimigo que as atrapalham muito: a fiação aérea. Observem as fotos e notem como os fios deixam a visão dos imóveis menos agradável.

Que estes sobrados permaneçam de pé e preservados.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • Cida 25/09/2015 at 12:50

    Na mesma Itapicuru, quase em frente da veterinária existe a entrada de uma vila. Neste local existem 16 sobrados incríveis. É uma antiga vila operária denominada “Vila Ângela”. Lá moram pessoas maravilhosas, que sabem o valor de morar em um patrimônio. Te aconselho! Vai lá fotografar e conhecer um pouco deste pedaçinho de historia da Barra Funda.

    Reply
  • Claudio Cardoso Saddi 25/09/2015 at 12:54

    São Paulo na era provinciana ! Era lindo e calmo se morar naquela época !!

    Reply
  • João Farina di Madonìa 25/09/2015 at 15:52

    Querido Promotor Douglas,
    Vc.é ótimo com a preservação do patrimônio histórico de São Paulo, continue assim.
    Sugiro olhar com carinho o bairro vizinho dos Campos Elíseos, o Bom Retiro, meus avós emigrantes da Italia vieram morar lá e me agradaria imensamente ver e saber onde estão e como estão as casas das Ruas Prates, Matarazzo e Ribeiro da Silva.Obrigado.

    Reply
  • Elô 26/09/2015 at 23:28

    Lindas casas. Moro em Osvaldo Cruz/SP, e aqui já chegou a moda dessas casas retas e sem graça, que eu chamo de caixotes beges, com janelas de blindex. São todas iguais e todas feias. Ainda pior, as casa antigas são reformadas e descaracterizas, perdem seus detalhes antigos e charmosos e são transformadas em… caixotes beges.

    Reply
  • Emerson de Faria 27/09/2015 at 18:12

    As casas de antigamente, tal como as de hoje em dia, eram construídas por pessoas simples mas dotadas de grande apuro estético, ao contrário das de hoje, que refletem o despojamento do brutalismo moderno, e claro, não eram esses bunkers inexpugnáveis com seus muros altíssimos, grades e cercas elétricas, faltando apenas um fosso com jacarés. Triste sinal dos tempos.

    Reply
  • ernani 27/09/2015 at 19:35

    Muito lindo esses sobradinhos.
    Não troco um deles por dez apartamentos.

    Reply
  • Emerson de Faria 29/09/2015 at 15:17

    Apartamento é cortiço de rico.

    Reply
    • danielpardo2015 03/10/2015 at 20:19

      Mas com “gramú”… 😉 😉 😉 😉

      Reply
  • danielpardo2015 03/10/2015 at 20:21

    Douglas… essa casa do 648 pelo jeito deve ter uma garagem enorme, já dá pra enfiar um Fusca lá dentro e ficar mexendo nele por dias ou talvez meses.

    Reply
  • Emerson de Faria 04/10/2015 at 13:15

    É o reflexo da arquitetura brutalista despojada dos últimos 60 anos característico das grandes construções, que acaba por refletir também no gosto de quem faz pequenas construções. Do mesmo modo que estas casinhas simples e singelas tinham um pouco de art deco que caracterizava as construções da São Paulo da belle epoque.

    Reply
  • Emerson de Faria 04/10/2015 at 13:18

    Provinciana e mais humana. Se pudesse voltar no tempo, gostaria de ter nascido em 1900 e morrido no ano em que nasci (1975) para contemplar como era viver naquela época.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: