Artigos

O 13 de Maio na imprensa de São Paulo

Comments (13)
  1. Uma data esquecida mas que é para não esquecer, análises à parte da validade histórica.

  2. flavia r s franco disse:

    Importante marcar a data e os documentos, mas ainda hoje a “escravidão” moral , economica e educacional nos leva a pensar quanto devemos evoluir para ancalçar os ideais e a grandeza das nações que realmente vivem em igualdade de direitos.

    1. Hoje em dia a escravidão é endêmica, ou seja, nós TODOS somos escravos.

  3. Ana disse:

    Uma data para nos lembrar sempre da vergonha da escravização do ser humano.

    1. Ana carolina disse:

      Verdade!!!!!!!

  4. Peter Naumann disse:

    Caro Sr.Douglas,
    é maravilhosamente emocionante ler os fac-simile ref. assunto abolição. Eu aprecio muito seus trabalhos e o admiro por isso. Gostaria de retribuir através do envio dos três livros de teor histórico de minha autoria: “Império Apocalíptico” (nazismo), “A história e mitos das tribos enigmáticas europeias” e “Lembranças – como contar para meus netos?” (autobiografia-nasci na Alemanha hitlerista de mãe judia).

    Cordiais saudações.

    Peter Naumann

  5. Marco Antonio de Souza Pinto disse:

    Caro Douglas,
    Tenho aprendido mais sobre a história paulistana nos e-mails do “São Paulo Antiga” do que aprendi nos livros de escola. Acredito que você tenha um material vasto para a publicação de um livro, ou vários, sobre a história paulistana. Fica a sugestão. Enquanto isso, aguardo o próximo e-mail.
    Abraços,
    Marco Antonio.

  6. Denilson Lima disse:

    São Paulo, como sempre, protagonizando episódios importantíssimos na história do Brasil!

  7. luis a. f. de arruda miranda disse:

    Excelente matéria, querido Douglas, resumindo de uma forma perfeita, o curso da História da abolição da escravidão tupiniquim, não perdendo detalhes importantes e construindo, como sempre, uma narrativa elegante e dinâmica.
    Adorei a sua postura de um verdadeiro cientista ao afirmar que não devemos nos esquecer e nem tampouco nos orgulhar dessa nódoa em nossa História, vindo a termo por obra de intrépidos Corações paulistanos.
    O que lamento foi o pessoal não ter feito a coisa com mais planejamento e inteligência, a fim de eliminar a escravidão, sim, como de fato o fizeram, mas preservando o Império. Certo, a economia imperial dependia inteiramente desta aberração sócio-política, mas a veja a Inglaterra, por exemplo, que sempre soube estar à frente das grandes conquistas e reformas sociais e trabalhistas, sem, contudo, perder a Coroa.
    Com a instauração da República aqui no Brasil, tivemos ensejo para a institucionalização dos malditos Roedores, Chupins e Parasitas em todos os níveis e meandros do Poder. Sem falar que perdemos a oportunidade de termos um Império parlamentarista, uma das mais seguras e funcionais formas de Democracia. Fazer o quê ? Aplausos e alegria pelo fim da escravidão, lágrimas e vaias pelo fim do Império. Grande, forte e fraterno abraço. Shalom Aleihem! Paz Profunda!

    L. Lafam.

  8. marco aurelio bello disse:

    Informaçóes historicas importantíssimas.Antonio da Silva Prado fora homenageado com a última estaçao ferrea da antiga Estrada de Ferro Leopoldina,no Ramal do Alto Muriaé na época Província de Minas Gerais.Fora um diplomata que conseguira levar esta ferrovia até Manhuaçu/MG, passando em terras da Província do Rio de Janeiro,graças as sua açao como Ministro da Viaçao e Obras Públicas do Império.Em 1886.

  9. Emerson de Faria disse:

    Tal como o massacre armênio ou o holocausto judeu, a escravidão seguirá sendo uma das maiores manchas da história da humanidade, porém, ao contrário dos dois primeiros eventos, mais recentes e contra uma parcela da população branca, a abolição da escravatura segue ignorada por boa parte da população, por ter sido contra o povo negro, desde sempre visto pelo colonizador branco como uma raça inferior. Não por acaso o continente africano segue esquecido, e os seus dramas vistos com a mais absoluta indiferença pelo ocidente, e dentro deste contexto a negação do racismo é uma das mais perversas faces desse pretenso e falacioso conceito de brasilidade (somos o povo mais alegre, gentil, hospitaleiro e honesto do universo, aqui não existe racismo e preconceito, todas as etnias convivem harmoniosamente numa alegre e vibrante democracia racial, somos exemplos de tolerância e respeito para todos os povos e outras patacoadas do gênero) que é em si um embuste, do qual aliás jamais acreditei. O brasileiro é o povo mais hipócrita e dissimulado do universo.

  10. Camargo disse:

    Linda Matéria, parabéns.

  11. Francisco da Conceição disse:

    Que grande pena, ter pouco material histórico

Deixe uma resposta

Publicidade:

SP ANTIGOS

Nosso Instagram: @saopauloantiga
Something is wrong. Response takes too long or there is JS error. Press Ctrl+Shift+J or Cmd+Shift+J on a Mac.