A foto abaixo, de 1952, mostra um bonde fechado do tipo Centex (aqui em São Paulo carinhosamente apelidado de Gilda) indo para a Lapa em uma avenida paulistana. Ao observar a imagem o maior mistério era: que lugar é este ?

São Paulo em 1952 (clique na foto para ampliar).

São Paulo em 1952 (clique na foto para ampliar).

Mesmo parecendo ser a região central não é fácil, em um primeiro momento, identificar onde exatamente está o bonde da foto. Nossas informações eram poucas, uma vez que no verso da foto está anotado à lápis apenas o que já podemos ver na foto, ou seja, “Bonde Lapa – Linha 35”.  Então, o maior desafio mesmo é achar o local que parece não ser a Lapa, mas a região central.

E foi justamente através de um prédio, ainda existente mas hoje impossível de ser fotografado como na foto, que conseguimos encontrar o local exato da imagem de 1952.  Notaram aquele edifício alto no lado esquerdo, com algumas janelas abertas ? Trata-se do Edifício Cícero Augusto Vieira, na rua Helvetia. Erguido em meados década de 30 o imóvel hoje está literalmente “colado” ao Elevado Costa e Silva, o popular Minhocão. Abaixo a foto do mesmo local em 2014:

O local atualmente (clique na foto para ampliar).

O local atualmente (clique na foto para ampliar).

E a foto atual mostra como o famigerado “Minhocão” foi um desastre urbano, principalmente na via onde ele passa sobre. O prédio que nos ajudou a identificar o local é quase impossível de ser notado, dá para observar algumas janelas dele sobre a coluna da via elevada, bem na curva.

Do casario antigo resta apenas a casa azul e branca, no número 1767, pois todas as outras foram demolidas. As casas mais na esquina deram lugar ao também já demolido Teatro das Nações – Dercy Gonçalves, enquanto uma delas deu lugar a um edifício, hoje bastante deteriorado, que foi construído no início da década de 60. A casa que ainda sobrevive a todos estes anos é também a última casa da Avenida São João, fato que por si só já merece seu tombamento.

No fundo da foto antiga, após a sequência de casas, é possível ver um imóvel térreo de esquina onde há na entrada uma placa comercial que parece estar escrito “União”. Não conseguimos identificar o que era ali, se alguém souber do que se tratava, envie nos um comentário.

Fora o charme do bonde da foto de 1952, este comparativo antes e depois dá uma dura lição ao paulistano. Mostra como políticas urbanas equivocadas e gestões municipais passadas despreparadas trouxeram o caos à capital paulista. É inegável que o local da foto atualmente, 62 anos depois da primeira foto, está muito pior que no passado.

Vão se os prefeitos, ficam seus erros.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

JOIN THE DISCUSSION

Comments

  • Ademir Richotti 11/07/2014 at 15:21

    Douglas
    A casa remanescente parece estar super bem conservada,merece uma atenção especial.

    Reply
    • Douglas Nascimento 11/07/2014 at 15:22

      O artigo sobre ele está vindo na sequência, daqui alguns minutos.

      Reply
      • Ademir Richotti 11/07/2014 at 17:19

        Valeu,Douglas!

        Reply
  • Carla Silva 11/07/2014 at 15:54

    Gostaria muito que o minhocão fosse demolido…

    Reply
    • Maria da Gloria Bach Goncalves 31/10/2014 at 00:18

      Naoooo Carla. Naquele ano em que o Elevado comecou a ser construido era uma dificuldade total para ir-se do Alto da Lapa ao Centro evice versa. Estudava no Largo S.Francisco, e trabalhava a tarde. A volta era um transtorno so. Demorava-se em media mais de 1hora para passar-se embaixo daquela construcao. Chegava em casa tarde, com fome, cansada de ficar em pe no onibus etc. etc. Entao, levando-se em brincadeira, demolindo este fantasma (ops), meun esforco e de tantos outros, vai paran o brejo.rsrsrs

      Reply
  • farolcom 11/07/2014 at 16:09

    Na placa está escrito ÚNICO – A coisa que me lembro é que existia uma sociedade vinícola com esse nome e que fabricava vinagre também. Era bem distribuído no comércio. Lembranças da infância e a marca era escrita em caixa alta. Pelo que pesquisei a empresa não existe mais ou foi incorporada.

    Reply
  • amaury 11/07/2014 at 18:05

    olá Douglas.
    postei um texto que imagino seria de interesse de todos, a respeito da construção do edifício Cícero Augusto Vieira, mas aparentemente esse post foi bloqueado.
    gostaria de saber o porquê de o texto não ter sido aceito.
    obs.: sem stress, apenas gostaria de saber o motivo. abcs.

    Reply
    • Douglas Nascimento 11/07/2014 at 18:19

      Olá Amaury, não achei o comentário aqui! Mas se o texto foi longo (mais de 200 caracteres) ele pode ter sido eliminado pelo anti-spam. É este o caso ? De qualquer forma me desculpe.

      Reply
  • Wilma 11/07/2014 at 18:14

    A Av. São João era mais bonita em 1952 do que agora em 2014.

    Reply
  • nazarethlmperes 11/07/2014 at 20:58

    Beleza a casinha ainda de pé e restaurada! Em menina andava nestes bondes que nós chamávamos de “bondes camarão”. Eram fechados e vermelhos.

    Reply
  • Reginaldo Galuzzi 12/07/2014 at 11:47

    A casa antiga, por incrível que pareça, parece estar em melhor estado que o prédio ao lado que deve ser bem mais novo…rs

    Reply
  • Eliane Nápole 12/07/2014 at 15:41

    Que saudades dessa São Paulo que nunca mais vou ver outra vez…….que bom que tem gente como você, tentando pelo menos não deixar morrer a memória…….obrigada

    Reply
  • João Batista Braghin 12/07/2014 at 21:46

    Ao ver uma comparação assim, como bom paulistano, e apreciador dos bondes, me dói o coração, também a conservação do único imóvel o qual propiciou a identificação do local, nos trás um lirismo dos bons tempos de outrora, nem sempre o progresso é bem vindo, nestas circunstâncias ele só depreciou o que era singelo e belo!!!!!

    Reply
  • Carlos Gama 12/07/2014 at 22:50

    Como sempre, Douglas, excelente o seu trabalho pela preservação da memória de São Paulo. Em um momento como esse, não sei se seria justo o tombamento desse imóvel que vem sendo mantido aparentemente intacto e muito bem conservado.
    Tem razão a senhora Nazareth: nós chamávamos de “camarões”, esses bondes fechados. Agora, em Santos, nós temos alguns deles restaurados e funcionando em curtos passeios, propiciando lembranças aos mais antigos e conhecimento aos mais jovens.

    Reply
  • ernani Nocciolini 21/07/2014 at 21:28

    Seu trabalho, Douglas, é maravilhoso, Acho que o paulistano deve se mover e participar de um trabalho de manter a memória da cidade. Chega de todos nós cruzar os braços, e ficar apreciando sem nada fazer inertes a destruição de construções tão belas da cidade.
    Hoje vi na TV. uma reportagem sobre o minhocão, e várias opiniões sobre esse viaduto tão polemico.
    Minha opinião é que ele seja totalmente removido. (botado no chão). E, em seu lugar construído um metrô de superfície, como existem em países europeus.
    Nada de jardins suspensos em cima daquela concretagem toda. Esses jardins com o tempo iriam ficar esquecidos, deteriorados e serviriam de ajuntamento de pessoas com más intensões. Mesmo que continuassem como jardins, em baixo estariam sujos servindo de latrina,e mal frequentados.
    Temos que pensar nos infelizes moradores dos prédios que dão de cara com esse mal fadado minhocão! Todos aqueles prédios perderam o valor. O comercio perdeu o valor.
    Que volte novamente a paisagem antiga da avenida São João, Praça Marechal Deodoro que era um cartão postal. Avenida General Olímpio da Silveira e continuação desta que eram tão bonitas até os anos 70.

    Reply
  • ernani Nocciolini 21/07/2014 at 21:47

    Hoje vi uma reportagem na TV, várias opiniões sobre a retirada do Minhocão.
    Sou da opinião que ele deve ser posto abaixo, e dar novamente a beleza das Avenidas por onde ele passa, e a praça Marechal Deodoro.
    Em lugar dele, devem fazer um metrô de superficie como tantos existentes na Europa.Garanto que iria diminuir bem o trânsito de veículos.
    Nada de jardins sobre ele.
    Os prédios defronte esse monstrengo, perderam o valor, e o local mal frequentado.

    Reply
  • Maria Helena Pantiga Caparros 17/08/2014 at 00:12

    Andava com minha avó materna (maria)pelo centro da cidade, tudo a pé.Ela tinha uns amigos no predio no fim do viaduto santa Efigênia, onde funciona o INSS?, e de lá de cima avistava-se a av.são João,Inclusive os desfiles de carnaval.Eu era pequena, mas me lembro disso.

    Reply
  • JORGE ROBERTO COELHO FERREIRA 28/08/2014 at 16:41

    Uma das características daqueles que se assenhoraram do poder pós 64, foi a de enfear a paisagem urbana com seus monstrengos arquitetônicos. Não só o abominável “minhocão” e os horríveis viadutos do Parque Dom Pedro em São Paulo. Ocorreu-me agora dois exemplos: a agência do antigo Banespa no centro de Itapecerica da Serra e o prédio da antiga TELESP, hoje Telefônica, na Praça da Matriz de Embu das Artes, beiram o absurdo, nada têm a ver com o estilo das seculares construções adjacentes.

    Reply
  • Milton 22/09/2014 at 21:49

    Eu mesmo ja escrevi vários artigos sobre a SP antiga a qual tenho ainda muitas lembranças e saudades. Nasci em 1948, com meus 12 anos fui estudar no famoso Liceu Coração de Jesus, e com meus 16 anos, fui trabalhar como offyce boy interno na famosa Lojas Isnard na Av. São João nr 1.400 .

    Reply
  • GUILERME SALLES DE CAMPOS 06/10/2014 at 21:24

    que legal na hora que vi a foto na hora identifiquei a casinha kkkkk é que eu morava na al barão de limeira e passava todos os dias na frente dela,muito bom douglas.

    Reply
  • Ariane 14/11/2014 at 14:05

    Uma pena que não mantiveram os postes.

    Reply
  • danielpardo2015 28/02/2015 at 20:18

    Maluf enfiou o minhocão onde não cabia e f%#%¨* com a região…

    Reply
  • André 15/04/2015 at 12:24

    Um exemplar deste bonde que rodava nesta linha encontra-se restaurado em Sorocaba/SP no jardim do Museu Histórico

    Reply
  • Carlos Del Bianco 22/09/2015 at 16:15

    A foto do Bonde que transita em direção a LAPA e a foto da única casa hoje em 2015 existente, podemos ver os os trilhos convergindo à esquerda no sentido da Garagem dos Bondes na Alameda Clete onde hoje em 2015 é a 77° DP – Santa Cecília; nota-se a entrada dos trilhos vindos dos Centro para a Garagem como da Garagem nio sentido LAPA.

    Reply