As regiões paulistanas antigas, mas afastadas do centro da cidade, são locais ótimos para fazer exploração urbana. Embora estas áreas sejam grande alvo da especulação imobiliária (bairros distantes tem terrenos mais baratos), é possível encontrar casas muito interessantes. E foi assim que encontrei esta linda casa térrea antiga na Vila Formosa.

clique na foto para ampliar

Localizada no número 326 da Rua Asfaltite, esta casa não só é encantadora mas também muito nostálgica. É a típica casa com recordações do tipo “sabor de infância” ou ainda “casa da vovó”.

Ao observá-la consigo voltar no tempo e me recordar de quando era pequeno e aguardava ansiosamente chegar o final de semana para ir ficar na casa dos meus avós paternos, na Vila Ré. Acredito que muitos dos leitores também irão lembrar-se de algo assim quando admirarem esta residência.

Este tipo de construção está cada vez mais raro em São Paulo. Casas antigas totalmente preservadas, com muros baixos e portão pequeno, do tempo em que muro e portão eram apenas limitadores da propriedade entre a casa e a calçada, não um muro intransponível como as casas de hoje possuem.

clique na foto para ampliar

No quintal um agradável jardim com muitas plantas e uma roseira. Ao fundo, mais plantas e uma bela árvore e, para completar, duas cadeiras de descanso na área para passar horas agradáveis lendo um bom livro ou simplesmente ver o tempo passar.

Hoje, muitos dos paulistanos vivem exprimidos em pequenos e claustrofóbicos apartamentos com muitas vezes apenas pouco mais de 40 metros quadrados. Observar esta casa não lembra apenas o já citado “sabor de infância”, mas também mostra como estamos cada vez pagando mais para morar pior.

clique na foto para ampliar

Que esta casa continue sempre assim, bela e acolhedora.

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • J.C.Cardoso 23/01/2013 at 15:33

    Aqui no Rio, casas assim (inclusive sem garagem) podem ser vistas em bairros menos abastados da Zona Norte (Ramos, Bonsucesso…) e nos mais antigos da Zona Oeste (Santa Cruz, Realengo…).

    Reply
  • Edson Anjos Jr 23/01/2013 at 17:05

    Eu também passava os fins de semana na casa dos avós bem perto de vc, na Cidade Patriarca. Ainda há diversas casas assim na Cidade Patriarca e Vila guilhermina. Mas estão sendo demolidas para construirem aqueles sobradinhos de 4 m de largura.

    Reply
    • Lorena Rezende 04/02/2013 at 13:41

      Passo os fins de semanas almoçando na minha avó, a casa dela é aconchegadora, desde que ela se casou ela tem a casa,eu sempre quis que quando eu ficasse velinha morar em uma casa assim, com muro baixo decorado, com um portãozinho e um quintal cheio de flores e algumas árvores em uma rua calma… Criança pode sonhar né?! Vim aqui para uma pesquise de história e adorei o site!

      Reply
  • Vinicius Campoi 24/01/2013 at 14:47

    Que beleza, dá gosto morar numa casa assim! Parabéns ao proprietário. Oxalá ele nunca troque a bela janela de madeiras por essas porcarias feiosass de alumínio.

    Reply
  • Gislene Guagliotto 24/01/2013 at 20:24

    Passei 17 anos maravilhosos da minha vida, na Rua: Asfaltite nº 15, tempo em que realmente não tinhamos medo de nada, pois era tudo bem tranquilo, familia, amigos, vizinhos e a vida passou , hj vi esta reportagem e me deu muita saudades, como eramos felizes nessa rua. Me lembro muito bem dessa casa, linda.

    Reply
  • william lima 25/01/2013 at 10:21

    bem preservada!! tem até a placa da rua antiga, que combina com a plaqueta do numero..

    Reply
  • Ana Maria Gulin 27/01/2013 at 08:57

    Gostei muito da foto,mas não concordo em dizer que a Vila Formosa é um bairro distante,pois deve começar ao lado do Shopping. Anália Franco no Tatuapé

    Reply
  • Fátima Lopes Santos 04/02/2013 at 02:42

    Essa casa lembra a residência de meus avós maternos , em Carapicuiba, município da Grande São Paulo. O muro baixo tinha mesmos enfeites de cimento.Saudades.

    Reply
  • clara regina stapait viana 12/02/2013 at 21:12

    parabéns,pelo resgate da história do brasil na arquitetura.aqui na minha cidade,iguape sp,tem muitas casas antigas,feitas por mão de obra escrava,a minha casa foi construida em 1910,mas sofreu muitas reformas,apenas a frente é original.

    Reply
  • Debora 13/04/2013 at 21:08

    Parece a casa da minha avó, na Brasilândia. Existe até hoje, mas bastante modificada.
    Nossa! Como eu brinquei num quintal desses.

    Reply
  • Ivan Leandro 09/01/2015 at 15:43

    Eu vi o muro subir.
    Logo ali, ali…, ali…, e ali.
    Enquanto todos olhavam admirados pra lá; bem pra lá…
    Pra ver na Alemanha o muro cair,
    Aqui, eu já via o muro subir.
    Cercas, murinhos e os pequenos portões,
    Fui vendo sumir…
    Andava nas causadas e via os quintais,
    Terrenos de terra.
    Alguns grandes, muitos com jardins.
    Hoje quando os vejo, é por trás das grades
    Cimentados, concretados e reduzidos.
    Meninas e meninos eu vi…
    Da sala de aula pro pátio,
    Do pátio pra quadra,
    Da quadra pra rua,
    Da rua pra quadra…
    Não tinha grades!!!
    Te impedindo de ir e vir,
    De entra ou de partir.
    Eu vi o muro subir.
    Dizem que é o progresso.
    Muralhas enormes,
    Construções faraônicas,
    Templos religiosos…
    Isso é idade média.
    Progresso visa o futuro,
    Não o passado.
    Eu vi.
    Lembro triste.
    Bloco por bloco,
    Eu vi o muro subir.
    Os terrenos antes abertos
    Tinham até pé de caqui.
    Hoje tá tudo coberto,
    Terrenos vazios.
    Muros farpados, portões chapados.
    Protegendo nada…
    Contra todos os que NADA têm.
    Propriedade particular,
    Patrimônio privado,
    Proibida a entrada,
    Porteiro eletrônico,
    Portão automático,
    Conforto e segurança.
    Viva liberdade murada!!!
    Que os condomínios nos proporcionam.
    Eu sei, eu lembro, eu vi…
    Morei, estudei e brinquei…
    Em muros baixos, que me permitiam ver além…
    E eu vi…
    Vi até o muro subir…
    “Ivan Leandro”

    Reply
  • fernando 26/07/2015 at 11:28

    Linda casa, ela nos traz a sensação de liberdade e de paz, as quais estão cada vez mais raras!

    Reply
  • 91019009x 12/10/2017 at 08:34

    Como eu quero esta casa
    Será que ainda está a venda?
    Que linda
    Me respondem o mais rápido possivél por favor.
    Obrigada
    Saudacões Fernanda Alves

    Reply
  • Mari 31/03/2019 at 11:48

    casa linda, estilo nostálgico e arquitetura impecável…nasci na Vila Aricanduva bem próximo à Estacao Penha do Metro e minh avó materna morou lá até 1997. Otros familiares ainda moram por lá, de forma que eu nunca deixei de ir ao bairro, que mantém ainda 70% da arquitetura daquela época, restaurada mas fiel ao estilo…coisa linda de se ver!

    Reply
  • Silene Sales 09/02/2020 at 18:51

    Maravilhoso sabor de infância . Nasci em Vila Formosa, na casa de minha avó,
    a casa era muito parecida com esta, situada na rua (Monte Magno).
    me lembro bem da( vendinha do senhor Guerino)
    Meu avô João,foi pioneiro catador de reciclagem (1964),
    todos no bairro o conheciam.Saudades da feliz infância.

    Reply
  • Robson Souza (@rrsouzarr) 05/08/2020 at 23:14

    Gostaria de saber se essa estrutura pintada de branco no muro tem algum nome específico. Aqui no meu bairro, São Miguel, esses muros eram muito comuns, agora são bem raros.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: