Antigo sobrado localizado no número 99 da rua dos Franceses, na Bela Vista. Este imóvel faz parte de um conjunto de sobrados geminados desta rua e está em situação de abandono:

Apesar disso, o imóvel preserva sua bela fachada original que apesar da deterioração pode ser facilmente recuperada com um pequeno projeto de restauro.

Veja outras fotos deste sobrado:

Atualização JANEIRO/2017:

O imóvel e seu vizinho geminado seguem em situação indefinida. A situação de ambos piorou muito já que aparentemente apenas a fachada se mantém de pé. Ambos foram isolados da rua e agora estão com uma faixa de venda, como podemos notar nesta imagem abaixo:


Atualização NOVEMBRO/2019:

clique na foto para ampliar

Nós tivemos a oportunidade em uma visita ao MUMBI – Museu Memória do Bixiga – de conferir como está o estado dos dois antigos sobrados por dentro. O museu faz divisa no fundo com os imóveis e a situação é simplesmente irreversível.

Será possível a recuperação e restauro das fachadas mas o interior terá de ser totalmente refeito. É uma pena que ambos sobrados tenham chegado a esta situação tão lamentável, continuaremos acompanhando o que ocorre com eles e ficaremos na torcida de que tenham um destino digno.

Sobre o autor

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, é presidente do Instituto São Paulo Antiga e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comentarios

  • Passado Brasileiro 28/07/2010 at 16:37

    Muito bonito esse sobrado é uma pena que esta nessa situação… Gostei da garagem, rsrsr!!!

    Reply
  • Renata 29/07/2010 at 12:52

    É um imóvel até que fácil de ser recuperado. Eu já vi aqui na minha cidade (Santos) imóveis parecidos e muito bem preservados.

    Reply
  • Carla 08/08/2010 at 17:50

    Gostaria de saber quando foi construído este lindo sobrado. Início do sec 20?

    Reply
  • Peterson Henrique Freitas 19/11/2011 at 01:24

    Esse ainda tem alguma chance de ser preservado, porque tem garagem. Bela vista é uma ótima localização. Morrar numa casa dessas é um prazer.
    Espero que receba uma bela pintura e uma nova familia.

    Reply
  • Lia 17/12/2011 at 11:43

    Quem pudesse morar ali mesmo no estado que está…
    São tantos casos parecidos por toda a cidade, e isso se repete por todo o país, sobretudo em cidades médias e grandes. Onde tem uma casa, com ou sem valor ‘histórico’, botam abaixo e no lugar onde moraria uma família de 4 ou 5 pessoas erguem um prédio pra 10 vezes mais, mesmo prédio comercial, de escritórios, sem levar em conta o aumento de pessoas transitando a pé ou de carro, tamanho das ruas, dimensão das redes de água/esgoto e energia, etc.

    Há um outro lado também. Como são grudadas umas às outras, ou muito próximas, os mordores acabam pressionados pelas construtoras pra que vendam seus imóveis já que precisarão de mais terreno para construir um prédio. Oferecem até uma apartamento quitado no novo prédio, sem avisar que as despesas com IPTU serão maiores no imóvel novo, atualizado pela valorização da área e de imóvel novo, além das contas de condomínio que, em geral, os antigos moradores não suportarão pagar pois a maioria é de gente ‘antiga’, pessoas idosas e com renda limitada. Um arapuca das construtoras. Se não vendem, acabam sufocados pelo espigão novo, vivem o inferno durante as obras, se tiverem sorte de não terem seus imóveis atingidos.
    Fico imaginando o porquê do abandono. Herança? Os donos morreram e não deixaram herdeiros?Dívidas? Disputa entre herdeiros quando os ‘velhos’ morrem e não tem jeito, tem de vender pra divir o valor entre os filhos, o que é um direito já que um só não pode ficr com tudo. Em casos assim, o ideal seria que de alguma forma os herdeiros recebessem o valor do imóvel e este ficasse sob a tutela de alguém nmeado pela Prefeitura pra que o conservasse até uma definição sobre o valor histórico ou não. Mas onde arranjar grana pra indenizar tantos imóveis? Ou deveria haver uma lei que facilitasse aos herdeiros vender o imóvel individual, em geral casas residenciais, desde que o novo dono não pudesse demolir a casa pra outra coisa. Ou seja, não impedir a venda, mas é casa fica sempre casa, o comprador sabe que está comprando uma casa e que ali só pode casa, mesmo sem valor histórico, caso queira demolir e construir outra.
    Mas que dá pena dá. E não ocorre só me SP. O brasileiro não é chegaddo a preservar nada, que é dmeolir e fazer novo, acontece até com igrejas, qto mais casinhas antigas…

    Reply
  • Mauricio Mariano 15/02/2012 at 13:47

    A marcação no mapa está um pouco abaixo do que é. Este casarão tem a fachada tombada, então não vão demolir completamente. Porém esta casa estava invadida e foi desocupada, a atual proprietária tornou o imóvel inabitável e demoliu completamente os fundos, até a fachada. Acredito que a idéia original era a de construir um predinho, algo assim, mas o tombamento não permite.

    Hoje existe uma placa de venda, mas é dificil alguém ter o dinheiro necessário. Outra hipótese é esperar que sem sustentação em algum momento a frente caia.

    Reply
  • Roberto Garcia 11/12/2019 at 15:36

    Uma pena que moradias tão lindas de bairros tão tradicionais sejam tão desprezadas pelo poder público. Linda casa, em especial o detalhe das duas colunas. Em outras postagens, noto pessoas reclamando de políticos, sobretudo de alguns, cujo nível intelectual é bastante digamos, precário. Porém, quem mais reclama, acredita em nacionalismo barato, que quer depredar o Estado, alegando que manter certos bens e serviços na mão do mesmo, é “coisa de comunista”. Conheço pessoas que trabalhavam em bancos que foram privatizados, e só foram extremamente prejudicadas. Privatização é excelente para grandes grupos econômicos. Eu, da minha parte, sigo lamentando que a memória arquitetônica e histórica do Brasil são hiper desvalorizadas.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: