Se os cinemas de bairro em São Paulo praticamente desapareceram por completo, o que podemos dizer dos charmosos auto cines ? Esta modalidade de cinema, muito popular nos Estados Unidos a partir do final da década de 40 e início dos anos 50, também era encontrada em nossa cidade. Um dos mais famosos, e que trazemos para você hoje, era o Auto Cine Chaparral.

Tela do Chaparral em 1971 (clique para ampliar)

Tela do Chaparral em 1971 (clique para ampliar)

O saudoso cinema foi inaugurado em junho de 1971. Na época foi um empreendimento ousado e bem sucedido, que trouxe um auto cine para a então pouco movimentada Avenida Condessa Elisabeth Robiano ou, como costumamos chamar, Marginal Tietê.

Sua localização era bem próxima de onde hoje é a entrada para a avenida General Milton Tavares de Souza, mais ou menos onde está instalado atualmente o CEU Tiquatira.

Planta do Chaparral (clique para ampliar)

Planta do Chaparral (clique para ampliar)

Propriedade das famílias Ciongoli e Basile, o Chaparral foi construído pela Construtora Feola e era projeto do Engenheiro José Donato Feola.

Com uma imensa tela de projeção feita em estrutura de concreto, com 240m², o auto cine dispunha de 8 ruas, como eram chamadas os corredores onde se estacionavam os carros para assistir aos filmes.

A imensa tela de concreto, com 240m² (clique na foto para ampliar).

A imensa tela de concreto, com 240m² (clique na foto para ampliar).

O espaço comportava de maneira confortável cerca de 180 automóveis, onde cada um estacionava ao lado de uma estação de áudio, que transmitia o som da película que estava sendo exibida (foto abaixo).

O áudio dos filmes saiam destes aparelhos (clique para ampliar).

O áudio dos filmes saiam destes aparelhos (clique para ampliar).

O auto cine contava com a estrutura de um cinema como qualquer outro cine tradicional, inclusive com lanchonete, que servia desde os tradicionais pipoca e refrigerante a lanches. Nos anos 70, que foi a era de ouro desta modalidade em São Paulo, o Chaparral era a escolha favorita de casais apaixonados, que adoravam namorar enquanto assistiam aos filmes.

Além deste, outros auto cines marcaram história em nossa cidade, como o Snob’s (Santo Amaro) e Moon (este com duas unidades, em Interlagos e Pinheiros).

Entrada do Auto Cine Chaparral (clique para ampliar)

Entrada do Auto Cine Chaparral (clique para ampliar)

Apesar de ser uma grande ideia e sempre com uma frequência boa, o Auto Cine Chaparral não resistiu muito tempo e teve uma duração de cerca de quinze anos, encerrando as atividades em meados dos anos 80. Não sem deixar uma grande quantidade de saudosistas que sempre se recordam dos auto cines paulistanos, como o retrato de uma modalidade cultural que parece que não voltará nunca mais, tal qual os queridos cinemas de bairro.

Ficha – Auto Cine Chaparral
Inauguração: Junho de 1971
Capacidade: 180 carros (aproximadamente)
Projeto: José Donato Feola
Execução: Construtora Feola
Proprietários: Famílias Ciongoli e Basile
Localização: Avenida Condessa Elisabeth Robiano, 2000 – Penha
Situação: Demolido

Veja mais fotos do Chaparral:

Divulgação

Administração e tela de projeção (clique para ampliar)

Administração e tela de projeção (clique para ampliar)

Chaparral visto de uma parte alta da Penha, ao fundo Parque Novo Mundo (esquerda) e Guarulhos (clique para ampliar)

Chaparral visto do alto da Penha. Ao fundo o Parque Novo Mundo (esquerda) e Guarulhos (clique para ampliar).

Tela de projeção

Tela de projeção

E você, chegou a frequentar algum dos auto cines de São Paulo ? Deixe um comentário e diga para nós como foi sua experiência.

Fotos e agradecimentos: Gustavo Feola

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).

Deixe um comentário!

Comments

  • Homero Garcia Dueñas 27/01/2015 at 12:11

    Muito bom a primeira vez que fui não sabia que tinha que pegar a caixa e fixar na janela do carro, ai depois aprendi, mas com o tempo eles colocaram uma transmissão em FM sintonizada no radio do carro, para as proximidades da tela, e ficou mais pratico. Hoje o auto cine Chaparral funciona no Sesc Osasco e passa filmes durante uma semana é só ficara atento as datas.

    Reply
    • Bárbara 27/01/2015 at 13:24

      Curti demais esse auto cine….. adorava ir lá……uma época deliciosa e marcante na vida de muitos jovens….. Saudades imensas…… Obrigada pela dica do Sesc.

      Reply
  • Paulo 27/01/2015 at 12:41

    Para ser sincero, nem sabia que existiram autocines em São Paulo e acredito que existam poucos em funcionamento no Brasil. Todavia, para quem se interessar, há um em Brasília (fica junto ao autódromo da cidade).

    Reply
  • marcia 27/01/2015 at 13:28

    Nunca vou esquecer da pizza enrolada, presa por um palito… Muita saudade!

    Reply
  • Rogério 27/01/2015 at 14:17

    Aqui em São Paulo teve uma época (acho que) ali no Bom Retiro. Quando garoto passava em um determinado lugar lá, e era possível ver a tela recebendo a projeção.

    Reply
    • pedro luiz camarotto 27/01/2015 at 21:58

      era no terreno do playcenter chamava autocine

      Reply
  • João Guimarães filho 27/01/2015 at 14:30

    Em 1978 com meus 14 anos de idade minha irma e sua amiga me levaram dentro de uma Brasília para assistir “”Crazy nos tempos da brilhantina””…tempos de ouro…!

    Reply
  • Vera 27/01/2015 at 16:42

    Não conheci este cine Chaparral! Mas frequentava na Av. São João o cine Metro…o Ipiranga, Paulista na Augusta…sds muitas!

    Reply
  • Francisco Rizzolo 27/01/2015 at 21:09

    Valeu, parabens pelos saudosos artigos.
    Naquela epoca, alem dos auto cines era tambem comum os “drive in” local tranquilo e seguro para ” bater um papinho com a gatinha” dentro do carro (fusca) é claro, e dava para tomar um suquinho e um martini para descontrair, fazendo o maior sucesso com o K7 escutando quela musiquinha.
    Abs

    Reply
  • Antonio Ximenes 27/01/2015 at 21:48

    Fui algumas vezes no Chaparral, nesta época tinha 18 anos, em um Fusca Alemão 1955. Ia para assistir os filmes com a namorada, mas, sempre perdia uma boa parte dos filmes….rsrsrsr. Saudades dessa época.
    Tenho algumas crônicas, que escrevi no “São Paulo Minha Cidade”. Cine Riviera era um ótimo cinema no bairro do Cambucí.. Parabéns Douglas Nascimento pelo site. Grande Abraço. Antonio Ximenes.

    Reply
  • SIDNEY OTOBONI PEREIRA 28/01/2015 at 08:38

    A FIGURA DO SR. ZEZINHO, PROPRIETÁRIO ERA UM CAPITULO A PARTE , AS CHAPARRITAS ENTÃO ……………………. MUITA SAUDADES DOS BONS TEMPOS.

    Reply
    • alexandre 28/01/2015 at 21:05

      José Ciongoli, para os amigos Zézinho da Penha ou gravatinha

      Reply
  • amaury 28/01/2015 at 10:53

    no extinto blog Curiocidade, do Estadão, consta que o Chaparral ficava no número 2000, onde depois chegou a ser um posto da Controlar.
    o Google diz que esse posto da Controlar ficava no número 1824.
    de qualquer modo, seja no 1824 seja no 2000, essa localização é bem antes do atual CEU Tiquatira.
    qual seria a localização correta?

    Reply
    • Douglas Nascimento 28/01/2015 at 11:13

      Como eu disse, mais ou menos perto do CEU não exatamente no lugar.
      A localização seria onde hoje há prédios populares, creio que do programa Cingapura.
      O número 2000 que nos referimos é da numeração em 1971 (checada e confirmada) hoje pode ser que a numeração tenha sido alterada. Abraços

      Reply
      • pedro luiz camarotto 01/07/2015 at 18:46

        Douglas boa noite sobre passeios centro de são paulo e cemitérios e mansões dos barões do cafe não recebi mais informações me mande por favor Abs

        Reply
    • SIDNEY OTOBONI PEREIRA 20/03/2015 at 15:33

      localização correta é onde fizeram um conjunto residencial, antes da federação de futsal. A tela estava até pouco tempo atraz, só foi derrubada para construção dos prédios

      Reply
      • Eva Cristina Rosa 24/08/2018 at 15:38

        Esta localização é a correta. Bem ao lado da Goldenhouse que foi uma pista de patinação anexa ao autócine e ao chapadão. Frequentei por mto tempo. Que bons tempos!

        Reply
      • Laercio 01/03/2019 at 10:32

        Me lembro que ficava logo à direita quando se acessava a marginal, saindo onde hoje é o viaduto Aricanduva, sentido Ayrton Senna.

        Reply
  • aparecido roberto caetano 28/01/2015 at 14:57

    curtir muito ,saudades

    Reply
  • Fátima Moreno Dotti 29/01/2015 at 00:35

    Muita saudade deu agora!!!
    Obrigada por fazer reavivar em nossa mente momentos tão felizes!
    O cine Chaparral teve parte marcante em minha juventude!
    Meus melhores anos!
    Eram muito gostosas as noites de cinema, pipoca, guaraná e muitos beijos, carinhos, sorrisos fáceis, com o namoradinho da época!
    Tempos inesquecíveis, ingênuos, simples e seguros!!!
    Obrigada por esse momento!!

    Reply
  • Julio 30/01/2015 at 15:31

    Além do Chaparral, existia também o MOON AUTOCINE que éra em interlagos.

    Reply
  • Henrique Ewbank 30/01/2015 at 20:19

    Não conhecí pessoalmente o Chaparral, mas frequentei muitas vezes o auto-cine Moon na região do aeroporto de Congonhas. Bons tempos!

    Reply
  • Renan Smit 19/02/2015 at 13:47

    Parabéns por tudo, site fantástico! Manter viva a história que está sendo esquecida por muitos, seu trabalho e de todos que colaboram com o site não é em vão pode ter certeza. E os autocines acredito que eram ótimos descobri o do Sesc em Osasco vou ir ver a nostalgia.

    Reply
  • Getulio Ferreira Silva 14/03/2015 at 10:02

    Foi varias vezes ao Chaparral, pois morava na Ponte Grande bem pertinho.

    Reply
  • Gilberto Bá Moral Lopes 20/03/2015 at 13:34

    Eu fui..a muito tempo….

    Reply
  • Claudio Paulis 21/05/2015 at 21:51

    Cine Chaparral, foi inaugurado pelos proprietários José Ciangole, mais conhecido como Zézinho Gravatinha e Núncio Basile, meus amigos que já se foram, Zézinho era dono do Cine Penha Palace, depois Penharama e o Cine Penha Principe, comprei meu primeiro carro na época e ia constantemente ao cine Chaparral, saudades do cinema e dos amigos.

    Reply
  • Mariana Araujo 03/06/2015 at 12:31

    INTERESSANTE. ADOREI A MATERIA.
    NÃO SABIA DA EXISTENCIA DE AUTOCINE NO BRASIL.
    LEGAL

    Reply
  • Maria Aparecida dos Santos 18/06/2015 at 14:02

    Douglas, adorei ver as fotos e ler a história do Chaparral! Por incrível que pareça o Engº José Donato Feola era o meu chefe. Trabalhei alguns anos com ele e, por coincidência, na época em que foi projetado e construído o Chaparral. Saudade, muita saudade dessa época.

    Reply
  • rene 30/06/2015 at 11:10

    Muitas e muitas vezes fui ´´assistir“ filmes com as namoradas….kkkk
    Que saudades dessa época em que podíamos ficar dentro de fusca, opala, brasilia, corcel, tl…….sossegados sem medo de ser assaltados.
    Valeu e muito a lembrança.

    Reply
  • Giovana Ciongoli 17/07/2015 at 13:15

    José Sante Ciongoli é meu avô! Gravaríeis para os amigos e Gugu para os netos e filhos! Infelizmente não está mais conosco mas se tornou eterno ao estar na memória e lembrança de muitas pessoas com seus cinemas, incluindo o Grande Chaparral!
    Quando nasci, já não tínhamos mais o Chaparral mas sinto que faço parte e tenho um pouquinho do meu avô, e de todas as suas fascinantes e modernas ideias, em mim e no que hoje sou!
    Sinto que estive lá porque ouvi todas as histórias acompanhadas de fotos e muitas imagens que até hoje estão vivas em minha mente.

    Saudades!

    Linda reportagem! Obrigada Douglas!

    Reply
    • Giovana Ciongoli 17/07/2015 at 13:17

      Gravatinha para os amigos*

      Reply
  • Márcio Luiz Altieri 17/07/2015 at 13:42

    Nosso grande amigo e “pai” “gravatinha” deixou um legado e muitas saudades. Jamais outro visto e jamais teremos outro igual. Convivi muito com ele. Era uma pessoa sensacional.

    Reply
  • José Ciongoli 18/07/2015 at 09:24

    Obrigado Douglas por despertar em nós da família Ciongoli lágrimas de saudades das alegrias q tivemos nesses quinze anos de existência que para mim ainda persiste como uma eternidade. Trabalhei muito com meu pai e minha mãe essa época nesse e nos outros cinemas q eles possuíam na Penha, praticamente todos desse Bairro Maravilhoso. Meu pai era uma pessoa fora de seu tempo, um ET, visionário e sonhador, minha mãe q orientava a realidade, por isso registro aqui sua memória como a base da existência dessa obra. Nuncio Basile era solteiro e tinha em meus país sua orientação, também foi um grande empreendedor q norteou a empresa, mas o cinema orgulhosamente sempre foi a vida de meu pai e nossa até hoje. Quando vc mencionou jovens q gostavam de namorar lá dentro lembro-me de uma passagem q eu mesmo fui solicitado a me retirar por excesso de paixão. A coisa lá sempre foi séria. Vinte e duas garçonetes circulavam por esses corredores e quatro policiais em ronda continua para assegurar-nos do comprometimento familiar do CINEMA. Mais uma vez OBRIGADO. José Ciongoli e-mail jciongoli@ig.com.br

    Reply
  • Sueli Maria Lopes 17/10/2015 at 20:39

    Curti muito o cinema e mais ainda a lanchonete que ficava na entrada .O dono era o Nuncio e ele tinha tbm uma boite em Santos na pnta da praia.Saudades

    Reply
  • Marcio Hernandez 26/10/2015 at 22:04

    então… tenho 36 anos, moro e nasci na região da Penha, precisamente próximo ao Extra Penha, conversei com meu Pai sobre este Auto Cine ele falou que já foi lá quando adolescente. Existe um Posto ali chamado Auto Posto Chaparral e ele me disse que era lá.Muito bacana esta notícia, nunca imaginei que existia Auto Cine no Brasil, e bem próximo da minha casa. Parabéns Douglas!! que Trabalho Lindo, vc é iluminado mesmo, um forte abraço, que Deus continue te ilumine mais ainda.

    Reply
  • Anna Fanganielli 15/04/2016 at 20:17

    Olá Douglas Parabéns pela reportagem! Mas vale ressaltar que meu avô Sisinio Onaldo Américo Fanganiello, era um dos sócios do Auto Cine Chaparral, inclusive o local onde se localizava o Chaparral era de propriedade da família Fanganiello! Eu e minha família nos emocionamos com as fotos! Mais uma vez Parabéns, é sempre muito bom relembrarmos de tudo isso. Anna Fanganiello

    Reply
  • Paul W Dixon 28/12/2017 at 16:09

    Lembro de mais um auto-cine na Avenida Santo Amaro, perto de onde hoje passa a Av. Hélio Pellegrino, só não lembro do nome. Infelizmente este ‘Brejil’ acabou com os cinemas de rua.
    Na minha mocidade frequentava: Guarujá, Graúna, Bruni Vila Nova, Vila Rica, Jamor, além dos do Centro e da Paulista.

    Reply
  • Gilson da Cruz Barbosa da Silva 27/01/2018 at 23:57

    Durante os meados da década de 70 e até o seu fechamento na década de 80, eu fui frequentador assíduo do local, que mantinha além do Auto cine uma lanchonete que era aberta ao público, no local era fácil de encontrar e fazer amizade com jogadores de futebol, na maioria jogadores do Corinthians, Casa Grande, Biro Biro e outros não saiam de lá, foi uma época maravilhosa de se viver, tudo era muito mais simples e mais fácil do que hoje, até porque era uma época onde havia Leis e Limites, quero registrar que estávamos vivendo debaixo da organização do saudoso Governo Militar, que hoje, alguns vermelhos, insiste em chamar mentirosamente de ditadura militar, Oh! saudades, todo cidadão digno e honesto que viveu esse tempo, hoje tem plena convicção de que éramos felizes e não sabíamos ….

    Reply
  • fabio yamamoto 30/03/2018 at 20:45

    Eu conheci um auto cine Chaparral em 1978 aqui na Av.Interlagos esq. com Rua Sgto Geraldo Santana onde hoje está o Supermercado Extra.

    Reply
  • J. Mario André 01/04/2018 at 16:23

    Acho a idéia fantástica, brasileiro adora fazer tudo no carro … será que nenhum empresário vai se tocar dessa possibilidade de negócio e empreender um novo auto cine em São Paulo ?

    Reply
  • Fernando 10/08/2018 at 12:24

    Vcs tem informação sobre um que existia na Marques de São Vicente, na época acho que chamava Av dos Emissários, próximo ao viaduto Pacaembú, ali entre a Barra Funda e o Bom Retiro? Eu me lembro de criança, passar por ali e conseguir ver um pedaço da tela.

    Reply
  • Ivan Anjos 10/08/2018 at 21:14

    Frequentei o cine Chaparral nos anos 70,quando ainda era bem novo ( o Chaparral e eu). Boas lembranças duma época romântica.

    Reply
  • Germina Lima 11/08/2018 at 08:06

    Mta vezes fui lá com minhas filhas e meu marido,moravamos na ZL entào era programa de Domingo.sauda

    Reply
  • Matilde Valesin Hellmeister 16/08/2018 at 15:53

    Adorei a matéria, me lembro que nessa época eu era pequena e não podia entrar, mas morria de vontade, pois via de longe a tela com filme e perguntava para minha irmã por que eu não podia entrar… saudades!

    Reply
  • Gerson 29/11/2018 at 15:51

    Eu ainda não havia nascido quando inaugurou, mas é muito legal saber da história desse auto cine em SÃO PAULO.

    Reply
  • José Ciongoli 01/02/2019 at 16:57

    Sou Ciongoli, filho do Gravatinha o José Sante Ciongoli que transformou um sonho em realidade quando construiu o Auto-Cine Chaparral com a ajuda e sociedade do Núncio Basile que entrou com a construção e da família Fanganiello que entrou com o terreno, naquela época um brejo ao lado do Rio Tietê ao nível da Aricanduva. Realmente foi uma época de essência de cultura cinematográfica e quebrou o preconceito de os “drive-in” serem usados para atividades sexuais transformando essa cultura em cinemateca familiar que terminou culminando com o aparecimento dos cinemas em shoppings que ofereciam a comodidade do estacionamento, a diversão das lojas e praças de restaurantes com a segurança de se assistir um filme onde ele deve ser visto, no CINEMA. Marco saudoso de minha vida onde cheguei a trabalhar para ajudar meus pai e seus sócios nos momentos de excesso de pedidos para a lanchonete e filas intermináveis que se estendiam pelas marginais, naquela época pavimentadas de paralelepípedos e com pouco fluxo de veículos, baixíssima criminalidade, onde os carros até permaneciam e assistiam o filme dali mesmo, melhorou quando passamos a transmitir o som do filme em FM, eliminando os postinhos de som: eu distribuía convites para que esses veículos entrassem no cinema sem pagar numa próxima vez. Marketing fantástico do realista e ao mesmo tempo sonhador, meu PAI. Obrigado Douglas pela reportagem. José Ciongoli (11)983329664

    Reply
  • Laercio 01/03/2019 at 10:35

    Muita gente ia lá pra “namorar” dentro do carro, pois tinha essa privacidade. Hoje, se voltasse, com certeza teriam arrastões de assalto!

    Reply
  • Carlos 14/05/2019 at 11:45

    Eu morava próximo mas nunca tive a oportunidade de ir. Era bem conhecido. Atualmente estou morando em Brasília e aqui há o “Cine Drive-In” o único do gênero ainda em funcionamento no Brasil, inclusive, em 2013 foi, por lei, levado à categoria de “Patrimônio Cultural”.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: