Em 2013 apresentamos no São Paulo Antiga um interessante comparativo Antes e Depois mostrando a Avenida Cruzeiro do Sul. Naquele artigo (clique aqui para ver), mostramos a porção final da avenida, onde um bonde entrava em uma das ruas que corta a via.

Eis que agora tivemos acesso a um slide de 1957- mesmo ano daquele comparativo – onde a área mostrada é alguns quarteirões mais abaixo, em direção ao centro da cidade. O registro é, no mínimo, impressionante:

A foto antiga mostra bem a esquina da Cruzeiro do Sul com a Avenida Ataliba Leonel. Na época este trecho estava há poucos metros de uma das estações do extinto Trem da Cantareira, a Estação Areal(*).

A Ataliba Leonel era também próxima da divisão para o ramal de Guarulhos, que passava por regiões como Tucuruvi, Guapira e Vila Galvão. Na foto de 1957 é possível ver o início do ramal no canto esquerdo da foto.

A imagem abaixo, extraída de um raro documento do Tramway produzido em 1917 mostra também o ramal e a estação:

Blueprint - clique para ampliar

Blueprint – clique para ampliar

Voltando a imagem antiga e comparando-a com a atual, são muitas as diferenças em quase 60 anos.

A velha linha do tramway deu lugar ao canteiro central da avenida e, sobre ela, o metrô da linha azul. A Estação Carandiru, aliás, está quase no mesmo lugar da antiga Areal.

Os paralelepípedos que dominavam o solo foram substituído pelo asfalto e o cenário quase sem edificações da Cruzeiro do Sul foi transformado por inúmeros imóveis ao longo da avenida.

Curiosamente o prédio que já existia na foto de 1957, bem na esquina, permanece preservado, com uma ligeira modernização na fachada e a criação de um andar adicional na cobertura.

Chama a atenção também o fato de o trânsito complicado neste cruzamento já ser um problema décadas atrás. Naquela época tinha a desculpa de esperar o trem passar, já hoje é excesso de veículos mesmo.

A ESTAÇÃO AREAL:

Divulgação

Pertencente a linha tronco do Tramway da Cantareira, a Estação Areal foi inaugurada nos anos 1910, sendo naquela época apenas uma pequena cobertura com telhado.

A estação das fotos publicadas neste artigo foi inaugurada em setembro de 1927, quando o trem já tinha suas atividades bastante consolidadas. A razão principal da ampliação desta estação teria sido a inauguração, em 1920, da antiga Penitenciária de São Paulo.

A estação operou até dezembro de 1964, quando o trem da Cantareira foi desativado.

(*) Embora chamada oficialmente de Areal, a estação tinha o nome ˝Areial˝ grafado na estação. Não encontramos explicação para esta dualidade.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • Elizabeth Nazareth Viegas 11/08/2016 at 22:25

    ADORÁVEL, COMO SEMPRE, ESSA MATÉRIA (MAIS UMA), PARA NOSSO DELEITE PAULISTANO, CARO DOUGLAS NASCIMENTO, NOS REPORTANDO AO QUE JÁ FOMOS ( MAIS HUMANIZADOS E BRASILEIROS)!
    QUERO MUITO PARTICIPAR DOS ENCONTROS.
    PARABÉNS PELA PARTICIPAÇÃO, MUITO JUSTA, NA “VEJINHA”.
    SUGESTÃO: AV BRÁS LEME (MORO NO 2393). COMO TERIA SIDO? OUÇO HISTÓRIAS…
    NÃO ME CONFORMO, COM OS INÚMEROS PRÉDIOS QUE ESTÃO CONSTRUINDO NO COMEÇO DELA, SENTIDO BAIRRO, LOGO AO FINAL DA DESCIDA DA PONTE DA CASA VERDE , À ESQUERDA.
    NÃO SINTO FIRMEZA NESSE SOLO ( MUITO ATERRO). E COMO FICA A VISIBILIDADE DOS PILOTOS PARA ATERRISAREM???
    AGUARDO.
    ABRAÇO.

    Reply
  • Albert Brasil 12/08/2016 at 11:04

    Parabéns , eu simplesmente fiquei fascinado com essa matéria . É voltar de fato no tempo …

    Reply
  • Antonio Mario 12/08/2016 at 16:02

    Prezado Douglas,

    Muito obrigado pelo excelente post.

    Cheguei há alguns dias da Holanda, onde o sistema de trens é incrivelmente eficiente, assim como o transporte coletivo de um modo geral.

    O trem foi, no sec. passado, fundamental para o desenvolvimento do Estado de SP. Infelizmente, o sistema de passageiros foi progressivamente desmontado, com o aval do lobby das montadoras automobilísticas. Isso foi claramente um erro crasso.

    Este sistema paulista de trens tem de ser reimplantado. Temos de eleger um governador disposto a fazer isso para as gerações atuais e futuras.

    Obrigado,

    Antonio Mario

    Reply
  • Marcio Saviano 15/08/2016 at 20:23

    Teria a imagem em tamanho grande? Seria bem mais legal para viajar nos detalhes.

    Reply
  • danielpardo2015 20/08/2016 at 21:35

    O mais louco é que o prédio de esquina ainda continua lá, ainda que modernizado, aliás, eu desconfiei que de fato fosse o mesmo.

    Reply
%d blogueiros gostam disto: