Quando vemos a Prefeitura de São Paulo hoje abrindo diversos hospitais veterinários públicos podemos pensar que tudo isso – apesar de nobre – é um tanto quanto tardio. Entretanto poucos sabem que a capital paulista já esteve muito em vanguarda quando o assunto é o bem estar animal.

As conversas para algo neste sentido na cidade se iniciou em 1918 entre a Câmara Municipal de São Paulo e a renomada União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), para que fosse erguido um hospital veterinário.

Com o entendimento entre os lados a prefeitura cedeu um terreno na região do Ibirapuera, bem no final da Rua França Pinto, para que ali fosse erguido um inédito complexo veterinário na capital paulista, que abrangeria não apenas um hospital como também um cemitério de animais e um canil.

figura 1

Assim sendo em 15 de novembro de 1919 é inaugurada a pedra fundamental para o início das obras do complexo. O projeto ficou por conta do renomado arquiteto paulistano Adelardo Soares Caiuby, autor do projeto de diversos casarões e palacetes em São Paulo e também do antigo prédio da Cúria Metropolitana de São Paulo.

NOTA: Em 2015 o Instituto São Paulo Antiga publicou em três artigos a história do hospital veterinário e seu cemitério, a história da UIPA em São Paulo e também a história do único túmulo que sobreviveu no antigo completo e que está lá dentro do Parque do Ibirapuera. Tudo isso pode ser lido através dos links abaixo:

:: A origem da UIPA e da proteção animal em São Paulo
:: Conheça a história do hospital e cemitério de animais da capital
:: Pinguim, o fiel amigo

Os projetos do complexo e suas respectivas plantas foram apresentados ao público na edição de setembro da extinta publicação “O Criador Paulista” e podem ser visualizadas a seguir:

figura 2
figura 3

O hospital de animais de São Paulo e seu cemitério seriam inaugurados na década seguinte, entre 1925 e 1926. Infelizmente a data exata não foi encontrada, mas o primeiro sepultamento de um cão foi no ano de 1925, o que significa que o lugar já havia, portanto, iniciado suas atividades.

A área toda sobreviveu em pleno funcionamento até 1972, quando o então prefeito Figueiredo Ferraz ordenou a desapropriação da área que foi incorporada ao Parque do Ibirapuera. A UIPA mudou-se para o Canindé, onde encontra-se até hoje. Já o cemitério foi destruído e não há nenhum relato ou registro de traslados ou transferências de sepulturas para outro lugar, dando-se um fim – triste aliás – para o primeiro cemitério público de animais de São Paulo.

Túmulo da cadela Ninette que foi sepultada em 1925

CURIOSIDADE:

O hospital aqui mencionado, embora bastante antigo, não foi o primeiro hospital veterinário da cidade. O primeiro que se tem registros foi inaugurado em 1893 e ficava no Largo do Arouche.

figura 4

Este hospital pioneiro era chamado Royal Derby e ficava na então renomada Cocheira Anglo-Franceza (com z mesmo). Não há dados de quando este hospital foi desativado, mas é sabido que atendia primordialmente cavalos e também cães.

O local do hospital era estratégico pois ficava a poucos metros da grande praça de touros, local de touradas que mais tarde passou a ser a atual Praça da República.

Bibliografia consultada:
* O Criador Paulista – Edição 9 (setembro/1919) pp 244, 245 (figuras 3 e 2)
* O Criador Paulista – Edição 11 (novembro/1929) pp 302
* Diário Nacional – Edição 0118 (27/11/1927) pp 6
* O Commercio de São Paulo – Edição 0079 (27/04/1893) pp 2 (figura 4)

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • Marcelo 30/06/2020 at 14:19

    O treinador do meu cachorro de estimação é paulistano. Vou repassar a ele para ver se já sabia disso. Ótima matéria!

    Reply
  • Walnice Helena Zuffo 01/07/2020 at 19:50

    parabens pelo trabalho

    Reply
  • simone valerio 30/07/2020 at 10:59

    Como esse, esse site se superando! Muito boa matéria! Sampa realmente é especial…amo essa cidade hoje e sempre!

    Reply
%d blogueiros gostam disto: