Uma das ruas mais visitadas do centro paulistano é a São Caetano, também conhecida como  ˝rua das noivas˝. Essa importante via liga as regiões da Luz e Bom Retiro até o Pari e mais adiante ao Brás, sendo há mais de um século um importante elo entre o centro e o leste da cidade.

Uma curiosidade é que entre os anos 1910 e 1920 a rua São Caetano era conhecida não pelas lojas de artigos para noivas, mas pelos seus pequenos cinemas, à época conhecidos como cinematógrafos. Haviam vários espalhados por ali.

Mas não falarei nem de loja de noivas nem de cinematógrafos. Hoje é o dia de falar deste interessante imóvel comercial:

clique na foto para ampliar

Atualmente ocupada pela loja Tecidos Riviera, esse magnífico imóvel comercial localizado no número 135 da Rua São Caetano¹ foi ocupado por algumas décadas pela tradicional Casa Gagliano.

A Gagliano foi um famoso e concorrido magazine no centro da capital. Artigos masculinos, femininos e infantis, além de brinquedos eram vendidos lá. Na primeira metade do século 20 a loja era bastante conhecida pelos paulistanos.

O estabelecimento tinha uma grande variedade de produtos e de tempos em tempos realizava suas ações de queima de estoque. Aliás, o anúncio abaixo mostra que eles não tinham lá muita sutileza em divulgar a ˝queima de estoque˝ em anúncio de jornal. Acredito que hoje esse anúncio seria de extremo mau gosto:

Anúncio de 1925 divulgado pela Casa Gagliano

O tradicional estabelecimento era propriedade de Donato Gagliano e filhos e a loja surgiu no início dos anos 1920. Embora não seja possível afirmar que o estabelecimento era proprietário do imóvel, o estabelecimento sempre esteve neste endereço.

Em meados da década de 1930, especificamente em 1934, a loja abriu uma filial na mesma São Caetano, do outro lado rua e em frente a matriz, apenas para vender artigos masculinos, pois não havia mais espaço no prédio principal.

Detalha da fachada e andar superior (clique para ampliar)

O andar superior deste imóvel não era ocupado pela loja, mas por um tradicional clube paulistano que já não existe mais: O Terminus. Esta agremiação realizava muitos eventos nesta sede social, como festas e bailes de carnaval. O acesso ao piso superior do edifício se dá pela rua Dutra Rodrigues.

Em 15 de abril de 1930 saiu esta curiosa nota no jornal Correio Paulistano sobre um roubo na Casa Gagliano

Um dado curioso é que em 1961 não havia mais o Clube Terminus no local mas outro clube, denominado Marconi. Como não se encontram informações sobre nenhum dos dois não é possível determinar se o Terminus mudou de nome para Marconi ou se eram dois clubes distintos que coincidentemente ocuparam o mesmo endereço.

A Casa Gagliano não existe mais, entretanto existiu ao menos até meados da década de 1960 neste mesmo endereço.

Atualizaremos este artigo à medida que obtivermos novos dados sobre o histórico de ambos estabelecimentos.

Sobre o imóvel em si, é importante salientar que ele encontra-se em excelente estado de conservação e preservação, sendo mantido em até hoje com suas características originais. Atualmente o piso superior é ocupado por estúdio fotográfico.

A Rua São Caetano é bem interessante e rende excelentes fotografias para os amantes da arquitetura antiga.

Nota:

1 – O atual número 135 onde encontra-se este edifício correspondem, até meados dos anos 1930, aos números 13 e 15.

About the author

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.

Deixe uma resposta

Comments

  • Lucio Gomes Machado 14/12/2017 at 12:01

    Este imóvel merecia ser tombado!
    Vamos promover a proposta?

    Reply
  • Andre Santana 14/12/2017 at 18:06

    Parabéns pela postagem!!!Que fachada maravilhosa,fiquei emocionado em saber que ainda existe arquiteturas lindas bem preservadas!!!Obrigado por compartilhar conosco!!!

    Reply
  • Luiz Henrique 15/12/2017 at 09:11

    Belíssimo prédio! De parabéns os proprietários, que têm essa consciência!

    Reply
  • Ralph Mennucci Giesbrecht 15/12/2017 at 09:25

    Legal, Douglas

    Reply
  • Daniel Pardo 23/12/2017 at 21:23

    Antes mesmo de abrir esse link já imaginava que a tal loja promovesse a sua queima de estoque mais ou menos nesse estilo do anúncio de época, que aliás, eu gostei, afinal, era uma época em que o que tinha que ser dito era falado na cara, sem o tal “politicamente correto”.

    Reply
  • Fernando Canto 26/12/2017 at 01:43

    Maravilhoso site.Gostaria de ouvir a história de Franco da Rocha, qualquer dia desses.

    Reply
  • Jerryson Costa 27/01/2018 at 13:26

    Jazigo dos Gaglianos no Cemitério da Consolação (Via Google Street View): https://goo.gl/maps/LAffDwXYsdw

    Reply
%d blogueiros gostam disto: