Atenção: Algumas imagens ao decorrer deste artigo poderão ser fortes para pessoas mais sensíveis a imagens de mortos, este material também não é recomendado a crianças.

Inaugurado em 1927, o Cine Oberdan foi projetado para ser majestoso desde sua concepção, um prédio magnífico na rua Firmino Whitaker, no então efervescente bairro do Brás.

Elegante e imponente, o Oberdan era um empreendimento da Sociedade Italiana Leale Oberdan e posteriormente foi vendido para a Empresa Teatral Paulista. O Oberdan foi um cinema que impressionava pelo luxo em suas escadarias, na sala de exibição, no hall e principalmente em sua fachada.

No seu interior, o  teto era decorado com azulejos portugueses, haviam estátuas decorando o hall e sua cúpula era muito semelhante a do nosso Teatro Municipal. O nome da sala, é uma homenagem ao anarquista italiano Guglielmo Oberdan, cujo busto ainda é encontrado na fachada lateral do velho cinema.

clique na foto para ampliar

O que os proprietários do cinema não poderiam imaginar é que 11 anos depois de sua inauguração a sala seria palco da maior tragédia infantil de São Paulo, e que seria palco de mudanças nas regulamentações das salas de cinema de São Paulo, a Tragédia do Cine Oberdan.

A matinê do dia 10 de abril de 1938 não exibia um filme de terror, mas as cenas que foram vistas naquela tarde dentro do cinema, com certeza serviriam de roteiro para os típicos filmes-catástrofes. A sessão estava lotada, boa parte por crianças, e na tela era exibido o filme “Criminosos do Ar”.

Já estava quase no final do filme, quando uma cena mostra dois aviões chocando-se no ar. Foi neste momento que alguém na plateia gritou “FOGO!”, provavelmente em alusão ao filme e que foi o estopim para que iniciasse uma correria desesperada para fugir da sala (* esta é a versão oficiosa, veja a versão da polícia para o incidente logo abaixo).

A correria e o pânico tomou conta da enorme sala de cinema, que comportava 1600 pessoas. Apesar da sala ser assim grande, suas saídas não eram pensadas para situações de pânico e as saídas rumo ao hall se davam por duas estreitas escadarias. Não demorou para que crianças desesperadas fossem correndo para estas escadas, juntamente com adultos. Nesta hora, não houve cavalheirismo e nem gentilezas, foi um salve-se quem puder frenético. E o que aconteceu em poucos minutos foi um massacre ocasionado pelo pânico.

Planta do Oberdan, o nome das ruas não correspondem aos atuais (clique para ampliar).

Até que percebessem que o alarme era falso, foram momentos de total loucura. Crianças se atiravam pelas escadarias tentando fugir do suposto fogo, mas eram ultrapassados por adultos que, mais fortes, tomavam a dianteira. Sapatos, chapéus, carteiras, tudo era deixado para trás.

Quando o socorro chegou ao local, a cena encontrada na porta do cinema era de um horror inimaginável. Inúmeras pessoas feridas pelo chão, muito sangue e um amontoado de cadáveres de crianças que não conseguiram correr e foram pisoteadas.

Nas estreitas escadarias, pertences foram deixados para trás.

Brasiliense Carneiro, o chefe da polícia na época, foi imediatamente ao local e tratou de providenciar a remoção dos feridos para a Santa Casa de São Paulo, na região central. Algumas crianças ainda foram levadas com vida, mas acabaram por falecer no hospital. O impacto à tragédia foi tão grande que despertou reações por toda a cidade, do governador a populares.

Protocolo de comunicação telefônica com detalhes do ocorrido (clique para ampliar).

Imediatamente após a tragédia, o cinema foi interditado e a polícia iniciou uma grande perícia no local aproveitando para interrogar alguns dos sobreviventes. Foi aqui que apurou-se um outro fato que talvez tenha levado ao pânico e aos gritos de “fogo!”.

A verdadeira versão para a tragédia:

Sempre que se pesquisa sobre a trágico acontecimento do Cine Oberdan, a razão do grito de fogo e o pânico que desencadeou-se em seguida sempre é atribuída à cena do filme onde há o choque de aviões no ar. Esta versão, no entanto, é equivocada. A polícia conseguiu apurar os fatos com rigor e descobriu que tudo começou devido a uma diarreia.

O banheiro do cinema, onde tudo começou (clique para ampliar).

Um garoto estava passando muito mal e precisa ir urgente ao banheiro, mas o lanterninha não aparecia. Ele teria começado a ficar tenso porque no final da exibição todos vão ao banheiro e o mesmo fica com grande fila.

Cansado de esperar, ele decidiu aproveitar os minutos finais e se dirigiu até o sanitário, mas não chegou a tempo fazendo parte de suas necessidades pelo caminho. Ao chegar no banheiro, encontrou outra surpresa: as luzes estavam desligadas.

Foi ai que o garoto teve a ideia de pegar um fósforo e colocar fogo em um punhado de jornais para poder enxergar o que estava fazendo, deixando a porta do banheiro entreaberta para também pegar um pouco da luz da tela. Teria sido neste momento que alguém viu as chamas pela porta do banheiro e gritou “fogo”. No banheiro, a perícia realmente encontrou os jornais queimados e a bermuda do menino que serviu para a conclusão do caso.

As evidências encontradas no banheiro (clique para ampliar).

Famílias destruídas:

O trágico acontecimento destruiu inúmeras famílias. Muitos pais perderam um filho, e houve até quem perdesse dois. As mortes que mais chocaram foram a dos irmãos Pricolli (de 12 e 8 anos) e do menino Enrico Mandorino, cuja morte sua mãe sentiu-se culpada vivendo enlutada até morrer no início dos anos 1980.

Em entrevista décadas atrás, sua mãe contou que o jovem Mandorino queria naquela tarde ir ao jóquei, que na época ficava no bairro da Mooca. Ela achou perigoso e deu a ordem que fosse divertir-se no cinema, ele não voltaria mais.

Anúncio em jornal anuncia paralisação das atividades do Oberdan.

Anúncio em jornal anuncia paralisação das atividades do Oberdan.

Na tragédia do Cine Oberdan morreram 31 pessoas. Destas, 30 eram crianças. A única pessoa adulta a falecer no terrível incidente do Brás foi uma mulher chamada Maria Pereira. A história da morte desta mulher é um caso de uma mãe que instintivamente fez de tudo para salvar um filho da morte. Ela estava no cinema junto de sua pequena filha de colo, chamada Joanna. Quando começou a correria ela também tentou fugir mas foi derrubada próxima das escadarias do cinema. Para que sua filha ainda bebê não morresse esmagada ela ficou curvada no chão protegendo sua filha sob seu corpo. Maria Pereira, mãe de sete filhos, morreu esmagada, mas conseguiu salvar a pequena “Joaninha”.

A pequena Joaninha, mãe deu a vida para salvá-la (clique para ampliar).

Como o fato deu-se numa matinê, muitas das crianças que morreram eram das vizinhanças. Era rápido e fácil chegar ao cinema, veja abaixo a relação dos mortos do Oberdan e onde eles moravam:

  1. Francisco Trento (13 anos) – Endereço: rua Claudino Pinto, 167
  2. Walter Pricoli (12 anos) e Pedro Pricoli (8 anos) – rua Maria Joaquina, 90
  3. Nelson Paulo de Souza (10 anos) – rua Oriente,599
  4. Waltova Gonçalves (17 anos) – rua Carlos de Campos, 82
  5. Apparecido Bertolato (15 anos) – rua Müller ,23
  6. Waldermar Silva (11 anos) – rua Oriente, 567
  7. Maria Pereira (45 anos) – Residia em Guarulhos
  8. Armando Vara (8 anos) – rua Coronel Cintra, 67
  9. Rubens (14 anos) – rua Coimbra, 43-B
  10. Mario da Conceição (16 anos) – rua Coimbra, 39
  11. Ferdinando Machado (14 anos) – rua Coronel Machado, 105
  12. Joaquim de Souza (13 anos) – rua Ricardo Gonçalves, 70
  13. Salvador Aurungo (11 anos) – rua Visconde de Parnaíba 1993
  14. Waldomiro Lima (12 anos) – rua Itaquera, 8
  15. Nicolau (12 anos) – rua Almeida Lima, 171
  16. Jayme (10 anos) – rua Rio Bonito, 22
  17. José (14 anos) – avenida Celso Garcia, 1130
  18. Antonio (10 anos) – rua Barão de Ladário, 270
  19. Plácidio (9 anos) – rua Claudino Pinto, 167
  20. Orlando (11 anos) – rua Rio Bonito, 58
  21. Miguel (12 anos) – Travessa Particular, 12
  22. Armando Alegre (15 anos) – rua Oriente, 31
  23. Miguel Garcia (13 anos) – rua Durvalina, 6
  24. José  Moreno (11 anos) – rua Santa Rita, 382
  25. Adelino Fontes (15 anos) – residia no bairro de Itaquera
  26. João Fontes (sem idade declarada) – residência desconhecida
  27. Antonio Bonifacio (13 anos) – rua Maria Carlota, 6
  28. Milton Casale (12 anos) – rua Celso Garcia, 221 – casa 10
  29. Enrico Mandorino
  30. Dados desconhecidos
  31. Dados desconhecidos

O Funeral:

Todos os corpos foram levados para o necrotério do Cemitério do Araçá, onde passaram por perícia. À medida que foram sendo liberados os corpos constatou-se que muitos dos pais não estavam preparados para enterrar seus filhos. Foi ai que o poder público decidiu por um enterro coletivo e todas as vítimas fatais foram sepultadas em uma cerimônia única em uma área do Cemitério do Brás (Quarta Parada).

Uma mãe vai ao necrotério reconhecer o corpo de seu filho (clique para ampliar).

Neste dia, de grande comoção, a Associação Comercial de São Paulo, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e o Sindicato dos Empregados das Indústrias entraram em acordo e praticamente a cidade parou para que todos acompanhassem o funeral. Segundo o relato de jornais da época foi uma multidão gigantesca.

O Cinema:

Apesar do triste incidente, o Cine Oberdan ainda continuou em atividade por muitos e muitos anos,  encerrando suas atividades no final dos anos 1960. O prédio ficou fechado por alguns anos até que em meados nos anos 1970 foi transformado em uma loja da Zêlo. Eles mantém o prédio preservado até os dias de hoje.

O Cine Oberdan em 2010, local permanece preservado.

Uma tragédia como esta provocou mudanças nas leis municipais relacionadas aos cinemas. Até o incidente, as travas das portas das salas de cinema eram muitas vezes pelo lado de fora, sendo que não era raro encontrá-las trancadas durante o filme para que impedir que algum malandro entrasse sem pagar. A lei exigiu que não se trancasse mais as portas e que as travas eventuais fossem pelo lado de dentro. Também aumentou-se o rigor quanto a segurança do público e a iluminação de corredores, mas para o Oberdan e seus 31 mortos isso veio tarde demais.

Veja outras fotos da tragédia (clique para ampliar):
Atenção: Algumas cenas são muito fortes, não recomendado para pessoas sensíveis e crianças.

 

 

 

 

 

 

 

 

Corpos aguardam reconhecimento no necrotério do Araçá.

Pai beija corpo de filho morto no Cine Oberdan.

Ao reconhecer os corpos familiares se desesperam.

Garota chora ao lado do corpo de seu irmão.

Veja o Cine Oberdan na sessão Antes & Depois, clique aqui.

Participação de Douglas Nascimento, autor do artigo e editor do São Paulo Antiga no programa Balanço Geral

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe um comentário!

Comments

  • Renata 13/01/2011 at 00:47

    Realmente muito triste ver que tantas vidas foram perdidas em meio ao desespero. Parabéns pela pesquisa.

    Reply
  • Pedro 13/01/2011 at 01:58

    Matéria Magnifica!,está de parabéns mesmo,e a tragédia é muito chocante,ainda bem que o estabelecimento foi adequadamente conservado,se não viraria muitos locais “fantasmas” no centro de São Paulo

    Reply
  • walyson 13/01/2011 at 08:39

    Pena que não ouve o critério: primeiro crianças e mulheres.

    Reply
    • Cai 27/07/2011 at 09:07

      Que comentário infeliz!

      Reply
      • Carol 19/11/2011 at 00:54

        Para mim foi um comentário normal. ‘-‘ Nada de infeliz.

        Reply
        • Sergei 09/03/2014 at 06:20

          Infeliz é saber q as coisas continuam as mesmas, haja visto a tragédia de Santa Maria, apesar que acho q naquela época a tragédia ocorreu mais por desconhecimento técnico que por SEM VERGONHICE , como em Santa Maria !!!

          Reply
    • Wolfman 12/01/2012 at 16:22

      O seu “ouve” , está na 3 pessoa do singular do tempo presente do indicativo do verbo “ouvir” , “ouve” no sentido de existir , tem um “h” na frente : “houve” , do verbo haver.

      Se não sabe escrever, então não comente.

      Tenho dito.

      Reply
      • André 24/06/2012 at 03:22

        Então a expressão está condicionada à educação, sr. Wolfman? Típico comentário de gente elitista.
        O sr. entendeu o que ele quis dizer, portanto guarde suas aulas de gramática para o ambiente propício (caso seu ego suportar esta disciplina).

        Grande abraço,

        André

        Reply
        • Roger 20/07/2012 at 12:36

          E tenho certeza que teve que procurar no Google a regra.

          Reply
        • Marcelo Dias 30/01/2013 at 01:21

          Não foi um comentário “elitista”. Deveríamos ser gratos por correções gramaticais. Devemos SIM escrever corretamente!

          Reply
          • fabio Buzano 23/03/2013 at 21:03

            como podem, diante d uma situação triste e marcante como esta ficarem discutindo, cada um tem seu modo de pensar e expreasasar, então devemos sim expressá-los, mas não ao ponto de ofender.

            1 abraço a tds.
            bom fds.

            Fábio B.

        • Silvia 09/08/2013 at 16:37

          Concordo plenamente, acho que todos entendemos o que foi escrito, porém, há pessoas que preferem se ater a detalhes do que aos fatos, tenho certeza de que se o sr. Wolfman estive lá, ele passaria sim, por cima de todas essas crianças e mulheres, pq talvez a mente dele estivesse voltada para como utilizar a gramatica da melhor forma para pedir o socorro, ao invés de ajudar os mais fracos. É uma pena que existam seres humanos assim.

          Reply
          • Sergei 09/03/2014 at 06:21

            Boa!!!

          • Nelson Goncalves 10/03/2014 at 02:32

            O nome dele ja diz tudo. Nao deixe suas galinhas soltas porque o lobo vem…

      • zero em portugues 30/08/2012 at 23:11

        Sao Paulo antiga virou site de aulas de gramática … que saco ! e tenho dito !

        Reply
      • vania 09/08/2013 at 14:54

        Com licença, estamos falando da morte de 30 crianças, e nao sobre conjugação de verbos, desculpe-me mas vamos respeitar, mesmo ter passado tantos anos…

        Reply
      • rosemberg neto 09/08/2013 at 20:06

        velho na boa agr tu viro prof de português pra fica corregindo os outros?

        Reply
      • Sandra 10/06/2016 at 21:22

        Tente corrigir um sábio e você o tornará mais sábio. Tente corrigir um tolo e você o tornará seu inimigo.

        Reply
    • Man Silvas 20/02/2016 at 23:03

      Infelizmente do lado negativo, houve um critério sim, só crianças e uma mulher morreram.

      Reply
  • Marcelo Bruno Rodrigues 13/01/2011 at 09:15

    Falta neste País uma educação que valorize sistematicamente prevenção e previsão de acidentes, além de prática de primeiros socorros, convenções sociais. Aqui em Brasília, onde moro desde 1995, sinto que, principalmente, as convenções sociais são o item mais descumprido e, quem sabe, desconsiderado.

    Reply
  • Ralph Mennucci Giesbrecht 13/01/2011 at 09:28

    Triste tragédia num local tão bonito.

    Reply
  • Pablo 13/01/2011 at 10:24

    Meus parabéns pela matéria. E meus parabéns por mostrar para todos os Crimes que abalaram São Paulo.

    Reply
  • Mario Fonseca Ventura 13/01/2011 at 10:30

    Meus parabéns pela magnífica reportagem. Parece que revivemos a tragédia do CINE OBERDAN em toda a sua plenitude.

    Reply
  • Rosana Bacarini 13/01/2011 at 11:52

    Nossa fiquei impressionada com a matéria nunca tinha ouvido falar,pensei que era outro caso que li no num livro não lembro qual, mas que coisa maluca essa como pode as pessoas se desesperarem a esse ponto.
    Muito triste,parabéns pela matéria.

    Reply
    • gio 13/01/2013 at 20:12

      eu tb fiquei impressionada as pessoas sairem pisoteando crianças, meu deus, mas todo mundo saiu em desespero, muito triste mesmo..

      Reply
  • Luciano 13/01/2011 at 12:27

    Caro Douglas.
    Muito legal esta reconstituição. Gostaria de informar que o ano retrasado meus alunos fizeram um trabalho, TCC em que fui ator, sobre o “Crime do Poço”, uma reconstituição com atores no gênero de uma fotonovela eletrônica. Eu tenho o vídeo. São fotos com narrações. Não sei se v. gostaria de ver.
    Parabéns
    Luciano

    Reply
  • Laercio Cardoso de Carvalho 13/01/2011 at 16:50

    Douglas,
    parabéns pela matéria.
    Já havia lido muita coisa sobre essa triste história que escuto desde garoto. Mas nunca com essa versão oficial,

    sensacional sua pesquisa.

    parabéns mesmo

    Laercio

    guia da Caminhada Noturna.

    Reply
  • Vera Lucia Dias 13/01/2011 at 17:41

    Muito bem escrito e pesquisado!! Que milagre o edifício estar ainda por lá.
    Minha avó, Purificacion Bonillo Gimenez, que amava cinema chegou a comentar repetidas vezes esse episódio.

    Reply
  • João Telles 13/01/2011 at 18:11

    Realmente impressionante e triste! Fiquei consternado com a sua matéria, mesmo se tratando de algo ocorrido há tantos anos. Curioso observar que excluindo-se a Sra. Maria Pereira e Waltova Gonçalves todas as outras vitimas eram do sexo masculino, ou haviam poucas meninas no cinema ou na hora do empurra-empurra elas foram deixadas para trás e por isso acabaram sobrevivendo.
    Fico pensando em como estariam essas crianças hoje, muitos seriam até bisavôs e bisavós…
    Como é hoje o interior deste prédio? Estas escadas ainda existem? Existe algum resquicio do cinema?

    Reply
    • antonio stilhano guazzelli 10/08/2013 at 01:39

      ver programa do geraldo balanço geral…….passou tudo sobre o caso …..e conforme esta la dentro….

      Reply
  • Rinaldo Dalan 13/01/2011 at 21:44

    As maiores tragedias sao,sem duvida,aquelas que envolvem crianças…Muito triste!Parabens pela materia e pelo excelente trabalho ao qual vc tem se dedicado!

    Reply
  • Angelo E Agarelli 13/01/2011 at 22:21

    Douglas : belissima matéria. Pouca gente conhece essa história. Eu, particularmente, conhecia apenas parte dela. Parabéns.

    Reply
  • Tweets that mention A Tragédia do Cine Oberdan — São Paulo Antiga — Topsy.com 14/01/2011 at 04:34

    […] This post was mentioned on Twitter by Douglas Nascimento, Douglas Nascimento and others. Douglas Nascimento said: RT @SaoPauloAntiga: Em 1938, uma tragédia que matou 30 crianças e chocou São Paulo – http://t.co/aQ2s4js […]

    Reply
  • Farol Comunitario 15/01/2011 at 12:25

    Muito boa a matéria. Resgate histórico de uma coisa que pouco se ouve falar. Eu nasci no Brás e escutei essa história desde a infância. Por outro lado o prédio é muito bonito e teve mais sorte que o Teatro Colombo, ali pertinho no Largo da Concórdia.

    Reply
  • gabriel 21/01/2011 at 22:07

    Ótima matéria, com boas informações sobre esse fato tão importante ocorrido na nossa cidade e sobre o qual não se vê comentar tanto. Só gostaria de tomar a liberdade de realizar uma crítica construtiva sobre o texto: ele apresenta alguns problemas, como “versão verdadeira” (versões dos fatos não são os fatos em si, por definição) e sobre o número de mortos que deveria estar logo nos primeiros parágrafos, pela relevância da informação. De todo modo, excelente matéria, muito informativa.

    Reply
  • Christiane – Paranormal Praxis 24/01/2011 at 16:10

    Excelente trabalho: criterioso, tocante e essencial. Parabéns, Douglas!
    Abraços da equipe Paranormal Praxis

    Reply
  • ayrton camargo e silva 25/01/2011 at 12:51

    Meu tio estava presente enssa trágica sessão, e lembro-me dele contar o que rpesenciou.
    O que o salvou foi estar na plateia superior, e segundo ele, quando ouviu os gritos de “fogo” e os espectadores correndo em fuga, ele ficou apavorado e ficou colado em sua poltrona, não conseguindo esboçar reação.Foi o que o salvou.
    Ele esperou todos sairem do cinema, e ao descer as escadas ficou impressionado com a quantidade de calçados das pessoas, o que pode ser comprovado nas fotos raras do artigo.
    Contava ele que viu as crianças mortas, e uma delas, sua vizinha.

    Reply
    • ana beatriz 11/03/2013 at 16:43

      nossa

      Reply
    • Anderson Plácido 04/11/2014 at 15:55

      Nossa!!! 🙁 Difícil encontrar alguém que tenha parentesco com vítimas/testemunhas!

      Reply
  • Bruna Rienda 29/01/2011 at 21:39

    A morte já é triste, e ainda mais com crianças nessas circunstâncias, horrível e tudo por causa de um mal entendido.
    essas fotos são bem chocantes e pelo fato de serem preto e branco ainda ficam mais dramáticas.
    Excelente Matéria!

    Reply
  • Saturnais XXVIII: fevereiro sem carnaval « Depokafé 05/02/2011 at 12:14

    […] site São Paulo antiga, um excelente artigo sobre um acontecimento a muito esquecido, a tragédia do Cine Oberdan, acontecida em São Paulo em […]

    Reply
  • Miguel Geraldi 12/02/2011 at 13:06

    Oi Douglas,
    Realmente sua pesquisa é ótima.
    Eu sou cantor lírico e deois de ler a sua pesquisa e movido pelo interesse que tenho por patrimônio e arquitetura estive ontem lá no Oberdan.
    Fiquei muito empolgado de ver um teatro tão maravilhoso que resiste ao tempo e que pode a qualquer momento recuperar os seus dias de glória e transformar uma antiga tragédia numa nova história de alegria para as pessoas. Reabrir suas portas para para uma humanidade tão castigada pela violência , pelo descaso e pela mediocridade e dár -lhes novamente o direito de sonhar e acreditar num mundo melhor com mais coloridos e infinitas possibilidades.
    Adoraria começar um movimento para o renascimento deste teatro.
    Vc sabe se existe mais material iconográfico do interior do teatro?
    Um forte abraço e até mais!

    Reply
    • Paola 27/01/2013 at 13:48

      Concordo plenamente! O edificio è demasiado belo, majestoso e històrico pra abrigar uma Zelo!

      Reply
  • Adial Júnior 25/02/2011 at 12:03

    Muito triste mesmo. Lamentavel saber que mesmo naquele tempo tinha um povo tão ignorante, afobado e egoísta que não se importava nem com a vida de crianças inocentes! Então alguém grita fogo e só por causa de uma tocha acesa todos já saem feito uma manada de bois sem nem ver fumaça e sentir o calor? Quanta estupidez, tem hora que o ser humano é pior que um animal irracional. A polícia devia ter indiciado aqueles adultos por crime culposo (onde não se tem a intenção de matar mas deixa acontecer devido a imprudência).

    Reply
    • J.R.Pereira 25/05/2011 at 01:14

      Pois é, é fácil se colocar fora de um contexto e bancar o soberbo.
      Mas na hora do desespero, sem segurança alguma, o instinto fala mais alto.
      Foi assim em todas as tragédias e sempre será.
      Acostume-se com isso pois numa hora qualquer pode acontecer o mesmo contigo.
      Não julgue.

      Reply
      • André Ganzelevitch 21/07/2012 at 15:46

        J.R.Pereira, concordo com seu lúcido comentário sobre o infeliz texto de Adial.

        Reply
        • Adial Júnior 01/04/2013 at 15:58

          Por que infeliz? Acha normal então sair pisoteando crianças feito um estouro de boiada por um alarme falso sem nem ao menos olhar ao redor para ver se teve incêndio? O ser humano é estúpido mesmo tem certas horas, pois os bois pelo menos não tem o raciocínio de um homem.

          Reply
      • João El Helou 08/08/2012 at 14:09

        Concordo com os 2: JR, porque acho que não devemos julgar. Adial porque acho que tem gente muito ignorante, Mesmo. tsc, tsc.

        Reply
      • Adial Júnior 01/04/2013 at 15:54

        Apenas dei minha opinião, acho que estamos numa democracia não é? Foi assim em todas as tragédias? Então o que me diz do namorado que tinha saído daquela boate em Santa Maria-RS e que morreu porque voltou lá para salvar a namorada? E teve outros casos parecidos em que pessoas perderam a vida para salvar outras. Quer me dizer que pisotear pobres crianças é normal? Se eu ouvisse grito de fogo meu caro primeiro iria conferir se é normal ou não. O erro do ser humano é ser precipitado e desesperado nestas horas.

        Reply
    • Clarice 25/03/2012 at 14:25

      Adial, não se trata de “povo ignorante”, mas de crianças.Em 1938, como hoje e como será no ano 3.000 crianças sempre terão reações imprevisíveis ante situações novas.
      Quanto a sugestão de “crime doloso”, é preciso saber que pelas leis vigentes em 1938, nenhuma irregularidade havia na construção do prédio. Foi essa tragédia a responsável por novas e importantes mudanças, principalmente, quanto à existência de portas de emergência. Não é importante ” acusar”, mas importantíssimo aprender e tudo fazer por prevenir.

      Reply
      • Adial Júnior 01/04/2013 at 15:56

        Meu caro não chamei essas crianças de povo ignorante, mas os adultos que as pisotearam feito uma manada de animais sem nem sequer saber se o prédio estava ou não pegando fogo. Quanto ao aprender e tudo fazer para prevenir concordo contigo claro.

        Reply
    • antonio stilhano guazzelli 10/08/2013 at 01:47

      nossa até parece que mudou alguma coisa ..´´.talvez´´ ..hj somos mais ignorantes ..ver sta maria ….na hora do sufoco é DEUS nos acuda ……..

      Reply
  • valdefran luis 28/02/2011 at 09:51

    muito triste

    Reply
  • Rita Ribeiro 03/03/2011 at 13:07

    Imagina só você planejar uma bela tarde com muita diversão em um cinema e resultar em uma tragédia sem precendentes… É extremamente lamentável ;((((

    Reply
  • Vitor 04/03/2011 at 22:28

    Por que as matérias não continuaram? Não era pra ser uma série?

    Reply
    • Douglas Nascimento 04/03/2011 at 22:57

      Vitor, não pararam. Os crimes são bimestrais e o próximo, O Crime do Poço, é neste mês de março. Pode esperar!

      Reply
  • Odir Cunha 05/04/2011 at 10:42

    Que triste! Bela pesquisa, Mário. O curioso é que só meninos morreram. As meninas não iam ao cinema?

    Reply
    • Marcio 28/09/2012 at 19:04

      Eu também observei esse detalhe. Foram apenas uma menina e uma mulher que faleceram na tragédia.

      Reply
    • Anderson Plácido 04/11/2014 at 16:00

      No começo do século XX não era um bom costume mulheres/meninas andaram sozinhas nas ruas… como vimos pela história do menino que ganhou dinheiro da mãe, ele foi sozinho ao cinema, mas era menino, então, tudo bem :/

      Reply
  • Museu do Crime | Museus Brasileiros 19/04/2011 at 13:46

    […] local ainda é possível conhecer outros casos trágicos como a Tragédia do Cine Oberdan, e extensa memorabilia, como armas de crime, bustos de criminosos e fotografias da cidade de São […]

    Reply
  • Thaís 19/05/2011 at 22:29

    Triste mesmo, leio a história e entendo um pouco mais sobre minha família… Um tio avô meu faleceu neste dia aos 11 anos, Salvador Aurungo.

    Reply
  • oberdan senna 12/06/2011 at 02:37

    parabéns pelas informações tão importantes
    se não fosse por vocês algumas coisas seriam quase impossível saber!

    Reply
  • oberdan salustre 21/10/2011 at 12:07

    eu sempre soube que tinha algo relacionado ao meu nome e que era essa tragédia, mas nunca tinha lido assim com detalhes…fiquei impressionado mesmo….

    Reply
  • Antonio 27/11/2011 at 21:42

    Esta cidade é fantástica e esconde histórias desconhecidas até de seus mais antigos cidadãos.
    Eu não sabia desta tragédia ocorrida.

    Reply
  • walter thadeu 30/11/2011 at 16:38

    Meu sempre comentou sobre uma tragédia em um cinema de São Paulo em que alguém gritou “fogo” e provocou um grande numero de mortos. Só agora eu estou sabendo dos detalhes.

    Reply
  • marisa 07/12/2011 at 12:51

    Fiquei muito comovida com esta historia. Confesso que estou sempre fazendo compras na Zelo e nunca imaginei ter pisado em um local que antes foi um cinema e que aconteceu esta catástrofe. Pode ter certeza de que na minha proxima compra na Zelo, entrarei na loja, tentando imaginar o que aconteceu. Olharei para todos os lugares, todos os cantos para poder sentir o que estas pobres crianças sentiram neste dia de horror. E aproveito também para parabenizar o dono deste site maravilhoso. Confesso que adoro historias antigas, fotos que nos faz lembrar e imaginar os antepassados. Parabéns!

    Reply
  • Ana 07/12/2011 at 13:57

    Sensacional o post. Parabéns pelo material pesquisado!

    Tenho muita sorte de ter uma bisavó linda e lúcida que me conta histórias de um tempo tão glamuroso.
    Acho engraçado ver o quanto se preocupavam com a estética das fachadas e dos interiores e não se davam conta da importancia da segurança e que por melhor que seja uma construção ela sempre será passível de acidentes.
    Visto o Oberdan, o Titanic e outras obras faraônicas que acabaram de forma trágica.

    Reply
  • Alline V Freitas 02/01/2012 at 14:11

    Oi Douglas, eu admiro muito o seu trabalho.Vc não tem dados historicos sobre o castelinho da rua Apa? muito famoso…no centro de São Paulo.
    Se tiver poderia compartilhar com a gente. Por incrível que pareça, converso com muitas pessoas que nunca ouviram falar. Seria interessante.
    abraços.

    Reply
  • Lucas T. Vasconcelos 03/01/2012 at 09:37

    Excelente relato do triste Caso do Cine Oberdan.
    Parabéns pelo enternece de preservar a historia e a memoria destes muitos jovens/Maria Pereira que infelizmente perderam a vida nesta matinê.

    Forte Abraço

    Reply
  • sonia ramirez 06/01/2012 at 17:25

    MEU PAI CONTAVA ESSE TRISTE ACONTECIMENTO, POIS SEU SOBRINHO DE APENAS 11 ANOS ESTAVA LÁ E MORREU.
    SEU NOME ERA ORLANDO.
    A FAMILIA FICOU ABALADA.
    MUITO BOA A MATERIA…FOI EXATAMENTE ASSIM QUE ACONTECEU
    UM ABRAÇO

    Reply
  • Marcio Hohenfeld Angelini 25/01/2012 at 11:46

    Nao sabia que ocorreu essa tragedia.Quantas crianças desencarnaram. Muito triste!

    Reply
  • Daniel Gazzaniga Rigatto 12/03/2012 at 00:35

    Minha avó (Maria Aparecida Pricoli Gazzaniga) até hoje com 92 anos de idade reza todos os dias pelas almas de seus irmãos Pedro e Walter Pricoli.

    Reply
    • Anderson Plácido 04/11/2014 at 16:06

      🙁

      Reply
  • Raquel 22/03/2012 at 14:52

    Triste, muito triste…crianças…me chocou

    Reply
  • Jefferson 06/04/2012 at 18:42

    Douglas, Parabéns por essa matéria, muito me chocou. Estarei indo até são paulo em breve e irei as Lojas Zelo somente para adentrar esse prédio. Muito me interessou essa tragédia. Te peço licença para citar seu site em meu Blog na próxima semana onde estarei publicando um artigo sobre esse fato.
    Agradeço por nos trazer esse acontecimento tão trágico a tona após tantos anos caido no esquecimento.

    Grande abraço

    Reply
  • Samuel de Leonardo 15/04/2012 at 20:40

    Caro Douglas, parabéns pelo trabalho.
    Estou pesquisando, apenas por curiosidade, dois fatos ocorridos na década de 60 ou 70, mas não consigo encontrar em arquivos da imprensa. Quem sabe alguem possa me ajudar:
    1) Incêndio no Circo Teatro Jóia (do palhaço Rebian, o Carioca)instalado na Av. José Joaquim Seabra – São Domingos – Butantã.
    2) Ocorrência policial que mobilizou grande efetivo quando da captura de um fugitivo apelidado de Jair Bala,no interor de uma residência, também na mesma avenida.

    Reply
  • J.C.Cardoso 15/05/2012 at 17:03

    Curioso é que havia lido um outro post sobre esse prédio, mas no qual não havia referência à tragédia.
    Sou do Rio. Não sabia dessa história, mas, sinceramente, achei a construção muito sinistra… não acredito em mediunidade (respeito quem diz crer), mas… não me senti nem um pouco bem com a foto.
    Estranho…

    Reply
  • Sidney 04/06/2012 at 19:29

    Foto da platéia do cine Oberdan:

    http://3.bp.blogspot.com/_IqCLYOD0wU0/TETFzJKo2LI/AAAAAAAAHbk/kgZlK6Cd9p0/s400/cine.oberdan.da.plateia.jpg

    Reply
  • Diego Figueredo 11/06/2012 at 13:08

    Muito boa a pesquisa!…até o presente momento desconhecia sobre o fato!

    Parabéns aos criadores do site!

    Reply
  • Tania 23/06/2012 at 21:11

    Trabalhei na Zelo (neste prédio) por alguns anos, realmente o cuidado que eles tem com o predio é impressionante diante de muitos outros que estão aos cuidados da prefeitura que não cuida da cidade!!!!
    Família Razuk está de Parabéns!!!

    Reply
  • Francielle Silveira 27/06/2012 at 17:56

    Simplesmente incrível a pesquisa, apesar de relatar um fato triste, no qual morreram muitas crianças, é sempre bom lembrar e mostrar aos que desconhecem esses fatos que ocorreram, pois faz parte de nossa cultura e de nossa história.

    Reply
  • Antonio 27/06/2012 at 18:16

    As fotos e o acontecimento parecem cena de filme. Lembra o seriado KINGDON HOSPITAL

    Reply
  • Junior 10/07/2012 at 20:43

    Já tinha ouvido falar uma vez dessa tragédia, mas é incrível o contraste de um acontecimento dessas proporções com o real motivo, compreender a reação/instinto do ser humano, ao meu ver, é impossível, a prevenção com certeza é o melhor caminho para evitar tragédias desse tipo.
    Sinto pelas mortes ocorridas nesse dia…

    Reply
  • Marina 22/07/2012 at 09:10

    Isso é uma fatalidade enorme me deixa triste e com muito medo onde estava deus quanto aquelas crianças presisavam dele ? O que ele fez ? Nada, todos ficaram atortoados em meio ao fogo que nem feriu ninguém quem feriu foi a falta de importância de um ser humano pra outro ser humano e o egoismo, a covardia de pisotear em uma criança frágil e que mal pode se defender, pra que ignorância de machucar alguém só pra se salvar, eu não conseguiria fazer isso se um dia algo acontecer comigo eu não quero fugir que nem uma covarde e correr passando em cima de todo mundo , e as pessoas mais frágeis as mais fracas ? Enquanto a elas ? Iriam ficar pra trás ? Lógicamente que eu ia pensar na minha família mas não só em mim mesmo que eu moresse e querese salvar alguém mesmo que me custase a vida eu iria ter que ajudar, não conseguiria chegar em casa salva e lembrar de quem ficou lá não pediram pra morrer aquelas crianças, eu não quero ser morta com um ser ser humano , se fosse pra morrer prefiro com uma fatalidade mas ñ nas mão de um psicopata de alguém frio sem sentimentos se um dia acontecer algo parecido vou fazer de tudo pra me ajudar mas também ajudar o próximo eu ñ tô aqui ness vida sozinha é pra mim salvar e ajudar sem olhar a quem mesmo que ñ façam o mesmo comigo, que justiça seja feita diante de uma morte dessas.

    Reply
    • Rubens Janes 22/10/2012 at 10:02

      Cara Marina, deixe-me responder onde estava Deus e não “deus” quando aqueles crianças precisam D´Ele. Ora, será que temos de colocar Deus em coisas erradas que sempre acontecem? Deus nos ama muito mais do que nós o amamos. O mundo não foi feito somente para alegrias, mas também para sofrimentos. Já pensou se ninguém morresse ou ficasse doente? Quantas pessoas viveriam hoje no mundo? Talvéz sem exagero, alguns trilhões de pessoas. Deus existe e cabe a cada um de nós lutarmos para sermos melhor a cada dia. O que realmente aconteceu nesse dia foi uma tragédia das piores que poderia acontecer. Quando são crianças as vitimas, então é pior ainda. Não devemos julgar Deus como culpado e sim a fatalidade que aconteceu. Deus existe e está em toda parte, inclusive ao lado daqueles que não acreditam N´Ele. Desculpe pela resposta.

      Reply
    • Rosalia de Cássia 28/01/2013 at 00:39

      As pessoas ficam estarrecidas por crianças serem pisoteadas, mas na verdade no teatro haviam na maioria crianças, pois era uma matine, os adultos estavam trabalhando, nessa época e ainda anos à frente crianças iam ao cinema sozinhas ou em grupo pois não havia televisão até os anos 70 era mais ou menos isso e foram diminuindo as salas de cinema com o aumento de tv’s nas casas. As próprias crianças pisotearam crianças. Não houve covardia mas desespero como há hoje em dia numa tragédia parecida não importando as idades.

      Reply
  • Belarmino Junior. 22/08/2012 at 13:48

    Eu ja entrei neste prédio diversas vezes hoje que soube disso que pessoas morreram ali

    Reply
  • Deise 01/10/2012 at 14:52

    Meus pais frequentaram muito o Cine Oberdam, não me recordo do incêndio. Nesse tempo, só se esntrava no cinema de paletó e gravata.

    Reply
  • Silvio Augusto Sgai 11/10/2012 at 23:04

    Douglas, parabéns pelo post, minha Esposa morava bem perto do Cine Oberdan, e quando criança chegou a participar de carnavais infantis nesse local.
    Recordamos muito.
    Fique na paz do Senhor, e continue a divulgar a nossa sofrida cidade.

    Silvio e Rosangela
    sgai_1@hotmail.com

    Reply
  • João 02/11/2012 at 19:00

    Eu sempro vou nas lojas zelo uma vez por ano, só dessa vez dia 31 de outubro de 2012 fiquei olhando a faixada da zelo e vi uma decoração antiga… logo me veio a curiozidade de saber oque foi esse lugar antes de zer loja, pesquizei na internet e vi.
    agora vou olhar por dentro sabendo o que ja passou naquele lugar

    Reply
  • silvio poggi nunes 09/11/2012 at 19:05

    Nos anos 40 acho, houve também um incêndio num salão de baile na esquina da Florencio de Abreu, onde tem um viaduto, morreu muita gente, já pesquisaram? boa matéria, na Biblioteca da AASP, nos anos 80, tinha cópia do inquérito policial deste acidente, como também do crime da mala de 1928, do restaurante chines dos anos 30 e do químico em 1948 na rua Genebra, todos com bastante fotos, eles ainda devem ter, boa matéria esta, inclusive meu irmão mais velho que morava na rua Augusta, iria com um tio nele na matinê do cine, ele veio buscá-lo mas como estava meio gripado minha mãe não deixou, sorte dele que pode chegar aos 83 anos.

    Reply
  • JEFFERSON 18/01/2013 at 11:24

    Douglas tentei conseguir informações dos túmulos das vítimas no cemitério da quarta parada e só o que consegui foram digitalizações dos livros de registros com alguns nomes das crianças. Você que esta ai em São Paulo não seria interessante visitar e fotografar os jazigos das vitimas desse tragédia, com certeza renderia uma ótima continuação a esse post. Abraço

    Reply
  • Marco Cid 28/01/2013 at 12:30

    Minha falecida mãe sempre nos contava sobre este triste episódio, pois ela acabou não indo a matine devido a procissão no mesmo horario… ela mora na Rua Muller neste época…
    Relembrei disso tudo quando vi o noticiario da boate de Santa Maria….

    Reply
  • Aline Ranieri 28/01/2013 at 17:06

    Sou bisneta de Maria Pereira e só recentemente soube deste fato.Meu avô nunca falava sobre o que ocorreu com sua mae,na epoca que ela faleceu ele era o caçula de 7 filhos,que ficaram orfaos,ele tinha 3 anos.

    Reply
    • Carolina 04/09/2014 at 10:46

      Olá, vi a matéria do Geraldo Luís, e ele cita sua bisavó, bem como a pequena Joana, que seria a filhinha salva por ela

      Reply
  • Francisco Carlos Lucchesi 29/01/2013 at 23:34

    Sou sobrinho do menino Plácido que está na foto acima sendo beijado pelo seu pai,meu avô. Tenho 64 anos e fui criado por minha avó que chorou a morte do meu tio até o fim de sua vida. Não dá prá imaginar a dor dos pais das vitimas de Santa Maria. Que Deus lhes dêem força.

    Reply
  • Sergio 13/06/2013 at 20:00

    Boa noite. Gostaria de deixar o seguinte comentário a respeito desta tragédia. Reparem no título do filme que estava passando. Um horror. Em se tratando de matinê para crianças, não era um filme violento??? Pelo amor de Deus, matinê para criançada com um título desses? Aviões estraçalhando-se no ar? Sou espírita, e, sem levar as coisas para o extremo; mas, com todo o respeito, certas coisas atraem mesmo outras coisas ruins. Lembram-se daquela tragédia recente de um atirador num shopping de São Paulo (se não me engano na região sul) que entrou e matou vários espectadores? Lembram-se do filme: “Clube da Luta”. Não que seja sempre assim. Mas, infelizmente, muitas vezes, as pessoas procuram programas violentos, violentíssimos, pornográficos, ou quase, e depois admiram-se de que as coisas acontecem com elas. Sem levar para o extremismo, é claro, mas energias violentas e altamente degradantes atraem mesmo situações também violentas e degradantes. Fica aí também neste triste caso de 1938 mais um exemplo e lição a todos nós.

    Reply
    • JACK! 16/07/2014 at 23:03

      BESTEIRAS FALACIOSAS!!!

      Reply
    • flávia j 14/11/2016 at 23:16

      Concordo, Sérgio! É de se pensar…

      Reply
  • Dr. Piranha 06/08/2013 at 12:46

    História muito triste, só corrigir um detalhe naquela época não existia bermuda, que e modinha moderna, garotos usavam calça curta.

    Reply
    • Douglas Nascimento 06/08/2013 at 15:18

      Bem lembrado!! E você com isso me pegou “de calças curtas” ahahah abraços

      Reply
  • Silvana Leme Peixoto 09/08/2013 at 14:37

    bela pesquisa sempre vou a este local que me parecia ser
    recomfortante agora repenso sobre esse edificio e fiquei muito triste

    Reply
  • Vivian Nemeth 09/08/2013 at 14:47

    Douglas, parabéns por contar na história triste do cine Oberdan. Acabei de assistir no programa do Geraldo. Fiquei mais arrepiada, ainda! Obrigada por nos lembrar a história de SP.

    Reply
  • Edinho 09/08/2013 at 15:16

    Senhores, use esse espaço respeitosmente foi um momento de muita comoção como aconteceu recentemente em Santa Maria Rs na Boite Kiss, os comentários acima foram antes disso, mas fica de exemplo para nós que estamos comentando agora, que aqui não é o local adequado para troca de farpas, e sim de muito respeito e consideração pelas familias.
    Meus sentimentos e respeito aos familiares dos 31 falecidos no cinema e aos 242 falecidos na Boite Kiss em 27 de janeiro de 2013;

    Os meus sentimentos

    Reply
  • marlene 09/08/2013 at 15:27

    Fiquei sabendo desse ocorrido somente hoje no Programa da Record “Balanço Geral”. Fiquei muito impressionada com o fato ocorrido. Mas uma coisa eu tenho certeza: existe algo no mundo espiritual que assustou os que estavam presentes. Não foi apenas um grito de “fogo” que os fez correr. Eles estavam fixados nas cenas do filme e, de repente, um grito que os fez sair do imaginário para o “real” . Pra começar o filme que estava sendo passado na hora se chamava “Assassinos em ação”.
    Deus vos abençoe.

    Reply
  • rosiclair venancio de souza brandão 09/08/2013 at 15:31

    acabei de ver no programa balanço geral ,uma reportagem sobre essa tragedia e fiquei impressionada,chocada,ainda mais sendo com crianças.trabalhei no bras e ás vezes passava por ali e achava aquele predio muito bonito.

    Reply
  • Jeziel Silva 09/08/2013 at 16:13

    “A MORTE” causa verdadeiro pânico nas pessoas que não conhecem JESUS CRISTO.Os próprios discípulos dele, antes de conhecê-lo, o que só veio a acontecer após a sua morte,experimentaram este pavor.Em uma embarcação eles vivenciaram isto, enquanto JESUS dormia tranquilamente e ao ser acordado ordenou ao mar que se aquietasse e uma grande bonança se fez.No instante em que JESUS é preso pelos soldados romanos sem esboçar reação, os seus fiéis discípulos tb o abandonaram com medo, mas após a sua ressurreição eles se transformaram em verdadeiros mártires, passando a desconhecer o medo da morte e entregam suas vidas por este evangelho maravilhoso que salvará a todos que crerem e aceitarem a JESUS CRISTO como único e suficiente salvador.Pedro disse: “Não sou digno de ser crucificado como meu CRISTO” então o crucificaram de cabeça para baixo; Estevão é apedrejado; Paulo é decapitado e tantos outros perdem a sua vida para “VOCÊ ser salvo.”O dia da volta de JESUS” não será comparada a qualquer outra tragédia na história da humanidade para aqueles que o rejeitaram, mas será um dia glorioso para os que o aceitarem como o seu salvador e não temeremos nenhum mal que possa vir sobre nós, porque “nenhuma condenação há, para os que estão em CRISTO JESUS.” PENSE NISTO!

    Reply
  • KAKA 09/08/2013 at 16:50

    NOSSA ! QUE TRAGICO E MUITO TRISTE ESTA HISTÓRIA. EU NÃO CONHECIA ESTA TRAGÉDIA, EU VIM AQUI PORQUE ASSISTI HOJE NO BALANÇO GERAL DE SÃO PAULO A REPORTAGEM. MAS FIQUEI IMPRESSIONADO COM O GLAMOUR DESTE CINEMA NAQUELA ÉPOCA. NEM IMAGINAVA QUE TINHA CINEMA E QUE TINHA TANTOS LUGARES ASSIM.

    Reply
  • Vera C.F.Dainese 09/08/2013 at 17:54

    Reportagem magnifica da Rede Recor, programa do Geraldo Luiz, “Balanço Geral”, sobre esta tragédia dos anos 30, em São Paulo. Lamentável que muitos anos se passaram e ainda corremos estes mesmos riscos em locais públicos, como Shoppings e cinemas, casas de espetáculo e teatros. Devido a ganância de alguns, crianças foram vitimadas deste episódio tão triste. Quero parabenizar mais uma vez ao programa que realizou uma reportagem brilhante e nos alerta ainda nos dias atuais e nos faz pensar e refletir a respeito.

    Reply
  • Maria Luciana dos santos 09/08/2013 at 20:26

    o geraldo luis da red record esta procurando alguém da familia da joaninha e ccreio que você e da familia

    Reply
  • alessandra 09/08/2013 at 22:18

    nossa eu vir issohj no balanço geral é muito triste

    Reply
  • solange de oliveira rocha 09/08/2013 at 22:24

    Fiquei impressionada e chocada com a matéria que assisti na Record¨”Balanço Geral”. Que coisa mais triste, meu Deus! Tantas vidas perdidas, pobres crianças.

    Reply
  • joyce antonia 10/08/2013 at 11:16

    nss eu assisti no balanço geral e fikei impressionada e decidi pesquisar sobre isso nss fikei pasmada ao ver essas fotos simplesmente deve ter sido um dia mt dificil e triste para eles……..

    Reply
  • silvia knoll 10/08/2013 at 13:48

    Não tinha conhecimento sobre essa tragédia em São Paulo, me chama atenção na lista dos mortos que sejam praticamente só meninos porque?

    Reply
  • Nelida Turri 11/08/2013 at 12:54

    Foi uma surpresa encontrar este documentário.Morava na casa da minha família italiana bem perto do Oberdan,e costumava ir às matinès..Fiquei muito traumatizada com o acontecido.

    Reply
  • nilvia debbus 11/08/2013 at 14:18

    muito triste, infelizmente vivemos até hoje com grandes tragédias como estas.

    Reply
  • Os 10 casos mais bizarros de histeria coletiva 01/10/2013 at 23:28

    […] FONTE PRIMÁRIA: Listverse Belfast Telegraph Folha de São Paulo São Paulo Antiga  […]

    Reply
  • Nelida Turri 28/10/2013 at 21:07

    Eu morava perto deste acidente,e costumava ir às matinés.Felizmente nesse dia não fui, mas lamentei muito o ocorrido.

    Reply
  • cleusa saeko 04/02/2014 at 22:57

    trabalhei no cartório de reg.civil no Brás, e conheci alguns familiares dessas crianças, e fiquei conhecendo um pouco do ocorrido deste triste acidente, e lendo esta matéria, só posso parabenizar por pessoas que batalham para nos esclarecer, obg.

    Reply
  • pascoalina faria dos santos 07/02/2014 at 10:48

    incrivel o amor de uma mãe, a que deu sua vida por sua filhinha..ela foi massacrada, porem sua fihinha salvou-se que mãe, que mulher..realmente uma mãe de verdade….e curioso, observei que nenhuma menina morreu…apenas meninos ????? curioso heim….porem em meio a tragedia uma benção….

    Reply
  • JEFFERSON 20/05/2014 at 16:54

    Qual será é esse jornal escrito MASSACRE mostrado pelo Geraldo Luiz no programa? Já li diversos matérias sobre a tragédia do Oberdan em jornais da época, no entanto, esse não consigo encontrar em parte alguma por não saber qual é….. Alguém sabe?

    Reply
  • Rafael 17/09/2014 at 20:15

    Excelente apuração, ainda que o assunto seja doloroso, as fotos chocantes. Que Deus abençoe todas as almas que pereceram na tragédia e também a equipe do São Paulo Antiga pelo trabalho destemido. Prossigam!

    Reply
  • Anderson Plácido 04/11/2014 at 16:19

    Que chocante esse assunto hein… por que essas matérias chamam tanto a nossa atenção??? Nos fascinam?

    Queremos voltar ao passado e reproduzir esses momentos em nossas mentes… por quê?

    Adorei a matéria!

    Reply
  • Conheça os 10 casos mais bizarros de histeria coletiva – 18/12/2014 at 15:56

    […] Sapatos deixados pelo caminho na confusão Fonte da imagem:Reprodução/São Paulo Antiga […]

    Reply
  • Gustavo Campos 21/04/2015 at 09:38

    Apenas um detalhe que me deixou a pensar: o menino foi ao banheiro que estava com a luz apagada. Certamente, não devia ter altura suficiente para alcançar o interruptor, ou o mesmo ficava fora do banheiro. Ainda assim, aonde ele conseguiu um fósforo para tacar fogo nos jornais? Ele andava com fósforos no bolso?

    Reply
  • Salvador Parisi 28/12/2015 at 00:10

    Parabéns pela riqueza da matéria. Morava na Rua Chavantes, muito perto do Oberdan. Tive a oportunidade de assistir muitos filmes nesse cinema no final dos anos 60, lembro perfeitamente que sempre havia um policial da guarda civil (segurança) logo na entrada após as escadas, sua arma presa à cintura era uma espada (claro que não tinha a finalidade de enviar em ninguém muito menos duelar). um dos últimos filmes que assiste foi “O Ébrio” com Vicente Celestino, não lembro o ano. A matéria me fez voltar no tempo e a tragédia foi muito comentada na minha família.
    Salvador Parisi

    Reply
  • Os 10 casos mais bizarros de histeria coletiva – Ah Duvido 07/03/2018 at 12:03

    […] PRIMÁRIA: Listverse Belfast Telegraph Folha de São Paulo São Paulo Antiga  […]

    Reply
  • Cybelle De Lima Guarani Kaiowá 23/04/2018 at 14:44

    Muito interessante ,parabéns pela pesquisa.
    Vale observar que das 31 pessoas mortas há apenas uma mulher, adulta ( a mãe que protegeu sua bebê), duas não identificadas , e um nome que poderia ser feminino ou não :Waltova Gonçalves de 17 anos. Não há meninas entre as vítimas fatais. Se havia meninas neste trágico dia, sobreviveram , e fica a constatação: meninas não iam sozinhas ao cinema .

    Reply
  • Fábio Vara 23/04/2018 at 20:50

    Boa noite, li hoje a material sobre o cine oberdan, e na relação dos mortos , o número 8 está com o nome errado, não é Armando Vavá, e sim Armando Vara, que seria meu tio. Meu pai também estava no cinema e sempre disse que por sorte tropeçou antes de entrar nas escadarias e sobreviveu.

    Reply
  • Antonio Ferrara 26/04/2018 at 11:28

    Como posso entrar em contato com você? Tenho fotos de dois sobrados de 1944 na Aclimação, que estã prestes a desaparecer.

    Reply
  • Michael de sousa 30/05/2018 at 21:51

    Existe algum busto em homenagem a estas vítimas?..no cemitério da quarta parada?..estou curioso para ver onde estão sepultados..uma tragédia dessas jamais deveria ser esquecida.
    Tinha q ter uma placa em memoria das vítimas no antigo cine oberdan mas..aí cabe á Zelô..mandarei e-mail á eles.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: