Neste domingo 13 de dezembro resolvemos dar um presente para nossa querida e amada Cidade de São Paulo. A ideia era retribuir para a municipalidade o excelente e próspero ano de 2014 que o São Paulo Antiga teve, que nestes quase seis anos de existência foi até o momento o melhor de todos eles.

Foi neste ano que nosso site atingiu um número de leitores 5x maior que o ano anterior, que nosso mapa (é, temos um mapa sabia ?) ultrapassou 2 milhões de visualizações, e que nossa fanpage no Facebook ultrapassou a marca de 100.000 curtidas, entre outros feitos e metas.

Sendo assim, decidimos fazer algo pela cidade que pudesse ser notado não só pelo nossos leitores, mas por milhares de outras pessoas que passam por uma importante avenida paulistana: a Professor Francisco Morato.

O Marco N5 em outubro de 2014

O Marco N5 em outubro de 2014

Desconhecido da grande maioria dos paulistanos, o marco da foto acima é um dos vários que delimitavam a divisa entre os municípios de Santo Amaro (hoje um bairro) e a capital paulista. Com a anexação de Santo Amaro a São Paulo na década de 30, estes marcos perderam a utilidade de estipular a divisa, mas permaneceram como uma reminiscência de nossa história.

Os demais marcos iguais a este não estão mais por ai, mas este permaneceu em uma estreita calçada da Avenida Prof. Francisco Morato esquecido, sujo e completamente abandonado. Tão largado que quase ninguém notava que ali havia algo desse tipo.

Detalhe do marco (clique na foto para ampliar)

Detalhe do marco (clique na foto para ampliar)

Como o site completará 6 anos em janeiro de 2015 e desde antes dele existir este marco já estava nesta triste situação, decidimos não mais esperar uma eventual providência dos órgãos públicos e fomos nós mesmos resolver o caso. Para agilizar o trabalho,  nosso amigo e colaborador do São Paulo Antiga, Leandro Guidini, foi dar uma mão.

Aplicado massa (foto 1) e fundo (foto) - clique na imagem para ampliar

Aplicado massa (foto 1) e fundo (foto) – clique na imagem para ampliar

O tom enegrecido do marco era basicamente poluição. Havia também muita cola impregnada de cartazes que são colados ali, como também alguns pregos que alguém martelou por ali. Lavamos o totem, lixamos alguns pontos mais complicados e demos uma demão inicial de tinta.

Algumas letras esculpidas no concreto, mais próximas das extremidades tinham sido destruídas e tivemos que reconstruí-las a mão (não foi fácil). Isso feito, passamos pra segunda etapa: a pintura.

Após a pintura secar e corrigirmos todos os defeitos, fomos para a fase final e mais complicada: a pintura das letras e detalhes do marco.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

Por todo o tempo que estivemos ali trabalhando, fomos abordado por pessoas que há anos passavam pela calçada ou mesmo de carro pela avenida e, devido a imundície anterior do marco, nunca notaram que ali estava algo tão importante. Era gratificante ver motoristas ao pararem no semáforo acenarem e nos agradecerem pelo gesto.

Também despertava a curiosidade dos transeuntes o fato de ali estar escrito “Município de Santo Amaro”. Coube a nós explicar como a antiga cidade virou um bairro paulistano.

Por volta de meio dia, depois de cerca de cinco horas de trabalho sob um sol bastante forte, o marco estava pronto e de volta a vida. A foto abaixo evidencia bem o momento “Antes e Depois” deste importante e histórico monumento paulistano:

O "Antes e Depois" do Marco N5 (clique na foto para ampliar)

O “Antes e Depois” do Marco N5 (clique na foto para ampliar)

Parece que o marco ficou um “pouquinho” melhor do que antes não é mesmo ? É importante salientar que mantivemos na recuperação as mesmas cores e padrões de como ele era antes de ser vandalizado. A cor areia para o marco e o azul para as letras e detalhes.

Observem que no lado direito está escrito do marco está esculpido “muncipio” ao invés de “município”. Desde sua inauguração o erro está lá e só notei quando ficou pronto. Será que ninguém nunca reparou neste erro em quase um século que o marco está ali ?

Enfim este foi nosso humilde presente de natal do São Paulo Antiga para a nossa amada São Paulo. Esperamos que ele resista como está por muito tempo e que vocês tenham apreciado este nosso gesto.

Lembrando que o que fizemos foi apenas uma recuperação simples e não uma reforma ou restauro. Não temos esta pretensão e nosso objetivo foi dar visibilidade há um marco que há pelo menos 8 anos estava ali esquecido.

Abaixo nosso vídeo onde mostramos todos nosso trabalho lá no marco da Franscisco Morato. Assista, porque vale a pena!

Deixe um comentário e uma sugestão do que pode ser nossa próxima iniciativa como esta, em janeiro.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • Lia Monica Rossi 15/12/2014 at 18:05

    voces são demais!!! parabens pela ação!

    Reply
  • Ariovaldo Jardim – Descalvado SP 15/12/2014 at 18:19

    Parabéns, belo trabalho. Onde fica o marco 0 de São Paulo?

    Reply
    • Douglas Nascimento 15/12/2014 at 18:20

      O Marco Zero fica na Praça da Sé, diante da catedral.

      Reply
    • Pedro Marcelo Sá de Oliveira 29/12/2018 at 17:34

      O Marco 0 fica bem na Praça da Sé, em frente à Catedral. É um bloco de pedra, com formato geométrico, tendo em cada lado o nome do Estado da federação voltado para cada face do bloco.

      Reply
  • Romina 15/12/2014 at 18:21

    parabens..pela verdadeira postura de cidadao paulistano..

    Reply
  • silvia 15/12/2014 at 18:22

    Que lindo que ficou! Parabéns! Sugiro fazerem o mesmo com o marco da rua franca pinto na vila mariana!

    Reply
  • Nilton D’Addio 15/12/2014 at 18:40

    Parabéns pela iniciativa e por tudo que vocês vêm contribuindo para a preservação da história e do patrimônio de SP.
    Desse jeito, logo logo vocês estarão recuperando a fonte da Pç Júlio Mesquita e o monumento a Duque de Caxias.

    Reply
  • Doris Pinheiro 15/12/2014 at 18:52

    Parabéns pela iniciativa! Como paulistana, me senti presenteada também. É como se Papai Noel tivesse chegado mais cedo.

    Reply
  • Eliana Toscano 15/12/2014 at 18:56

    Douglas, sempre acompanho o seu trabalho e estou muito feliz de ver essa belíssima restauração. Parabéns!!!

    Reply
  • MILER DE MARCHI 15/12/2014 at 19:43

    Parabéns pela restauração. Deu mais fôlego para a preservação de um registro histórico. Espero que, com essas atitudes somadas a publicidade (difundida pelo seu Blog), a nova geração passe a valorizar a história e não vandalize.

    Reply
  • Edison Junior 15/12/2014 at 19:47

    Muito legal! Parabéns pela inciativa!

    Reply
  • Marco Antonio Deprá 15/12/2014 at 21:35

    Maringá, no Paraná, parabeniza o site São Paulo Antiga. Sucesso em 2015!

    Reply
  • Waldenir Dornellas 15/12/2014 at 21:52

    Parabéns pela iniciativa. Belíssimo presente para a cidade. Vamos torcer para que não seja vandalizado novamente.

    Reply
  • Sérgio César Júnior 15/12/2014 at 22:51

    Tem dois pontos interessantes nesta ação do jornalista Douglas Nascimento, os quais são louváveis e ao mesmo tempo perigoso. O primeiro é que ele além de chamar a atenção de quem transita pela cidade, para verem e observarem mais os monumentos públicos, ele também mostra que temos que preservar e fazer uma ação para revalorizar o que há de histórico e faz parte da paisagem urbana, do município. Contudo gera algo que pode ser ruim do ponto de vista do restauro e da conservação. O material e a técnica que ele está utilizando é amadora e simples, pois é compreensível que haja uma intenção de trazer o olhar de quem passa e precisa de olhar para os espaços de memória e história da cidade. Só que não há um interesse de quem está no poder público, ou mesmo da comunidade do entorno do monumento e por esta razão, eles acabaram intervindo para trazer um interesse público nesta questão. Ainda assim é necessário que haja um esforço, para trazer o poder público e seja feito o trabalho de restauro e conservação, por restauradores e técnicos de restauro. Precisa de uma mobilização para formar um grupo com técnicos em edificação; engenheiros; arquitetos; restauradores; museólogos e o principal: historiadores. No entanto é melhor agir desta forma, como mostra o relato, para que se desperte a consciência e incentive as ações de preservação e busca pela história da cidade.

    Reply
    • Douglas Nascimento 16/12/2014 at 09:42

      Oi Sérgio, como vai ? Obrigado pelo comentário.
      Eu concordo com você e vou fazer alguns adendos: A última vez que este marco foi pintado (acho que em 2006) foi feito pela prefeitura e da mesma forma que eu fiz. A diferença é que usaram cal pra pintar e eu usei uma tinta que remove pichação.
      Por fim isso foi uma recuperação apenas, não restauro ou nem mesmo uma reforma, coisa que eu jamais teria condições de fazer.

      Reply
  • william lima 16/12/2014 at 01:09

    parabens pela iniciativa!!

    Reply
  • flavia r s franco 16/12/2014 at 07:27

    Muito bom, ficou lindo !! Espero que a população tambem perceba a modificação e os vandalos não estraguem esta antiguidad nivamente !! Parabens pelo trabalho e dedicação .

    Reply
  • Janaína 16/12/2014 at 08:06

    Parabéns! Ótimo trabalho!

    Reply
  • Carlos Fatorelli 16/12/2014 at 08:28

    Temos um compromisso com o que nos rodeia e que subsisti por algum milagre na cidade de São Paulo, que pouco guardou de seu passado. Construímos o projeto “A Fotografia como Concepção Histórica” para extrair a relevância historiográfica da cidade que possui seu dinamismo, mas soterra constantemente uma identidade e um pertencimento que esconde nos escombros seu passado de taipa. Para complemento sobre os marcos de limites territoriais vide:

    O MARCO DOS LIMITES DE SÃO PAULO COM SANTO AMARO
    http://carlosfatorelli27013.blogspot.com.br/2011/04/o-marco-dos-limites-de-sao-paulo-com.html

    Reply
  • Miguel Dos Santos Primeiro 16/12/2014 at 09:24

    Parabéns pela iniciativa, não poderíamos esperar menos de vossa equipe, um bom natal à todos do SPA.

    Reply
  • Reginaldo Galuzzi 16/12/2014 at 10:27

    Parabéns aos dois amigos pela bela demonstração de carinho por São Paulo.
    Vocês se recordam qual a altura (nº) da Francisco Morato se encontra o marco?

    Reply
  • derwolfstein 16/12/2014 at 10:58

    Doglas belo trabalho, não conheço São Paulo pessoalmente, mas gosto do que é belo e histórico, se um dia eu tiver oportunidade quero separar varios locais que estão no seu site para visitar. Eu creio que é por aí mesmo tomando iniciativa que poderemos um dia despertar o interesse do povo pela sua história, com este marco revitalizado creio que muitos que passam ali vão se perguntar o que significa, vão despertar o interesse de ir atraz e se informar, se isso acontecer com apenas uma duzia ou menos de pessoas você já terá conseguido uma vitória, parabéns antecipado pelo aniversário do site e parabéns pelo trabalho!!!

    Reply
  • Alexandre Fontana 16/12/2014 at 11:39

    Sensacional. Tb. espero que ele seja mantido limpo e conservado e que os nossos administradores acordem e façam alguma coisa pela memória de nossa cidade.

    Reply
  • Danilo Dias 16/12/2014 at 16:04

    Douglas, não há nada que possamos dizer além de ‘obrigado’! O trabalho do site faz valer a história de nossa cidade. Um abraço!

    Reply
  • Ana Claudia Dantas 16/12/2014 at 18:06

    Muto bom!!

    Reply
  • vanialacerda2013 17/12/2014 at 12:07

    Parabéns!

    Reply
  • Ricardo Francisco dos Santos 17/12/2014 at 19:02

    Linda iniciativa Douglas!!Conheço esse marco muito bem desde quando eu era pequeno e isso que vc fez foi um belo presente!!Como amante de nossa cidade agradeço!!Abraço!!

    Reply
  • Luiz Henrique 18/12/2014 at 16:21

    ESTÁ ESCRITO “MUN” DEPOIS TEM O NÚMERO “1”(COM SE FOSSE A LETRA “I”),DEPOIS, “CPIO”.

    Reply
  • Tiago 20/12/2014 at 14:11

    A anos passo pelo local nem dava mais atenção ao totem. Realmente ele estava degradado e passava desapercebido pela maioria. Hoje passei pelo local e parado no semáforo e percebi algo diferente, pude constatar o velho marco revivido. Parabéns pela iniciativa!

    Reply
  • Denis George Haddad 21/12/2014 at 21:15

    Pesquisando na legislação descobri que o município de Santo Amaro foi extinto pelo Decreto Estadual Paulista 6.983 de 22 de fevereiro de 1935, tendo sido anexado ao município de São Paulo como simples sub-prefeitura. Isso ocorreu em razão da precária situação financeira da prefeitura de Santo Amaro e da impossibilidade desta de efetuar os investimentos necessários diante do crescimento que a região já vinha apresentando. Meu falecido pai morava em Santo Amaro na ocasião e sempre contava suas recordações sobre o que havia lá presenciado em sua infância marcada pela fantástica linha de bondes elétricos que ligava Santo Amaro à capital e que foi, aliás, a última a circular em São Paulo em 27 de março de 1968. Parabéns ao site pelo trabalho realizado em favor da memória paulistana.

    Reply
  • Roberto 22/12/2014 at 14:06

    Fantástico !!!! Douglas sua iniciativa merece respeito, parabéns.

    Reply
  • RenatoAlfaia Gomes 23/12/2014 at 15:31

    Ola boa tarde, legal esta iniciativa. se em são paulo tivesse interesse em manter seus marcos históricos em uso considerável. a cidade seria melhor. quem não conhece sua historia esta fadado a repetir os erros do passado. nossos jovens não conhece sua própria historia. se perguntamos de Facebook ou what up todos sabem. os jovens estão sem futuro

    Reply
  • Vinícius 25/12/2014 at 22:14

    Causa orgulho saber que existem pessoas preocupadas com nossas memórias. Por isso, louvo, como tantos fizeram, a atitude de recuperar o marco. Achei o trabalho formidável.

    Apenas tenho de lamentar que civis se sintam na obrigação de tal tarefa, que compete às autoridades públicas, mas cujo descaso obriga à ação imediata.

    Em resumo: parabéns aos blogueiros pela iniciativa e meus pêsames aos governantes pela falta de respeito para com a memória de nossas cidades.

    Reply
  • Cláudio Gonçalves 28/12/2014 at 11:53

    Sou morador de Embu que era conhecido como Mboy. O marco mostra a distancia até o município. Muitas vezes passei em frente ao marco, olhei muitas vezes mas jamais poderia imaginar que teria referência com minha cidade. Parabéns ficou realmente diferente!

    Reply
  • Pedro M. S. Oliveira 30/12/2014 at 05:41

    Parabéns pela iniciativa! Apenas levanto a questão de ser possível falar com Subprefeitura competente para pedir a instalação de gradil ou proteção similar, visando a proteção contra vândalos. Um abraço!

    Reply
  • Eneida Souza Cintra 30/12/2014 at 23:53

    Que haja união entre o departamento municipal que se encarrega da preservação (você descobriu e deu o primeiro empurrão) com a secretaria da educação. Nossos alunos precisam de um academicismo mais dinâmico, mais vivenciado!!! Chega de carteira e lousa ou, atualmente os tablets. Sair, comparar, vivenciar, olhar, medir, comparar, inferir, classificar, deduzir, levantar hipóteses. É um dos caminhos para que, ao tomarem contato, aprendam os valores cívicos. Esta estratégia servirá (creio eu) para que o respeito se expanda também para o ser humano. Apregoa-se a necessidade de “trabalhar” cidadania e eu afirmo: cidadania não se aprende nos livros, CIDADANIA, VIVE-SE!!! Entendam que quando menciono “valores cívicos” não estou querendo ser piegas ou trazer uma postura de hino nacional ou bandeira hasteada de tempos idos. Apenas acredito que se souberem cuidar, preservar ou no mínimo admirar, defrontando-se com a própria ignorância, se auto contaminarão e expandirão a outros, o vírus do respeito seja para monumentos, seja para a história, seja em relação ao ser humano!!

    Um abraço e desculpe: me alonguei muito..

    Eneida Souza Cintra

    Reply
  • Francisco Tadeu Pascuzzi 31/12/2014 at 22:29

    Parabens,açoes como esta mostra o respeito pelo patrimonio publico no qual estão cada vez mais esquecidos,principalmente pelos mais jovens,sempre passei em frente a este marco e ficava curioso,até que um fiscal antigo da prefeitura de Itap da serra me explicou e sempre acabei se possivel informando aos mais jovens da região exatamente o que esta escrito neste marco,inclusive o erro da palavra municipio que me foi informado pelo tal fiscal,mais de dificil leitura pelo fato de estarem em degradação antes do restauro espetacular que vcs fizeram,torno a falar PARABENS-Francisco Tadeu Pascuzzi-coordenador de Cursos do Senai Osasco junto da Assoc Com e Ind e Serviços de Embu-ACISE

    Reply
  • Juliana Guido 03/01/2015 at 16:36

    Eu já era fã do SPa, depois dessa sou mais fã ainda. Douglas e Leandro, parabéns pelo trabalho! Ficou tão bonito e caprichado quanto o site. Como paulistana que gosta de História, registro aqui o meu “muito obrigada”.

    Reply
  • Marcelo de Souza 03/01/2015 at 17:58

    Parabéns por esse trabalho de recuperação da história de nossa cidade, de nossa vida. É sempre importante que nossas memórias não desapareçam, e coloquem em risco o conhecimento para as gerações futuras. Novamento, desejo parabéns pelo belo trabalho realizado.

    Reply
  • Priscilla 09/01/2015 at 14:08

    Parabéns pela iniciativa de vocês. Tomara que este seja o “empurrão” que o Poder Público precise para restaurar monumentos importantes da cidade de São Paulo.

    Reply
  • Antonio Imperiale 10/01/2015 at 03:28

    Parabéns!!! Desvendado o segundo segredo..
    Há anos eu passava por ali, e não sabia o que era aquilo, até que soube aqui o que era…e sempre que passava olhava aquilo decrépito, depredado…dava mais dó ainda.
    Há alguns dias, indo fazer compras para o Natal, notei o monumento lindo, e novo!! Me perguntei se finalmente a prefeitura havia restaurado o marco….mas não. Ela anda muito ocupada pintando “ciclofaixas”.
    Obrigado pela iniciativa fantástica.
    Parabéns!!!

    Reply
  • SavianoMarcio 26/02/2015 at 08:52

    Não sei se vocês sabem mas existe outro marco igualzinho a esse na divisa da São Paulo com Mairiporã, vi quanto fui fazer trilha no Parque Estadual da Cantareira, não vi de perto mas notei escrito Juquery nele, antiga denominação do município. http://goo.gl/maps/2ojFE

    Reply
    • Nilton D’Addio 26/02/2015 at 11:36

      Você tem alguma referência do lugar onde você foi?
      Terá sido no Caminho da Pedra Grande?

      Reply
  • Rubens Harry Born 19/05/2015 at 19:43

    muito legal a iniciativa. agora há que se requisitar da Prefeitura, com a criação do Parque Chácara do Joquei, que proteja o marco e que faça existir no Parque algo permanente sobre como foi a região Jardim Monte Kemel, Ferreira, Vila Sônia e o então município de Santo Amaro (SP)

    Reply
  • Renato Gonda 03/07/2015 at 11:02

    Parabéns, Douglas e Leandro. Para nós, de M’Boy – Embu das Artes, esse marco sempre foi/é muito significativo! Você tem a informação da data de sua instalação? Fiz uma publicação breve sobre o trabalho de restauro que vocês fizeram, em um grupo que co-administro no face: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203257597919587&set=gm.654786287956724&type=1&theater
    Quando vi a restauração fiquei muito feliz – e mais ainda, agora, por saber que foi uma iniciativa artística e cidadã! Quem chegou ao SÃO PAULO ANTIGA e a você foi a amiga e jornalista embuense Silvia Vieira Martins. Parabéns de novo… Você sabe de algum outro monumento que relacione São Paulo a Embu das Artes? Abraços e novamente parabéns! Inclusive (e pontualmente!) pelo seu fantástico trabalho fotográfico em http://www.douglasnascimento.com/

    Reply
  • Edu-SP 18/12/2015 at 22:29

    Eu frequentei a casa do finado amigo Isaias Branco de Araújo um dos prefeitos de Santo Amaro quando foi anexado à SP , e sei que como eu ele deve estar muito feliz pela nobre iniciativa .

    Reply
  • Rubens Harry Born 13/01/2016 at 14:04

    Marco será conservado ou derrubado? Pergunta que demanda resposta com as obras em andamento (dia 13-jan-2016) de demolição e construção de novo muro para o Parque do Joquéi,

    Reply
    • Rubens Harry Born 13/01/2016 at 14:09

      vide fotos em meu facebook

      Reply
  • Fernando 16/07/2016 at 17:49

    Olá.

    Antes de mais nada, parabéns pelo trabalho que vocês vem realizando. Essa proatividade acaba contagiando muitas pessoas, inclusive essa que vos escreve.

    Sou nascido no Ipiranga e morador do Sacomã. Aqui temos MUITOS marcos históricos que infelizmente estão esquecidos. Aos poucos estou tentando “trabalhar” com algumas ideias para resgate e valorização de alguns espaços e espero que se possível vocês estejam presentes.

    Abraço

    Reply
    • Pedro Marcelo Sá de Oliveira 29/12/2018 at 17:30

      Fernando, sou paulistano morando no Interior. Meu último endereço na Capital, por 9 anos, foi a Vila das Mercês, proximo ao Ipiranga. Quais são os marcos históricos que vc menciona? Houve alguma recuperação levada adiante? Conte-nos mais sobre isso, por favor. Obrigado

      Reply
  • Pedro Marcelo Sá de Oliveira 29/12/2018 at 17:25

    Li esse post apenas agora. Assisti o vídeo e gostei da ideia e da iniciativa, parabéns! Queria saber se já escreveram sobre o fim do município de Santo Amaro, em 1935, e como foi o processo de incorporação à cidade de São Paulo. Se ainda não, fica a sugestão. Abraços

    Reply
%d blogueiros gostam disto: