Clique na foto para ampliar

Um antigo estabelecimento comercial da rua Maria Cândida, na Vila Guilherme já está dando adeus à nossa cidade. O teto e o interior da antiga venda já foi totalmente demolido,  restando apenas a fachada e as portas comerciais. A entrada lateral foi lacrada com blocos para evitar eventuais invasões ao terreno.

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • André 24/01/2010 at 23:36

    A última vez que este imóvel foi utilizado, ele serviu como comitê de um candidato a vereador nas eleições do ano 2000.

    Reply
  • Michel 10/08/2011 at 12:32

    hoje esse imóvel foi demolido, e construido um estacionamento de uma loja de móveis planejados.

    Reply
  • Mariana Araujo 20/02/2015 at 13:09

    Mais uma ves escrevo: passo com frenquencia em frente e nunca imaginei que ali, ja houve um dia, um imovel historico.
    Hoje no local ha um pequeno estacionamento e ao lado uma academia 24 horas.

    Reply
  • Augusto 29/05/2015 at 22:56

    Prezado Douglas…admiro muito este site e o seu trabalho, sempre resgatando e publicando histórias de nossa São Paulo, e aproveito a oportunidade para parabenizá-lo. Vendo os comentários acima, lembrei-me que, na Rua Maria Cândida, onde hoje é uma academia de ginástica, havia na década de 60 e 70, um laboratório da “Alka Seltzer”. Fica a sugestão para você e sua equipe fazer um registro, se possível com fotos da época, sobre o local.

    Reply
    • Rogério 17/12/2019 at 15:03

      Esse pequeno salão foi um antigo boteco, nos anos 1970 e uma pequena loja de móveis, anos mais tarde (se n ão me engano, a lojinha chamava-se Móveis Maia. Depois fechou.

      De fato, ali onde hoje é uma academia funcionava a Alka Seltzer. Eles fabricavam um sal de frutas efervescente, similar ao sal de frutas Eno, porém os da Alka Seltzer vinham não em um frasco de vidro e sim em envelopinhos de papel prateado. Minha mãe tinha dezenas desses envelopinhos, pois meu irmão trabalhou lá, quando adolescente e sempre ganhava da empresa. Isso tudo na década de 1970…

      Reply
      • Fernando Prieto Ventura 06/05/2020 at 13:59

        Caro Rogério, qual o nome do seu irmão? Minha mãe, Helena, trabalhou lá no mesmo período.

        Reply
%d blogueiros gostam disto: