Em 18 de abril de 1920 os principais jornais paulistanos, e possivelmente muitos outros espalhados pelo Brasil, publicaram esta misteriosa propaganda, com uma suástica estampada:

Crédito: Divulgação

clique para ampliar

Se fosse publicado nos dias de hoje, este anúncio causaria repulsa e indignação, mas na época causou muita curiosidade. Afinal, o que representava aquele emblema ?

Alguns dias depois, em 22 de abril, outro anúncio seria publicado, explicando o que tal desenho representava ao redor do mundo. O texto, bastante curioso, dava explicações da origem histórica do símbolo, mas nada ainda de dar detalhes ainda do que viria a ser a razão daqueles anúncios.

clique para ampliar

clique para ampliar

E o mistério continuou mais alguns dias (será que alguém comprava o jornal diariamente só para saber o desfecho desta campanha publicitária ?) até que no dia 27 de abril foi revelado aos leitores do que se tratava aquele emblema.

Crédito: Divulgação

Não se tratava de crença religiosa ou algo do gênero, mas sim a marca (ou emblema como dizia no anúncio) da empresa Anglo-Mexican Petroleum Company ou, como conhecemos hoje, a Shell. A empresa estava no Brasil desde 1913, mas foi na década de 20 que ela realmente se expandiu por aqui, instalando bombas de gasolina de rua e em garagens de São Paulo e no restante do país. A publicidade com a suástica era para fazer os produtos da empresa ainda mais conhecidos por aqui.

O símbolo não se restringia a publicidade. Estava também presentes nos papéis timbrados da empresa, nas embalagens e também em seu maquinário, como as bombas de gasolina. Na imagem abaixo, junto a outras marcas, podemos observar alguns dos produtos da Anglo-Mexican que ostentavam a suástica.

Crédito: Divulgação

E nas duas imagens a seguir, o símbolo presente em duas bombas de combustíveis. A primeira, em uma rua de Fortaleza, no Ceará, é a bomba de rua, que hoje ficam nos postos de abastecimento. A segunda, menor, é a bomba que ficava em garagens particulares espalhadas por São Paulo e pelo Brasil.

Crédito: Divulgação

Bomba antiga à venda em antiquario (clique na foto para ampliar)

Bomba antiga à venda em antiquario (clique na foto para ampliar)

O leitor pode estar se perguntando: A Anglo-Mexican era simpatizante do nazismo ? A resposta é não!

Em 1920 o símbolo ainda não era ligado ao regime nazista. Naquele momento a suástica não tinha recebido a associação a algo tão terrível e negativo para a humanidade e era até simpático adota-lo como um emblema. Porém alguns anos mais tarde, com a crise da Alemanha pós Primeira Guerra Mundial, o nazismo começaria a crescer e o símbolo adotado por Adolf Hitler era justamente a suástica, que já estava disseminada também pela empresa. Embora idêntica, a suástica nazista tinha a orientação diferente desta, apontando pro lado oposto.

Parece uma cena da Segunda Guerra, mas é a nossa serra do mar (clique na foto para ampliar).

Parece uma cena da Segunda Guerra, mas é a nossa serra do mar (clique na foto para ampliar).

Mesmo com os nazistas utilizando largamente a suástica desde a segunda metade dos anos 20, a Anglo-Mexican manteve-a como emblema da empresa. O símbolo só seria descartado com a ascensão no nazismo ao poder, na Alemanha, em 1933. Neste mesmo ano, a empresa voltaria aos principais jornais do Brasil para anunciar a adoção de um novo símbolo, hoje também mundialmente conhecido: a concha.

Crédito: Divulgação

Anúncio veiculado em dezembro de 1933

Era o fim da linha para a suástica na empresa e apenas o início como símbolo marcante do nazismo e dos horrores que viriam com a Segunda Guerra Mundial. O emblema antigo é tão tabu que não há qualquer menção a ele no site da empresa. Porém, acredito que a história foi feita para ser contada e não escondida.

Fica a pergunta: Se não tivessem os nazistas adotado a suástica, será que o símbolo estaria sendo utilizado até hoje pela empresa ? Comente.

Veja abaixo mais duas publicidades antigas da Anglo-Mexican, respectivamente de 1931 e 1933:

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • NEWTON PONTES 23/01/2014 at 13:33

    Apesar que a Suástica Nazista é representada pelo mesmo símbolo de forma invertida (em sentido anti-horário)

    Reply
    • Marcello Prati 23/01/2014 at 22:22

      Não. Tanto faz a direção. No mundo antigo é encontrada nas duas formas.

      Reply
      • colttech0 24/01/2014 at 12:20

        Na verdade o sentido dado as cruzes (A anti horaria e a horária) é diferente. Tanto que a em sentido horário um dos símbolos atribuídos é o temporal, a da continuidade da vida, o ciclo temporal. Já a invertida é o oposto disso, sendo oque daria para interpretar como símbolo da “anti-vida”.

        Reply
        • Alexandre Mazak 09/02/2014 at 20:39

          Até onde eu sei, o símbolo nazistas foi usado pelos nazistas invertido, que também fazia alusão à SS (Schutzstaffel), uma das polícias nazistas.

          Reply
  • Luiz Henrique de Souza Alineri 23/01/2014 at 13:40

    Penso que sim,visto que o emblema não fosse utilizado pelo nazismo,não haveria motivo para alterá-lo,ainda mais se considerarmos o que foi divulgado em propagandas,como diz o texto.

    Reply
  • Carlos 23/01/2014 at 13:51

    En Asia continúa siendo utilizada como símbolo sagrado.

    Reply
  • Fábio Cavalcante de Souza 23/01/2014 at 14:07

    A suastica nazista é invertida.

    Reply
    • Douglas Nascimento 23/01/2014 at 14:59

      Ainda assim é uma suástica… 😉

      Reply
      • Antonio Carlos Moreira 01/03/2014 at 18:01

        — Não, Douglas Nascimento, posso afirmar com segurança que o termo swástika ou suástica é aplicado ao símbolo que indica o giro da cruz central, no sentido horário, ou seja, a cruz central em “movimento” da esquerda para a direita do ponto de vista do observador. E este é o símbolo original, positivo, sagrado, evolutivo, desde o seu surgimento, e que é aplicado em estandartes, bandeiras, em utensílios de cerimoniais sagrados, de sociedades secretas, desde tempos imemoriais, até os dias de hoje. Já o símbolo invertido, e que foi adotado por Hitler, como emblema do nazismo, é denominado de Sowástica ( sovástica) e,( notar bem ), que o emblema adotado pelo nazismo, além de estar com a posição invertida, é impresso ou estampado naquela posiçâo, que registra a cruz central já inclinada para a esquerda, a girar no sentido anti-horário, anti-evolutivo. Não tenha mais dúvidas sobre isso, Douglas Nascimento – Porém, se quiser pesquisar ainda mais a fundo sobre: suástica x sowastica, consulte os Mestres da Sociedade Brasileira de Eubiose, cuja sede central fica na cidade mineira de São Lourenço, ou mesmo em São Paulo, Capital – à Av. Lacerda Franco, no Cambuci / SP.- ou ainda a Sociedade de estudos esotéricos, fundada em São Paulo, há mais de 100 anos, pór Antônio Olinto Rodrigues ( AOR ), que deu lugar à Editora e Livraria do Pensamento, hoje associada à Editora Cultrix. Um abraço.

        Reply
        • André Luiz von Tein 08/05/2014 at 09:50

          Exato e detalhado, é exatamente isso e esta é a diferença entra a cruz rotacionada para a direita e para a esquerda. Parabéns pelo comentário!

          Reply
  • Alesha Artes 23/01/2014 at 15:50

    Muito boa essa matéria. Pena não ter sido escrita há mais anos, pois, antigamente eu tinha um grande quadro de gravura Hindu em casa e nele aparecia uma suástica. Daí tinha sempre algum mal informado que achava que ela era criação do nazismo e começava a criticar sem saber. As pessoas em questão não sabiam que Ganesha é uma divindade de milhares de anos e não poderia ser adepta de Hitler! rs

    Reply
  • Felipe Zaniboni Fiore 23/01/2014 at 15:53

    Excelente matéria. Realmente muito interessante!

    Reply
  • Priscila 23/01/2014 at 16:05

    A suástica nazista é SS, invertida!

    Reply
    • Douglas Nascimento 23/01/2014 at 16:31

      SS não é suástica, e remete mais a Gestapo. No texto explicamos que a suástica dos nazistas é invertida! Abraços!

      Reply
      • Marcelo De Almeida Adv 23/01/2014 at 16:44

        A GESTAPO (Geheime Staatspolizei) ou “polícia secreta do Estado” não tinha símbolo (afinal era secreta). As SS (SchutzStafeln) sempre no plural, eram um outro odioso braço do nazismo, cuja sigla significa “destacamentos de guarda”, funcionava quase como uma seita e era liderada por Heinrich Himmler. O símbolo das SS era a letra rúnica “sieg” (vitória) dobrada e a caveira. A suástica nazista é invertida e colocada “em pé” (forma de losango), simbolizando o partido. A suástica deitada (formato quadrangular) e ainda invertida simbolizava o líder do regime e só era impressa para designar Hitler em pessoa. Há quem diga que a suástica em sentido horário é símbolo de boa sorte e que em sentido anti-horário é simbolo de má sorte. Foi justamente a de sentido anti-horário que foi adotada pelo nazismo.

        Reply
        • Luis Antonio Fessel 31/01/2014 at 02:23

          Parece-me, de pesquisas que efetuei, que a suástica em sentido anti-horário (nazista) significa destruição e, suástica em sentido horário significa construção.
          Numa das pesquisas que fiz, apareceu um comentário/anotação que a ideia de Hitler era iniciar uma destruição do mundo para, depois, uma reconstrução. Nesse ponto, a suástica nazista seria invertida, passando ao sentido horário, para indicar a nova situação.
          Sabe-se que Hitler era muito voltado para as coisas espirituais ou, sei lá que outra palavra usar. Deu branco geral. kkk
          Ele conhecia o significado da suástica, tanto em um sentido como no outro. E sabia que, com a guerra que viria, haveria muita destruição no mundo, para que ele pudesse construir o que desejava.
          Por isso teria adotado esta sequência.

          Reply
  • Adriano 23/01/2014 at 17:23

    PERFEITA E EXCLARECEDORA MATERIA, DISMESTIFICA ESSE SIMBOLO PARA GRANDE PARTE DA POPULAÇÃO.
    APESAR DE ELA TER SIDO USADA PARA SIMBOLIZAR O MAL DE HITLER, TBM POR OUTRO LADO TEM UMA ESSENCIA SAGRADA.
    O MESMO DEVERIA ACONTECER COM A CRUZ CRISTIANA, QUE MATOU TANTAS PESSOAS CRUXIFICADAS, MAS AINDA SIM É CONSIDERADA UM SIMBOLO SAGRADO.
    A HISTORIA E O TEMPO SE ENCARREGA DE TUDO.

    Reply
  • Edith Grete Anna Graeser Barcellosnaõ 23/01/2014 at 18:06

    QUE MATERIA BOA, GOSTEI MUITO,OBRIGADA…

    Reply
  • Nelson 23/01/2014 at 20:49

    Parabéns pelo texto. Explicativo, conciso e agradável de ler…

    Reply
  • celso 23/01/2014 at 22:18

    Matéria muito interessante !!!!!!

    Reply
  • Julio Lima 24/01/2014 at 08:18

    Excelente texto. Não conhecia esta relação da Shell com a suástica.

    De fato, como outros já comentaram aqui, é uma pena que um símbolo tão bonito tenha ficado tão intimamente ligado a algo tão deplorável como o nazismo.

    Reply
  • JT 24/01/2014 at 09:32

    Recomendo aos leitores deste valoroso blog que assistiam ao filme documentário “Arquitetura da Destruição”. Nele fica claro que Hitler era obcecado pelo classicismo greco-romano e, paralelamente à guerra, seu desejo era reconstruir a Alemanha nos moldes do que seria a beleza clássica, e isso inclui a emulação do que seria a raça ariana.
    A suástica era um símbolo muito usado na decoração de cornijas e entablamentos nas fachadas dos prédios. Alinhadas lado a lado, elas formam o que se denominada como a linha do movimento perpétuo, algo que fascinava muito os nazistas.

    Reply
  • EVANDRO CORDEIRO 24/01/2014 at 10:59

    A suástica nazista é invertida intencionalmente. Adolf Hitler buscou atrai as forças de poder negativo, ou seja, forças destruidoras, e ele conseguiu, pois enganou uma nação inteira, fez uma lavagem cerebral tão bem feita que o povo alemão passou a odiar aqueles que eram seus vizinhos, amigos, colegas de trabalho, etc … e acabou causando estas atrocidades chamadas nazistas e o saldo de 8 milhões de mortos aproximadamente. Simplesmente por não suportar a etnia de outro povo decidiu exterminá-lo. Estamos em 2014 e isso não mudou em nada, avançamos na era tecnológica, mas como seres humanos somos como os primeiros primatas …

    Reply
    • Leandro 24/01/2014 at 13:13

      É mais provável que ele tenha adotado o simbolo por que gostou dele, e do que ele representava, em ambos os sentidos como o colega acima disse. O ruim é que o simbolo “suástica” se tornou o signo do nazismo, o que foi muito ruim, já que associaram um simbolo sagrado, de boa sorte etc, as atrocidades de Hitler. O mesmo problema com a suástica surgiria no oriente, se um partido como o nazismo assumisse e associasse seu partido a cruz cristã. Além de que discordar de um “presidente” tão violento dava medo, e muitos defendiam e acreditavam na defesa da nação, e não no nazismo, como aconteceu aqui com nossos “presidentes” militares. É fácil julgar os outros por aceitarem o nazismo na época, mas o medo e a violência era grande contra os que o nazismo e seus braços (SS e gestapo) julgavam “anti-nazista” ( esse termo não é comum, mas diz o que quero falar), muitos preferiam ficar em silêncio e proteger seus bens e famílias, do que enfrentar, com grandes chances de morrer, o partido corrompido.

      Reply
  • Paulo Ferratto 24/01/2014 at 11:31

    É importante dizer também que Hitler se “apoderou” deste símbolo sagrado exatamente para promover seu partido, tentando dar ao seu partido o poder do símbolo e, desta forma, não podemos pensar o contrário, associar ao símbolo a característica daqueles lunáticos.

    Reply
  • Bruno 24/01/2014 at 12:40

    Uai! A Shell tem o símbolo da concha desde a sua fundação. Então por que mudaram o símbolo aqui no Brasil?

    Reply
  • Juarez Figueiredo Santana 24/01/2014 at 13:49

    Oi, interessante; eu não tinha conhecimento ainda deste antigo símbolo (que hoje chamaríamos por “logo”) da Shell.

    Porém, trata-se de uma suástica diferente da nazista, que se tornou mais famosa e popular depois. No emprego deste símbolo, houve pequenas diferenças gráficas que não as diferençavam quanto aos significados. Explico: essa suástica da Shell, carregando todos aqueles significados vindos de tempos longínquos, graficamente parte de um sinal de “adição = +” com as hastes saindo das pontas para a esquerda, que era a apresentação preferida principalmente por budistas e hindus. Já a suástica nazista parte de um “xis = X” com as hastes partindo para a direita, de forma que no centro se apresenta um “S” estilizado. Creio que assim adicionaria também o “socialismo”, dando um pouquinho mais de destaque à letra “S”. Mas num olhar sem cuidados geralmente esse detalhe nos escapa e ficamos pensando que se trata de uma só.

    Reply
  • amaury 24/01/2014 at 15:43

    não faz muito tempo, houve celeuma por causa de uma festa que aconteceu em uma casa no RJ, e tal casa tinha suásticas em sua decoração. o detalhe é que a casa era bem antiga, tendo sido erguida nos anos 20 ou 30.

    salvo engano de minha parte, o proprietário da casa chegou a ser questionado pelo Ministério Público.

    Reply
  • Luís Roberto Beserra de Paiva 25/01/2014 at 09:24

    Ótimo resultado de garimpagem. Parabéns.

    Reply
  • Ricardo 25/01/2014 at 13:03

    mas a Shell, via um de seus donos no inicio do século passado foi fã, e patrocinador dos Nazistas e da subida de Adolf Hitler ao poder, tendo inclusive sido condecorado… a relação era próxima, muito próxima…

    Reply
    • amaury 27/01/2014 at 16:21

      realmente existe a controvérsia sobre a alegada simpatia de Henri Deterding ao nazismo nos anos finais de sua vida (meados da década de 30).

      porém, o anúncio nos jornais paulistanos é de 1920. e nessa época, somente uma sociedade secreta (sociedade Thule) e alguns nacionalistas românticos alemães (movimento Völkisch) vinculavam a suástica a algum conceito de “arianismo”.

      o próprio conceito de nazismo era embrionário em 1920. sim, já existia o NSDAP, mas o nazismo como o conhecemos ainda não existia.

      para que esse anúncio de 1920 representasse uma conexão direta com o nazismo, ou o anúncio estava quase 15 anos adiantado, ou Henri Deterding fazia parte da sociedade Thule.

      por fim, a primeira exposição da suástica como bandeira do NSDAP ocorreu no verão de 1920, enquanto que o anúncio em questão é de abril, ou seja, na primavera.

      de novo, não estou negando a controvérsia de Deterding. mas para vincular diretamente este anúncio a uma simpatia da Shell pelo nazismo, seria necessário admitir que a Shell adotou a suástica como símbolo nazista antes do próprio partido nacional-socialista (NSDAP) fazê-lo, e antes mesmo de o nazismo se configurar como o conhecemos hoje.

      Reply
  • Tolteca 26/01/2014 at 15:26

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/01/140121_fazenda_nazista_sp_mv.shtml
    Estas suásticas encontradas nestas fazendas não teriam relação com a Esso e não com o nazismo?

    Reply
    • Douglas Nascimento 26/01/2014 at 19:08

      Esses tijolos são realmente nazistas. Eu fui até a fazenda fazer uma reportagem uns 2 anos atrás e trouxe comigo alguns tijolos.
      Aqui uma foto de dois dos meus: http://www.flickr.com/photos/rurikmac/7262447228/

      Reply
      • Rodrigo de Paula 27/01/2014 at 11:51

        Será que se eu for à fazenda, consigo obter um par desses tijolos?

        Reply
        • Douglas Nascimento 27/01/2014 at 12:01

          Difícil, já foi tudo embora.

          Reply
  • Thalita 30/01/2014 at 08:50

    Sabichões, ele escreveu que a suástica nazista é invertida. E, a bem verdade, na simbologia mística faz toda diferença, mas na simbologia de comunicação é só um detalhe, ao menos nesse caso.

    Reply
  • Quando a suástica foi usada como marca de combustível no Brasil – FlatOut! 18/02/2014 at 17:07

    […] Com imagens e informações do site São Paulo Antiga […]

    Reply
  • Igor Nascimento 04/03/2014 at 14:51

    O que eu mais acho interessante nesses anúncios antigos, é a influência inglesa na gramática.
    Muito interessante a forma de escrita de parte do século passado.

    Reply
  • Marcelo 11/03/2014 at 10:15

    No sentido a lembrar dois S cruzados, os nazistas ainda botaram em posição diagonal, aludindo, segundo eles, a uma engrenagem. O que procurei ensinar entre outras coisas aos alunos que tive na rede pública escolar do Distrito Federal, além dos vários detalhes da suástica (notadamente como símbolo não-nazista), é que Hitler rebelou-se de várias formas, todas equivocadas: fez-se inimigo de judeus e austríacos, origens suas; promulgava os arianos como superiores às demais etnias na Europa, enquanto os arianos são representados, por entre outros, uma etnia que ele procurou dizimar, os ciganos. Segundo um amigo meu no Rio, parte dos luteranos da Alemanha engoliram a seco e aceitaram sem reagir a doutrina nazista. Recentemente li o livro “A menina que roubava livros”, que serviu de base ao filme homônimo, e vi a sigla do partido nazi NSDAP (National-Sozialistische-der-Deutscher-Arbeiter-Partei: literalmente “partido nacional sociodemocrático/sociodemocrata dos trabalhadores alemães). Lembremo-nos na História do Brasil de que por metade de seu primeiro mandato Getúlio Vargas se simpatizou com a ideologia nazista, tendo no Mato Grosso seu braço direitíssimo Filinto Müller (conta-me um amigo que tenho em Cuiabá que esta “celebridade”, o Filinto, tem, naquelas bandas, de ser reconhecido como herói nacional, porque “livrou o País do perigo vermelho, no caso a figura de Olga Benario”). Para quem não sabe, Müller a mandou à Alemanha para ser liquidada pelos chefões nazistas e seus imediatos. Outra figura que não deve ser esquecida é o Plínio Salgado, fundador do movimento integralista (aqui em Brasília há uma escola chamada Sigma, que usa como logotipo a mesma letra que os integralistas usavam em seus uniformes: o detalhe é que os alunos de lá, regra geral, não sabem desta história e de que, segundo meu pai, aludem, ainda que de modo velado, ao integralismo brasileiro. Pesquisem na internet e verão que a escola só justifica o uso da letra S maiúscula grega para dizer que é sinônimo de “educação integral, de qualidade” (isto foram pelo menos palavras de alguns alunos de lá que conheci na Asa Sul, quando trabalhei numa escola próxima à deles).

    Reply
  • Juliano 18/03/2014 at 22:57

    Pouco importa se é invertida ou não. Interessante realmente é a pesquisa realizada. parabéns.

    Reply
  • eudescastroj 19/03/2014 at 09:17

    Será que ela foi a patrocinadora do nazismo na época de ascensão de Hitler . E depois saiu do controle, após as loucuras de Hitler. como existi hoje os patrocínios das multinacionais no campo político.

    Reply
  • Ely 19/03/2014 at 09:36

    este simbolo mudou para estrela vermelha PT

    Reply
    • MáhRiOh 26/06/2014 at 11:49

      Ih! Pirou na batatinha.
      É… tem muita gente que ainda não consegue separar o joio do trigo. Lamentável. Pena, mesmo.

      Reply
  • Sarah 19/03/2014 at 11:54

    Muito interessante, adorei o texto! Achei curioso que no anúncio sobre a mudança de símbolo nem falam o porque da mudança.

    Reply
  • Alberto Soares 20/03/2014 at 22:34

    Excelente matéria e pesquisa, muito legal saber das coisas do passado das grandes empresas, principalmente
    aqui no Brasil.
    Acredito que toda história tem dois lados, mas somente é contado o que interessa a eles…

    Reply
  • Cesar 05/05/2014 at 10:33

    Parabéns pela matéria. Independente de seu aprofundamento aqui no caso, o que deve ter sido exaustivamente estudado pela Shell e a possibilidade de associação, trata-se de uma matéria alusiva a um fato desconhecido de muitos ( eu com certeza até a data), de um valor histórico interessantíssimo. O site todo é ótimo . Parabéns!

    Reply
  • Gustavo 05/06/2014 at 10:23

    ALGUNS DIAS ATRÁS VI UMA REPORTAGEM DE UM RAPAZ QUE COMPROU UMA FAZENDA NO INTERIOR E AO DESMANCHAR 2 SELEIROS DA PROPRIEDADE OS TIJOLOS RETIRADOS TINHAM GRAVADOS NELES ESSE MESMO SIMBOLO (SUÁSTICA). A COMUNIDADE ALEMÃO É MUITO FORTE NESSE PAÍS.

    Reply
  • Ligia 14/07/2014 at 12:00

    Adorei a matéria e principalmente o rumo que tomou pq muitas pessoas que conhecem simbologia e conhecem detalhes da filosofia do nazismo e do rumo que as coisas tomaram, puderam dar sua contribuição e acrescentar conhecimentos que eu não tinha sobre esse assunto, mas uma coisa é verdade: toda vez que olho para esse símbolo, nem reparo se ele é da direita para a esquerda ou da esquerda para direta. Pra mim ele sempre vai representar o horror dessa guerra e o genocídio que ela provocou. Se ele tinha algum significado no passado, o nazismo acabou com ele…

    Reply
  • Cirio Dauter 30/07/2014 at 17:27

    Realmente muito boa essa matéria. A cruz suástica segundo a espiritualidade é um simbolo da justiça divina, que caiu nas trevas ao ser usada como simbolo de extrema maldade.Parabéns pela matéria e pelos bons comentários……

    Reply
  • Eduardo T. Machado 01/08/2014 at 19:00

    SÓ TENHO A AGRADECER PQ ATE ENTÃO Ñ SABIA DESSA HISTORIA DA SUASTICA ….. …. PARABENS ….. ESPERO Q CONTINUEM TRAZENDO MAIS HISTÓRIAS CURIOSAS COMO ESSA

    Reply
  • Rodolpho Neto 08/10/2014 at 11:23

    Legal

    Reply
  • ELIAS MORA 15/01/2015 at 01:16

    A Shell sempre teve como símbolo a concha em vários desenhos desde 1900 até o atual.
    A Anglo Mexican, subsidiária da SHELL para as Américas é que usou a suástica. Não ficou clara no trabalho essa distinção e notei que algumas pessoas identificaram a SHELL como usuária da suástica. Não é.

    The word “Shell” first appeared in 1891, as the trade mark for kerosene being shipped to the Far East by Marcus Samuel and Company. This small London business dealt originally in antiques, curios and oriental seashells. These became so popular – the Victorians used them to decorate trinket boxes in particular – that soon they formed the basis of the company’s profitable import and export trade with the Far East.

    The word was elevated to corporate status in 1897, when Samuel formed The “Shell” Transport and Trading Company. The first logo (1901) was a mussel shell, but by 1904 a scallop shell or ‘Pecten” emblem had been introduced to give a visual manifestation to the corporate and brand name.

    Reply
  • andre 20/01/2015 at 17:53

    Já tinha visto no livro de Helena Petrovna Blavatsky, Os misterios oculto que Diz: “Poucos símbolos no mundo estão tão impregnados de verdadeiro significado oculto quanto a Suástica. É representada pelo algarismo 6; visto que, como essa cifra, aponta, na sua representação concreta – como acontece com o ideograma desse número – para o Zênite e o Nadir, o Norte, Sul, Oeste e Este; em toda parte encontramos a unidade, e esta unidade refletida em todas as unidades. É o emblema da atividade de Fohat, da contínua revolução das ‘rodas’, e dos Quatro Elementos, o “Quatro Sagrado”, no seu sentido místico, e não apenas no sentido cósmico; por outro lado, os seus quatro braços, dobrados em ângulos retos, guardam íntima relação, como já demonstramos, com as escolas Pitagórica e Hermética. Aquele que está iniciado nos mistérios do significado da Suástica, dizem os Comentários, ‘pode perceber através dela, com precisão matemática, a evolução do Cosmos e todo o período de Sandhya’.”

    Reply
  • andre jones 25/04/2015 at 10:10

    Este simbolo tornou-se notório devidamente ao nazismo mesmo

    Reply
  • Alexandre 04/04/2016 at 17:29

    muito interessante, parabéns pela matéria!!

    Reply
  • Marcelo 05/04/2016 at 15:18

    Os nazistas deturparam todos os conceitos mesmo: eram uns burraldos de marca maior. Assim como bem ressaltaram aqui que copiaram em espelho (inverteram) o desenho, ainda aquela absurda hipótese de arianismo: arianos são, etnicamente falando, como são os indianos, ciganos, paquistaneses, bengalis e cingaleses. Outra: aos que não sabem, sei que Hitler era austríaco (não era alemão) e sua família originalmente seguia o judaísmo. Aqui no Brasil tivemos uma figura perversa que se simpatizou profundamente com as ideias dele e que é considerado como herói nacional na Grande Cuiabá e que infelizmente dá nome a um dos salões do Congresso Nacional: Filinto Müller. Fiquei sabendo há um tempo que estão vendo de tirar este nome do local para botar um outro bem mais merecido.

    Reply
  • Marcelo 05/04/2016 at 15:27

    Os professores de História podiam fazer esclarecimentos sobre isto aos alunos nas escolas.

    Reply

Comunicado importante aos leitores e leitoras do São Paulo Antiga

Neste momento estou enfrentando um período de muitas dificuldades para manter o site no ar, com a possível saída de nosso patrocinador institucional.

 

Preciso da sua colaboração para que o site não encerre suas atividades em 1 de julho de 2018.

 

Faça uma doação ou assinatura mensal no site São Paulo Antiga, através da plataforma APOIA.SE

 

Desde já muito agradecido,

Douglas Nascimento, autor e editor