São Paulo é uma cidade surpreendente. Mesmo com tantas demolições, reformas de mau gosto e o próprio abandono, vez por outra acabamos por encontrar curiosidades bastante peculiares pelas ruas desta amada metrópole.

Foi assim que em 2010 encontrei uma publicidade esquecida há cerca de 40 anos e foi desta mesma maneira que em 2018 a tristeza do desabamento de um edifício na região central revelou uma publicidade escondida desde o final da década de 50 (e que falta de cultura de algumas pessoas fez com que sumisse em menos de um ano de reencontrada).

Desta vez o achado quase perdido vem do querido bairro da Barra Funda. Quem poderia imaginar que uma fachada de uma antiga concessionária de veículos ainda estampasse os dizeres de cerca de 60 ou 70 anos atrás ? Veja só:

clique na foto para ampliar

Esta preciosidade da história comercial paulistana está localizada na Rua Olímpia de Almeida Prado, cerca de um quarteirão de distância da Avenida General Olímpio da Silveira. Em destaque na fachada estão escritos em letras vermelhas os nomes Chrysler, Plymouth e Fargo. São tradicionais marcas automotivas americanas do grupo que ainda reunia as marcas Dodge e DeSoto.

O local em questão por muitos e muitos anos foi o escritório central e oficinas da Cia Cipan, grupo concessionário brasileiro posteriormente absorvido pelo Grupo Caltabiano.

De alguma maneira a fachada permaneceu preservada por uma mão de tinta que foi saindo com os anos e anos de chuva, atualmente a fachada está um tanto quanto deteriorada mas os nomes das saudosas marcas estão lá, sendo que duas delas já são extintas: Plymouth e Fargo.

Abaixo uma imagem da fachada da empresa em meados da década de 1950, na ocasião da entrega de um grande lote de veículos Jeep da Willys, uma das várias marcas representadas pela Cipan e Caltabiano ao longo de quase 1 século.

clique na foto para ampliar

E na foto a seguir a fachada, bastante descuidada porém preservada, nos dias atuais:

clique na foto para ampliar

Este achado pode parecer algo tolo para muitos, mas para a história da cidade é algo incrível. É bastante comum nos Estados Unidos da América fachadas de tijolos ou empenas cegas de edifícios preservarem publicidades ou dizeres antigos, alguns com mais de um século de existência. Entretanto em nossa realidade brasileira é algo muito raro, que invariavelmente acaba sendo apagado.

O São Paulo Antiga irá nos próximos dias contatar a empresa e a prefeitura para que possamos tomar uma ação para preservar para a posteridade este curioso achado quase perdido. Quem sabe a Caltabiano não se anima e recupera essa fachada bacana do início dos anos 1950 ?

Atualmente o local abriga as oficinas das concessionárias da empresa.

Setor de venda de peças na antiga Cipan

UM BREVE HISTÓRICO DA CALTABIANO:

Presente no meio automotivo paulistano desde 1923, a Caltabiano é um dos grupos concessionários mais antigos que temos em São Paulo. Tudo começou com Rosário Caltabiano que inicialmente vendia os veículos das marcas Lasalle e Chevrolet.

Interior de concessionária do grupo em São Paulo, na década de 50 (clique para ampliar)

Posteriormente, em 1927, a empresa acrescentou ao seu catálogo os luxosos carros da marca Cadillac. E desde então a empresa não parou mais de crescer e adicionar marcas a sua extensa linha de opções e serviços.

Em 1972 a empresa adquiriu a Cipan, concessionário importante e atuante não só em São Paulo como também no Rio de Janeiro.

Atualmente a Caltabiano tem 15 pontos de venda espalhados por São Paulo e representa marcas como Ford, Chrysler, Mini, Smart, Mercedes-Benz e Toyota, entre outras.

As fachadas eram bastante elegantes (clique para ampliar)

Uma curiosidade sobre a Cipan é que era conhecida por ter uma das mais belas vitrines da cidade, com seus veículos “emoldurados” nas entradas de suas lojas com iluminação elegante e decoração luxuosa, bastante similar às melhores concessionárias dos Estados Unidos.

O capricho com as vitrines rendeu ao grupo uma curiosa premiação oferecida pelo Jockey Clube de São Paulo que elegia a mais bela vitrine paulistana, onde disputou com outras 26 concorrentes. Um dos membros da comissão julgadora foi João Dória, pai do atual governador do Estado de São Paulo, João Dória Jr.

Abaixo recorte de jornal anunciando os vencedores:

clique para ampliar (Fonte: Correio Paulistano 09/05/1951)

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • Abelardo Westrup 25/04/2019 at 19:34

    Parece que a altura da rua aumentou ou é impressão minha?

    Reply
    • Douglas Nascimento 25/04/2019 at 21:55

      É que lá pra cima na época da foto não tinha o Minhocão, então dá essa impressão.

      Reply
  • Bolívar Pinta Júnior 25/04/2019 at 19:35

    …/… excelente registro !

    Reply
  • LUCIO GOMES MACHADO 25/04/2019 at 19:38

    Muito bom!

    Reply
  • Carla Silva 25/04/2019 at 20:14

    Douglas, que matéria sensacional, como sempre! Que fachada linda! Se pudermos ajudar com um abaixo assinado nos avise. Abraços!

    Reply
  • Rafael 25/04/2019 at 21:09

    Muito legal. Parabéns pelo sei trabalho. Sou carioca mas morei em SP por 3 anos na Pompéia Rua tucuna.
    Abraço

    Reply
  • poisonivy1802Clara 25/04/2019 at 21:25

    Bacana é que o predinho em frente (com o garoto na sacada, imagem 2) ainda está lá também. Mal cuidado, mas ainda em pé.

    Reply
  • Axell 25/04/2019 at 22:17

    Impressão minha ou na foto de 1950 com a fachada do prédio(e a infinidade de Jeep Willys) parecem ter coberto de tinta os dizeres “Fargo”?

    Reply
    • Douglas Nascimento 26/04/2019 at 08:16

      Essa foto é de um pouco mais pra frente de 1950. Possivelmente na época eles já não comercializavam os caminhões Fargo.

      Reply
  • Ana M M González 26/04/2019 at 06:43

    Muito bom, Douglas! Alívio ler seus posts e descobertas. Obrigada!

    Reply
  • J.C.Cardoso 26/04/2019 at 07:25

    A Cipan não era GM? Havia um chaveirinho aqui em casa (no Rio) dela.

    Reply
    • Douglas Nascimento 26/04/2019 at 08:28

      Era multimarcas, vendi Chrysler e associados, GM e Cadillac, Willys e também os caminhões Fargo.

      Reply
  • Marcos 26/04/2019 at 08:14

    Hoje nesse local, opera a funilaria e pintura central do grupo Caltabiano.

    Reply
  • Marcio 26/04/2019 at 10:08

    Parabéns pela matéria…….

    Reply
  • Ademir de Sales Marques 26/04/2019 at 16:04

    Espetacular registro! Douglas você me fez relembrar minha infância: caminhões Fargo e DeSoto, que saudades…

    Reply
  • Paulo Clístenes Vieira da Silva 26/04/2019 at 21:04

    Época em que até as lojas de concessionárias eram charmosas!

    Reply
  • Cleber 27/04/2019 at 07:19

    Parabéns pela reportagem, muito boa .

    Reply
  • Otavio Bevilacqua 30/04/2019 at 21:30

    Muito bom saber que ainda existe alguém que se preocupa com nossa cidade e ativar nossas lembranças.
    Estive lá em 1966 com meu pai, para efetuar a compra de um Gordini semi novo 1965.
    Moleque, babei ao ver exposto um Corcel sedam vermelho recém lançado.

    Reply
  • Luiz Henrique 08/05/2019 at 08:08

    “O MAIOR ACONTECIMENTO TURÍSTICO DO ANO”. SEN-SA-CIO-NAL!!!!!!!!!!!!!!

    Reply
  • André Guilherme Bottura Portocarrero 03/06/2019 at 18:31

    A antiga publicidade pintada me parece ter sido encoberta por algum tipo de estrutura de metal – fachada como se pode ver dos furos de fixação de estrutura.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: