O olhar atento e o registro das transformações da cidade nem sempre foram fáceis como hoje em dia quando, com o celular, é possível captar instantaneamente qualquer imagem que se queira.

Ter a máquina fotográfica a mão, ter comprado o filme, bater as 24 ou 36 fotos, mandar revelar… Tudo era muito mais complicado (e caro), porém apesar disso e sempre que possível conseguia registrar algumas construções que me chamavam a atenção.

Um destes casos foi na Lapa onde numa fábrica, um logotipo, no topo de uma torre, me chamava a atenção na década de 1980 e da qual tirei duas fotos. Passados mais de 30 anos e com a existência do São Paulo Antiga, resolvi pesquisar a história daquele conjunto industrial que havia registrado.

No lugar deste condomínio outrora existiu uma empresa (Foto: Google Street View)

Hoje, quem mora no condomínio “Spazio Dell’Acqua” (vide foto acima) na Lapa não imagina que ali existiu uma importante empresa dedicada a montagens industriais que pertencia ao grupo Jafet, potência econômica cujas raízes paulistas encontram-se no bairro do Ipiranga.

Para se ter uma ideia, o grupo em 1955 era composto por 15 empresas entre mineradoras, usinas siderúrgicas, tecelagens, montadoras industriais, transportadora e um banco. Dentre estas empresas estava a CODIQ.

Crédito: José Vignoli (clique para ampliar)

Inicialmente denominada como Construtora de Distilarias Instalações Químicas S/A já estava, no início da década de 1940, constituída e funcionando na Rua Passo da Pátria, 1515 no bairro da Lapa num terreno de 53 mil metros quadrados. (Não está escrito de forma errada, é distilaria mesmo*¹).

Em 1950 tem sua razão social então como CODIQ S/A Construtora de Equipamentos Industriais e passa a ter os membros da família Jafet como acionistas e diretores, entre eles Ricardo Jafet que foi presidente do Banco do Brasil na era Vargas e que hoje dá nome a importante avenida de São Paulo.

A empresa mais importante do grupo era a Mineração Geral do Brasil Ltda., do ramo da siderurgia, localizada em Mogi das Cruzes e que era a maior siderúrgica de São Paulo na sua época de atuação. Segundo Jacques Marcovich, o envolvimento da família na política e a incapacidade de incorporar inovações tecnológicas levou a empresa a pedir concordata (hoje Recuperação Judicial) em janeiro de 1965 quando teve sua produção interrompida trazendo sérias consequências para todo o grupo.

Não entrando em detalhes que não vem ao caso neste relato, o fato é que em 28 de julho de 1967 através do Decreto-Lei número 280 a empresa foi incorporada a então estatal CSN (Companhia Siderúrgica Nacional). O interessante neste fato é que a CODIQ e uma outra empresa do grupo também constavam desta incorporação que criou então a COSIM – Cia. Siderúrgica de Mogi das Cruzes.

Não sabemos se suas atividades de projetos e montagens industriais tiveram continuidade ou se a incorporação se deu somente por razões legais ou financeiras ocasionando a paralisação de suas atividades fabris. O fato é que apesar de tudo o prédio da CODIQ ainda estava íntegro em meados da década de 1980 quando tirei as fotos.

Para não deixar esta história sem um final, a COSIM entrou no programa de privatizações do governo federal em 1987, foi vendida por US$ 43,4 milhões, mas acabou encerrando suas atividades e tendo suas instalações implodidas em 30 de agosto de 1998 com o terreno sendo finalmente desmembrado.

O terreno e prédio da CODIQ ,por fazerem parte da COSIM,  também entraram na privatização e tudo foi posteriormente vendido para a construção do atual condomínio.

anúncio – privatização / COSIM (1987)

A CODIQ acabou sendo um apêndice desta história, mas aí está mais um pedacinho da memória industrial da nossa cidade.

NOTAS:

Distilaria: Do verbo distilar, é o mesmo que destilar. É separar componentes químicos por evaporação e condensação de vapores.
– Destilaria: Local em que se processa a destilação.

NOTAS BIBLIOGRÁFICAS:

– Artigo do Jornal O Diário de Mogi das Cruzes http://www.odiariodemogi.net.br/grupo-shibata-arremata-area-da-antiga-cosim-em-mogi/
– Decreto Lei 280 – https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1960-1969/decreto-lei-280-28-fevereiro-1967-376477-publicacaooriginal-1-pe.html – Avaliação dos resultados da privatização do setor siderúrgico sob a ótica do valor econômico por Willian Cossernelli – FGV – 1988

Sobre o autor

Educador financeiro - www.vigplan.com.br , palestrante, pesquisador independente e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo - IHGSP

Deixe um comentário!

Comentarios

  • Antonio Costa 22/06/2020 at 16:40

    Certas estruturas industriais, se houve processamento quimico e contaminacao de solo, nao valem a pena ser preservadas.

    No entanto, galpoes historicos com contaminacao superficial, facil de se limpar, e com detalhes unicos de construcao ( Trelicas, tijolo exposto, Janeloes, ) ai sim vale a pena a recuperacao e reposicionamento.

    Abaixo seguem alguns exemplos interessantes….

    https://photos.app.goo.gl/DQqfmftJMnWoV5mp7

    Antiga cadeia municipal
    https://photos.app.goo.gl/NAHkPwhMHAUMJTWo6

    Possivelmente fabricas de calcados
    https://photos.app.goo.gl/xqKR4YejMvFPFXidA

    Armazem e fabrico de tabaco
    https://photos.app.goo.gl/tQb3X41coFPqK6i5A

    Reply
  • J.C.Cardoso 22/06/2020 at 18:40

    Aqui no Rio tem Passos (no plural) da Pátria. Um Passo só eu nunca tinha visto.

    Reply
    • Douglas Nascimento 22/06/2020 at 20:04

      Foi o passo do Saci!

      Reply
  • João tratores 22/06/2020 at 20:21

    Eu fui nascido em uma fazenda que pertence ao Rafael Jafet,esta fazenda aqui em São Carlos Sp ainda está em funcionamento ,me lembro de quando eles traziam equipamentos que já tinham ficado obsoleto ,e guardavam na tulha da fazenda ,eu era criança e tinha a maior curiosidade em querer saber pra que servia cada item daqueles ,que ali era depositado

    Reply
  • Rosana Soares 24/06/2020 at 12:33

    Nossa morei nesta região e estudei na escola em frente q virou posto policial, passava em frente todos os dias na volta das aulas, muitas saudades…

    Reply
  • Jose lorenzo neto 24/06/2020 at 17:46

    Pasei minha infância morando ao lado da codiq minha familia tinha um bar restaurante na esquina da rua carlos verber mudamos para freguesia do o.em 1959 eu sou jose lorenzo neto hoje tenho 75 anos

    Reply
    • José Vignoli 28/06/2020 at 16:35

      Sr. José Lourenço, ficamos felizes em lhe trazer esta lembrança. O senhor teria alguma foto do bar/restaurante?

      Reply
  • Alexandre Matias Silva 29/06/2020 at 15:39

    Tenho 99% de certeza, que no antigo prédio da fabrica, foi filmado as cenas em fabrica no Filme ” Eles não usam black tie”, clássico realizado em 1980.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: