Imóveis Antigos

Monumento de Borba Gato

Comments (46)
  1. Acho muito bonita essa estátua. Morei 3 anos na região (mais precisamente na Vila das Belezas), e gostava de passar por essa praça, por causa da evocação histórica que ele traz.
    Os detratores desse tipo de monumento querem reescrever a história, apagando traços do passado, por serem distintos dos de hoje. As pessoas eram diferentes, agiam e pensavam de modo diferente; não devemos imitá-las, mas não podemos apagá-las de nosso passado.
    Os bandeirantes não são modelo de comportamento para ninguém dos dias de hoje. Mas, se vivêssemos naquela época, quem de nós agiria de modo diferente do deles?
    A estátua de Borba gato é uma sentinela a nos lembrar daquilo que fizemos e não devemos repetir.

    1. Roger disse:

      Gostei do seu comentário.

      Os detratores dos Bandeirantes são os cariocas que pensam que o Brasil é um país que começa no Pão de Açucar e termina no Leblon.

      1. J.C.Cardoso disse:

        Sou carioca e não entendi o porquê da polêmica.
        Polêmica por quê? Não entendi mesmo.

        1. Peterson Henrique Freitas disse:

          O colega fez referência ao narcisismo insuportável dos cariocas, e a incapacidade de compreender a personalidade dos outros estados. Essa polêmica vai sempre continuar. O Estado de São Paulo é muito selvagem e taciturno pra personalidade alegrona dos fluminenses.

          1. J.C.Cardoso disse:

            Somos narcisistas para vocês?
            ???

        2. Washington disse:

          É que essa estátua é de gosto duvidoso, muita gente achava feia, mas hoje em dia acredito que isso está acabando as novas gerações cresceram vendo essa obra e acabam gostando dela.

          1. Roberto disse:

            narcisista e egocentricos… acham q o brasil é o rio

      2. alextms disse:

        O que se questiona é a estética da estátua, dentro deste contexto os Bandeirantes nada têm a ver! Eu, pessoalmente, considero a estátua um monumento feio, mas nem por isso defendo sua demolição, pois entendo sua importância histórica e cultural para a cidade!

    2. Regina disse:

      Muito bem dito, Julio Cesar Pedrosa!

      1. Obrigado. Creio que eu não disse nada de extraordinário. É que já ouvi a opinião de pessoas que gostariam de derrubar esse e outros monumentos, numa postura anacrônica e sem sentido, algo semelhante à censura de obras literárias antiga, por supostos (às vezes) preconceitos.

        1. Perdoem-me. Onde se lê “antiga”, leia-se “antigas”.

    3. Julio, gostei do seu comentario, mas, naquele contexto historico, porque eles eram tão “agressivos?” e que mentalidade é essa que os fazia agir desta mandeira

  2. Odorico Paraguassu disse:

    Gostando-se dela ou não, a estátua é única, esse é seu grande mérito. Julio Guerra não copiou ninguém.

    Muito diferente do tal ‘Cristo Redentor de Sertãozinho’.

    Por não possuir uma forte imagem que a identifique Brasil afora, o prefeito da deliciosa e rica cidade de Sertãozinho decidiu erguer uma estátua do Cristo Redentor. Exatamente igual ao monumento que encontra-se no alto do Corcovado no Rio de Janeiro, que acabou transformando-se no mais conhecido cartão-postal do Brasil.

    Mas para Sertãozinho não ficar atrás, ficou decidido que a cópia seria ainda mais alta que o original. Assim, a estátua mais pedestal passam de 50 metros de altura enquanto o cristo original só tem 38.

    Não há até hoje notícia de tanta ignorância cometida por um mandatário brasileiro contra sua cidade. Se a ideia era Sertãozinho ganhar algum destaque nacional, conseguiu. Ficará para sempre conhecida como a cidade que copiou descaradamente o mais famoso monumento brasileiro que projetou o Rio mundialmente. Esse mérito nunca vai sair de lá, nem que outro louco resolva erguer um cristo com 1 quilômetro de altura.

    Pobre povo de Sertãozinho. Não merecia uma estupidez dessa.

    1. Concordo com você. E o Brasil está cheio de imitações do Cristo Redentor, as quais são totalmente despropositadas.

  3. Nádia disse:

    A estátua é horrenda e é de um bandeirante responsável pela morte de muitas pessoas!!!

    1. Alexandre disse:

      Considerando o valor artístico, o que seria bonito pra você, Nádia??? Já que um Bandeirante não pode ser homenageado, quem deveria ser homenageado na formação deste Estado e porque não do País, na sua opinião?

    2. Rubens Janes disse:

      Horrenda ou não faz parte da história do Brasil; quanto ao fato de um bandeirante responsável pela morte de muitas pessoas, concordo, foram implacáveis com os nossos índios. Para quem conhece pelo menos um pouco de história sabe o quanto os desbravadores foram desumanos. Milhares de índios foram cruelmente massacrados por eles.

      1. Alexandre disse:

        Caro Rubens, já que conhece tanto sobre a história do Brasil, deveria se colocar no lugar deles, na situação que se encontravam e com a mentalidade da época. Veja bem, não sou a favor da matança dos índios, mas é compreensivo devido a situação e mentalidade da época. Aposto que vc sabia que os índios se matavam entre si, não é mesmo??? Pois existiam várias tribos inimigas, mas tenho certeza que vc já sabia disso….

  4. Lilian Laub disse:

    Morei por lá durante muitos anos. A polêmica vem do fato de ser o Borba Gato uma obra indiscutivelmente “kitsch”, de gosto pra lá de duvidoso; mas, ainda assim, um ponto de referência para Santo Amaro.

  5. Peterson Henrique Freitas disse:

    A estátua tem uma qualidade estática, sem “movimento”, que nem todo mundo consegue admirar, por isso ela é polêmica. Pessoalmente considero expressiva. Seria valorizada se o entorno fosse bonito também.

  6. Renato disse:

    Taí um dos mais horripilantes monumentos da cidade. Impressionante como é feia, desproporcional, e de mau gosto, quase infantil.

    1. Alexandre disse:

      Horripilante!!!
      Tudo bem, gosto não se discute…Têm todo o direito de achar a estátua horrível. Mas considerando o valor artístico da obra o que seria bonito pra você, Renato????

  7. Paulo R Razza disse:

    Bonito ou feio é opinião pessoal mas se esse monumento estivesse em Barcelona haveria uma multidão de turistas em volta. Vivi a maior parte da minha vida na região e assisti a mudança radical por que passou e vem passando. Não existe praticamente mais nada do que havia na época da inalguração.

    1. J.C.Cardoso disse:

      É verdade. Tem “padrão Barcelona” e feio ou bonito é juízo de valor.

  8. Jefferson Eduardo disse:

    Nada tenho contra a estátua; acho-a diferente e inovadora por não seguir o padrão de bronze. Eu admiro a figura e o mito do bandeirante na História do Brasil. Mataram pessoas, é verdade e lamentável, mas a coragem e a bravura indômitas daqueles homens permitiu-nos conhecer melhor o interior do Brasil e dilatar o seu território (como o sogro de Borba Gato, Fernão Dias, e o Raposo Tavares). É preciso considerar as diferenças de mentalidade das épocas _neste caso, a colonial e a contemporânea.

    1. J.C.Cardoso disse:

      Isso mesmo, Jefferson.
      Criticam os portugueses, mas era a mentalidade da época. Espanhóis, ingleses e holandeses não teriam feito diferente se nos tivessem “conquistado”. Aliás, se ingleses ou holandeses, talvez só não tivéssemos tido Inquisição, pois não são católicos. No mais, vide África do Sul, Curaçau, Jamaica, Guianas…

      1. Jefferson Eduardo disse:

        Obrigado, J. C. Cardoso.

  9. Ulisses disse:

    Julio Guerra , foi um escultor de Santo Amaro e quis homenagear este bandeirante que viveu em Santo Amaro e tem até hoje descendentes com seu sobrenome
    Ele era dono de Santo Amaro Embu guaçu Parelheiros

  10. Nossa, quanto “exibicionismo cultural”, no fundo de todo esse papo…. A obra é bem feita, apesar dos tempos…A História??? é outra coisa…Devemos viver sim, observando, criticando, mas não “amargos”, pois a própria “massificação” faz isso quase que naturalmente em nós…. Vamos pegar mais leve, pois somos mortais, gente…ótimo dia para todos.

  11. J.C.Cardoso disse:

    26/06/2013 – Jornal Folha de S. Paulo

    Criador da polêmica estátua de Borba Gato ganha exposição em São Paulo

    TRAJANO PONTES
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    Paulista. Bandeirante. Desbravador de sertões. Aventureiro. Encontrou ouro e esmeraldas. Participou da Guerra dos Emboabas. Genro de Fernão Dias. Cunhado de Garcia Paes. Ele é Manuel Borba Gato.

    A vida do bandeirante talvez desse uma boa apresentação dessas que associam fotos de uma pessoa a adjetivos, tão comuns hoje em dia nos sites de humor e nas redes sociais.

    Isto é, se não tivesse passado tanto tempo de seu nascimento e morte (1649-1718) e se a própria figura dos bandeirantes paulistas na história brasileira não tivesse sido, digamos, repensada.

    Ainda que os feitos desses pioneiros estejam ofuscados, seus nomes ainda batizam ruas, avenidas e rodovias. E a estátua de Borba Gato ainda paira soberana na avenida Santo Amaro, zona sul de São Paulo.

    Difícil passar por lá e não se impressionar com o monumento.

    Alto. Esbelto. Colorido. Para alguns, talvez alto, esbelto e colorido demais. A obra, da autoria do escultor e pintor Júlio Guerra (1912-2001), foi inaugurada há 50 anos e nunca conseguiu uma opinião unânime.

    “[Júlio] queria fazer coisas para o povo e é contestado justamente por causa disso. Sempre foi uma pessoa original, autêntica, nunca dependeu de tendências da moda da Europa ou do Brasil”, explica o professor Eiji Yajima, curador da mostra “Júlio Guerra – Memória, Escultura e Pintura”.

    Aberta na última terça-feira (25), no Museu Belas Artes de São Paulo, a exposição reúne pinturas a óleo e miniaturas de esculturas do artista.

    veja fotos http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2013/06/1301639-criador-da-polemica-estatua-de-borba-gato-ganha-exposicao-em-sao-paulo-veja-fotos.shtml

  12. jacqueline disse:

    fico muito feliz e orgulhosa em pertencer a familia de Julio Guerra meu tio avo, nasci conhecendo suas obras e as historias da minha familia em Santo Amaro, bairro onde nasci e fui criada.

    1. Conceição Fernandes disse:

      Jacqueline, por favor, sendo você da família de Julio Guerra, sabe a razão dele escolher Borba Gato e não outro bandeirante? Há algum motivo em especial? Muito obrigada.

  13. RUBENS JANES disse:

    Pois é Alexandre, conheço sim a história do Brasil e acredito que muito mais do que você possa imaginar. A propósito vou descrever um fato que se deu na minha região, mais precisamente onde hoje é o Município de Avaré/SP. Esse fato está descrito numa Ata da Câmara Municipal de Botucatu/SP e consta do Arquivo do Estado de São Paulo:
    “Exmº. Snr.; esta he e sera sempre a conducta do grande posseiro mineiro com respeito aos índios, exterminá-los com requintada barbaridade, allias como tomar as suas pretendidas posses, matéria comerciável, e manancial de riquesas. Foi por este motivo que há annos, por occasião da morte de Pedro Lopes no Rio Novo, matarão sincoenta e tantos índios. Vivia o mencionado Pedro Lopes em armonia com os índios, e se misturava com elles, tendo matado hum porco do mato, hum índio tomou a caça, Pedro Lopes fes lhe fogo, e matou-o, depois disso foi elle também morto, o que foi causa da entrada dirigida por bugreiro tão mestre, que derão nos índios, estando elles deitados, e matarão dos grandes trinta e tantos, e das crianças à faca matarão vinte e tantas, e com tamanha matança athé se julgou haverem-se elles acabado para este lado, porém sabe-se que escapou um restinho, que por ahí ainda vagão. E o major Victoriano, allias pessoa respeitável, gracejando a respeito, dizia que os índios tinhão sido chamados à assinar termo de bem viver, e que em verdade havião aquietado. Como V. Excia. não leo os meus officios sobre posses e cathequeses, permitta que assim haja recapittulado, e que agora retorne o fio da minha narração”…”
    “…Não terminarei este officio sem rogar ao Governo que me dispense de toda e qualquer intervenção em negócios de índios, porque para o eXtermÍnio delles eu não quero da maneira alguma concorrer..
    Guarde Deus à V. Excia. muitos annos.
    Botucatu, 23 de junho de 1862.
    Fellippe Correa Pacheco
    Fiscal do Termo
    Villa de Botucatu
    Ao Ilmº e Exmº Snr. Dr. João Jacinto de Mendonça
    D. Presidente desta Província.”
    Ai está senhor Alexandre o modo como nossos índios eram tratados pelos sertanistas. Veja que mataram 20 e tantas crianças à faca. O Senhor acha isso certo?
    Em tempo: Transcrevi com a mesma ortografia usada na época; Major Vitoriano foi um dos fundadores de Rio Novo (hoje Avaré). O sertanista burgreiro, creio que seria José Theodoro de Souza o terrível exterminador de índios de todo o oeste do Estado de São Paulo.
    Agora, índio é índio, não eram civilizados, portanto o que faziam era apenas se defender dos intrusos, só isso.

    1. Alexandre disse:

      Parabéns pela pesquisa Rubens, é sempre muito legal ver que ainda existem pessoas que se interessam pela História de São Paulo. Também, sempre é muito interessante ver uma carta escrito neste português arcaico. Porém, acho que não fui muito claro quando disse que eu NÃO era a favor da matança dos índios. Apenas citei que era compreensivo estes fatos, devido ao contexto da vida cotidiana no período do Brasil colônia. Essa realidade bizarra e absurda para os padrões modernos, pode ser comparada as matanças do período do império romano e até mesmo com o período da inquisição, na qual Brasil colonia fez parte. É muito difícil aceitarmos tal atrocidades para os padrões de hoje em dia. Mas não podemos negar que esses bandeirantes são responsáveis pela maior parte da formação territorial do Brasil, sem falar que eles tinham uma baita coragem de desbravar um continente que não conheciam, e ainda por cima corriam risco de virar comida de índio…rs. Veja bem, não quero justificar a matança dos índios, apenas estou mostrando um outro ponto de vista.
      A respeito do fato ocorrido na região de Avaré, achei que morreram poucos índios, comparado ao genocídio que aconteceu na região do Guaré, atual divisa do Estado de São Paulo e Paraná, próximo à Presidente Prudente. Está bandeira foi chefiada por nada menos que Raposo Tavares, o numero de mortos chegou a centenas e passaram dos mil o numero de índios escravizados. Esta bandeira teve centenas de bandeirantes para não correrem riscos de levarem uma coça dos índios, e detalhe importante, pelo menos 70% destes bandeirantes eram índios catequizados e mamelucos. Gente matando de sua própria gente…vai entender né??
      Enfim, não podemos julgar o pensamento das pessoas que viveram em uma época totalmente diferente da nossa.

  14. Pardo disse:

    Eu não sei por que erguem estátuas aqui no Brasil para homenagear gente que só tomou e destruiu povos e/ou costumes, os bandeirantes são um exemplo disso.

  15. Miriam disse:

    Eu moro em Santo Amaro há 49 anos, deixem o Borba Gato em paz… se a estatua é feia ou bonita pouco importa, o bairro tem uma história riquíssima… de colonização… nossos bandeirantes fundaram varias cidades, desbravaram o Brasil a fora… e merecem uma homenagem sim… como julgar tais comportamentos da época… vamos pensar no futuro… será que nossa geração estará impune de julgamentos futuros… daqui a uns anos não me surpreenderá estatuas de “heróis” como dos nossos jogadores de futebol… Sem dizer que todos adoram as piramides do Egito e o Coliseu… ninguém morreu e ninguém foi escravizado para a construção de tais monumentos… aquilo pode ser marco histórico… o brasileiro sempre vê o belo no que pertence aos outros países…

  16. julio disse:

    Alexandre, essa estátua é muito feia, não tente defender tuas ideias com esse papo intelectualóide!!!!!!!

    1. Alexandre disse:

      Caro Julio, já ouviu falar no famoso ditado: “Gosto não se discute.” Pois é. É um direito seu de acha-la feia, mas como vc nunca ouviu falar neste ditado, acabou expondo a sua completa ignorância e desconhecimentos dos fatos históricos que citei acima. Não que vc seja obrigado a saber disto, pois ninguém é obrigado a saber de tudo. Na verdade ninguém sabe de tudo. Afinal, somos seres humanos. Mas se você tivesse lido com calma o que escrevi acima, perceberia que em momento algum impus o que é bonito ou o que é feio. Apenas questionei e expus os fatos artísticos e históricos para as pessoas refletirem, e pararem com estes radicalismos que estão consumindo este país, provando que a educação no Brasil está cada vez pior. Donos de comentários desnecessários como o seu, que não tem argumento crítico pra nada, e que adoram usar a palavra ” intelectualóide” quando não tem uma opinião adversa para provar seu ponto de vista; afim de enriquecer a conversa, só provam que são pessoas que leem cada vez menos. Lamentável!

  17. MÁRIO XAVIER STEINHOFF disse:

    ARTE NÃO SE COMENTA. ADMIRA-SE.

  18. Honorável Odorico. Nem na novela vc disse tanta bobagem rsrsrs. O Prefeito de Sertãozinho não estava homenageando a estátua do Corcovado e sim Jesus Cristo e, por falta de uma imagem melhor, usou a que que iconizou a Cidade Maravilhosa – justamente a imagem do Cristo Redentor.

    1. Odorico disse:

      Meu caro Oscar

      Louvável a intenção do prefeito de homenagear Jesus Cristo. Só que ao copiar o famoso monumento carioca incorreu em um erro grosseiro que marcará para sempre a cidade de Sertãozinho.

      A cópia, qualquer criança sabe, não tem valor algum uma vez que jamais deixará essa condição.

  19. milerdemarchi disse:

    Vocês são umas figurinhas. Discursos maniqueísta. Criticar opiniões de quem achou a obra bonita, francamente. Argumentos ”ad hominem”, absurdos. Infelizmente as pessoas perderam o direito de ter opiniões próprias, agora todos tem que ter opiniões homogêneas sem convicções e divergências sob pena de irritar os fiscais do status quo e ser alvo de críticas ou mesmo ameaças veladas. Quanto aos que acharam a estátua feia, nem se passarem 100 anos tentando criar algo semelhante não irão conseguir. Apresente-nos suas obras de arte. Um artista, com o que tinha em mãos entre 50 a 60 anos atrás, sem a tecnologia de hoje, fez algo tão belo, artesanalmente, rico em detalhes e ainda tem pessoas que não compreendem isso após tantos anos (que descanse em paz o escultor Júlio Guerra e sem o julgamento de vocês). No meu caso, eu achei o máximo essa escultura, independente do conceito histórico…

    1. José Bessa disse:

      De fato sobra maniqueísmo e “ad hominem”, mas você incorre no mesmo vício ao lançar como argumentação o desafio de “fazer igual”. É outra retórica vazia que sugere a impossibilidade de se criticar sem capacitação técnica no metiê. Seria como precisar ser cozinheiro para falar de um prato, ou engenheiro para observar uma construção, e por aí vai. A opinião, se convicta, se basta.

  20. Luís disse:

    Após leitura de todos os comentários acima, permitam-me deixar aqui o meu, em jeito de conclusão:
    – Bonito ou feio, é uma questão de opinião pessoal à que todos têm o direito. E não se discute, ouve-se.
    – Os monumentos são sempre uma homenagem que representa alguém, um lugar ou acontecimento. Se (esse alguém, lugar ou acontecimento) foi/é ou não merecedor do mesmo, é outra questão. Estamos cheios de exemplos em todo o mundo.
    – A estética, forma, aparência, técnica, composição, criatividade, criação, etc., ou seja a obra em si, é outra coisa. É conhecido popularmente por ARTE. E esta, contempla-se.

  21. Valdemar Pereira de Lima disse:

    Conheço a Estátua do Borba Gato há 42 anos e acho uma obra perfeita do escultor Júlio Guerra, considerando a imaginação e a criatividade dele ao projetar e realizar
    este trabalho, que se tornou um ponto de referência para o bairro de Santo Amaro.

  22. Beto Pontes disse:

    A foto da estatua referida como sendo da decada de 60, provavelmente deve ser do inicio da decada de 70, quando as luminárias suspensas sobre o leito das ruas foram substituidas. Nesta foto ja aparece o modelo novo de luminárias suspensas.

Deixe uma resposta

Publicidade:

SP ANTIGOS

Nosso Instagram: @saopauloantiga
Something is wrong. Response takes too long or there is JS error. Press Ctrl+Shift+J or Cmd+Shift+J on a Mac.