Um interessante achado:

clique para ampliar

clique para ampliar

A residência acima, chama bastante atenção não apenas pelo grande destaque ao símbolo na fachada, mas também por outra curioso detalhe: ela não se encontra na capital paulista, mas no município de Suzano.

Ao que tudo indica ou o símbolo do IV Centenário tornou-se bastante popular entre os anos de 1950 e 1960, ou quem a construiu gostava tanto do símbolo paulistano que decidiu colocar em sua residência na grande São Paulo.

imóvel está atualmente fechado (clique para ampliar)

imóvel está atualmente fechado (clique para ampliar)

Infelizmente, a casa que recebeu esta importante simbologia paulistana não está nas suas melhores condições. Aparentemente desabitada há alguns anos, tem seu quintal funcionando como estacionamento de um estabelecimento próximo e sua fachada recebeu uma pintura branca com publicidade.

O símbolo parece não ser notado por quase ninguém, exceto pelo nosso atento leitor Nelson C. Cunha Jr, que não apenas reparou como nos enviou as duas fotografias acima que ilustram o artigo.

Abaixo uma imagem do Google Street View, do ano de 2011, mostrando a residência antes de levar a tinta branca (a casa encontra-se na rua Nair Ferreira Martins, próximo ao centro de Suzano):

Google Street View / Divulgação

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • Antonio Mario 10/12/2016 at 16:42

    Douglas,

    Obrigado pelas matérias (esta e a anterior). Eu estive no Vale do Anhangabau com minha mãe nas comemorações do IV Centenário em 1954. Quem conheceu a cidade nos anos ’50 não esquece.

    Obrigado.

    Reply
  • Lauro Kazumi Dehira 25/12/2016 at 00:01

    Estou em Pomerode-SC, e visitei o memorial das louças Schimidt hoje. O curioso, no presente caso, é que lá tem um grande vaso comemorativo do IV Centenário, fabricado por eles. Infeluzmente fotos não permitidas lá.

    Reply
  • Roberto Carvalho de Magalhaes 05/01/2017 at 10:32

    Prezado Douglas, você viu essa? Publicamos um pequeno artigo no Face e no site do Parque Ibirapuera Conservação e começaram a aparecer outras. A fotografia é de Fabio Canova de Souza.
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1397733613578267&set=p.1397733613578267&type=3&theater

    Reply
    • Douglas Nascimento 05/01/2017 at 12:49

      Olá,
      Fotografamos esta casa recentemente, após a sugestão de um leitor.

      Reply
  • Roberto Carvalho de Magalhaes 05/01/2017 at 12:26

    O artigo, onde os seus são mencionados, encontra-se no seguinte link: http://parqueibirapuera.org/o-simbolo-do-iv-centenario-de-sao-paulo-no-parque-ibirapuera-e-os-seus-familiares-perdidos-pela-cidade/

    Reply
  • Daniel Pardo 19/03/2017 at 20:15

    Era uma casinha simpática… 🙁 🙁 🙁 🙁

    Reply
  • josé carlos vaz 17/07/2018 at 16:26

    Na Rua Agostinho Gomes, 2489, no Ipiranga, há um pequeno prédio com o símbolo.

    Reply
  • Carlos Antonio Lopes 13/05/2020 at 21:43

    Eu tinha 3 para 4 anos mas através de uma bruma lembro do aviões jogando chuva de papel laminado com o símbolo do IV Centenário,as chaminés das fábricas apitando, a queima de fogos no Pari, perto da várzea do Rio Tietê, onde abundavam campos de futebol de várzea como o Flor do Brás, o Lusitano , o Vigor -este último inda permanece incólume numa das alças da ponte da V.Guilherme, junto ao Colégio Estadual Frei Paulo Luig onde estudei! Foi tocante rever esse símbolo que minha mãe ostentava numa placa de metal quadrada presa entre a janela e a porta de casa ! Minha memória é muito boa e me deleito com essas coisas todas, de uma sociedade inda agrícola mas já querendo dar os primeiros passos para a industrialização que encontraria em JK seu grande entusiasta.

    Reply
  • Aurea 14/05/2020 at 07:40

    Parabéns pelo trabalho. As pessoas esquecem mto rápido da história. Tudo é cultura. Amo tudo isso. Descoberta de como tudo era bonito. Tudo se evoluiu tanto que não tem mais graça.

    Reply
  • Josevan Ribeiro dos Santos 14/05/2020 at 23:17

    A cidade de São Paulo de antigamente dos anos 40 ao 50, tinha um aspecto de uma cidade francesa, principalmente no anhagabaú que tinha os palácios prates e o Hotel Prates na Rua Libero Badaró, o Teatro Municipal, o Teatro São José, o hotel que fica atrás do Teatro Municipal que hoje é a Secretaria do Turismo e da Agriciltura e Abastecimento, e os lindos jardins do Anhagabaú. Tudo magnifíco !
    Mas, como sempre tudo é por dinheiro, derrubaram os prédios que compunham o Anhagabaú e hoje está descaracterizado.
    Outro prédio que acho bonito é o Prédio para o bem de São Paulo, no Lgo.da Misericórdia, que simboliza a bandeira de São Paulo.
    Se tivesse ficado do jeito que era, seria muito mais bonito do que aqueles prédios que estão lá.
    São Paulo não foi capaz nem de preservar e conservar o bonde que traria nostalgia e iria atrair o turismo ou que fosse pelo menos no Centro, mas nem isso.
    O contrário de outros países que conservam castelos da idade média, metrôs, bondes e edificações. Gosto muito de olhar fotos antigas de São Paulo e aos arredores.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: