Houve um tempo em que São Paulo não era tão densamente habitado como os dia de hoje e havia muitos terrenos disponíveis para a construção. Nesta época, em especial até meados da década de 50, era muito comum que pessoas comprassem terrenos para construir imóveis para renda.

Geralmente construídos de forma padronizada e muitas vezes geminados, estes imóveis em muitos casos servem até hoje para o sustento de herdeiros destes construtores. Muitas destas residências, mesmo não sendo mais dos mesmos donos iniciais, existem até os dias de hoje. Como este conjunto de casas que apresentamos aqui.

clique na foto para ampliar

clique na foto para ampliar

A vila é um conjunto de seis casas geminadas que estão localizadas na rua Ítala, Vila Guilherme. Aparentemente, foram sendo construídas aos poucos, provavelmente a medida que o dinheiro fosse entrando, já que observamos que a mais antiga foi erguida em 1931 e a mais recente em 1938.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

Em uma fachada a inicial “JM” na outra o ano de construção (clique para ampliar).

Segundo o que foi possível apurar todas elas foram construídas por um senhor de origem portuguesa chamado João Mendes. Embora não se trate de uma vila tradicional (com entrada, identificação e isolada), optamos por dar o nome de “Vila de João Mendes” para homenagear o construtor, que deu um charme especial para a rua.

Crédito: Douglas Nascimento / São Paulo Antiga

A data mais recente encontrada na fachada é de 1938 (clique para ampliar).

Apesar de não estarem no mais perfeito estado de conservação, as casas se apresentam em boas condições e com sua fachada original preservada. A única coisa que notamos ter sido alterada foi a porta de algumas das residências.

Neste mesmo lado da rua há outra casa, um sobrado, que também possui a inscrição “JM” na fachada. Segundo um morador da mesma rua Ítala esta era a residência de João Mendes (veja a outra casa clicando aqui). Casas como estas, são símbolos de uma época e parte integrante da história de seu bairro e precisam ser preservadas.

Esperamos que João Mendes tenha seu legado preservado por muito tempo. Estamos a procura de familiares para que possamos ter mais detalhes sobre quem foi esta pessoa e, eventualmente, mais dados sobre as casas que ele construiu. Se você tiver alguma outra informação, entre em contato conosco, clicando aqui.

Veja mais fotos da Vila de João Mendes (clique na miniatura para ampliar):

Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento
Foto: Douglas Nascimento

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Luiz Henrique de Souza Alineri 27/03/2014 at 11:06

    São belas e charmosas construções,de um tempo em que havia a preocupação em fazer o acabamento nas casas,com os adornos de praxe além da pintura.À partir de meados da década de setenta do século 20,creio eu,as casas,principalmente na periferia(que cresceu desordenadamente), passaram a ser somente 4 paredes com tijolos aparentes,um telhado de telhas disformes e os chamados “gatos”,de água,luz e esgoto.E isso acontece todos os dias.Só tem piorado.

    Reply
  • J.C.Cardoso 27/03/2014 at 11:07

    Aqui no Rio há umas vilas operárias assim. E de beira de rua (não com via própria, com portão).

    Reply
  • Cesar Cruz 27/03/2014 at 11:15

    Douglas, sensacional! Parabéns pela matéria! Na Rua Diogo Vaz, no Cambuci/SP, onde moro, tem uma série de casas no mesmo estilo, geminadas. Elas avançam por quase o quarteirão todo, uns 200mts. Tenho a impressão que as dessa minha rua são inclusive mais antigas. Vale uma visita de vcs. Abço!!

    Reply
  • Neuza Paranhos 27/03/2014 at 14:35

    No Pari, onde passei a infância entre os anos 60-70, havia muitas casinhas assim. Lembro bem as da rua Itaqui, pois tive mais de uma amiguinha morando lá. Dava uma melancolia passar em frente nos domingos à tarde, quando se ouvia lá dentro o Sílvio Santos na tevê e, às vezes, uma velhinha encarquilhada saindo à janela.

    Reply
  • alessandra 27/03/2014 at 22:22

    Oi Douglas, muito legal…..aqui no Cambuci, Rua Miguel Teles Júnior , tb tem várias casas assim, inclusive a do meu pai….tb todas construidas pela mesma família…..mas já ñ pertencem mais a mesma….. tem tb uma rua sem saída muito interessante, quase todas as casas pertencem a família do pintor Volpi…..que morava aqui no bairro…..abraços

    Reply
  • Eduardo Britto 29/03/2014 at 17:34

    Passo sempre aí, às vezes até paro para fotografar, aproveitando que não tem carro na frente. Desejo que essas casas permaneçam para sempre, ou enquanto durar a civilização urbana… Valeu!

    Reply
  • Zuleica 01/04/2014 at 12:14

    Fui moradora da casa sobrado aonde os Mendes moraram, no inicio da construção das casas, por 20 anos, o velho Mendes morreu quando eu era menina acho que foi em 1975, e a esposa dele Dona Etelvina Mendes e os filhos eram os donos das casas, que pagávamos os alugueis, após a morte dela, continuou com a mesma familia. Eles moravam em uma casarão do outro lado da rua, em frente as casinhas, hoje tem um prédio pequeno ao lado da antiga casa dos Mendes. Esta casa era a mais luxuosa da rua.

    Me lembro do velório do João Mendes, foi um evento na rua. mudei de lá em 1993 e não soube mais o que aconteceu com a familia, mas eles devem morar lá ainda.

    Reply
  • Paulinho Fusca 12/04/2014 at 11:36

    Há também duas casas geminadas com as iniciais J.M. no início desta mesma rua!

    Reply
  • Nubia Sales de Mesquita- 12/05/2014 at 19:39

    Morei numa destas casas. Talvez a terceira da esquerda para a direita. Entre os anos de 1969 a 1975. Em frente a esta vila, havia um quintala vazuio onde ficavam alguns ônibos, a Mendes Turismo, que tambem pertencia a esta família.

    Reply
  • olivia marcos 09/12/2014 at 10:27

    bonitinha, porém não estão bem conservadas

    Reply
  • Nubia Sales de Mesquita- 09/12/2014 at 18:29

    Morei no numero 88 destas casas iguais por volta de 1970

    Reply
  • Zuleica 17/04/2015 at 12:36

    Fui moradora da casa sobrado dos Mendes por 20 anos. O velho Mendes morreu quando eu era menina, acho que em 1975, e a esposa dele Dona Etelvina Mendes e os filhos eram os donos das casas a partir dai. Após a morte de Etelvina continuou tudo com a mesma família. Eles moravam em um casarão do outro lado, na esquina, onde hoje já um pequeno prédio comercial. Era a casa mais luxuosa da rua.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: